9 de novembro de 2011

Dicas da GRÉCIA (II): Atenas

Acrópole
       Assim como a muitos daqueles que viajam para a terra de Sócrates e Platão, pensei em utilizar Atenas apenas como um ponto de chegada à Grécia, já que ir direto para as ilhas é bastante complicado e caro. Quando estava programando esta viagem, li vários relatos de viajantes que simplesmente desembarcaram do avião e foram direto para o porto de Piraeus, rumo às tão sonhadas ilhas gregas.
Embora entenda que esta seja uma opção – principalmente para quem não têm muito tempo – e que para a maioria das pessoas a Grécia ideal está nas ilhas, com seu mar azul e suas casinhas brancas penduradas nos penhascos e etc; acho que uma breve visita à capital grega além de ajudar o viajante a aclimatar-se, rende boas surpresas.
Apenas para ter uma ideia, com um pouco de programação e pique, dá para ver as principais atrações de Atenas em apenas um dia.
Capital do país desde 1834, seu nome é uma homenagem à deusa grega Atena – deusa da guerra, da civilização, da sabedoria, da estratégia, das artes, e da justiça – ufa! Faltou algo?
E por falar em cultura geral, é a cidade natal de Platão, Aristóteles e Sócrates – este último sentenciado à morte por seus discursos.
Os vestígios de ocupação da região datam de 1400 a.C. Foi a principal cidade-estado na Grécia Antiga, período que durou de aproximadamente 500 a.C. até 300 a.C.. Em 388 a.C. juntamente com outras cidades gregas, foi conquistada pelos Macedônios, passando então a fazer parte do império de Alexandre o Grande.
Mesmo após o ápice de seus dias de glória, Atenas continuou a ser uma cidade próspera e um centro de estudos até o período tardio do Império Romano. As escolas de filosofia foram fechadas em 529 depois que o Império Bizantino foi convertido para o cristianismo. Entre os séculos XIII e XV foi combatida pelos bizantinos e cavaleiros franceses/italianos do Império Latino. Em 1458, caiu em poder do Império Otomano, quando o Parthenon foi transformado em mesquita e o Erechtheion em harém. Aliás, graças a tal comportamento estes e outros tantos tesouros arquitetônicos do velho continente foram preservados.
Com aproximadamente 4 milhões de habitantes, em tamanho Atenas não é muito grande não – até mesmo se comparada às demais capitais européias. E mesmo sendo a cidade mais populosa do país, o clima é bastante pacato (à exceção dos períodos de protestos e greves gerais que já citei anteriormente) e acolhedor, já sendo possível notar uma clara influência do clima e estilo de vida mediterrâneo.
Por conta das Olimpíadas de 2004, a cidade passou por um plano de reurbanização onde dentre várias alterações, a que mais chamou a atenção foi o banimento dos carros do centro – até então era uma cidade com altos índices de trânsito e poluição, o que resultou nos calçadões mais reconhecidos na Europa.
Bom, depois de uma breve introdução, vamos à prática.
Do aeroporto para a cidade é possível usar a linha 3 do metrô (€ 6) para chegar ao centro da cidade, mais especificamente na praça Syntagma e a partir dali fazer conexão para outras linhas e estações.
Outra opção é simplesmente pegar um táxi, o que pode ser uma boa idéia dependendo do horário - mesmo com as melhorias o trânsito em Atenas continua bem ruim. Uma corrida de táxi custa aproximadamente €50 – mas fica a dica, combine muito bem o preço, pois é comum no final o taxista adicionar algo mais, por exemplo o pedágio – o nosso taxista simplesmente retirou o sensor do “sem parar” deles, passou colado em outro carro para não pagar o pedágio, e ainda veio me cobrar pelo pedágio que ele na verdade não pagou – sim eles são espertos, mas nos somos brasileiros e portanto vacinados contra este tipo de “esperteza”.
Como o trânsito é caótico e as atrações estão a uma curta distância, na maioria dos casos é possível visitar todas elas à pé. Uma boa opção é usar o metrô– são 3 linhas, sendo que a verde foi inaugurada em 1904 – um dos mais antigos do mundo - e as demais são mais recentes. Como na maioria dos países de primeiro mundo, os tíquetes devem ser validados nas máquinas nas plataformas de embarque. Uma peculiaridade do metrô de Atenas é fruto justamente do passado histórico da cidade. As escavações do metrô trouxeram à tona diversos achados arqueológicos, sendo que muitos deles estão expostos nas próprias estações – os principais estão na estação da Syntagma.
A bela estação de metrô na praça Syntagma
Outra opção de transporte são os bondes, fruto da modernização para as Olimpíadas de 2004
Sempre muito útil, o posto de informação turística (EOT), tem dois endereços, um maior na praça Syntagma (Amalias 26a, Syntagma – que estava fechado por conta dos protestos) e funciona das 9 às 19 de segunda à sexta e das 10 às 16 nos finais de semana; e outro no Aeroporto (hall de desembarque, das 9 às 18 de segunda à sexta e das 10 às 15 sábados e domingos. Mas provavelmente o seu hotel poderá fornecer todas as informações necessárias, mapas e etc.
Mas em que região escolher um hotel em Atenas? Como toda capital, Atenas tem uma boa oferta de hotéis. Particularmente sugiro ficar no centro da cidade, pois isto facilita bastante o acesso às principais atrações.
Como precisava passar apenas 2 noites na capital, optei por um hotel mais simples, porém bem localizado. Escolhi o hotel Kimon (27, Apollonos str., Plaka, 105 56 Athens, Greece - Telefone: +30 210 3314658 - Fax: +30 210 3214203).
Como é bastante comum o horário do ferry não coincidir com o dos vôos, obrigando os viajantes a fazer mais uma parada na cidade antes de partir da Grécia, optei por fazer esta breve parada ao voltar das ilhas no Sofitel situado ao lado do aeroporto - literalmente do outro lado da rua. Serviço excelente e a facilidade de estar praticamente dentro do saguão de embarque, sem contratempos.
Sofitel praticamente dentro do sagão do aeroporto de Atenas 
Do quarto, tinha-se uma bela vista da pista do aeroporto
Mas e as atrações?
Ir à Atenas e não ver a Acrópole, é como ir ao Rio de Janeiro e não ver o Cristo Redentor. Confesso que a primeira vista dela foi emocionante, afinal trata-se de algo que está ali muito, mas muito antes de você sonhar existir.
Principal atração da cidade, pela sua grandiosidade e posição estratégica, pode ser avistada de muito longe, ainda mais durante a noite, quando fica iluminada.
Acrópole iluminada marca a paisagem noturna de Atenas.
Duas dicas essenciais para visitar o local: chegue logo nas primeiras horas da manhã ou ao entardecer para evitar não só o aglomerado de turistas nas filas, mas também o sol que dependendo da época do ano torra, literalmente. A segunda dica é usar sapatos confortáveis e com solas de borracha, pois as superfícies de mármore podem ser escorregadias e a subida não é muito fácil não.
A subida não é fácil....
No caminho é comum encontrar pedaços de prédios ainda não encaixados no quebra-cabeça histórico.
Mas mesmo assim, estar em um lugar destes vale o esforço, não só pelo seu aspecto histórico, mas também por ser possível ter uma bela vista da cidade e até do mar ao fundo.
O ingresso é válido para várias outras atrações da cidade, vai destacando conforme visita.
A Acrópole é tão antiga como assentamento humano que os primeiros vestígios humanos datam do período Neolítico – também conhecido como Idade da Pedra Polida (entre 12 mil e 4 mil a.C.). Até mais ou menos 510 a.C. o local era de fato uma cidade, quando então foi declarado “província dos deuses” e foram construídos templos e outros edifícios, e as residências retiradas do local. As suas principais construções, inclusive o Parthenon, datam do século 5 A.C..
As construções locais sofreram muitos danos por conta de anos de ocupações, conflitos armados, terremotos e mais recentemente com os danos da chuva ácida, fruto da forte poluição que assolava Atenas nas décadas passadas. Mas o pior dano foi em 1687, quando os venezianos atacaram os turcos que ocupavam a cidade, resultando a explosão do Parthenon, onde os turcos armazenavam pólvora.
A vista é melhor nem comentar...
...para qualquer lado é fantástica!
Para quem quiser se aprofundar na questão histórica e ver um pouco dos artefatos e esculturas encontradas no local, existe o museu arqueológico que fica do lado de fora, perto da Acrópole.
Entrada do museu arqueológico
As principais atrações são:
a) Parthenon ou Pártenon: Apesar de arquitetonicamente parecer um templo, as pesquisas dos historiadores têm apontado no sentido de descaracterizar este famoso edifício como um templo. Isto porque nunca foi descoberto um altar propriamente dito, o que tem levado a maioria dos historiadores a acreditar que ele era uma espécie de depósito ou tesouraria para guardar entre outros itens valiosos, a famosa estátua da deusa Atena de Fídias (também conhecida como Palas Atena). Ah, em tempo, Parthenon significa apartamento da virgem, justamente por conta da estátua da deusa ali guardada. Bom, voltando à nossa amiga Atena de Fídias ... era uma estátua datada de 432 a.C., com estrutura de madeira e cobertura de ouro; mãos, pés e rosto de mármore, e media aproximadamente 12 metros de altura. Eu disse era, porque segundo relatos históricos, ela teria desaparecido após ser levada para Constantinopla (atual Istambul) em 426 d.C. e sido destruída algum tempo depois.
Parthenon
Detalhe da escultura do que sobrou do telhado
Como grande parte dos edifícios históricos, o Parthenon teve curiosas finalidades durante a história - chegou a ser convertido em igreja à Virgem Maria no século VI e em 1456 numa mesquita após a conquista otomana na região.
A fachada mais famosa, perto da entrada está em obras permanentes

Embora tenha sofrido muito com os vários terremotos que assolaram a região, o maior dos estragos ao Parthenon aconteceu em 1687, pois os turcos ali instalaram um depósito de munição que explodiu após ser atingido por uma bala de canhão veneziana. No século XIX, o diplomata britânico Thomas Bruce, 7.° Conde de Elgin, removeu muitas das esculturas sobreviventes para a Inglaterra, os chamados Mármores de Elgin e expostos no Museu Britânico, em Londres. Isto é motivo de briga até hoje entre os dois países.
A sua construção foi consideravelmente rápida para a época, pois teve início em 447 a.C. finalizando em 438 a.C., - dizem que a decoração continuou até 433 a.C., quase tanto quanto a construção.
O Parthenon tem 69.5 comprimento por 30.9 metros de largura. Suas colunas dóricas têm 1,8 de diâmetro e 10,4 metros de altura.
b)     Teatro de Dionysos: considerado o principal teatro da antiguidade, e por alguns até mesmo o berço do teatro e dramaturgia, era utilizado para o festival anual de artes, com shows musicais, peças teatrais e afins. Construído em mármore entre 342 e 326 a.C., tinha capacidade para 17.000 espectadores em 20 fileiras. Está situado na encosta sul da Acrópole. Seu nome é devido a Dionísio, deus do vinho. Lá foram apresentadas as célebres tragédias clássicas de Ésquilo, Sófocles e Eurípedes.
Teatro de Dionísio
Cadeiras apenas para os mais altos níveis da sociedade ateniense.
c)  Teatro de Herodes Ático: é o teatro mais bem conservado do complexo, até mesmo porque é o mais recente, datando de 174 a.C. Escavado na colina, tem capacidade para até 5 mil espectadores que se sentavam em belos acentos de mármore branco. Restaurado em 1957, é atualmente utilizado para apresentações diversas.
Teatro de Herodes Ático
d)     Templo de Atena Nike: não, não é uma megastore da marca não. Após pesquisar um pouco de mitologia grega é que me dei conta do significado da marca. Nike nada mais é do que a deusa da vitória – Ah, e deve-se pronunciar “nique”, como aprendi com os locais.
Templo de Atena Nike
e)  Pórtico das Cariátides. Situado no Erecteion, é um templo em estilo jônico dedicado à deusa Atena e também ao rei Erecteu. A construção é famosa pelas colunas esculpidas em formato de mulher, chamadas de cariátides.
Erecteion


Pórtico das Cariátides
O curioso nome deriva da cidade antiga de Caria, que traiu o império grego e se aliou aos persas. Quando a cidade foi recapturada, os homens foram mortos e as mulheres escravizadas, obrigadas a transportar cargas pesadas, daí a alusão às colunas-mulheres que carregavam toda a estrutura da obra na cabeça.
Ali ao lado do pórtico está a oliveira plantada supostamente pela deusa Atena que seria a primeira oliveira que se tem notícia. Mitologia ou não, a árvore está lá para ser vista e apreciada. Só não tente comer as azeitonas em seu estado natural, o gosto é horrível!!!
A famosa oliveira.
Endereço: Dionysiou Areopagiyou, Pláka. Dá para chegar pelo metrô Acrópolis. Apesar de ter várias entradas, os visitantes portando bolsas ou mochilas devem usar da entrada principal na Pláka, pois precisam ser revistadas.
Horário: segundo informações do site oficial, “Summer: 08.00-20.00. Holidays 1 January: closed 6 January: 08.30-15.00 Shrove Monday: 08.30-15.00 25 March: closed Good Friday: until 12:00 closed Holy Saturday: 08.30-15.00 1 May: closed Easter Sunday: closed Easter Monday: 08.30-15.00 Holy Spirit Day: 08.30-15.00 28 October: 08.30-15.00 25 December: closed 26 December: closed”.
$$$: segundo o site oficial “Full: €12, Reduced: €6. Special ticket package: Full: €1,2, Reduced: €0. Valid for: Acropolis of Athens, Ancient Agora of Athens, Archaeological Museum of Kerameikos, Kerameikos, Museum of the Ancient Agora, North slope of Acropolis, Olympieio, Roman Agora of Athens, South Slope of Acropolis”. Isto é, o ingresso aqui dá direito a outras atrações também.
Site oficial: www.culture.gr e o não oficial: www.acropolisofathens.gr  
Platéia Syntagma (ou Praça da Constituição para os íntimos) é o coração da cidade, e por isso mesmo palco das manifestações populares decorrentes da crise econômica. Aqui está situada a maioria das agências bancárias.
Platéia Syntagma
Praça Syntagma e os manifestantes acampando
Arredores da Praça Syntagma
Com alguns cafés ao redor e um calçadão de lojas na rua Ermou, é uma boa opção de passeio – desde que sem protestos e quebra-quebra, ao menos que você tenha vocação para correspondente de guerra.
É na Platéia Syntagma que está localizado o Parlamento. Originalmente um palácio real construído entre 1836 e 1842, que passou a ser sede do parlamento grego em 1935. Foi de sua sacada que em 3 de setembro de 1843 foi declarada a syntagma (constituição). Apenas a biblioteca é aberta ao público. Diariamente de hora em hora acontece uma troca de guarda – aos domingos ela é feita de forma mais solene, com uma banda.
Parlamento Grego.
Cerimônia de troca da guarda - detalhe ao pom-pom do sapato - juro que não entendi o significado...
Monastiráki é um dos bairros mais agradáveis e típicos de Atenas e com um bom comércio de lojas (antiguidades; prata; couro e souvenires) e restaurantes – aos domingos existe ali uma feira de pulgas na Platéia Avyssubuas. Sugiro fazer o caminho da praça Syntagma, seguindo pela rua Ermou. Ali próximo à Estação Monastiráki e na Ágora Antiga, fica o Athens Flea Market que nada mais é do que uma rua fechada cheia de lojas de souvenires e outros itens – boa opção para comprar umas lembranças do local.
Entrada do Flea Market...
... onde dá para achar de tudo um pouco.
Psyrrí é outro bairro bastante típico de Atenas, com boas lojas e movimentação noturna.
Ancient Agora (Ágora Antiga). Em 1930, escavações locais revelaram neste sítio arqueológico o núcleo político e religioso da Atenas da antiguidade, sendo também o local de comércio, e onde estavam situadas várias escolas.
Neste local estava situada a prisão estatal em que Sócrates foi preso e executado por volta de AD 49.
Aqui também São Paulo costumava pregar o Cristianismo.
Templo de Hefesto
Stoa de Átalo
O principal prédio é o Stoa de Átalo, que foi reconstruído na década de 50, utilizando materiais típicos da época; o Odeão de Agripa (teatro coberto); e o Templo de Hefesto. O sítio como um todo data do século 6º a.C

Endereço: entrada principal pela Adrianoú, Monastiráki.
Horário: segundo o site oficial: “Monday from 08.00 until 11.00 the Museum is closed.”
$$$: “Full: €4, Reduced: €2 Ancient Agora of Athens - Museum of Ancient Agora of Athens. Special ticket package: Full: €12, Reduced: €6 Valid for: Acropolis Museum, Acropolis of Athens, Ancient Agora of Athens, Archaeological Museum of Kerameikos, Kerameikos, Museum of the Ancient Agora, North slope of Acropolis, Olympieio, Roman Agora of Athens, South Slope of Acropolis” segundo o site oficial
Lycabettus Hill, é uma colina diante da Acrópole, é um ótimo lugar para ter uma vista completa dela – não cheguei a subir, mas ouvi de alguns outros viajantes que subida parece não ser fácil não.
Lycabettus Hill visto da Acrópole
Hadrian's Arch (Arco de Adriano). Erguido em 132 d.C. em comemoração à consagração do Temple of Olympian Zeus, e para marcar o ponto de divisão entre a cidade antiga e a cidade romana.
Arco de Adriano e ao fundo a Acrópole
Temple of Olympian Zeus. Suas obras iniciaram no século 6º a.C. e por conta de seu tamanho e da falta de fundos, levou “apenas” 700 anos para ser concluído por Adriano em 131 d.C. É o maior templo da Grécia e impressiona pelo tamanho de suas 104 colunas coríntias de 17 metros de altura e 1,7 metros de diâmetro – 15 colunas derrubadas pelo vento em 1852 permanecem ali.
Templo de Zeus no primeiro plano e a Acrópole em segundo plano

Detalhe das colunas
Templo de Zeus visto da Acrópole
Horário: “14-30 of September 2009 daily until 19.30 1-31 of October 2009 daily until 18.00
$$$: “Full: €2. Special ticket package: Full: €12, Reduced: €6. Valid for: Acropolis of Athens, Ancient Agora of Athens, Archaeological Museum of Kerameikos, Museum of the Ancient Agora, North slope of Acropolis, South Slope of Acropolis
Pláka é o bairro mais central e histórico de Atenas, apesar de poucas construções serem anteriores ao período otomano – fruto da destruição durante as ocupações estrangeiras. São muito comuns nesta área as tavernas tradicionais. Aqui também está o único monumento intacto da cidade, o de Lisicrates, na Platéia de Lysikrátous (erguido em razão de um festival de coro e teatro). Nesta região existe a igreja de Ágios Nikolaos (séc. 11), que merece visita. Por ser um local essencialmente turístico, está cheio de lojas de souvenires.
Casarões e lojas no Pláka...
...dividem espaço com os vários restaurantes...
...e bares que só são frequentados à noite.
Mitrópoli, também conhecida como Catedral Ortodoxa da Anunciação ou simplesmente Catedral Metropolitana de Atenas, foi construída entre 1842 e 1862. Curiosamente, o material ali utilizado veio da demolição de outras 72 igrejas. Atualmente está em reparos por conta de um terremoto de 1999. Endereço: Praça Mitropóleos no bairro Pláka.
Praça Mitropóleos diante da Catedral, o lugar é tão tranquilo que nem parece capital de um país
Pequena igreja ao lado da Catedral onde estão sendo realizadas as missas por conta da reforma
Fachada da Catedral de Atenas - modesta para os padrões europeus.
Acabamento em mármore azul, nunca tinha visto
Pena que não deu para vistar o interior por causa da reforma
Panathenaic Stadium. Originalmente construído no século 4º a.C., para competições de atletismo, serviu como arena de gladiadores na época de Adriano (120 d.C.). Passou por uma grande reforma em 1895 para servir de palco para os jogos olímpicos de 1896 – os primeiros da era moderna. Tem capacidade para 70 mil espectadores e nas olimpíadas de 2004 foi o local das competições de arco e flecha e a chegada da Maratona – mais épico impossível!!
Panathenaic Stadium
Ao fundo a pira olímpica
 Embora não tenha ido visitar, outra opção para sentir o espírito olímpico é o Athens Olympic Stadium "Spyros Louis". Obra do arquiteto catalão Santiago Calatrava e não é apenas o estádio, mas sim todo um complexo esportivo. Segundo o Lonely Planet: “You can only visit on an organised tour (minimum 15 people; per person €3, additional fees for afternoon or weekend tours).” Mais recentemente li na imprensa que as instalações estão sucateadas, então avalie se merece uma visita.
Endereço: Kifissias Avenue 37, Marousi
$$$: €3
Site oficial: www.oaka.com.gr
National Gardens. Com entradas pela Leoforos Vasilissis Sofias & Leoforos Vasilissis Amalias, Syntagma; este parque que originalmente era o jardim da Rainha Amalia é bastante frequentado pelos atenienses, contando com um playground, lago com patos e um café.
National Gardens
Embora a Grécia não seja um típico destino de compras, alguns itens interessantes como azeites (maravilhosos!!!); os chamados olhos gregos; artigos esculpidos em madeira de oliva; artigos de couro; e roupas são boas lembranças de viagem e são facilmente achados na capital.
As lojas funcionam segundas, quartas e sábados das 9h00 às 14h30 e terças, quintas e sextas das 9h00 às 14h00 e das 17h00 às 20h00.

Para souvenires, a melhor opção é a região da Pláka e Monastiraki. Como já dito, a rua Ermou é um bom calçadão de lojas mais tradicionais e itens variados – vai de Syntagma à Monastiraki. 
Calçadão de Ermou
Uma das várias lojas de souvenires espalhadas pela cidade
Momento "This is SPARTA!!!!"
Nunca imaginei que alguém pudesse vender assim corroas de louros de ouro e prata
Para uma performance de Zorba - certamente você já ouviu em algum filme
Para artigos mais caros e grifes famosas, sugiro Kolonaki.
Para aqueles que gostam de lojas de departamentos, existe a Fokas (na The Stadiou). Shoppings? Embora não tenha tido tempo de visitar, sugiro alguns que pesquisei antes de ir:
1-     Athens Heart: Pireos Street 180 – estação Petralona.
2-     Golden Hall: Kifisias Avn 37 - Marousi.
3-     Avenue Shopping: na Kifisias Avn 41-47. – Maroussi.
4-   The Mall: A. Papandreou Str. 35, Maroussi (é fora de Atenas?) estação Neratziotissa.
E por falar em compras, assim como a maioria dos destinos europeus, existe a possibilidade de reembolso do VAT (imposto sobre consumo europeu) através do Global Refund / Blue. As regras são as seguintes:
Please note the following goods are not refundable: alcohol, lubricants for ships, food. VAT Refund Information: Minimum purchase amount: EUR 120.00. Period for obtaining a valid customs stamp: 3 months from the issuing month. Check validity: with a valid customs stamp 3 months from issuing date. Receipt/Invoice: need to be attached. Customs stamp: an official Greek or any other EU customs stamp
Os postos de atendimento são os seguintes:
1. EUROCHANGE - Bureau de Change: Extra Schengen Area/Gates A 1-3, Athens International Airport. Opening Hours: MO-FRI: 06.30-22.30 SAT: 06.30-22.30 SUN: 06.30-22.30
2. EUROCHANGE - Bureau de Change: Intra Schengen Area, Athens International Airport. Opening Hours 24 hours per day/7 days per week GLOBAL BLUE GREECE 23-25, Lekka Str. 3rd floor Syntagma GR-105 62 Athens”.

Embaixada do Brasil? Platia Philikis Eterias 14 - 3rd floor - GR 106 73 Athens – Greece - Tel: (30210) 721-3039/723-4450/724-4434 - FAX: (30210) 724-4731 - E-Mail: embragre@embratenas.gr
Próximo post, Mykonos. Τα λέμε σύντομα ou até breve!!!


Quer receber mais dicas de viagem e saber saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

3 comentários :

  1. pq nao da para copiar e colar? é importante quando se faz um roteiro :)

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui