23 de agosto de 2011

Dica rápida - Mapas


Se há algo que considero essencial a todo viajante, é ter em mãos um bom mapa da cidade, ilha ou de qualquer outro local que esteja sendo visitado. E mapa bom não é necessariamente aquele enorme e que geralmente é difícil de utilizar ou carregar – procure algo que lhe seja prático de carregar e de fácil leitura conforme o seu gosto.
É fato que atualmente o GPS, principalmente no celular, trouxe grandes vantagens aos viajantes, que podem ir além do que o mapa tradicional oferece, traçando rotas rapidamente ou simplesmente fornecendo a localização atual. Seria então o fim dos turistas perdidos por ai pedindo informações??? Certamente perderíamos um pouco de charme...
Caso cogite utilizar o GPS do celular, tenha apenas cuidado com o custo do roaming de dados internacional. Caso seu telefone possua receptor GPS integrado e exclusivo, isto é, que não dependa das antenas de telefonia, desligue o roaming de dados e aproveite para navegar sem custos adicionais.
Seja usando um mapa ou o GPS, com eles é sempre possível programar melhor o itinerário e saber exatamente onde as atrações selecionadas estão.
Sempre começo a minha visita a um determinado local obtendo um mapa no posto de informações turísticas oficial ou junto à recepção do hotel.
De posse do mapa, começo procurando e marcando nele as atrações a serem visitadas para num segundo passo eleger por prioridades o que será visto primeiro. Tento também dividir o local em partes, reunindo em um itinerário / período ou dia as atrações que são mais próximas. Com isto ganha-se muito tempo, otimizando os deslocamentos e possibilitando aproveitar mais tempo cada uma das atrações.
Claro que tal “estudo” não pode demorar muito e tem que ser algo prático para que não se transforme em uma atividade chata, uma saída para que isto seja feito rapidamente é utilizar o Google Earth ou simplesmente pedir ajuda do pessoal da recepção do hotel, que presumivelmente terá prazer em lhe ajudar neste tipo de dúvida.
Apesar de toda esta programação, considere, caso tenha mais tempo no destino, sair no primeiro e/ou no último dia de viagem, sem mapa e sem programação definida. Caminhar tranquilamente por um destino e talvez até perder-se faz parte da experiência de viajar e pode revelar boas surpresas e risadas.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui