20 de outubro de 2014

Dicas da Suíça (II) - O que você precisa saber para planejar a sua viagem

Dado um panorama geral, vamos às questões práticas que podem ajudá-los a programar a sua viagem para a Suíça.


Quanto tempo? Embora tenha um território relativamente pequeno e os deslocamentos sejam facilitados por uma excelente rede de trens e boas estradas, a Suíça é um daqueles destinos que vale uma viagem dedicada ou quando muito em conjunto com algum país vizinho, pois há muito o que ver.

Na minha primeira viagem para lá, juntamos a Suíça com Holanda e Bélgica, ficando apenas 5 dias em Zurique e de lá fazendo alguns bate-e-volta. Certamente valeu a pena, mas por outro lado não conheci algumas das regiões interessantes do país, como por exemplo os Alpes.
Alpes nos arredores de Zermatt.
Assim, a minha sugestão (até mesmo porque depende da sua disponibilidade de tempo e pique de viagem) é de ao menos uns 10 dias dedicados apenas à Suíça, para que você tenha uma experiência mais completa.

Com tudo muito bem organizado e funcionando como um relógio, a Suíça é um destino super tranquilo, inclusive para aqueles que estão realizando suas primeiras viagens ao exterior. Foi justamente por conta da existência desta “zona de conforto” que escolhemos o país para ser a primeira viagem ao exterior do Cumbiquinho.

Neste cenário, planejar uma viagem para lá é relativamente fácil, começando pelo excelente portal oficial de informações turísticas – em português.
O atendimento nos postos de informação aos turistas é excelente.
Mesmo assim, confesso que pela quantidade de atrações e cidades interessantes, foi um dos roteiros mais difíceis de elaborar justamente pela quantidade de coisas interessantes para se ver por lá. Dá para passar fácil um mês lá passeando.

Embora o sistema de transporte seja excelente, uma coisa que você precisa ter em mente ao elaborar o seu roteiro é que nem sempre a cidade A está ligada por trem à cidade B, e dependendo da sequência de destinos as voltas podem ser enormes. Considere que se os Alpes no meio do território são o charme maior da paisagem, também representam certa uma dificuldade, pois nem sempre é possível cruzá-los.
Justamente por conta da necessidade de transpor os Alpes eles se especializaram em trens apropriados para terrenos íngremes.
Resumindo, a minha sugestão é fazer uma lista de destinos x tempo disponível e montar algumas opções para ver o que é possível encaixar de acordo com a forma de transporte escolhida.

Com 3 semanas, conseguimos fazer o seguinte: Vaduz (1 dia); St. Moritz (2 dias); Zermatt (3 dias); Interlaken (3 dias); Genebra (3 dias sendo um para um bate-e-volta para Gruyères); Berna (3 dias sendo meio período em Signau); 3 dias em Lucerna (com um para bate-e-volta em Lugano) e 2 dias em Zurique.
Berna, uma das cidades mais charmosas que já vi.
A "italiana" Lugano.
Como outros tantos países Europeus, a Suíça não exige visto de turismo para brasileiros (salvo para estadias superiores a 3 meses), bastando apenas ter um passaporte válido.

No que se refere à validade do passaporte, é importante ressaltar que atualmente no chamado Espaço Schengen (que compreende parte considerável da Europa e inclui a Suíça), é necessário que o seu passaporte seja válido por no mínimo 3 meses após a saída planejada do Espaço Schengen. Então faça as contas para saber se o seu passaporte estará válido segundo tal regra, e não mais considerando-se apenas a data de saída do Brasil. Exemplificando, numa viagem de 20 dias pela Europa, seu passaporte, na data de embarque deve ter ainda 3 meses e 20 dias de validade.

Diferentemente de outros destinos, o governo suíço recomenda que você ande com ele o tempo todo. Apresentá-lo será essencial se você for usar um dos passes de trem, e também para as compras pois é possível requerer o reembolso do VAT.
Não deixe de solicitar seu reembolso do VAT.
O valor restituído não é lá grande coisa, mas ao menos dá para comprar mais alguns chocolates no duty-free. :)

Eventualmente, as autoridades podem solicitar comprovante de recursos financeiros para a sua manutenção durante a viagem, passagem de ida e volta e uma reserva de hotel – caso opte por ficar na casa de alguém, uma carta convite é recomendável.

Adicionalmente, eles podem requerer a comprovação de um seguro de saúde com cobertura para o Espaço Schengen. Nós optamos por trabalhar com a Real Seguro Viagem (confira aqui o post sobre o assunto).

E já que o assunto é passaporte, a gente espera nunca precisar, mas é sempre bom ter anotado. A embaixada brasileira fica em Berna, Monbijoustrasse 68 - 3007 Bern – Schweiz Tel: + 41 31 371 85 15 Fax: + 41 31 371 05 25 brasemb.berna@itamaraty.gov.br. Em Zurique e Genebra existem consulados brasileiros.

Situada no centro da Europa, pode-se chegar à Suíça a partir de qualquer país vizinho que tenha voos diretos do Brasil (Alemanha, França e Itália – não existem voos diretos do Brasil para a Áustria). Entretanto a forma mais fácil é num voo direto São Paulo (GRU) à Zurique operado pela Swiss (antiga SwissAir) que hoje faz parte do grupo Lufthansa e está entre as melhores empresas aéreas do mundo – em breve publicaremos um flight review com os detalhes deste voo.
Swiss: definitivamente a melhor opção.
O belo e funcional aeroporto de Zurique é a porta de entrada da maioria dos turistas.
Embora a Suíça esteja cravada no meio da Europa, eles não usam euro, até mesmo porque como dito anteriormente, formalmente, ela não faz parte da União Europeia.

Assim, se você estiver viajando vindo de países vizinhos (Alemanha, França, Itália, Áustria), terá que trocar seus euros pela moeda local, o franco suíço (CHF ou Srf.).

O franco suíço vem em moedas 5, 10, 20 e 50 centavos, 1, 2 e 5 francos; e notas 10, 20, 50, 100, 200 e 1000 francos (algumas destas eu queria!!!). O franco suíço também é utilizado no principado vizinho de Liechtenstein.

Além dos onipresentes ATM´s onde é possível sacar francos suíços direto de sua conta corrente (vide post sobre cartões de débito no exterior), é relativamente fácil encontrar nas grandes cidades ou centros turísticos as casas de câmbio. Cartões de crédito são aceitos em praticamente todos os estabelecimentos.
O franco suíço tem um valor cambial um tanto quanto acima do dólar, mas não chega a assustar tanto quanto o euro ou a libra:

CHF 1 = R$ 2,49 ou R$ 1 = CHF 0,39

CHF 1 = US$ 1,04 ou US$ 1 = CHF 0,95

Bancos abrem de segunda-feira à sexta-feira das 8h30 às 16h30, e não existem bancos brasileiros por lá.

Algo que de fato é negativo numa viagem à Suíça é o custo (felizmente o único ponto negativo!). Não é uma viagem barata (momento: por que quase tudo que é bom é tão caro?!?!) Mas por outro lado as coisas valem o quanto se paga.

As estadias em hotéis assustam um pouco, especialmente quem está habituado aos preços a lá EUA ou até mesmo alguns destinos europeus ou asiáticos. A vantagem é que dificilmente encontrará pelo caminho uma espelunca.
Este é o Interlaken Hotel. Excelente.
Quando estava fazendo as reservas, notei que diferentemente de outros destinos que cobram um valor X pelo quarto de hotel e pronto, os suíços cobram pelo mesmo quarto valores diferentes, para um ou dois hóspedes.

Se num hotel num destino qualquer você pagaria por exemplo algo equivalente à USD 150 pelo quarto, na Suíça é USD 150 por pessoa. Assusta! Confira sempre se o valor é por quarto ou por pessoa. Eu mesmo fiz uma enorme trapalhada num hotel com isso e a conta ficou o dobro daquilo que havia planejado. Momento "quem disse que blogueiro também não erra?".

Em muitos hotéis, bebês pagam uma sobretaxa que é um percentual da estadia. Aliás em todos os hotéis em que ficamos - sete ao todo - disponibilizaram berço para o Cumbiquinho. Nota 10!



No decorrer da série de posts, faremos menção aos hotéis em que ficamos e serão publicados reviews completos com todos os detalhes das estadias. Aguardem.

Definitivamente não é um destino low cost, como brincamos aqui em casa!

Como a Suíça está no hemisfério norte, as estações do ano são o inverso das nossas, ou seja, no meio do ano temos o verão e no final/começo, o inverno. Por conta da geografia local, os verões são amenos. Então, não espere portanto altas temperaturas. Prova disto está no fato de que nas regiões mais altas, os cumes das montanhas estão sempre cobertas de neve.
Se no verão, picos como Gornergrat é assim, fico imaginando no inverno?!?!
E geleiras como esta aos pés do Topo da Europa são eternas.
Já os invernos tendem a ser rigorosos. Só vá para a Suíça no inverno se você gostar muito, mas muito de frio e neve.

Para uma consulta atualizada da previsão do tempo, sugiro uma visita ao Meteo Swiss, o serviço nacional de meteorologia que fornece informação detalhada de cada uma das estações espalhadas pelo país. Confiável e fácil de usar, tem até um app para celular.
Meteo Swiss, um app essencial para quem viaja pela Suíça.
E nas regiões alpinas, a maioria dos hotéis disponibiliza informações em tempo real dos picos.
Gorjeta é algo bastante restrito. Os locais têm por hábito simplesmente arredondar para cima a conta nos restaurantes. E os maleteiros esperam em média um franco a cada duas malas.

Com tanto bem estar social e econômico, segurança é algo com que muito provavelmente você não precisará se preocupar – nem poderia ser diferente!
Em Zermart, até mesmo a polícia utiliza carros elétricos.
Nas cidades, os banheiros públicos tendem a ser abundantes e limpos. Embora alguns sejam gratuitos, noutros paga-se CHF 0,50.
Entrada da balada? Não, é só um banheiro público em Lucerna.
Água? Bebe-se direto da torneira ou nas inúmeras fontes espalhadas pelas cidades.
Pelas ruas, é fácil encontrar fontes com água fresca (fresquíssima!) para beber.
Para quem não consegue desconectar durante as férias, ou simplesmente quer acesso à internet para poder melhor se localizar ou ter um canal de comunicação com o Brasil, como sempre, recomendo comprar um chip de celular pré-pago (ou SIM card). Lá são três empresas que oferecem este serviço aos turistas: Orange que também atua em vários outros países europeus; Sunrise; e Swisscom Mobile.

Dentre elas acabei optando pela Orange que atendeu muito bem às nossas necessidades.

A aquisição foi super simples. Como precisava ter internet no celular desde o começo da viagem para postar as fotos da #SWISSExperience no Instagram, optei por comprar o chip logo após desembarcar.

O chip custa CHF 10,00 e já vem com um crédito inicial e gratuito de CHF 20. Com estes você tem direito à internet 4G (com uma franquia de 500mb), SMS e ligações locais por cinco dias. A velocidade era incrível, e o sinal excelente - mesmo nos locais mais remotos pegava muito bem. As ligações acabei não testando.
Quatro chips foram suficientes para 20 dias de viagem.
Vencido este prazo, em tese, a única alternativa seria recarregar o cartão ao custo de CHF 2,00 por dia via cartão de crédito e etc. Como achei o processo de recarga meio complicado e queria uma alternativa mais prática, aceitei a sugestão dada pelo próprio vendedor: comprar mais de um chip.

Como cada turista tem o direito de comprar dois chips, comprei dois com o meu passaporte e dois com o da Sra. Cumbicona (sim, você precisa apresentar o passaporte), os quais foram suficientes para cobrir todo o período da viagem.

A loja deles no aeroporto fica no Airport Center, uma espécie de shopping que interliga o aeroporto de Zurique e a estação de trem ali situada. As da SwissCom e Sunrise também ficam por ali. Todas elas funcionam entre 8h00 e 21h00 (Sunrise abre uma hora antes).

Na Suíça, a voltagem é 220 volts e o plug das tomadas segue o padrão semelhante ao nosso. Ufa! Ao menos em algum lugar os nossos plugs servirão!!!
Os plugs de tomada não só são como os nossos, como também estão disponíveis na maioria dos trens.
No próximo post, vamos falar do SwissPass um passe de trem imbatível para você locomover-se pela Suíça com tranquilidade.

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

14 comentários :

  1. Boa noite!!!

    Em relaçao aos chips de celular pre-pagos citados, eles valem em outros países também?

    Obrigada, adorei as dicas!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, normalmente compensa sim, mas você tem que avaliar quantos dias irá ficar no país para fazer a conta do custo / dia para ver se compensa.
      Obrigado e volte sempre!!!

      Excluir
  2. Diogo.. acho que vc confundiu hehe, gostaria de saber se os chips pre-pagos de celular citados no post valem também em outros países além da suiça..

    Obrigada desde ja!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, em geral estes chips não são válidos para mais de um país não, ou você tem taxas adicionais para que ele funcione neste esquema que você quer, mas vale sempre confirmar com a operadora local.

      Excluir
  3. Sensacional seu site, parabéns a muito obrigado pelas informações. Fiquei com a incumbência de planejar todos os detalhes da lua de mel pra esse país e, graças às suas dicas, acho que consegui a contento... vamos ver como será a viagem rs só estou com receio do frio, pois iremos no começo de novembro e fiquei sabendo que as temperaturas estarão bem baixas. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fábio, obrigado pelas suas palavras. É ver as pessoas se divertindo ao viajar que nos motiva.
      Boa Viagem!!! Ah, e coma muito queijo e chocolate por mim!

      Excluir
  4. Obrigado, Diogo. Estou com dúvidas quanto à moeda. Estou usando o app pra celular "melhor cambio" e comprei o franco Suíço numa casa de câmbio no centro de SP. É famosa, até. Mas como não conheço a moeda, estou com receio de ser falsa. Vc tem alguma dica a respeito de como identificar se a nota é verdadeira? Eu entrei no site do banco Suíço e vi que a nota que adquiri é igual (aparentemente) à que está no site. Mas, acho que preciso me certificar. Mudando de assunto, por ser começo de novembro, no inverno, será que vou conseguir ir ao Top of Europe? Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fábio.
      Entendo a sua preocupação, mas acho que franco suíço é uma moeda pouco atrativa para falsificadores dado o fato que circula apenas em 2 países.
      Seja como o for, guarde todos os comprovantes de compra da moeda para eventualidade.
      Para o Top of Europe, dê uma olha no time-table que está no site oficial deles.
      Boa viagem!

      Excluir
  5. Oi, estou indo pra Zurique e depois para Ruggell no principado Liechtenstein para um treinamento. É possivel trocar Real por Franco-Suiço no aeroporto de Zurique? você conhece uma boa casa de câmbio por lá?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Davi, prefira levar EUROS ou sacar francos diretamente da sua conta bancária. A única boa casa de cambio que conheço e que tem francos (comprei um pouco lá) é a COTAÇÃO. Veja o link deles acima. Boa viagem!!!

      Excluir
  6. parabéns pelo site!! estou adorando as dicas..estou programando uma viagem para a Suiça e também tenho uma bebê, qual a idade do seu filho quando fizeram a viagem? vcs encontram muitas dificuldades na viagem com bebê? obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Amanda.
      Recomendo muito. O meu tinha 7 meses e foi um dos destinos mais tranquilos com crianças que tivemos em todos os aspectos, principalmente transporte e comida.
      Excelente viagem!!!

      Excluir
  7. Adorei as dicas!!!
    Mas eu tinha lido que o plug da tomada (esse de 3 pontos) não era compatível com o do Brasil.. Pelo jeito é, né?
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Andréia,
      Obrigado. O nosso plug funciona sim na Suíça.
      Boa viagem!!!

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui