17 de janeiro de 2013

Dicas da TURQUIA (XI) - Capadócia - Introdução

Única! Esta é a melhor definição para a Capadócia.
      Embora Istambul, felizmente, guarde muito daquilo que se espera ver num país tão diferente do nosso, e nos dê um excelente panorama do que é a Turquia, uma viagem para aquelas bandas não poderia passar em branco sem uma, ainda que breve, esticada à região da Capadócia.
Sou da opinião que certas coisas no mundo são únicas e merecem serem vistas, valendo o esforço de ir um pouco mais à diante. Sabe aquele lance de já que estamos aqui, vamos esticar um pouco mais...?
Paisagem assim... só na Capadócia mesmo.
Tenha em mente que a Capadócia é muito mais que este modismo decorrente de uma novela, coisa que passará em poucos meses. Isto porque a Capadócia, não é um destino assim “novo” para aqueles que se interessam por turismo.
Trata-se de um destino que por suas paisagens singulares sempre esteve nos roteiros turísticos (até aqueles mais padronizados da CVC – nenhuma crítica hein!), e desde muito recebe uma quantidade enorme de turistas, viajantes, mochileiros e etc.
Confesso que sair do agito de Istambul e ir para os confins da Capadócia foi um choque. Explico.
Em meio a tantos campos de gira-sol..
A tranquilidade reina.
Situada na porção central da Turquia, chamada como Anatólia Central, a Capadócia é muito diferente do restante do país. E não estou só falando da paisagem e geologia singular do local não. Lá, você não verá aquele lado cosmopolita e agitado que os turcos revelam em Istambul.
Tudo é mais simples e rústico. Com isto a região da Capadócia guarda ainda muito daquele aspecto mais exótico da Turquia. Espero que assim permaneça!
Isto não significa que você não encontrará conforto e instalações hoteleiras aptas a atender até aos hóspedes mais exigentes. O que você não encontrará em absoluto são shoppings ou restaurantes badalados – baladas então nem preciso falar, né? Portanto, considerem que esta é praticamente uma viagem de aventura, mas com todo o conforto e comodidade.


Ver Cumbicão - Turquia num mapa maior
As marcas mais antigas de ocupação humana na região datam do 2º milênio antes de Cristo, e as primeiras referências conhecidas a respeito da Capadócia foram trazidas pelo geógrafo e historiador grego Heródoto.
Habitada inicialmente pelo povo Hitita, por estar situada em importante rota comercial entre o oriente e o ocidente, a Capadócia foi no decorrer dos séculos o lar de vários outros povos que ali deixaram suas marcas.
Mas de onde vem o nome Capadócia? A teoria mais aceita é que tal nome derive do vocábulo hitita, Katpadukya (terra de cavalos de raça) – para os turcos, como o nosso guia local, algo como “Capadoquia”.
Kapadokya!
Como chegar. Ao programar a sua visita à Capadócia, tenha em mente que ela está a pouco menos de 800km de Istambul – mais de 9 horas de estrada! Então, ao menos que você pretenda visitar Ancara (a capital do país), vá à Capadócia de avião.
Turkishi Airlines, a melhor opção para chegar à Capadócia.
A oferta de vôos é grande. Reparem que tem uma cidade na Turquia chamada... Batman!
A freqüência de vôos interligando Istambul e Kayseri (a maior cidade da região) é grande. Apenas para dar uma idéia, a cada 2 horas ou menos, dependendo do dia da semana, a Turkish tem vôos diretos. O tempo de vôo é de aproximadamente 1h40min., e o custo é de 318.00 TL, ou R$ 366,33. Caso prefira, considere também o aeroporto de Nevşehire ao pesquisar vôos para a região.
Aliás, sobre a Turkish Airlines, confira o nosso review.
Uma questão recorrente é quanto tempo é necessário para conhecer a Capadócia. Bom, fora aquele velho mantra “depende”, considero que em 2 ou 3 dias você consiga ver o que há de mais importante. Pouco? Considere que tudo é muito próximo, não existe trânsito (óbvio!) e que para a grande maioria das atrações um tour num grupo pequeno é a melhor opção como mostraremos mais à diante.
O clima é algo bastante intenso na Capadócia, os invernos costumam ser rigorosos, inclusive com neve. Da mesma forma o verão. Após experimentarmos o verão turco, posso lhes assegurar... é quente, muito quente!
Interessante que durante a noite ou nas primeiras horas do dia, a temperatura no verão é amena, possibilitando até usar calça e uma blusa leve – altamente recomendável para o passeio de balão, por exemplo.
Na Capadócia existem várias cidades onde você pode se hospedar e a partir dali fazer seus passeios pela região.
Além de Kayseri, considere também Avanos, Urgrüp, Nevşehire, e o vilarejo de Göreme. Eu particularmente não ficaria em Kayseri, pois embora seja a principal cidade da região, e portanto com a melhor infra-estrutura (enquanto cidade, ok?), fica mais distante das principais atrações. Andando pela cidade, fiquei com a impressão que não existem grandes atrativos ao turista – nada típica!
Um panorama de Kayseri.
O Monte Argeus nos arredores de Kayseri.
Como queríamos ficar mais perto possível das atrações, até mesmo pela curta estadia (2 dias - 3 noites), optamos por dormir no vilarejo de Göreme Nós optamos pelo Dervish Cave House Hotel, um daqueles hotéis na caverna cujo review completo vocês conferem aqui.
Göreme.
Me rendo... resisti ao máximo a escrever isto, mas vamos lá... Pelo pouco que vi da novela Salve Jorge, é algo bem parecido com aquilo.
Ao reservar o seu hotel, recomendo que você já veja com eles se existe a possibilidade de contratar um translado para o aeroporto, pois transporte público é praticamente inexistente, e os táxis são raros. Alguns hotéis até oferecem isto a título de cortesia.
Bem, uma vez lá e devidamente instalado, hora de pensar nas atrações locais. Além dos típicos passeios de balão (sim, logo mais vem o post próprio a respeito!) e dos tours pelas formações rochosas únicas da região, são comuns as caminhadas guiadas pelos vales e os passeios de cavalo, bicicleta, ou quadriciclo.
A oferta de quad e bicicletas para aluguel é grande em Göreme.
Sem dúvida, a maior atração da geologia local são as formações rochosas singulares da região, conhecidas como Fairy Chimneys, algo como Chaminés de Fadas ou peri bacalari em turco.
Estas formações únicas no mundo são fruto da erosão e desgaste do vento na camada de tufa, uma rocha mais porosa formada a partir da consolidação das cinzas vulcânicas - sim, existiam vulcões lá. Uns 10 milhões de anos atrás, esta camada era de aproximadamente 100m de altura. Ela pode ser encontrada numa extensão de aproximadamente 300km².
Uma Fairy Chimney praticamente intacta.
Outras já foram bem mais desgastadas.
Destas já não restou quase nada.
Como esta tufa é consideravelmente menos rígida que a rocha, não só o vento e a erosão foram capazes de moldá-la. Notando a facilidade com a qual tal material poderia ser escavado, nos primórdios, os habitantes da Capadócia resolveram escavá-la para ali estabelecerem seus abrigos e residências.
Andando pela região não é raro encontrar igrejas, casas e até mesmo hotéis escavados na rocha.
Claro que atualmente não é mais permitido escavar a rocha e muitas das antigas residências foram tombadas como patrimônio histórico, impedindo a sua deterioração pelo uso indiscriminado.
Reparem nas portas e janelas na rocha.
Em Göreme é muito comum este tipo de "construção".
Mas não é só por conta da peculiar geografia que a Capadócia é famosa. Ela também é conhecida como sendo a terra de São Jorge, também chamado de o Santo Guerreiro.
Ainda que não se tenha muita precisão histórica a respeito da maior parte dos fatos de sua vida, pois o que se sabe vem de documentos apócrifos ou simplesmente pouco precisos; sua existência é inquestionável, assim como a fé de seus devotos.
Depois de muito procurar, finalmente o achei numa pintura em uma das igrejas do Open Air Museum. Reparem na lança.
Apesar da foto não ser das melhores, nesta outra pintura fica mais claro. Com direito a dragão e tudo!
Interessante que trata-se de um santo venerado em diversas regiões, da Palestina à Inglaterra, passando pela Catalunha (região de Barcelona) e pelo Brasil, onde é padroeiro de uma nação (ops!), quer dizer de um famoso time de futebol (desculpa, mas o lado corintiano escapou!!! Rsss). A extensão da devoção a São Jorge é tamanha que recentemente vi na Catedral de Estocolmo, uma enorme estátua em homenagem a quem??? O próprio!
Pelo que aprendi, ele nasceu na Capadócia ano de 275; e ainda criança mudou-se para a Palestina - lugar onde pudemos notar claramente a devoção dos árabes cristãos ao santo guerreiro. Ainda muito jovem, perdeu o pai, sendo então educado com esmero por sua mãe. Já adulto, seguiu carreira no exército romano onde atingiu altos postos.
Todavia sua revolta diante do massacre dos cristãos desagradou o imperador Diocleciano que determinou a sua captura e tortura para que renegasse sua fé. Mantendo-se firme em sua fé, São Jorge acabou sendo decapitado em 23 de abril de 303.
Apenas a título de curiosidade, pois foi objeto de papo de mesa de bar com uns amigos dias atrás, é verdade que a Igreja Católica, na pessoa do Papa Paulo VI, rebaixou São Jorge a santo menor de terceira categoria (certamente este papa não era corintiano!). Mas em 2000 o Papa João Paulo II (tinha que ser!) devolveu a São Jorge o seu devido status.
Infelizmente, são não se vê nenhuma referência a São Jorge além das  igrejas no Göreme Open Air Museum. Eu mesmo acreditei que seria fácil encontrar uma imagem de São Jorge para trazer de souvenir. Olha, penei para achar. Só encontrei numa lojinha de artigos para turistas perto da entrada do Göreme Open Air Museum – Ufa! Missão cumprida.
Embora tenha ficado um pouco decepcionado é verdade, compreendo. Embora a Turquia seja tolerante com as demais religiões, os cristãos são minoria - lembrando que na Turquia a maior parte da população é de muçulmanos.
Ao fazer a sua programação de atividades, tenha em mente que simplesmente inexiste transporte público e as distâncias entre as atrações é grande, o que faz dos tours uma excelente opção.
Embora eu evite ao máximo - e às vezes até critique o esquema de tour - reconheço que no caso da Capadócia (e alguns outros destinos), o tour é uma excelente ferramenta.
Nos optamos por utilizar o tour ofertado pelo nosso hotel (pago à parte é claro!). Eram duas opções. Dentre as duas opções apresentadas, ficamos com a primeira, que percorreu as seguintes atrações: Göreme Panorama; a cidade subterrânea de Derinkuyu; Ihlara Valley; Belisırma Village para almoço; Yaprakhisar; Selime Monastery; e Pigeon Valley. O tour partiu por volta das 9h30 e terminou lá pelas 18h00.
Na segunda era oferecido: Göreme Open Air Museum; caminhada pelo Rose Valley; Çavuşin Old Village e Casttle; Devrent Valley; Paşabağı Fairy chimineys; demonstração de artesanato em Avanos com almoço; degustação de vinho em Urgüp; e por fim uma visita às Fairy Chimneys de Urgüp.
Quanto? 70TL na primeira opção e 55TL na segunda.
É verdade que apesar de toda a simpatia e esforço do nosso guia local, no quesito informações o tour ficou a desejar, e muito. Só para dar uma idéia, embora o guia fosse nativo da região e formado em turismo, lembro era a primeira vez que ele visitava duas das atrações que vimos!?!?
Resultado: o pequeno grupo de não mais que 10 pessoas simplesmente passou a ignorar as poucas informações prestadas, e começou a compartilhar aquilo que nós, turistas, sabíamos a respeito dos locais – na maior parte das vezes, mais que o próprio guia.
Mas tudo bem, graças à logística muito bem montada, conseguimos ver com calma as principais atrações da região. Saldo final? Valeu a pena sim!
Fica a dica: por mais independente que você seja nas suas viagens (o que eu apoio, vocês sabem), no caso da Capadócia, um tour é muito bem vindo.
Enfim, espero que esta série de posts convença aqueles mais receosos a visitar a Capadócia, uma das principais, senão a principal jóia da Turquia.
Capadócia. Vamos lá?
No próximo post, vamos mostrar como é um típico hotel caverna da região.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui