29 de outubro de 2014

Dicas da Suíça (III) - Swiss Pass: Como usar este fantástico passe de trem

Suíça = trem. Simples assim.
Sempre gostei muito de viajar de trem, justamente por considerar um meio de transporte confiável, confortável e ainda por cima poder curtir a paisagem ou simplesmente descansar. Todas as nossas experiências com trens foram excelentes, mas na Suíça, isto acabou sendo elevado para outro patamar.


Pense num sistema abrangente, confiável, confortável e ainda por cima que te possibilita viajar curtindo paisagens incríveis. É assim que eu definiria o sistema de trens da Suíça.
Nos trens, a maior preocupação era "para que lado fica a paisagem mais bonita?"
Some ainda que os trens são extremamente acessíveis para quem viaja com carrinho de bebê. O mesmo é válido para viajantes com necessidades especiais / mobilidade reduzida. Com exceção de um ou outro trem mais antigo, o sistema é um excelente exemplo de acessibilidade.

Talvez alguns de vocês estejam imaginando que viajar de trem com criança, carrinho e malas possa ser um problema. Que nada, como os trens são super confortáveis e, diferentemente de outros trens que experimentamos na Europa, há bastante espaço para as malas, foi muito, mas muito tranquilo.
Só para dar uma ideia, este era o vagão com menor espaço para malas (dois destes de cada lado). Mais que suficiente!
E como alguns trens andam quase que vazios, muitas vezes nem era necessário desmontar o carrinho.
Quem estiver com crianças, fique atento a estes vagões...
Pois por dentro, o andar superior é assim. Sucesso garantido com os pequenos.
Quem gostou de andar de trem levanta a mão!
É verdade que inicialmente tínhamos considerado fazer toda a viagem de carro, justamente para testar algo diferente daquilo que experimentei na primeira viagem. Mas não tem como, em pouquíssimos cenários o carro irá se mostrar mais vantajoso que o sistema de trem suíço.

Some ainda a tranquilidade de não ter que se preocupar com onde estacionar, que caminho fazer e tantas outras questões inerentes à uma viagem de carro. O fato é que na Suíça, nada se compara à comodidade e ao prazer de viajar de trem.

Só para dar uma ideia de quanto os trens são tão importantes, os suíços são o povo que mais anda de trem no mundo, com uma média de 2.103km rodados ao ano. Eles conseguem andar mais de trem até mesmo que os japoneses, segundos colocados e que na minha opinião já usam muito este sistema de transporte. Lembram que falei de priorizar o coletivo?

Limpos, confortáveis, pontuais e modernos, os trens suíços só se comparam aos japoneses em tais atributos.

Tão precisos quanto os relógios lá fabricados, o sistema de trens abrange o país inteiro.
Difícil é encontrar um canto da Suíça que não seja servido por uma linha de trem!
Daí porque, se me pedissem uma única dica a respeito da Suíça, certamente ela seria: utilize um Swiss Pass, ou suas variáveis.
Junto com o Swiss Pass vem o mapa da foto acima.
Já tive oportunidade de utilizar passes de trens em alguns países. Uns mais completos, como o Japan Rail Pass, e outros menos completos como aqueles que abrangem vários países europeus (mas que não incluem trens urbanos, por exemplo). Mas certamente nenhum se compara ao SwissPass oferecido pela empresa que opera todo o sistema, a Schweizerischen Bundesbahnen (Companhia Federal de Trens Suíça) – o nome em alemão é tão difícil que ficaremos com a sigla oficial mesmo, SBB.

Mas o que faz este passe tão especial?

Com ele o viajante pode fazer uso de todo o sistema de transporte da Suíça durante o período de validade do passe. É possível utilizá-lo nas mais diversas oportunidades, desde a ida do aeroporto até Zurique, até no deslocamento entre cidades, ou mesmo para o sistema de transporte urbano dentro da maioria das cidades (41 cidades!). Em algumas cidades até mesmo barcos podem ser utilizados sem custo adicional.
Da ida de-para o aeroporto,
Passando pelos bondes 
E ônibus das cidades,
E por fim pela grande maioria dos passeios de barco, tudo está incluso no Swiss Pass.
Nele também estão inclusas muitas rotas panorâmicas como por exemplo o famoso Glacier Express, onde ao invés de pagar o preço da passagem, você paga apenas pela reserva (que é obrigatória para todos).

Em outros passeios, você terá direito a descontos especiais, como é o caso do Jungfraujoch-Top of Europe, onde é concedido o seguinte benefício: “The Jungfrau Railway is an exception. The Swiss Pass, Swiss Flexi Pass, Swiss Youth and Saver Pass entitles you to a 25% discount from Wengen and Grindelwald and the Swiss Half Fare Card and the Swiss Card (on travel days with 50& reduction) to a 50% discount off excursions to the Jungfraujoch-Top of Europe.
Andar no Glacier Express de graça.
E com desconto na ferrovia que vai para o Jungfrau - Top of Europe pode já compensar comprar o passe.
Em resumo, salvo raríssimas exceções, com ele, você não precisará de mais nada além do seu passaporte para viajar pelo país inteiro, fazendo uso do que existe de mais confiável e eficiente em termos de transporte terrestre.

Quer mais? Ele ainda te dá direito a desconto em muitos museus e atrações. Portanto antes de pagar qualquer coisa, veja se ele não lhe dá direito à livre acesso ou um desconto. Sempre estará indicado.
O único museu em que pagamos, e ainda assim metade, foi o Museu de Transportes de Lucerna.
Neste link, vocês conferem a lista completa de museus participantes. Tem muita coisa boa e interessante, como o Natural History Museum e Paul Klee Center de Berna; Glacier Garden and Lion's Monument e o Switzerland's Museum of Transportation de Lucerna (desconto apenas!); The Swiss National Museum de Zürich; Zermattlantis Matterhorn Museum de Zermatt; Olympic Museum de Lausanne; e até o Liechtenstein Country Museum de Vaduz.

Salvo se a sua viagem durar menos tempo que o mínimo de tempo dos passes, ou se você for ficar em apenas uma cidade e sem os bate-e-volta, o que considero bem difícil em se tratando de Suíça, não considere outra opção que não o Swiss Pass.

Embora as pessoas denominem todo e qualquer passe como Swiss Pass, existem variações: Swiss Flexi Pass; Swiss Transfer Ticket; Swiss Card; e o Swiss Pass propriamente dito.

E mesmo dentro do Swiss Pass existem divisões. Você pode comprar um Swiss Pass de primeira classe ou de segunda classe. Particularmente, dada a altíssima qualidade dos trens suíços, considero absolutamente desnecessária a compra de um passe de primeira classe.

A segunda divisão é por dias de validade: 4; 8; 15; 22 dias; ou 1 mês, todos com viagens ilimitadas durante o período. Na opção que utilizamos, os dias eram corridos/consecutivos, mas existe a opção Flexi, na qual os dias não são corridos, mas sim avulsos. Por exemplo: passes para você viajar até 6 dias em um mês conforme a sua conveniência - ideal para quem não vai andar de trem ou usar transporte público todos os dias.

Quanto custa? Abaixo os valores do Swiss Pass:
Para quem estiver viajando em dupla ou grupo, sugiro adquirir um Swiss Pass Saver, que é igualzinho ao Swiss Pass regular, mas custa um pouco menos com o visto acima.


Já o Flexi tem os seguintes preços / opções:
Vale destacar que crianças entre 6 e 15 anos, desde que acompanhados dos pais portadores de um Swiss Pass, viajam de graça. Mas e os menores de 6 anos? Nenhuma criança até esta idade paga transporte público na Suíça.

Mas como saber se o Swiss Pass compensa no seu roteiro? Esta é uma questão complexa que depende muito da quantidade de deslocamentos x distância x tempo, e ainda se você irá fazer ou não algum dos passeios panorâmicos que tendem a ser mais caros, mas que quase sempre estão incluídos no Swiss Pass - se não integralmente, na forma de desconto.

A forma mais adequada de fazer este comparativo é você pegar o seu roteiro e simular as viagens diretamente no site da SBB, no timetable & ticket service.

O site da SBB oferece todas as ferramentas necessárias para você planejar o seu itinerário, algo essencial diante de tantas opções de destino e de um sistema de trem tão complexo. Quem preferir pode fazer uso do app para telefones. Disponível em todas as plataformas, é algo que funciona muitíssimo bem. Testei a funcionalidade timetable e adorei – existe também a possibilidade de comprar os bilhetes diretamente pelo celular e muitas outras funcionalidades. Eficiência e confiabilidade nível Suíça!
Após colocar o ponto de partida e destino e ele lhe dá uma lista de possibilidades/horários.
Escolhendo uma opção, ele lhe dá todos os detalhes da viagem, como chegadas/partidas, plataformas e etc. Genial!
Aliás, embora andar de trem pela Suíça possa ser super tranquilo, sugiro que você faça antecipadamente, por uma das ferramentas acima, a programação do seu itinerário.

Muitas vezes são necessárias conexões para chegar-se num determinado destino, e ter tudo previamente anotado e planejado certamente facilitará e muito o uso deste fantástico sistema de transporte.
Dentro dos trens sempre há alguma indicação das próximas estações e tempo estimado para chegada.
Preste sempre atenção às indicações das estações, porque a quantidade de trens partindo e chegando é grande.
E por falar em conexões, algo que vocês notarão é que muitas vezes elas têm janelas de 10 minutos ou até menos. Eu sei que pode parecer pouco, mas fique tranquilo, salvo algum imprevisto muito, mas muito grave mesmo, atrasos não fazem parte da cultura suíça, muito menos dos trens.

Os britânicos podem até ter a fama de pontualidade, os suíços não ficam atrás, afinal os melhores relógios do mundo são feitos lá!

Só para vocês terem uma ideia, nos 20 dias que passamos lá, se muito, deixamos de usar os trens uns 3 ou 4 dias, e em quase todas as oportunidades eles foram super pontuais. Chegue um minuto atrasado e o trem já era!

O “quase” acima mencionado merece comentário. Por duas vezes pegamos trens que atrasaram 2 e 4 minutos. Coisa insignificante né? Para nós brasileiros isto nem seria percebido. Mas para os suíços não. Nestas duas oportunidades, chegando à estação de destino, o maquinista literalmente pediu desculpas e se explicou pelo atraso, inclusive em inglês. Isto que é exemplo de respeito ao usuário.

Precisa comentar algo mais de um sistema que trata os usuários assim? Momento “queria morar lá”!

Os vagões são extremamente confortáveis, tanto na segunda quanto na primeira classe. Normalmente há tomada disponível para você carregar seu celular, tablet ou seja lá o que for.
Primeira classe.
Bateu uma fome?
Corre para o vagão restaurante.
Na segunda classe, normalmente o que muda é o tipo de acabamento. Os assentos podem tanto ser uns de frente para os outros.
Quanto virados todos para o mesmo lado.
Além da divisão de classes, alguns trens têm vagões especiais para quem quer fazer reuniões de negócios; zonas de silêncio; vagões para bicicletas; vagões para famílias; e é claro, um vagão restaurante nos trens que cobrem rotas mais longas.

Normalmente não é necessário reservar assentos, apenas em trens como o Glacier Express isto é mandatório.

As estações são enormes e muito bem servidas de lojas e muitas delas com supermercados de pequeno ou grande porte, dependendo do tamanho da cidade. Aliás, nos finais de semana, o único lugar onde vocês encontrarão tudo funcionando é numa estação de trem suíça. 
Algumas como a de Berna são monstruosas de grande. Mais parece um shopping.
Outras como a de Genebra são menores, mas não menos bem servidas de serviços.
Nem todas têm elevadores, mas você sempre encontrará uma rampa.
Onde comprar? O Consulado Suíço em São Paulo, nosso parceiro nesta viagem, recomenda a aquisição diretamente junto à RailEurope (www.MySwitzerland.com/rail) ou numa das agências autorizadas pela RailEurope. Mas o passe também pode ser comprado depois de chegar à Suíça, em qualquer estação de trem, bastando apresentar seu passaporte. Até nisso o Swiss Pass é mais inteligente, já que nos demais países a aquisição destes passes deve ser anterior à chegada lá, ou seja, no Brasil.
É possível comprar o passe logo na chegada, no Airport Center, o shopping que fica entre o aeroporto e a estação de trem ali existente. 
Ele é válido para turistas com permanência inferior a 6 meses.

Após adquirir o passe; é preciso fazer a sua ativação / validação dentro do prazo de 6 meses de sua emissão, então programe-se para comprar o passe considerando tal data, para não chegar lá com o passe vencendo ou vencido - ou melhor ainda, compre o passe lá.

Este procedimento pode ser realizado por qualquer agente ferroviário oficial nas estações de trem no dia, antes da sua primeira viagem. O agente irá anotar o primeiro e o último dia de validade.

De posse do seu passe validado, salvo um outro trem que demande reserva (normalmente os panorâmicos) basta embarcar direto, e quando o bilheteiro vier conferir os tíquetes dos passageiros, você mostra o seu passe e passaporte. Simples assim!
Poder apreciar a paisagem é uma das vantagens de viajar de trem pela Suíça.
Se tudo isso já parece fantástico, os suíços ainda acharam que haveria o que melhorar / inventar (aposto que enquanto escrevo isto tem um suíço lá bolando algo). Vejam só que ideia brilhante e relativamente simples.

Você vai por exemplo de Genebra para Zurique, mas gostaria de parar em Berna, que fica no caminho, para dar um passeio e conhecer a cidade. Mas você está cheio de malas.... Andar o dia inteiro pela cidade cheio de malas? Sem chance.

Ai vem os suíços da SBB e bolam algo que poderíamos chamar de um “mala delivery” (algo muito melhor que qualquer guarda-volumes). A coisa funciona mais ou menos assim: ao embarcar em Genebra, como no nosso exemplo, você despacha a sua mala num guichê e solicita que ela seja enviada diretamente para estação de Zurique, seu destino final; e você passeia tranquilamente o dia inteiro. Ao chegar no final do dia, é só pegar a sua mala no guichê da estação de Zurique.

Maravilha né?
Belo sistema onde tudo funciona.
O serviço chama-se Fast Baggage e custa CHF 22 por mala, as quais precisam ser entregues no guichê antes das 9h00 da matina (provavelmente para que haja tempo para eles programem as coisas). Ali basta informar qual será a estação de destino.

Mas é sempre bom verificar até ou a partir de qual horário a mala pode ser retirada na estação de destino, pois varia de uma estação para a outra. Você não vai gostar de chegar no destino, querendo ir para o hotel com a sua mala e ficar sabendo que ela ainda não chegou ou que só poderá ser retirada no dia seguinte.

Uma limitação é que a mala não pode pesar mais que 25kg.

Confira aqui as conexões nas quais o serviço está disponível.

Claro que para quem faz isto, liberar o check-in do voo antecipado na estação de trem é moleza. Mas o serviço está disponível apenas para passageiros de algumas empresas aéreas, como a SWISS e Lufthansa. Nós testamos e foi excelente!

Quem (maluco!) mesmo assim optar pelo carro, deve estar ciente de que mesmo com estradas perfeitas, a utilização deste meio de transporte na Suíça, assim como em alguns outros destinos europeus tem lá seus inconvenientes. O maior deles, estacionamento. Com cidades relativamente pequenas e que (acertadamente) prezam pelo transporte público, estacionar um carro pode não ser lá muito fácil.
Carro? Nem pensar!
Parar nas ruas é extremamente complicado, pois onde pudemos conferir, paga-se CHF 2,00 para cada 30 minutos e o limite máximo é de 2 horas. Mas por outro lado, os parquímetros funcionam apenas de segunda a sábado das 8h00 às 19h00, sendo portanto gratuito o estacionamento fora deste horário.

Nas estradas, não existem pedágios, pois eles utilizam o sistema de selos (vignette) que são válidos por 1 ano e devem ser colados no para-brisa. Se você for pego sem este selo, a multa é de aproximadamente CHF 100. Eles podem ser comprados nos postos de fronteira (em dinheiro); nos postos de informação turística ou nos postos de gasolina.

Dentro das cidades, como não poderia ser diferente, a melhor opção é o transporte público mesmo. Nunca é demais lembrar que os bilhetes sempre devem ser adquiridos antes de embarcar e que se você for pego sem o bilhete, a multa é salgada (fora a vergonha!). Já para quem tem o Swiss Pass, é só embarcar direto.

Então anote ai, a grande dica para uma viagem à Suíça é usar o Swiss Pass!!!
Vai por mim, vá de trem!
Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

11 comentários :

  1. Gostei, e isso que não brinquei com trenzinho quando criança. Mas adoro ferrovias e trens, e nem me importo com as sacudidas durante o sono em viagem noturna. Sim, é bom também ir de um País a outro na Europa dormindo em trem leito, economiza até pernoite de hotel.

    ResponderExcluir
  2. Olá, bom dia !!!! Cumbicão, preciso de ajuda para entender melhor o Swiss Pass. Adquiri o Swiss Pass para conhecer Jungfrau e sei q ele concede 50% de desconto para chegar ao cume da montanha. No percurso de Interlaken até Jungfrau ...até cidade o Swiss Pass atende sem custo adicional, saberia informar ? Outra dúvida ..Deve pegar o primeiro trem de Genebra pra Interlaken ... as 04:00 da manhã, como farei para validar meu Swiss Pass ? Vc me indicaria algum passeio de barco de Interlaken que esteja incluído no Swiss Pass ? Não falo inglês, por isso preciso sair do Brasil com todo planejamento certinho. Obrigado ! Abço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Marcelo,
      O percurso incluso sem custo é até Kleine Scheidegg (salvo engano), porque ali começa o trecho não administrado pela estatal suíça (SBB).
      A validação do passe é feita em qualquer loja da SBB nas estações. A da estação de Genebra é enorme!
      Não fiz passeio de barco em Interlaken, mas achei o Lago Brienzersee um pouco mais bonito. Ambos são lindos!
      Abraço.

      Excluir
  3. Adorei seu blog. Super explicado. Me ajude. Como faço pra comprar o pass saver. Eu e meu marido vamos juntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quel, obrigado.
      Sugiro comprar direto com eles neste link: http://www.swisstravelsystem.com/pt/bilhetes/swiss-travel-pass.html
      Boa Viagem!!!

      Excluir
  4. Cumbicão, preciso muito de ajuda. Li tudo sobre isso e não consigo chegar numa boa opção.
    Se vc puder me ajudar eu agradeço.
    Tenho que estar em algumas datas em cidades diferentes da Suíça e queria ir com minha mulher nos trens panorâmicos.
    Passarei por essas três cidades, Genebra (3dias), Berna (4 dias) e Zurique (4 dias).
    Nessa sequência! Entre essas cidades há trens panorâmicos?
    E iremos aproveitar pra sempre visitar uma cidade vizinha a estas durante a viagem.
    Então compensa comprar o pass, mas quais trens eu viajo?
    Abraço
    Renan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Renan,
      Nas duas viagens que fiz à Suíça consegui conhecer boa parte do país de trem e lhe garanto que nestes trechos você não terá nada muito panorâmico não.
      Os trechos mais belos são os alpinos que ficam mais ao leste e ao sul.
      Avalie se não é o caso de ao menos fazer um bate-e-volta para alguma cidade pequena.
      Veja os nossos posts sobre Guyéres e Lugano, que se encaixam bem no seu roteiro e lhe permitirão uma viagem de trem mais panorâmico.
      Boa Viagem!

      Excluir
  5. Oi Diogo,
    Eu e minha mãe iremos ficar 10 dias e estamos montando nosso roteiro sozinhas. Estamos pensando em optar pelo Swiss Pass Saver, mas lemos em alguns lugares que é necessário reservar os trens(?) não entendemos direito, poderia nos ajudar? Pois como nosso roteiro será flexível, não tem como saber os horários exatos para reservar..
    Outra coisa, iremos fazer Zurich - Zermatt - Interlaken - Zurich e os bate-voltas no meio do caminho. O Swiss Pass cobre tudo né??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Maria Lígia,
      As reservas podem ser feitas com um dia de antecedência. Lembro de ter feito reserva apenas uma vez.
      O trecho que você menciona é sim válido para o Swiss Pass.
      Boa Viagem!!!

      Excluir
  6. Olá Diogo.
    Estou indo para suiça para estudar alemão e ficarei um período de 40 dias.
    Eu irei ficar em Aarburg e minha escola é em Zurich, terei que fazer esse percurso todos os dias.
    Procurei por alguns bilhetes mas não achei nenhum que tenha sido o ideal. Também penso em ir em outras cidades enquanto não tiver no horário de estudo mas ai nao encontrei nenhum bilhete que eu pudesse fazer o trajeto aarburg - zurich e que também pudesse circular por outras cidades.
    Ficarei muito grata se puder me ajudar!
    abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ixi Isabelle, este tipo de passe é mais para estudante do que turista. Sugiro enviar um email direto para a empresa de trens da Suíça. Bons estudos, aproveite.

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui