28 de maio de 2015

Flight Review: Como é voar na Swiss de São Paulo para Zurique

Mais que a bandeira no leme, a Swiss carrega consigo o estilo suíço de ser.
Como já apontei em outras oportunidades, mais que as cores ou até o nome, muitas empresas aéreas carregam consigo uma enorme identidade de valores e por que não, do orgulho do país no qual se originaram. Muito disto se deve ao fato de que a maioria delas surgiu como empresas estatais, num tempo em que apenas Estados, seja por questões de ordem estratégica, seja por razões econômicas, detinham o controle sobre a exploração do transporte aéreo.


O fato é que passamos a associar cada vez mais empresas aos seus respectivos países.

Mesmo neste mundo de hábitos cada vez mais globalizados, ainda existe espaço para um saudável nacionalismo; onde as empresas representam nas suas cores e no seu modo de atender aos passageiros, a cultura, os valores e princípios das nações onde tiveram origem.

E olha que muitas vezes, as empresas já nem “pertencem” de fato mais àquela nação, seja por terem sido simplesmente vendidas para grupos estrangeiros ou fundidas à outra empresa internacional. Elas ainda carregam consigo uma boa dose de nacionalismo.

Este é o caso da Swiss International Airlines, a antiga SwissAir que em 2002 foi vendida para o grupo alemão Lufthansa sem perder a sua identidade e principalmente a qualidade de seus serviços.

Nas buscas pelas passagens para a nossa #SwissExperience, a nossa primeira opção foi a Swiss. Não só pela necessidade de termos um voo direto de São Paulo à Zurique, mas também pelo preço.

Como já mencionei antes, a Suíça é um destino relativamente caro, e economizar nas passagens era algo essencial.

Pode parecer estranho, mas dentre as empresas aéreas que oferecem rotas Brasil – Europa, muitas vezes, a Swiss é a que oferece os melhores preços de passagem.

E muitas vezes um voo São Paulo – Roma, pode sair muito mais barato pela Swiss do que pela Alitalia, mesmo considerando-se dois voos em conexão. Às vezes é até mais barato que um voo simples São Paulo – Zurique.

Querem um exemplo? Uma colega de trabalho viajou alguns dias antes que a gente para a Grécia com uma parada de uns 3 dias em Zurique. O preço que ela pagou foi menor que o que eu paguei para a mesma época. Ou seja, às vezes o voo da conexão até o destino final fica de graça, ou o conjunto de voos fica até mais barato que o voo intercontinental isoladamente.

Como isto é possível? Otimização de rotas e acordos comerciais locais.

Dai porque atualmente tenho sempre sugerido àqueles que buscam passagens para a Europa, a considerar voar pela Swiss, mesmo que com uma escala em Zurique – na pior das hipóteses, se não tiver tempo ou já conhecer a cidade, você faz um pit stop para comprar chocolates!

A Swiss tem um malha de voos enorme, e seus voos não se restringem às capitais e principais cidades europeias não. Eles têm uma boa quantidade de voos para os EUA, África e Ásia. Ao todo são 80 destinos na Europa e 106 destinos ao redor do mundo em 49 países. Confira aqui as rotas operadas.

Para o Brasil, eles oferecem voos sem escala a partir de Guarulhos (São Paulo). Como a frequência e horário destes voos pode alterar, sugiro consultar diretamente o site da Swiss.
Sobrevoando Zurique.
Mas vamos à experiência de voar com a Swiss.

compra do bilhete foi feita diretamente no site da empresa. O site tem um layout bastante limpo e intuitivo. O processo de compra é ágil e descomplicado e não tive dificuldade alguma no processo de compra. Instantes depois já estava com a confirmação e os bilhetes eletrônicos para serem apresentados no check-in.

O site da Swiss é bastante funcional. Além das informações básicas para a compra do bilhete aéreo e do acompanhamento da reserva, eles oferecem alguns serviços extra como por exemplo um guia dos destinos operados pela Swiss com muita informação útil para quem está viajando e quer programar o que fazer no destino.

Há ainda um aplicativo para smartphones que permite a compra da passagem e o gerenciamento da reserva.

A escolha dos assentos teve que ser feita por telefone, junto à central deles. Como viajávamos com o Cumbiquinho pela primeira vez em um voo tão longo, a nossa maior preocupação era ter o assento com o espaço para a colocação do berço. Aqueles da primeira fileira da econômica.

Pelo telefone, o atendimento foi super ágil e além de reservar estes assentos para ambos os trechos, já separaram uma refeição de bebê para ele. Acreditem, parece pouco, mas nem todas as empresas oferecem isto!

A Swiss possui o programa de milhagens Miles and More e está inserida na data deste post na Star Alliance, a mesma que que Lufthansa, Air New Zealand, Turkish Airlines e outras tantas empresas de ponta. Quem gosta de pontuar no TAM Fidelidade, dada a existência de um acordo entre as empresas, pode lançar as milhas voadas pela Swiss no TAM Fidelidade – é verdade que o procedimento foi um pouco burocrático por culpa da TAM, mas no final deu certo.

Nos voos entre Brasil e Europa a franquia de bagagem utilizada pela Swiss é de dois volumes com 32kg cada, o que é excelente. Detalhe que mesmo sem pagar passagem inteira, bebês de colo têm direito à uma mala com 32kg.. Isto demonstra mais uma vez o cuidado que a empresa tem com os pequenos passageiros. Nota 10!

Já para bagagem de mão, o limite é de um volume de até 8kg, limitado ao tamanho de 114 cm lineares, ou seja, a somatória de largura, comprimento e altura.

Tanto em São Paulo quanto em Zurique, o ckech-in foi bastante rápido e tranquilo.
Em Zurique, o check-in pode ser feito no subsolo da estação de trens.
Em Zurique, como fomos para o aeroporto de trem, optamos por fazer o check-in na estação de trens. Disponível apenas para quem viaja de Swiss (qualquer classe) ou nas empresas parceiras, o procedimento é uma senhora ajuda, principalmente se você estiver hospedado nos arredores da estação e estiver com crianças ou muitas malas. Ir para o aeroporto só com as malas de bordo é uma delícia!

O tempo de voo entre São Paulo – Zurique é de 11h35 horas. Um pouco menos na volta.

Pontualidade. Se na Suíça nem os trens atrasam, que dirá avião! Como um legítimo relógio suíço os horários programados foram seguidos à risca.
Coisa simples mas que poucas empresas fazem, é colocar na tela as conexões e seus portões, assim ninguém precisa ficar perdido no aeroporto.
E já informar qual será a esteira de bagagem. Simples, mas demanda organização. Coisas de Suíça.
Eu adoro esta câmera externa, mas tem gente que tem aflição.
A Swiss utiliza na rota São Paulo – Zurique uma aeronave Airbus A-340-300 configurada no esquema 2-4-2 poltronas por fileira. Atualmente a sua frota é composta, salvo por algumas aeronaves de menor porte para curtas distâncias, por aeronaves da Airbus, mas a partir de 2016, eles pretendem inserir algumas unidades do Boeing B777-300.
A-340-300 da Swiss em Guarulhos.
Não podemos dizer que a aeronave que fez os nossos voos era nova, mas certamente muito bem limpa e conservada.

A única coisa que senti que exageram um pouco foi no nível do ar condicionado, um pouco frio demais. Será que era aclimatação para os Alpes?

Desta vez foi difícil julgar o espaço para as pernas entre as poltronas porque viajamos naquela primeira fileira que naturalmente já tem mais espaço justamente para poder acomodar o berço. Mas pelo que pude observar o A-340 da Swiss segue a medida padrão.
Nas poltronas, o kit com cobertor, travesseiro e fones de ouvido.
Excelente espaço na primeira fileira.
Agora o grande destaque e que me agradou bastante foi a qualidade do atendimento de bordo. Desde o check-in, ou melhor, desde a atenção dada pela central de reservas por telefone, até a chegada, o atendimento foi excelente. À bordo então... nem se fala.

Impressionou a atenção e o cuidado com as crianças a bordo. Assim que embarcamos, os atenciosos comissários vieram com alguns brinquedinhos e mimos para entreter o Cumbiquinho durante o voo. Para os maiores, lápis e livrinhos para colorir. Olha, pode parecer bobagem, mas ajuda a distrair as crianças por algum tempo.
Kit para entretenimento dos pequenos. Ah, tinha também um babador!
Ele brincou um bom tempo com este cubo.
Assim que a aeronave atingiu a altitude de cruzeiro, já vieram instalar o berço.
Precisa perguntar se este passageiro gostou do voo???
O sistema de entretenimento de bordo segue a tendência on demand, ou seja, você assiste o programa ou filme quando quiser e pausa a qualquer momento, sem perder nada. As opções são muitas, mais de 140 filmes e programas, além de canais dedicados aos pequenos passageiros.
O controle é daqueles mais antigos, que ficam no braço da poltrona.
O tamanho da tela é adequado.
Só achei que a resolução da tela está um pouco abaixo daquilo que já experimentamos em algumas outras empresas, mas nada que atrapalhasse a experiência.

As refeições servidas durante o voo ficaram acima da média daquilo que provamos nestes últimos anos. Mesmo dentro das duas tradicionais opções (chicken/meat or pasta), o cuidado no preparo e o sabor nos fez esquecer que estamos num avião! Dica: se lhe oferecerem uma massa com ricota, não pense duas vezes, é essa!
Como tanto o voo de ida quanto de volta são noturnos, a janta é servida. Rondeli de ricota - uma das melhores comidas de avião que já comi!
Ou frango. Detalhe, talheres de metal. Coisa que não é comum atualmente - infelizmente.
E o café da manhã. Em todas as refeições, sempre um queijo local.
No menu baby, papinha e uma sobremesa.
Tipicamente suíço (aliás este é o mote da empresa) não poderiam faltar nas refeições os queijos. Mesmo na econômica são servidos a cada refeição um tipo de queijo, afinal, para quem está chegando tem que se habituar e quem está voltando para casa já pode matar saudades.

Quem viaja com crianças pequenas pode solicitar o menu especial. Sei que pode parecer algo simples, mas acreditem, nem toda empresa oferece isto. Mais uma vez a Swiss mostrou o cuidado e a atenção com os passageiros.

Ah, e não poderia faltar um chocolate para fechar.
Hummm.
Mesmo já tendo voado com a Swiss quando ainda era SwissAir, fiquei muito impressionado com excelente custo benefício e principalmente com o atendimento à bordo. Não é à toa que ela foi eleita a 13ª Melhor Empresa Aérea do Mundo em 2014, desbancando muita empresa famosa. Certamente considerarei comprar uma passagem com eles numa próxima viagem à Europa.

E você já voou com a Swiss? Deixe seu comentário abaixo.

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui