18 de abril de 2014

Dicas do Japão (V) – Tóquio: Shinjuku e a Takashimaya, a "depāto" mais bacana do mundo.

Shinjuku.
Juntamente com Shibuya, Shinjuku é, na minha opinião, um dos bairros mais interessantes de Tóquio.


Com seus edifícios modernos e espelhados, Shinjuku é o business district  de Tóquio. Praticamente não existem construções antigas na região, e predominam os edifícios comerciais.

O lado oeste de Shinjuku é mais sério, com prédios administrativos e planejados, dando um ar bastante futurista à região.
Parece o Empire State, mas é o prédio da DOCOMO, empresa de telefonia local.



O exemplo mais interessante deste tipo de construção é o complexo do Metropolitan Government Offices. Ainda que estes edifícios já tenham mais de 10 anos de funcionamento, a sede da prefeitura é até hoje símbolo da modernidade de Tóquio.

Ali vocês encontrarão um dos maiores postos de informação turística da cidade.

Aliás, pouca gente sabe, mas a sede da prefeitura tem um dos melhores mirantes da cidade, e o mais bacana: gratuito! Do observatório situado no 45º andar dá para ver a cidade toda e o Monte Fuji em dias claros. Recomendo ir no fim do dia para ver o pôr do Sol e aproveitar a vista noturna. Fica bem ao lado da estação de Shinjuku e funciona diariamente (exceto segundas) das 9h30 às 17h30.
A sede da prefeitura de Tóquio.
De lá... de cima
Se tem belas vistas da cidade.

Nos arredores de Shinjuku vocês também encontram um dos lugares mais interessantes para serem visitados durante à noite: Kabukicho. Com muitos bares e boates, dizem ter sido inspiração para o filme "Blade Runner". Quem quiser uma cerveja num bar no melhor estilo japonês, deve ir ao Omoide Yokocho, uma ruela cheia de minúsculos bares.

Como quase todo bairro da cidade, Shinjuku também tem seu parque. Incrível como uma cidade tão adensada quanto Tóquio consegue ter tantos parques - fica o exemplo! Lá vocês encontram o Shinjuku-Gyoen Park, construído em 1906 tem tudo aquilo que se espera de um parque japonês... lago com carpas e belíssimas cerejeiras (apenas na época da florada!).

Bem menor, e ao lado da sede da prefeitura fica o Shinjuku Central Park, um pequeno (80mil m²) e charmoso parque que dá um belo equilíbrio diante do concreto e espelho que dominam a paisagem local.

Mas o ponto central do bairro é a estação de Shinjuku, que como já dissemos é a mais movimentada do mundo. Com “só” 12 linhas diferentes entre trem e metrô passando por ali, o movimento diário é de nada menos que 3 milhões de passageiros!
Desembarcar na estação de Shinjuku 
É como chegar num formigueiro. Reparem na quantidade de linhas.
Inaugurada em 1885, ela é praticamente uma cidade subterrânea, com lojas e restaurantes. Perder-se por lá faz parte do passeio, afinal são mais de 200 saídas. Relaxe!

O mais bacana é que como se não bastassem as lojas subterrâneas, muitas das saídas da estação dão direto dentro das “depātos”, como são conhecidas as lojas de departamentos no Japão.

Uma coisa que vocês notarão é que no Japão, os shoppings centers são raros. O costume local é fazer compras nas lojas de departamento. A coisa é tão arraigada na cultura local, que só para dar uma ideia, algumas destas lojas têm as suas origens lá pelos idos de 1600. Claro que naquela época, elas eram tão somente pequenas lojas especializadas em sua maioria em kimonos.

As principais “depātos” literalmente ligadas à Estação de Shinjuku são a Lumine; Odakyu; Keio, e Isetan.
Lumine, praticamente em cima da estação.
Quem já zapeou pelas dicas de compras do Cumbicão sabe que eu sou fan deste tipo de loja, e lamento muito que no Brasil não tenhamos algo ao menos semelhante à uma Harrods, uma Macy´s; ok, uma David Jones já servia.

Mas enfim, lamentos à parte, embora eu recomende uma espiada nas “depātos” acima citadas, pois afinal no mínimo você precisará passar por alguma delas para sair da estação (que “sacrifício”!), há uma  “depāto” que na minha opinião é a mãe de todas, e que considero a mais bacana loja de departamentos no mundo - Macy´s que me perdoe...

Estou falando das lojas da rede Takashimaya, a maior “depāto” do Japão.

Fundada em 1829 na cidade de Quioto, e atualmente com 20 unidades espalhadas pelo Japão e mais algumas ao redor do mundo, como Singapura, Xangai e Taipei (dizem que a pequena unidade que existia na 5ª Avenida em New York fechou), a Takashimaya é quase uma instituição no Japão.

Embora existam algumas unidades espalhadas por Tóquio, se você tiver tempo para ver apenas uma delas, corra para a Takashimaya Times Square, que fica ao lado da estação de Shinjuku. Hahã, aposto que agora boa parte dos leitores (e talvez leitoras em especial) tenham visto um bom motivo para ir até o bairro.
Roupas típicas.
A grifes internacionais.



Ao todo são só 14 andares (e mais um subsolo de lambuja) com literalmente de tudo, de flores à artigos de luxo, de itens de decoração e cozinha à brinquedos, passando é claro pelo departamento de comida que existe no subsolo. Confira aqui a planta de cada andar.

Uma coisa que nota-se dentro das lojas é não só a cordialidade dos atendentes, mas também o quanto elas são organizadas. Tudo é organizado e disposto num nível de cuidado tão grande que fica-se com a impressão que o requisito para trabalhar lá é ter TOC (brincadeira!). É tudo disposto de uma forma tão bela e organizadinha que você fica até na dúvida se pode por exemplo pegar uma roupa para ver em detalhes ou provar. Kkkk.

Da típica laca japonesa.
À chiques artigos de decoração. 

As coisas não são baratas não - bem, nada no Japão é barato! Mas por outro lado, a qualidade do que se vende nas lojas é fora de série.


Mesmo que você vá só para ver, separe um bom tempo. Nós mesmos, chegamos no meio da tarde e saímos de lá já estava noite.
No departamento para os pequenos, mascas tradicionais em versão kids.
E brinquedos. O bacana é que as crianças são incentivadas a brincar com o que é vendido, praticamente um test play!
Vale lembrar que se você realizar compras que somem mais de 10.001 ienes (comida e bebida não contam), você terá direito ao tax refund. Para tanto basta apresentar o seu passaporte e o comprovante de compras no guichê do segundo andar.

Ela funciona diariamente das 10h00 às 20h00, mas vale sempre conferir o horário atualizado no site oficial.
No térreo, não só lá, mas também nas demais lojas de departamento japonesas, sempre tem uma seção com comida.
No último andar, restaurantes.
E até uma escola de culinária!!!
Embora menor, mas não menos charmosa, pois está estabelecida num prédio histórico da década de 30, você pode também conferir a unidade da Takashimaya em Nihonbashi, perto da estação central de Tóquio.

Mas voltando à Shinjuku, se a Takashimaya Times Square não bastar, ainda tem anexo uma enorme unidade da Tokyu Hands.

Para quem não conhece, a Tokyu Hands é uma loja de departamentos que vende utilidades variadas. Sabem aqueles itens descolados e práticos que você nem imagina que existe ou não sabe onde encontrar?

Fundada em 1976, tem mais de 28 lojas espalhadas pelo Japão.

Vale conferir a incrível área de cosméticos e a excelente seção de papelaria. Perdição!
Maquiagem.
Cliente testando sabe-se lá o que! Não resisti. Kkkk.
Se não tivesse isso não seria Japão né???
Tem souvenires.
E itens de papelaria
As canetas e lapiseiras são uma perdição!
Mas para quem é viciado em viagem, acredito que o andar mais interessante seja o térreo.
Estas malas já "amassadas" são demais!
Muitos gadgets de viagem:
Para organizar as roupas na mala.
Os itens de higiene.
E até chinelos de viagem. Bem... ai já é demais para mim!
E lá se vão alguns ienes embora...

A Tokyu Hands funciona mais ou menos no mesmo horário da Takashimaya Times Square e aqui vocês conferem a lista do que tem em cada andar.

Ainda na região de Shinjuku, quem curte papelaria deve visitar a Sekaido que com 6 andares tem muita coisa. Os itens mais interessantes de papelaria em geral estão no primeiro andar.

Se sobrar algum fôlego, sugiro uma volta pelo lado leste, onde vocês encontrarão uma área bem movimentada, e até um pouco confusa, mas não menos interessante. Letreiros de neon por todos os lados e ruas estreitas cheias de lojas interessantíssimas formam a paisagem local.
Uma das estreitas e iluminadas ruas de Shinjuku. 
Aproveite um dos muitos e minúsculos restaurantes locais.
O difícil é entender o menu, mas vá em frente!
Shinjuku tem muitas e excelentes lojas de eletrônicos.
Coisas de turista!

Por ali, o destaque são as lojas de eletrônicos, principalmente equipamentos fotográficos tais como Yodobashi Camera e Bic Camera.

No próximo post, vamos nos refrescar do agito de Tóquio numa day trip até Kyoto.


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

4 comentários :

  1. Olá! Estou adorando os posts sobre o Japão, tomando nota de várias dicas para a minha viagem!
    Fiquei bem interessado no andar térreo da Tokyu Hands, os preços (principalmente de malas) compensam?
    Obrigada!! Sayuri

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sayuri,
      Falar sobre preços é relativo. Entendo que para estes itens é muito mais caro que nos EUA, e talvez um pouco mais barato que no Brasil. No Japão as coisas são caras, mas a qualidade e o tipo de produto podem compensar e muito.
      Boa viagem!!!

      Excluir
  2. Cara, maravilhosas as suas dicas. Já estive no Japão algumas vezes e a gente sempre acaba indo nos lugares de sempre, para as mesmas cidades, indo nos mesmos bairros, etc. Valeu mesmo pelas indicações. Estou querendo muito voltar ao Japão, mas, desta vez, conhecer outros lugares dentro de Toquio, e, se vc puder dar uns roteiros inusitados, vou te agradecer muito! Abraço e boas viagens!

    ResponderExcluir
  3. Obrigado Carlos!
    Olha, o Japão é um destino cheio de coisas interessantes para ver. Eu tenho ainda muito que conhecer lá.
    Sugestão? Pelo que li as cidades nos arredores do Monte Fuji são interessantes; a ilha norte com suas fontes termais; e o sul que dizem ter um mar tão belo quanto o Caribe, inclusive para mergulhar.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui