23 de julho de 2013

Dicas da China (I) - Como requerer visto de turismo para a China

Nǐ hǎo, Great Wall see you (again!) soon.
Uma das primeiras coisas que devemos verificar ao planejar a visita a um determinado destino turístico é a necessidade de visto. Ainda que proporcionalmente a quantidade de países que fazem tal exigência aos brasileiros seja pequena, ainda existem destinos tradicionais (como os EUA) e outros menos comuns (mas que estão constantemente no radar de alguns viajantes) nos quais ainda exige-se visto de turismo.
Mas como saber se um determinado país exige visto? Bom a forma mais segura de obter tal informação é visitar o site oficial da embaixada e/ou do consulado do país. Digo isto porque as regras mudam com certa frequência – basta ver a recente, e bem vinda, isenção de visto para brasileiros no México.
Assim, sugiro conferir a exigência de visto e também providenciar a sua emissão o quanto antes. Não deixe para a última hora!
Enfim, um dos países que está no rol daqueles que exigem visto é a China. Para conferir se na época da sua viagem eles estão exigindo visto ou não (particularmente não acho factível uma isenção da parte deles), basta dar uma olhada no site oficial da embaixada da China no Brasil e/ou dos consulados chineses em São Paulo e Rio de Janeiro – não existem consulados em outros Estados.
Um detalhe importantíssimo é que embora Hong-Kong e Macau façam parte da China, os brasileiros que forem permanecer até 90 dias nestes locais a turismo, não necessitam de visto.
A solicitação de visto é relativamente tranquila e rápida.
A primeira informação importante é que a validade do visto chinês é relativamente curta se comprada à de outros países como os EUA, por exemplo.
Eles têm vistos de 1 entrada, a qual deve ocorrer dentro de um prazo máximo de 3 meses a partir da emissão do visto; o de duas entradas e o de múltiplas entradas. O de duas entradas tem validade de 6 meses da emissão; e o de múltiplas entradas pode ter validade de 6 meses ou 1 ano – a opção é do solicitante.
Então, veja bem qual tipo de visto será o mais adequado ao seu itinerário, sempre tendo em mente que cada vez que você chega por um aeroporto internacional e passa da imigração para a área externa, conta-se como uma entrada.
Diferentemente de alguns outros países, não existe a necessidade de agendamento prévio. Basta comparecer a um dos consulados (RJ ou SP). O atendimento é por ordem de chegada.
No caso do consulado de São Paulo, o horário de atendimento, tanto para entrada quanto para retirada do passaporte é de segunda à sexta-feira das 9h00 às 12h00. Onde fica? Na Rua Estados Unidos n.º 1071, Jardim América, São Paulo – telefone (11) 3069-9877 / 9895 / 9876.
O que é necessário apresentar em termos de documentação?

1.    Passaporte com validade mínima de 6 meses e uma página de visto em branco – sugiro contar estes e meses considerando-se não a data da requisição, mas sim da sua entrada na China, pois esta é a regra geral praticada pela maioria dos países;
2.    Carta de convite emitida pela entidade ou indivíduo que o (a) convida, ou comprovante de depósito bancário que cobra as despesas da viagem na China, ou carta comprovadora emitida pela empresa onde o (a) solicitante trabalha. Se você estiver bancando a sua própria viagem, basta apresentar cópia da CTPS + holerite; e/ou sua última declaração de imposto de renda – um extrato bancário também pode ser uma boa. Sugestão? Leve tudo e o analista vê o que ele usará ou não;
3.    Cópia da passagem de ida e volta à China;
4.    Reserva de hotéis na China;
5.    Formulário do pedido de visto devidamente preenchido e assinado;
6.    1 foto colorida atualizada (3×4).

Os estrangeiros devem, além da documentação acima, apresentar cópia de RNE (Registro Nacional de Estrangeiro).
As cópias apresentadas ficam retidas no consulado.
A taxa de emissão do visto é de R$ 100 para uma entrada; R$ 150 para duas entradas; e o de múltiplas entradas sai por R$ 200 (validade 6 meses) e R$ 300 (validade 1 ano).
Confira aqui os valores atualizados.
Um detalhe importantíssimo é que o pagamento deve ser feito única e exclusivamente mediante depósito bancário em dinheiro e na “boca do caixa” nas agências do HSBC. Não existe outra forma de pagamento.
Após a entrega da documentação, no próprio protocolo, o consulado fornecerá os dados da conta. Para quem estiver em São Paulo, existe uma agência do HSBC a uma quadra do consulado. Moleza!
O prazo médio para entrega é de 3 dias úteis, mas existe a possibilidade de requerer-se urgência na apreciação, pagando uma taxa adicional de R$70,00 para 24 horas e R$ 45,00 para 48 horas.
Não mora nas cidades de São Paulo ou Rio de Janeiro?
Sem problema. Os solicitantes residentes nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul podem fazer a solicitação via correio (paga-se uma taxa de R$ 20,00).
A jurisdição do consulado do Rio de Janeiro compreende além do Estado do Rio, Minas Gerais, Bahia e Espírito Santo.
Pronto, solicitado o visto, a única dificuldade é chegar lá do outro lado do mundo!
旅途愉快 ! (Boa Viagem!)

Booking.com

2 comentários :

  1. Boa tarde Diogo,
    Parabéns pelo blog, há peguei muitas dicas e inclui no meu roteiro a China.
    Tenho algumas dúvidas, se puder me ajudar:
    1 - Qual moeda levar?
    Essa dúvida vem em relação ao yuan ser uma moeda fraca, eu prefiro sempre viajar com moedas fortes como dólar e euro, mas minha dúvida é se em Xangai e Beijim eu teria a facilidade de trocar dólar pelo RMB em lugares confiáveis e com uma boa cotação.
    2 - Como comprar passagem de trem?
    Precisarei do trecho Xangai - Beijim ida e volta em trem bala, o ideal é comprar online, deixar para comprar lá ou em alguma agência de turismo aqui no Brasil?
    3 - Roteiro
    Ao montar um roteiro você já pesquisa a forma de como chegar a algum lugar como a linha de metrô e estação ou pergunta no hotel?

    Uma dica: a embaixada da China em Brasília também emite o visto.

    Obrigada!!
    Viviane

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Viviane, obrigado.
      Na China fizemos saques nos ATMs direto em yuan, mas se você precisar fazer cambio é bem tranquilo também. Infelizmente não lembro de nenhuma casa de câmbio além da do aeroporto onde troquei alguns US$.
      Infelizmente não tenho informações de trem, porque fomos de avião, mas hoje eles estão super bem estruturados em termos de linhas de trem de alta velocidade.
      Como me programo muito antes, já saio de casa ao menos com uma ideia de transporte. Gosto de marcar tudo no Google Maps! :)
      Muito provavelmente a embaixada da China tenha um departamento de vistos sim.

      Abraço.

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui