17 de setembro de 2013

Como usar o Airbnb


Airbnb, mais uma opção de estadia.
Viajar sem gastar muito é o sonho de qualquer um. Ok, talvez não seja uma preocupação para alguns poucos, mas economizar em um determinado item do orçamento de viagem é algo que é sempre bem vindo. Pode render mais dias no seu destino ou até algumas compras a mais.
Aqui no Cumbicão já demos algumas dicas de como utilizar seu cartão de débito no exterior e economizar na hora de converter seus reais em moeda estrangeira; já vimos que dá para usar o seguro viagem fornecido pelo seu cartão de crédito; demos dicas de tour gratuito em algumas cidades; e até mostramos como reservar um hotel “no escuro” com o Hotwire e conseguir algumas boas pechinchas.
Como a experiência com o Hotwire foi bastante positiva, aproveitando uma nova viagem no radar, resolvi criar coragem e testar os serviços do Airbnb.
Mas o que é o Airbnb? Em linhas bastante gerais, consiste num serviço de intermediação para aluguel de temporada ou curta estadia.
Segundo eles mesmos informam, a abrangência atual é de 34.000 cidades e 192 países. Ou seja, praticamente o mundo todo. Claro que em alguns destinos vocês encontrarão uma quantidade maior de ofertas do que outros.
Em determinadas cidades, eles têm uma atuação mais forte, contando inclusive com os chamados Guias de Bairros. Entre as cidades que fazem parte deste grupo estão destinos pouco explorados por brasileiros como Austin (Texas) e Sydney; mas também alguns que são quase que quintais tupiniquins, como Buenos Aires; Nova Iorque; e Paris.
A primeira pergunta que alguns podem estar fazendo é: compensa? Olha, depende muito da época do ano, do destino, e principalmente do que você procura em termos de estadia. Por exemplo para Miami em Outubro, fiz a comparação entre os imóveis do Airbnb e hotéis em South Beach. A diferença por dia ficou em torno de R$ 50/dia a favor do Airbnb.
Lembre-se, para comparações você precisa analisar coisas equivalentes. Não adiante comparar um hotel 5 estrelas com um kitnet, né? Não se esqueça também de adicionar eventuais custos extras, como por exemplo estacionamento, que é caríssimo em South Beach.
Além do valor das diárias, o Airbnb irá cobrar uma taxa deles. Nada de mais, uns 10% do total. Note que serviços como Booking e Hoteis.com também cobram taxas próprias, embora algumas vezes disfarçadas sob outras nomenclaturas.
Enfim, coloque tudo na ponta do lápis e analise o custo benefício conforme as suas necessidades.
Mas como utilizar?
O primeiro passo é criar a sua conta. Ela pode estar ou não associada à sua conta no Facebook. Pessoalmente, por uma questão de privacidade, eu sugiro não associar as contas. Ao menos que você queira que todo mundo saiba o que você está fazendo. Vai de cada um.

Próximo passo é definir o seu destino; as datas da viagem e a quantidade de hóspedes – este é outro importante ponto a ser considerado na comparação com hotéis, pois eles fornecem imóveis com capacidade para vários hóspedes.
Notem que na tela de busca aparecem as seguintes opções de acomodação: quartos compartilhados; inteiros e casas/apartamentos inteiros. Nos primeiros o quarto será compartilhado, como num albergue; enquanto que na segunda e terceira vocês opções terão um quarto ou o imóvel inteiros, respectivamente. Fique atento!
Como, dependendo do destino, a quantidade de ofertas pode ser grande, sugiro que você faça um primeiro pente fino definindo a localização do imóvel e o preço máximo que pretende gastar. Num segundo momento, avalie outros quesitos, como comodidades disponíveis e etc.
Para não se perder o mar de ofertas, você pode utilizar a ferramenta Wish List e salvar os “candidatos” para uma análise mais detida mais tarde.
Não deixe de dar uma atenção especial não só às fotos, mas também às características do imóvel e eventuais regras adicionais impostas pelo anfitrião.
Escolha as datas.
Confira a localização.
Dá até para ver a vizinhança direto de um plug-in do Street View.
Se você tiver flexibilidade de datas, dá para escolher aquelas com melhores valores de diárias. 
Confira as regras do imóvel.
E as comodidades disponíveis.
Não se contente em ver apenas as fotos os imóveis.
Em hipótese alguma deixe de ler os comentários daqueles que já se hospedaram com aquele anfitrião, como são chamados os locadores.
O mesmo vale para as notas. Ali vocês poderão melhor avaliar se aquele imóvel atende às suas necessidades ou não, bem como ter uma prévia se as informações prestadas são reais ou não.
 
Sempre olhe os comentários.
No caso de dúvidas a respeito do imóvel, você ainda pode enviar uma mensagem ao anfitrião. Ali, além de eventuais dúvidas, você pode combinar a forma de entrega das chaves na sua chegada.
O bacana é que o Airbnb traz uma previsão para o tempo de resposta, assim você não fica esperando além do necessário, e pode seguir para outras opções.
Escolhido o imóvel e solucionadas eventuais dúvidas, é só finalizar a compra.
O sistema lhe apresentará um resumo da reserva com as datas de check-in e check-out, bem como os valores.
Sugiro revisar tudo antes de seguir à diante. Eu mesmo acabei reservando um dia a menos e tive depois que alterar a minha reserva – felizmente o anfitrião tinha disponibilidade e acrescentou mais uma diária.
Seu resumo da reserva.
Tudo conferido e confirmado? É só seguir para a página de pagamento.
Tela de pagamento. 
Uma vez concluído o procedimento, o anfitrião é comunicado para, em 12 horas, informar se aceita ou não a reserva. Caso ela não seja aceita, o valor nem chega a ser cobrado do seu cartão de crédito e você está livre para procurar outro imóvel.
E finalmente a confirmação. Ai é só esperar para finalização.
Uma vez, aceita, você receberá um sumário da reserva (extremamente útil para apresentar à imigração!) e um recibo com os valores. Detalhe: o valor final vem em moeda estrangeira.
Vale esclarecer que o sistema permite que os anfitriões solicitem um depósito de segurança. Trata-se de algo muito semelhante àquilo que os hotéis exigem de seus hóspedes. Serve para cobrir eventuais pequenos acidentes que podem acontecer durante a sua estadia. Este valor será liberado em até 48 horas após sua saída se não forem verificados danos. Sugiro sempre fotografar o antes e depois, assim como muitos fazem na locação de carros.
Como sempre, o sistema tem vantagens e desvantagens.
Como vantagens, cito as seguintes:
O sistema é bastante descomplicado e a pesquisa por acomodação pode ser feita por bairro; ou outras características que lhe interessem numa estadia, como piscina; estacionamento; e outras tantas.
Na maioria quase que absoluta dos casos você encontrará imóveis com cozinha, o que pode representar uma tremenda economia se você pensar que pode fazer algumas refeições por conta. Sou da opinião que em qualquer lugar do mundo, uma refeição num restaurante sempre será mais cara que adquirir alguns itens no supermercado.
Mesmo que você alugue algo pequeno como um kitnet, ele sempre será maior que a maioria dos quartos de hotel. Assim, para quem precisa de espaço ou viaja com crianças, é uma excelente opção.
Já nas desvantagens, salvo raras exceções, você não contará com aqueles serviços típicos dos hotéis. É o preço da economia!
Ainda que as regras de cancelamento variem conforme o anfitrião, notei que a maioria aplica regras rigorosas. Se cancelado antes de 7 dias do check-in, a devolução é de 50% do total pago (nos hotéis a praxe é de cobrar a primeira noite no caso de no-show). Para cancelamentos com menos de 7 dias do check-in, não haverá devolução alguma.
O pagamento deve ser feito diretamente no cartão de crédito internacional ou via Pay-Pal, ou seja, em ambos os casos você precisará utilizar o cartão de crédito, e consequentemente arcará com os 6,38% de IOF.
Você pode estar se perguntando: mas e daí, o mesmo não aconteceria no caso de um hotel? Depende... eu, por exemplo, tenho feito a reserva com o cartão de crédito, e eventualmente, se solicitado, deixo debitarem uma noite para segurar a reserva. Ao final, pago o saldo ou a estadia toda em dinheiro no destino. Compensa? Faça as contas, numa estadia de US$ 150, são o IOF é de US$ 9,57; numa viagem de 20 dias serão US$ 191,40 só de IOF. Nada como levar o Fisco para passar férias contigo!!!
Se dá certo? Confira ai as fotos do apartamento que ficamos em South Beach - Miami:





A localização era perfeita. O apartamento muito limpo e bem equipado. Irretocável e com um excelente preço. O atendimento do proprietário foi fantástico, do começo ao fim, tudo excelente. Certamente repetirei a experiência em outros lugares.
E ai, gostou? Tem alguma experiência com o Airbnb? Deixe seu relato nos comentários.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui