4 de setembro de 2011

Dicas de New York – parte XVI


TIMES SQUARE GARDEN


Embora faça parte do Distrito dos Teatros, preferi deixar Times Square, em um post separado. Afinal o lugar merece, pois é um dos cartões postais mais conhecidos e vibrantes de New York.

Sou um tanto quanto suspeito para falar deste pedaço de New York, afinal desde que pensei em ir para a Big Apple, sempre me interessei pelo lugar. E de fato, não dá para não se render ao encanto deste cruzamento em formato de X no meio da ilha de Manhattan, lojas e restaurantes variados, letreiros de LED enormes, não, melhor dizendo GIGANTESCOS!!! e de quebra ver o pessoas do mundo inteiro passando diante dos seus olhos, ouvir os mais diversos, idiomas, e apreciar culturas variadas em um único lugar é uma experiência essencial na cidade.
Aqui, a frase “New York never sleeps” tem seu maior sentido.
A Times Square é maravilhosa em qualquer momento do dia, e se você passear por ela às 4 horas da manhã, mesmo assim estará lotada. No entanto, o grande encanto ocorre à noite, quando a luminosidade dos restaurantes, das propagandas, das lojas é tão forte que dá a impressão de ser dia. Caminhar à noite pelo coração de Nova York é uma experiência indescritível. Portanto, se você puder, visite-a de dia e noite.
Para melhor localização, a Times Square vai das ruas 40 à 53 e seu centro é entre a 6ª e a 7ª avenidas e intersecção com a Broadway.
Tudo começou em 1895, quando um imigrante chamado Oscar Hammerstein inaugurou o Olympia Theatre, um complexo de entretenimento com três teatros e um jardim no teto. Até então, aquele era a Longacre Square. O nome Times Square viria mais tarde, numa homenagem ao jornal The New York Times, que se mudou para a rua 43 Oeste, em 1904 (homenagem, aliás, estimulada pelo próprio jornal). Essa é considerada a data de "fundação" do pedaço.
Houve momentos de decadência forte. Entre 1970 e o início dos anos 90, o local era a boca do lixo do pedaço, com drogas e da prostituição. Após um forte esforço de revitalização não só da região, mas da cidade como um todo, o local atualmente é um dos pontos preferidos dos turistas e dos locais para celebrações.
Alguns números relativos à Times Square:
·         4 bilhões de dólares gastos na revitalização;
·         2 bilhões de dólares em faturamento publicitário;
·         11,2 milhões de pessoas assistiram aos shows da Broadway;
·         São: 40 salas de espetáculos, 250 restaurantes, 1.500 empresas, 12.500 quartos de hotel;
·         1 polegada de anuncio lumiso custa de 5 mil a 20 mil dólares ao mês;
·         30 mil pessoas moram e vivem na região;
·         100 nacionalidades andam por ali;
·         508 dólares é o preço médio do metro quadrado comercial do local;
·         50 mil beijos por dia no local (lá fizeram a famosa foto do pós guerra;
·         200 mil ratos habitam os subterrâneos (ora, nem tudo é belo ?!?!).

A legislação municipal exige que todos os prédios da Times Square sejam iluminados por letreiros de publicidade ou informativos. Um dos mais famosos é o que está no alto do Banco Morgan Stanley, que com seus 3m de altura fornece as cotações diárias da bolsa de valores.
Outro letreiro neste sentido é o chamado "blue chips" que vive aparecendo na fachada da Nyse (Bolsa de Valores de NY), perto da Nasdaq, com seu painel eletrônico de 37 metros, o maior emissor de luz do mundo. Blue chips, ou fichas azuis, é o nome das ações mais lucrativas da bolsa naquele momento.
No cento de tudo está uma minúscula praça chamada Duffy Square, com a estátua de George M. Cohan, que foi um dos responsáveis por várias peças e shows de sucesso na Broadway. Logo perto da estátua estão os guichês da TKTS que vendem os espetáculos com os melhores preços.
Existe um Visitors and Tourist entre as ruas 46 e 47 – 1560 da Broadway, perto do McDonald's, que tem boas informações sobre o lugar, e de graça.
Se bater uma saudades de casa, é só ir à Rua 46th, que é chamada a rua dos Brasileiros em NY.
Uma das boas pedidas para beliscar na região é a Pop Corn Indiana (Dale & Thomas Popcorn) no n.º 1592 da Broadway, uma tradicional loja de pipocas com vários sabores, caramelo, chocolate, morango etc.
Um dos pontos a visitar é o complexo de lojas e lanchonetes E-Walk, na West 42 St. e a loja da Hershey´s e a loja da M&M que para quem gosta de chocolate ou tem crianças – ou nenhuma das opções anteriores, é um ponto obrigatório – a loja de tudo que se pode imaginar relacionado à marca.
Tem uma loja da Warner Bros. no One Time Square. Outra boa pedida é a loja de cosméticos Sephora (na 1500 Broadway – de segunda a domingo das 10 às 24hs); o prédio do canal ESPN Zone, na 42 com seus telões com noticiários e transmissão de jogos e loja de artigos esportivos.
É ali que fica também a famosa loja de brinquedos Toys "R" Us (na 1514 Broadway – aberta nos seguintes horários: Sun 10:00am-9:00pm; Mon-Thu 10:00am-10:00pm; Fri-Sat 10:00am-11:00pm), que é imperdível seja por sua decoração, seja por seu tamanho, que comporta até mesmo uma roda-gigante dentro e um tiranossauro-rex em tamanhos reais. Existe ainda o Marquee Moment, onde paga-se uma taxa para que apareça a sua foto e/ou uma mensagem numa tela gigante de LED em plenaTimes Square.
Vale a penas ver a fachada do teatro mais famoso da região, o New Amsterdam Theater (214W 42and St.) que foi inaugurado em 1903 e era o mais luxuoso à época. Outro teatro famoso da região, porém um pouco mais longe (quase chegando no Central Park) é o Carnegie Hall (154W 57th St.) que foi a primeira casa de espetáculos da região em 1891 e foi durante vários anos a sede da orquestra filarmônica de New York.
Outro ponto turístico do local é o Paramont Building (1501 Broadway), edifício de 1957 em estilo Art Déco que atualmente é a sede do Hard Rock Café.
Na região, tem uma Jack's World (45 W 45th St), que é uma loja de US$ 0,99 com três andares e um pouco de tudo, literalmente - comida, material escolar, chinelo, meia, chocolates, produtos de limpeza, refrigerantes, brinquedos, utensílios domésticos, e por ai vai... Outros endereços: 16 E 40th St; e 110 W 32nd St # 8.
Curiosidade: foi em Times Square que foi tirada uma das fotos mais famosas do mundo, chamada "O Beijo" de Alfred Eisenstaedt. Fotografia foi tirada após anúncio do fim da Segunda Guerra Mundial e virou um símbolo do fim da guerra. Casais costumam recriar a foto (ao fundo está o V das avenidas. Recentemente descobriram a identidade do marinheiro: Glenn McDuffie. A moça era uma enfermeira.
Festa de Ano Novo: experiência própria ... é legal, sim, mas não espere uma comemoração com o nosso clima e agito. Quem já passou um Ano Novo longe do Brasil sabe como é ... um certo clima morno. Muita gente e um esquema de segurança às vezes afugentam alguns viajantes. Normalmente a polícia vai fechando as quadras com grades, quem entrou entrou, quem não entrou não entra mais. Conseguimos ficar umas 4 quadras longe chegando encima da hora. A segurança é até um pouco exagerada, caixas de correios e latões de lixo lacrados, cães farejadores, e policiais armados - normalmente não permitem que as pessoas (principalmente homens entrem na área com sacolas). Nunca vi tanta polícia ou “cops” em um lugar só. Rssssss Ah, não se esqueça que não pode beber na rua.
Seja como o for, é um programa interessante se você estiver no espírito, afinal é uma das passagens de ano mais famosas do mundo, com um público médio de 500 mil / 1 milhão de pessoas – e olha que é frio pacas!!!
A comemoração no local começou em 31 de dezembro de 1904, quando o jornal The New York Times comemorou sua mudança para o local e deram uma festa que durou um dia todo e com queima de fogos à meia-noite. No ano de 1907, o evento, ganhou nova atração: uma imensa bola iluminada que desce do topo do prédio precisamente à meia-noite – a New Year's Eve Ball com aproximadamente 500 quilos e 2 metros de diâmetro; e são 200 lâmpadas no exterior e outras 432 no interior para dar o efeito brilhante, ah, e mais 98 estroboscópicas para dar o efeito brilhante.
Após pesquisar, descobri que a história da New Year's Eve Ball é a seguinte: os ingleses no século 19 utilizavam uma bola presa a um mastro bem alto – para todos verem – que era descida ao meio-dia para todos sincronizarem seus relógios. A celebração em Times Square com a New Year's Eve Ball somente deixou de acontecer nos anos de 1942 e 1943 por conta da 2ª Guerra Mundial, quando a celebração deu lugar a um minuto de silêncio e sinos.
Site oficial: www.timessquarenyc.org

2 comentários :

  1. Oi Diogo!
    Vim conhecer seu blog e já entrei como seguidora. Vou indicar seu blog pelo twitter. Meu twitter é @viajarpelomund0 (com zero no final)
    Claudia Liechavicius
    www.viajarpelomundo.com

    ResponderExcluir
  2. Ainda não estive no New Year´s Eve em NY, mas não vejo nada especial passar frio para ver a ball... legal sim deve ser aproveitar o clima de Natal da cidade. legal o relato. abraços!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui