8 de maio de 2015

Dicas dos EUA (V): Los Angeles, o essencial para quem curte cinema.

And the Oscar goes to...
Amada por uns e nem um pouco por outros, se há uma unanimidade a respeito de Los Angeles, "LA" para os íntimos, é a sua importância para os americanos.


Fundada em 1781, a segunda cidade mais populosa cidade dos EUA (quase 4 milhões de habitantes e 12 milhões na área metropolitana) tem um papel cultural relevante no estilo de vida americano e uma considerável influência até mesmo a cultura de outros países.

Basta lembrar que ali está nada menos que Hollywood, a grande usina de criação de entretenimento de massa mundial. Dizem que de cada 6 habitantes, 11 trabalham diretamente na produção de filmes ou TV. Estatisticamente são aproximadamente 250mil californianos trabalhando diretamente neste ramo.

A partir de 1910, os californianos passaram a rodar vários filmes na região e criaram o que hoje talvez seja o maior legado americano, Hollywood. Pouco importa se você é da turma do cinema europeu, brazuca ou da galera que prefere Steven Spielberg e Cia., o cinema não seria o que é hoje se não fossem os californianos.

Atualmente os estúdios na cidade já não estão tão ativos quanto no passado – a maioria dos filmes é rodado nos arredores – a média de produção local é de 150 filmes, shows, comerciais ou programas de TV diariamente, gerando uma receita de US$30/35 bilhões ao ano.
Pelas ruas da descolada e colorida LA, muitos grafites.
E suas típicas palmeiras.
E não é só de cinema, televisão e música que a cidade vive. Los Angeles tem também grande importância para aqueles que gostam de esportes. Ora, estamos falando da casa de um dos times de basquete mais importantes do mundo, os Los Angeles Lakers. Além disso, a cidade já sediou os Jogos Olímpicos em duas oportunidades, 1932 e 1984 – esta última, famosa pelo boicote de 14 países comunistas. Fora isso, a cidade já foi palco da inesquecível Copa do Mundo de 1994. Foi no Rose Bowl que o Brasil sagrou-se tetra-campeão vencendo a Itália nos pênaltis.

LA é uma metrópole, e como toda grande cidade, tem seus problemas. Embora seja mais segura que qualquer metrópole brasileira, o Los Angeles Police Department (LAPD – lembra dos filmes?) tem muito trabalho a fazer. Nada que se compare à nossa realidade, mas não dá para andar pela cidade tão tranquilamente quanto se faz, por exemplo, na Europa ou em cidades menores dos EUA. Áreas menos turísticas ou os subúrbios são desaconselhados para quem vem de fora.

Infelizmente o american way of life trouxe para LA um problema típico de algumas grandes cidades, os congestionamentos. Mesmo existindo uma meia dúzia de linhas de metrô pela cidade, o estilo de vida tipicamente americano que predominante faz com que a maioria das pessoas prefira usar seus carros nas freeways e highways locais.

Resultado? Los Angeles é a cidade mais congestionada do país. Lembra-se daquela cena de “Um Dia de Fúria” onde o personagem de Michael Douglas surta no trânsito? Pois é... Evite os horários de pico 7h00-10h00 e 16h00-19h00.
Cuidado para não se perder nas várias highways que cortam a cidade.
Em certos horários a pista da esquerda é exclusiva para carros com mais de duas pessoas.
Uma consequência disto é que estacionar pela cidade não é nada fácil. Quase todas ruas têm parquímetros e os estacionamentos privados não são nada baratos.

Para fugir disto existe a opção de utilizar o sistema de transporte público (ônibus + metrô). Mas fiquei com a impressão de que o sistema é pouco vantajoso ao visitante por não atender a maioria das atrações.

A principal porta de entrada de Los Angeles é o LAX, o sexto mais movimentado aeroporto do mundo (o terceiro dos EUA) com nada menos que 61 milhões de passageiros / ano. São poucas, porém boas as opções de voos do Brasil para LA.

Recentemente estivemos duas vezes na cidade. Na primeira voamos com a COPA (escala no Panamá) e na segunda, direto pela American Airlines – em breve publicarei ambos os reviews por aqui. Além disso existe a excelente Korean Air, porém quase sempre com tarifas mais altas.

Mesmo no inverno, não costuma fazer muito frio em LA (se comparado com o restante do país, ok???). Ambas as vezes que visitamos a cidade era inverno e ainda que fosse necessário andar muito agasalhado em São Francisco, dava, para andar de camiseta nos 21ºC de LA. Neve? Não existe! Só chove um pouco mais no inverno se comprado ao seco verão californiano.

Onde ficar em Los Angeles? Nós optamos pelo Hollywood Hotel, um hotel super bacana cujo review completo vocês conferem aqui.

Mas e ai? O que tem para fazer em LA?

Como o há bastente coisa para falar de LA, resolvi dividir em dois posts, este com atrações mais ligadas ao cinema e um próximo com as demais atrações.
Hollywood baby!
Mesmo que muita coisa já não seja filmada nos estúdios de LA como dito acima, a cidade ainda respira cinema e é um prato cheio para quem curte a chamada 7ª Arte.

O mais famoso símbolo de Los Angeles é ao mesmo tempo o mais simples. Tem coisa mais simples do que um escrito “Hollywood” no topo de uma colina? Simples porém cheio de significados, o Hollywood Sign é algo que todo mundo que vai pela primeira vez à cidade quer ver.
Hollywood Sign.
Por mais singelo que este letreiro no topo de uma colina ao norte do bairro de Hollywood possa ser, ele tornou-se mais que uma atração da cidade de Los Angeles, tornou-se um ícone que representa cinema e a sua rica indústria.

Acredite ou não, a história por traz do letreiro mais famoso do mundo está ligada a um empreendimento imobiliário. Um conjunto de casas suburbanas para ser mais preciso. Isso mesmo. Lá pelos idos de 1923, uma construtora lançou um empreendimento na cidade chamado “Hollywoodland” e resolveu fazer um letreiro para promover as vendas. As casas foram vendidas e esqueceram o letreiro ali. Com o passar dos anos, as letras “LAND” caíram, sobrando apenas o que hoje se vê e que deu nome a um dos bairros mais famosos de Los Angeles e acabou virando um ícone.

Pois é, mais uma atração mundialmente conhecida que, a exemplo da Torre Eifel, era para ser temporária, mas acabou ficando... Longe de mim querer comparar ela ao letreiro hein!

Outra curiosidade é que as letras de aço, que foram instaladas em 1978 foram doações de algumas celebridades e empresas. As letras OO, foram doadas por Alice Cooper e pela Warner Bros. Já o Y foi doado por ninguém menos que Hugh Hefner, o fundador da Playboy e morador local com endereço à S Maplenton Dr. 457 - para quem quiser tomar um café com o velinho de roupão e coelhinhas na sua famosa mansão.
Outra opção é a partir do Griffith Observatory cujos detalhes conto em outro post.
Ah, sim, a gente adora The Amazing Race!

As letras que medem 13,7m de altura e 106,7m de comprimento estão a uma altura de 481m podem ser vistas de vários pontos da cidade.

E caso você não se contente em tirar fotos a partir do ponto de vista dos meros mortais, é possível fazer a subida até bem próximo às letras. A trilha até lá é muito pouco divulgada, até mesmo por razões óbvias – se todo mundo sobe até lá, como ficam as fotos dos mortais que estão na cidade?

Esta trilha que dá acesso ao local chama-se Hollyridge trail, e é mais conhecida dos locais. As instruções são as seguintes: dirija até bairro de Hollywood, siga pela Franklin Avenue e vire na Beachwood Drive. Dali, segue-se por uns 3 km até Sunset Ranch. No final da estrada, pare o carro e inicie a subida de uns 10 minutos a pé até o platô com as melhores vistas. Dá para ir mais perto? Sim, mas a partir daí a coisa passa a ser ilícita. Existem várias placas e câmeras de segurança para inibir o restante da subida.

Particularmente, prefiro o charme da vista ver de longe!

Nas duas vezes que passamos por LA era véspera de entrega do Oscar. Pura coincidência, já que a Academia não me nomeou para nada!!! Kkkk

Atualmente, o ponto central, é estendido aquele tapete vermelho, e montada até mesmo uma arquibancada para apreciar as estrelas o Dolby Theatre (antigo Kodak Theatre). Ali desde 2002 é realizada a cerimonia de anúncio e entrega daquela famosa e cobiçada estatueta dourada, o Oscar.
Dolby Theatre já sendo montado para o Oscar.
Além da cerimônia do Oscar, seu enorme palco (de 20m por 40m) recebe uma grande variedade de eventos e shows musicais. Vale sempre dar uma olhada no site oficial para ver o que está em cartaz.

Existe a possibilidade de realizar uma visita guiada de 30 minutos no seu interior, uma boa pedida para aqueles pobres mortais que como este que lhes escreve nem em sonhos será convidado para o tapete vermelho. Pena que segundo as informações oficiais, fotos e filmagens são proibidas. Fica na 6801 Hollywood Boulevard. O tour acontece diariamente de segunda a sexta das 10h30 às 16h00 e finais de semana das 8h30 às 11h30, e custa US$ 19.

Mas na minha opinião, o prédio mais interessante da cidade está logo ao lado. O Grauman's Chinese Theatre também conhecido como simplesmente Chinese Theatre.
Chinese Theatre.
Tudo made in China.
Inaugurado em 18 de maio de 1927 com a première do filme The King of Kings, é o cinema mais famoso do mundo, e talvez um dos mais belos. Até hoje, muitas das estreias de filmes acontecem diante do tapete vermelho deste belíssimo cinema.

Apenas a título de curiosidade, os itens de decoração de aspecto chinês, são mesmo originários do outro lado do Pacífico. Inclusive o construtor teve que pedir autorização especial do governo americano para trazer os itens da China. No final das contas, o custo de construção foi de US$ 2 milhões – uma quantia altíssima para a época.

Para visitar o seu interior, ou você encara um tour guiado de 20 minutos - pré-compra e valor dos tickets aqui, ou pode simplesmente ir assistir um filme. Fica na 6925 Hollywood Boulevard.

Mas a atração mais famosa do pedaço está no chão. Foi ali no Chinese Theatre que começou a verdadeira, a original Calçada da Fama. Não confunda com a Hollywood Walk of Fame, da qual falo mais abaixo.
A verdadeira Calçada da Fama.

É Brasil!!!
Meu favorito!
Que a força esteja com você.
Estou falando de algo absolutamente original e nostálgico. Ali, não se compra um quadradinho, você faz por merecer. Diferentemente da Hollywood Walk of Fame, as marcas são feitas no concreto e com as mãos ou pés, e autógrafo do artista numa cerimonia cheia de pompas e flashes. Aqui um mapa com a localização dos “autógrafos”.

Vale a pena conferir!

Talvez você esteja se perguntando como começou esta brincadeira... Reza a lenda que o dono do local e seu idealizador, Sid Grauman, ao ver uma estrela do cinema tropeçar na calçada e enfiar o pé no cimento fresco, percebeu que aquilo poderia render. Dito e feito. Hoje até muitos atores e atrizes de renome têm ali suas marcas. É verdade que também existem outros “atores” como a dupla R2-D2 e C-3PO, mas são ícones do cinema, né???
O cara que começou tudo isso.
Ali pertinho, aproveite para ver o The Hollywood & Highland Center, um centro comercial com alguns restaurantes, lojas e bares. Quer ver a o Hollywood Sign direitinho? Suba as escadas laterais do shopping, dali se tem uma vista excelente.
The Hollywood & Highland Center.
Caminhar pela Hollywood Boulevard onde estão a maior parte das atrações aqui apresentadas é um programa bem interessante. Muitos bares, restaurantes e lojas, muitas lojas. Algumas realmente diferentes – vá com tempo!
Artigos militares para você bancar o Rambo.
Marge Simpson.
Ou Freddy Krueger.
Nos arredores do Grauman's Chinese Theatre aproveite para parar e apreciar as figuras, literalmente que andam por ali. Em troca de alguns altos trocados, afinal cobram caro por foto tirada junto, o pessoal se caracteriza com as mais variadas fantasias. Algumas são de fato muito boas e as performances bem feitas (as crianças ficam loucas!), já outras... dignas de comédia.
Gente fantasiada para ganhar uma grana.
E alguns malucos protestando contra a indústria do cinema. Gritavam que era coisa do capeta. Eu hein!
Presumo que depois de dois passos pelas calçadas da região vocês já tenham se deparado com as várias estrelas cravadas nas calçadas da Hollywood Boulevard e da Vine Street. Trata-se da Hollywood Walk of Fame.
São muitas estrelas.
Alguns são clássicos.
Hehehehe.
Talvez até por não caber todo mundo na porta do Chinese Theatre (e porque muita gente de fato não merece estar lá!), a Câmara do Comércio de Hollywood resolveu escolher algumas personalidades que mais contribuíram para a indústria do entretenimento. É, mas nem só de personalidades vive a caçada... rola também um tremendo marketing em cima. Tanto que a Victoria Secrets, sem nenhum demérito às angels, conseguiu uma estrela na calçada. Em LA até pessoa jurídica também tem seu momento celebridade...

As estrelas são marcadas com os indicativos de câmera, televisão, fonógrafo para música, microfone para radio, e máscaras de comédia/drama para teatro. Mas existem algumas outras meio que fora desta regra, como por exemplo a da Disneyland que tem um castelo, e a dos astronautas da Apolo 11 que não tem nada.

E não pensem que são poucas estrelas não... São mais de 2.000 nomes em 5,6km – aja pescoço para ficar tanto tempo olhando para baixo!!! Verdade que depois de umas duas quadras você nem quer mais olhar...

Curiosidade: apenas uma estrela não está no chão. A de Muhammad Ali, que não queria ninguém andando em cima de seu nome – colocaram a dele na parede do Kodak Theatre. E quem iria discutir com alguém com um soco daqueles???

Para quem quiser, aqui uma lista dos nomes e endereços na calçada.
Já reservei a "minha".
Diante do Grauman´s Chinese Theatre está um dos hotéis mais famosos de Los Angeles, o Hollywood Roosevelt Hotel. Embora atualmente faça parte de uma rede de hotéis boutique, este hotel tem um grande valor histórico para a indústria do cinema, afinal foi aqui que em 1929 foi entregue a primeira premiação do Oscar. Acredite ou não, apenas 270 pessoas compareceram à Blossom Room do hotel para acompanhar a cerimônia – ainda bem que os organizadores não desanimaram!

O hotel em si foi construído dois anos antes e teve seu nome alterado para o do presidente americano após este financiar o término da sua construção.
Fala se não é lindo?
Cenário de vários filmes, dentre eles o excelente “Catch Me If You Can” com Di Caprio e Tom Hanks, serviu de residência para Marlin Monroe durante um longo período. Particularmente eu tenho uma conexão com o hotel, afinal fiquei hospedado aqui quando mal sabia andar sozinho na primeira vez que passei pela cidade.

Mas e aí? Tem muito famoso andando pelas ruas?

Por mais que muitas das celebridades tenham residência na cidade, não espere vê-las caminhando pelas ruas da cidade. E mesmo que você as aviste, dificilmente as reconhecerá. Nada como óculos escuros e (falta de) maquiagem para garantir certa privacidade. Nós mesmos passamos desapercebidos pelas ruas. Kkkk.
Mapas assim são comuns por toda a região.
Andando pelas ruas, principalmente de Hollywood certamente você será abordado por não uma, mas várias pessoas entregando panfletos de tours que te levam para conhecer a casa de famosos. Pelos relatos que li, na prática, o máximo que você vai conseguir ver é o portão e os altos muros das residências.

De tudo que recebi, não achei um tour com uma proposta diferente ou mais original que este esquema tietagem de portão, dai porque preferi gastar meu tempo e precious $$$ com outras coisas mais interessantes. Se alguém conhecer algum bom e diferente. Deixe lá na caixa de comentários a dica que publico!

Não encontrou nenhum famoso pelas ruas de Los Angeles? Vá à filial do famoso museu de cera, o Madame Tussauds, e fique juntinho do seu astro favorito. #Sqn
Madame Tussauds.
Happy birthday Mr. President...
Agora é sério, opinião particular... se você já viu um Madame Tussauds por ai, sei não se vale a pena ver outro, ainda mais se sua estadia em LA for curta demais. Mas como vai de gosto, deixo a dica. O Madame Tussauds fica na 6933 Hollywood Blvd.; funciona durante a semana das 10h00 às 22h00 e finais de semana das 9h00 às 22h00; e o ingresso custa a partir de US$20,95 para compras on-line.

Mesmo sem relação alguma direta com cinema, mas ali pertinho está um dos prédios mais famosos de LA é o Capitol Records Building. Construído em 1955, já apareceu em tudo quanto é filme – como por exemplo em The Day After Tomorrow, onde é destruído por um tornado.
Capital Records Building.
Com 13 andares, é a sede Capitol Records (o braço americano da famosa EMI), uma das gravadoras mais conhecidas do mundo, responsável por alguns dos álbuns dos Beatles; Nat "King" Cole; Frank Sinatra; Pet Shop Boys; Queen, Red Hot Chili Peppers (claro, estão em casa!); Iron Maiden; Coldplay; e muitos outros. Um dos estúdios foi concebido por ninguém menos que o guitarrista Les Paul.

Uma curiosidade é que a luz no topo do prédio diz em código Morse "Hollywood". Fica na 1750 Vine Street.

Bateu uma fome? Curta um dos lugares mais simples e típicos de Hollywood, o Dizem que o hot-dog mais famoso de Los Angeles é o do Pink’s Hot Dog.

Funcionando desde 1939 e com bastante gente na porta a qualquer tempo, o que é um excelente sinal, foi um dos melhores hot-dogs que já provei.
Pinks.
O menu.
Tamanho sarado!!!
As porções são enormes e alguns acompanham desde as previsíveis batatas fritas até nachos com chili, queijo, ou guacamole! Fica na 709 N. La Brea (esquina da Melrose) e funciona de domingo à quinta das 9h30 às 2h00 e sexta e sábado das 9h30 às 3h00. Fique atendo, pagamento em dinheiro apenas!

Mas e os estúdios? Visitou algum? Infelizmente e felizmente não.

Calma, explico. Como tinha uma programação apertada e havia planejado para visitar outro parque que, não existe na Flórida, o Six Flags, considerei que, para o meu gosto, não faria sentido visitar os estúdios se a grande maioria deles já não filma nada ali.

Hoje, com a exceção de um estúdio, nenhum dos outros filma qualquer coisa na cidade. A maioria virou parque de diversões, os quais têm na Flórida filiais maiores e mais atualizadas.
Paramount Studios.
Mas como nada se perde, deixo aqui um pouco do que li a respeito para ajudar quem se interessar pelo programa.

Sem atividade cinematográfica atual, os antigos estúdios da Warner Bros servem como uma espécie de museu, apresentando material de diversos sucessos de bilheteria. O passeio é guiado (são três opções de tour) que partem a cada 30 minutos. Maiores detalhes a respeito de horários e preço dos ingressos aqui.

Assim como a Disney, a matriz do Universal Studios está na Califórnia. No local em que os estúdios estavam situados no passado, existe um parque de diversões. Suas principais atrações são Transformers: The Ride-3D; a montanha russa indoor Revenge of the Mummy – The Ride; The Simpsons, uma montanha russa virtual; Shrek 4-D e várias outras. Confira a lista completa, horários e preço dos ingressos aqui.

Dos três grandes estúdios da cidade, o único que ainda está em funcionamento é o Paramount Studios. Eles oferecem um tour guiado de duas ou quatro horas e meia. Para maiores informações e reserva, vide o site oficial.

No próximo post, vamos curtir o lado off-cinema de Los Angeles.



Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

2 comentários :

  1. Ola Cumbicao!
    poderia me dizer onde você ficou hospedado? É fácil estacionar o carro perto das atrações principais de LA?
    obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, ficamos no Hollywood Hotel - The Hotel of Hollywood (1160 N. Vermont Ave. Hollywood, CA 90029). Em breve publico o review!
      É bem chato de estacionar perto das atrações em LA, apesar da cidade ter sido construída sob o modelo de transporte tipicamente americano: carro!

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui