5 de março de 2014

Dicas da China: Onde comer em Beijing e um pouco sobre a culinária local

Sichuan Cusine, apenas uma das muitas da China.
Longe de mim querer desanimar aqueles que como eu gostam de comida chinesa, mas uma das últimas coisas que vocês encontrarão lá é comida chinesa, ou melhor dizendo, aquela que conhecemos por aqui.
Opa, mas como assim?
Sabe aquela comida chinesa que nós comemos aqui e nos EUA? Então, ela não pode ser classificada como chinesa propriamente dita, pois seria uma generalização inapropriada. A comida chinesa que comemos, “comida chinesa tipo exportação”, é na verdade a comida de uma região da China, mais especificamente do Cantão – área mais ou menos equivalente àquela em que se situa Hong-Kong.
Tão continental quanto o Brasil, a China tem regiões com costumes, e consequentemente culinária, absolutamente distintas. Mais ou menos o mesmo que temos por aqui.
O mais perto que conseguimos chegar dos famosos rolinhos primavera foram estes num restaurante vietnamita.
Numa comparação, seria o mesmo que considerar que o Acarajé a comida típica brasileira quando na verdade o prato é típico de um Estado brasileiro, mas não de país. Experimente procurar um acarajé pelas ruas de São Paulo ou de Porto Alegre. O turista que for a Beijing terá esta mesma dificuldade se tentar desfrutar de um frango xadrez em Beijing.
Isto não quer dizer que numa viagem à Beijing por exemplo você não vá encontrar itens deliciosos, mas provavelmente será mais difícil achar a tal “comida chinesa tipo exportação”.
No geral a culinária chinesa, salvo aquela acima mencionada, tende a ser bastante apimentada, então alguns turistas sofrem um pouco com isto. Assim a frase mais útil, se é que o atendente, garçom ou sei lá o que vai entender, é “no spice, please!!!”.
Hot!
Embora a maioria dos restaurantes disponha de garfos e facas nas principais cidades turísticas, aproveite para fazer como os locais, use os chop-sticks – aqueles pauzinhos. Aliás eles foram inventados na China. Por volta do século 11 a.C., os chineses já usavam este tipo de utensílio para refeição. Posteriormente, ele se espalhou por toda a Ásia como uma medida higiênica em oposição ao hábito de comer com as mãos até então vigente.
Tem até loja especializada em Chopsticks.
Se me perguntassem um prato típico local, certamente eu responderia Pato Pequim. Particularmente não é algo que eu ame não. Tanto que acreditem, não comi em Beijing! Provamos na Chinatown de Londres!
Olha eles ai!
Bem mais tenra que a carne de frango e um pouco mais forte de sabor, vale experimentar. Uma dica que me deram é ir ao restaurante Da Dong – custa uns RMB100 por pessoa e tem várias filiais pela cidade.
Outra opção para experimentar este típico prato são os restaurantes da rede Quanjude.
        É verdade que às vezes, comer pela rua é mais difícil, pois não é fácil encontrar um lugar com menu em inglês e limpo, então os shoppings são uma excelente opção.
Restaurantes típicos mesmo nos shoppings.
E redes locais de fast food.
Frutas servidas pelas ruas.
Um item que você não pode sair de lá sem experimentar é o Dim Sum, que são algo parecido com pequenos pastéis recheados e feitos no vapor em belíssimas "panelas" feitas de bambu.
Dim Sum de camarão. Leve e delicioso.
Em geral bastante leves, existe uma variedade conhecida como Dumplings,  que são feitos na água, como macarrão. Eles têm uma massa um pouco mais densa, algo como um guioza japonês. 
Prepara a massa.
Recheia.
Fecha.
Os recheios são bem variados.
E cozinha.

Recheado com carne de porco, frango ou legumes pode ser encontrado em vários lugares. Um dos principais são os restaurantes da rede Din Tai Fung. Falaremos mais sobre esta rede ao tratarmos de Shangai.
Imagino que a esta altura talvez tenha gente perguntado: Mas e aqueles insetos que o povo come, é verdade?
Sim! Mas pelo que aprendi lá percebi e me disseram, isto não significa que seja algo que eles comem todo o dia. Longe de ser o feijão com arroz local, está mais para um petisco para de vez em quando. Praticamente um ovo de codorna e salame no bar da esquina.
Salvo engano o espetinho da direita é bicho da seda.


Coitado do cavalo marinho. Ai é sacanagem!!!
O mais perto que cheguei!
Juro que desta vez fui com o propósito de encarar ao menos um gafanhoto, afinal, nem é tão repugnante assim, vai.
Mas na hora H amarelei. Fiquei imaginando o quanto não seria legal fazer um tour por um hospital chinês!
Pois é, não vou poder contar para vocês esta experiência “gastronômica”. Não levo jeito para Andrew Zimmern, aquele do Bizzare Foods.

Se vocês quiserem experimentar ou ao menos dar uma de curioso, o que vale sim muito a pena, sugiro dois pontos para ver estas “delícias” locais.
Os dois são nos arredores da Wangfujing Dajie.
O primeiro, na esquina com a rua Donganmen. Estou falando da feira típica da Wangfujing Xiaochijie, que acontece entre 16h00 e 22h00.
Lá eles oferecem itens “comestíveis” do tipo grilo; estrela-do-mar; bicho-da-seda; larvas variadas; tarântulas; escorpiões e até baratas.
Mesmo que você não vá comer nenhuma destas esquisitices, vá pelo passeio.
Tem lula; cobra
Grilos; larvas variadas; tarântula
Bicho da seda; carnes
Grilos maiores; escorpiões
Estrelas do mar.
Mas também tem maçã caramelizada. Ufa!
O outro, conhecido como Wangfujing Snack Street, fica logo no começo da Wangfujing Dajie, numa viela à direita, do lado oposto ao Oriental Plaza.
Achou nojento? Bem, veja o lado positivo, estes itens são riquíssimos em proteínas.
Verdade seja dita, a turma lá come umas coisas bem estranhas. Alguém tem um palpite do que seja isso? :)
Ou isso???
Confesso que se a Tailândia não me preocupava em termos de comida, muito menos o Japão, a China; considerando o quanto dito acima, me preocupava bastante.
Não tanto pela questão dos sabores, mas principalmente de limpeza. Lamento, mas isto é sim um detalhe a ser considerado pois achar um lugar limpo e barato não é nada fácil em alguns destinos.
Para a nossa sorte, topei com algo fantástico que já havíamos usados na Tailândia, uma enorme unidade do Food Republic.

Compre seu cartão no caixa.
Além de talheres, eles fornecem lenços para limpar as mãos.
Uma pena que quase tudo está em chinês. Você precisa pedir o menu em inglês.
Mesas coletivas.
Para quem não leu os post da Tailândia, trata-se de uma rede de lojas fundada em Singapura, estabelecida em shoppings centers que serve pratos locais em pequenas bancas. Praticamente uma experiência de street food sem os problemas inerentes à comer na rua - leia-se falta de higiene.
Diferentemente da unidade que visitamos em Bangkok onde era possível experimentar pratos típicos de vários lugares da Ásia, na unidade de Beijing que jantamos eles servem quase que só pratos chineses, das mais variadas regiões.
Nunca ví "ralarem" a massa para fazer macarrão.

Escolha os complementos.
Diante de tanta coisa diferente, às vezes tudo que se quer é um macarrão. Sim, vale até se vier com feijões.
Este "omeletão" também parecia bom!
Como já mencionei em outra oportunidade, a grande vantagem é a limpeza. Excelente!
E de quebra você ainda vê como é o preparo.
Durante o preparo, todos usam uma máscara de acrílico.
É verdade que um pequeno problema é que os menus em inglês ficam meio que escondidos. Os atendentes só lhe dão o menu quando percebem que você não lê mandarim (putz, pensei que estivesse escrito isto na minha cara de ué! Rsss).
Enfim, tem muita coisa que você literalmente come pela aparência. Faz parte da aventura.
O pagamento é feito por meio de um cartão pré-pago que é adquirido no caixa central, e pode ser utilizado em outro dia.
As bebidas são compradas no mesmo sistema, mas num num quiosque próprio.
Excelente lugar para comer se você tem receio de se aventurar em qualquer biboca e recusa-se (como eu) a comer nas redes tradicionais de fast food.
O custo benefício é excelente.
Resultado, jantamos três dias lá!
Então se você estiver procurando por um lugar limpo, com comida barata e onde se pode provar alguns sabores locais, o Food Republic é para você.
Certamente salvou a nossa pele.
Os chineses não me pareceram ser lá muito chegados em bebidas alcoólicas não. Mas se você quiser provar uma das cervejas locais, sugiro a Yanjing Beer.
Bem mais típicos do local são os chás.
No verão, chás diferentes.
E sucos mais ainda!
Os ingleses podem até ter a fama do tal chá das cinco, mas são os chineses os mais tradicionais consumidores deste tipo de bebida. Digo isto porque 4 mil anos atrás eles já usavam os chás para fins medicinais. Aliás o hábito inglês só existe por conta dos chineses que introduziram o chá no continente europeu!
No próximo post falaremos um pouco sobre compras em Beijing.
Até lá! 

           Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.
Booking.com

3 comentários :

  1. Diogo que sensacional esse post. Esse Food Republic é o máximo! Fiquei com dó do cavalo marinho no espeto...rs. Eu teria coragem de provar fácil um dos espetinhos de inseto, o problema é se meu estomago iria ficar feliz em receber algo tão exótico. Parabéns pelo post, muito completo.

    ResponderExcluir
  2. Estou indo pra China em Maio!!!! Incrivel suas dicas e seus posts!!! To amandooo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Espero ter ajudado.
      Excelente época, dizem que não é tão quente nem tão frio.
      Divirta-se muito!
      Excelente viagem.

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui