2 de agosto de 2015

Dicas dos EUA (X) - Viva Las Vegas!!!

"O que acontece em Vegas..." a gente conta!
Sabe aquele destino de férias que você ouve os amigos falarem mas não lhe disperta interesse? Aquele que todo mundo fala e você diz que irá um dia e vai postergando? Então, era essa a nossa relação com Las Vegas. Sempre vendo outros destinos que faziam mais o nosso gosto, íamos deixando Las Vegas na categoria “quem sabe um dia”.


Ao programar a nossa viagem para a Califórnia e uma esticada até o Grand Canyon, não passar em Las Vegas seria algo impensável. Era a oportunidade perfeita, senão única.

Para quem não sabe Las Vegas (Vegas para os mais íntimos), embora esteja muito próxima à Califórnia não faz parte deste, mas sim do estado vizinho, Nevada. Fundada em 1905, e com quase 600mil habitantes (1,7 milhões na área metropolitana) Las Vegas não só é a cidade mais populosa, mas também a mais conhecida deste estado.

O fato mais surpreendente a respeito de Las Vegas é que está situada no meio do deserto e foi construída a partir do nada. E mesmo assim é uma das que mais atrai turistas no mundo, sendo um dos principais destinos turísticos dos EUA, com 36 milhões de visitantes ao ano!!!
Las Vegas é uma cidade essencialmente noturna. À noite as ruas ficam lotadas.
Já pela manhã...
Você aí do outro lado deve estar se perguntando como é possível uma cidade surgida do nada tenha chegado a tal marca.

Bom a receita de Vegas é razoavelmente simples: cassinos + shows + baladas + compras = meca do entretenimento adulto. Aliás, não estranhe se lhe entregarem panfletos de profissionais do sexo pelas ruas. Eles entregam indiscriminadamente para todos. O mesmo vale para carros que circulam pelas ruas com mini-outdoors oferecendo este tipo de serviço. Coisas de Vegas!
Mapas, cupons, e... folhetos de garotas de programa.
Adicione a isto uma tremenda indústria de marketing chamada Hollywood. Diga ai, quantos filmes tendo Las Vegas como palco vocês já assistiram? Garanto que muitos. Eis alguns que me lembro: Onze Homens e um Segredo (e suas sequências); 21 (Blackjack - Quebrando a Banca); What Happens in Vegas (muito bom por sinal) e a hilária trilogia The Hangover (Se Beber, Não Case); além de muitas séries e reality shows.

Duvida que esta receita de marketing tenha funcionado?

Quando você pensa num destino internacional romântico, provavelmente a maioria pense em Paris. Se você fizer o mesmo raciocínio pensando em diversão com crianças, os parques da Flórida ganham fácil. Mas e se você quiser um destino mais focado em entretenimento adulto? Las Vegas é um dos principais destinos neste quesito, afinal, é por conta disto que é chamada de “cidade do pecado”.
Las Vegas é um excelente destino para viajar a dois.
Balada no Encore.
Por mais que desde 2006, Macau, na China, venha tendo um lucro maior com jogo do que Las Vegas, acredito que ainda vai demorar um pouco para Macau ter a fama e o glamour de Las Vegas – se um dia tiver.

Embora possa parecer que a maior parte destes visitantes vá à Las Vegas apenas para apostar, é fato que já faz alguns anos que a cidade tem muito mais a oferecer do que mesas de Black Jack e slot machines – existem “apenas” 200mil pela cidade ou uma para cada 3 habitantes!!!

Na verdade, segundo dados estatísticos, menos de 10% dos turistas que visitam Las Vegas o fazem com o fito de apostar. É certo que segundo dados oficiais, 87% dos visitantes acabam, nem que seja por brincadeira, indo a um cassino e apostando alguns dólares. O ganho anual com as apostas é de algo em torno de US$ 9 bilhões.
O cassino de cada hotel tem um estilo diferente. Este é o chiquérrimo Bellagio
Já o Planet Hollywood tem um ar mais jovem, com dançarinas em cima das mesas de jogos. Vegas, né...
Os primeiros cassinos surgiram oficialmente em 1931 e atualmente existem 1700 estabelecimentos licenciados para funcionarem como cassinos.

E já que o assunto é jogo, fique sabendo que pela legislação local, é obrigatório que as slot machines paguem no mínimo 75% das apostas. Mas não se anime muito não, este percentual é calculado considerando a vida útil do equipamento.
Cassino do New York pela manhã. Os cassinos não fecham e andando logo cedo tem-se a impressão que algumas pessoas viraram a noite ali jogando.
Ah, e nos cassinos, não tire fotos ostensivas das máquinas ou das mesas. Claro que uma foto sua não tem problema! Caso contrário, um segurança daqueles do tipo que Danny Ocean enfrentou, poderá vir “conversar” contigo.

Uma boa pedida é verificar os sites dos hotéis-cassinos para ver o que tem de show programado para o período. De repente você pode até ter a sorte de conseguir ver um show bacana a peços made in USA, leia-se, bem mais em conta que no Brasil.

Só para dar uma idéia, o Cirque du Soleil tem ao todo 8 espetáculos permanentes e diferentes na cidade. É mole? Vale muito a pena ir e assistir ao menos um, pois é uma excelente oportunidade.
Praticamente todo hotel bacana tem um show do Cirque, aproveite porque os preços são excelentes.
Não podemos dizer que Las Vegas tenha um dressing code, pois existem pessoas vestidas de tudo quanto é jeito a qualquer hora do dia. Afinal, onde mais você vê tantas noivas e tanta gente praticamente fantasiada???

Se você ainda tem aquela ideia de que para ir ao cassino é preciso utilizar smoking, esqueça. Isto é cena de 007 em Cassino Royale. Ok? Durante o dia bermudas e camisetas são bem vindas, só não vá aparecer de regata - bom senso mode on. Já durante à noite, prefira algo menos largado. Não que isto signifique necessariamente aparecer lá de paletó, mas bermuda e chinelo também não. Um jeans e uma camiseta ou camisa bacana bastam.
Onde vai a "Alice" e seu Chapeleiro Maluco??? Como disse a Sra. Cumbicona: praticamente um zoo de gente.
Viva Las Vegas!!!
Para as baladas a coisa fica mais restrita, pois existe sim um código de vestimenta capaz de barrar a sua entrada. Aqui vale consultar antes o site do local. No geral, um jeans; camisa e sapato resolvem – algo como o casual. Tênis ou sapatênis jamais. Já ouvi mais de um relato de homens barrados por conta do sapato. Já para as mulheres, é mais fácil, afinal, mulher bem vestida entra em qualquer lugar!

Os restaurantes, na sua maioria seguem a linha casual. Os poucos que exigem paletó, costumam informar. O mesmo vale para os shows. Use o bom senso.

Nem só de shows e jogatina vive Las Vegas. Acredite ou não, a cidade recebe mais de 3mil convenções e feiras ao ano. Ora, com o apelo de jogo, shows e aquela velha estória de “what happens in Vegas stays in Vegas” não é nada difícil de convencer os executivos a participarem dos eventos.

Mas de que vivem as pessoas que moram em Las Vegas? De turismo é claro! Imagine quantas pessoas dá para empregar com uma média de 37 milhões de visitantes ao ano? Fora isso existem algumas indústrias na região, a maioria voltada para a área de eletrônicos e telecominicações.

Mesmo não fazendo o meu estilo, para quem quiser casa-se em Las Vegas cito a excelente matéria no Viagem na Viagem, onde é explicado passo a passo como fazer um daqueles típicos casamentos em Las Vegas com direito a Elvis de padre e tudo!

Incrivelmente plana e situada em um vale rodeado por montanhas por todos os lados, Las Vegas tem clima semi-árido. Isto é, chove pouco, o verão é quente e o inverno ameno durante o dia e mais acentuado durante à noite.

Onde ficar em Las Vegas? Nós optamos pelo Planet Hollywood e MGM Grand, cujos reviews completo vocês conferem aqui.    

Locomover-se. A maioria dos turistas fazem a rota Los Angeles – Las Vegas carro, mas muitas empresas áereas americanas têm voos de várias cidades direto para o McCarran International Airport, que fica a apenas 8km da cidade.
O aeroporto fica praticamente ao lado da Strip.
Como as atrações de Las Vegas estão na sua maioria na Las Vegas Boulevard (“Strip”), muita gente debate se é ou não necessário usar carro na cidade.  Embora tenha apenas 6km, andar pela Strip a pé pode ser cansativo, especialmente se você for no escaldante verão local.

Com passagens a US$5, o que considero um pouco caro, ou passes diários US$12 e três dias US$28, o Monorail é a opção mais rápida de locomoção na Strip. Como as estações têm nome dos hotéis mais próximos, fica impossível perder-se. Aqui um mapa interativo.

Além do monorail pago, existe uma rede de trams entre os principais hotéis. A rede situada do lado oeste da Strip conecta os hotéis-cassino Bellagio, Aria e Montecarlo; existem também linhas ligando o Excalibur ao Mandalay Bay e o Mirage ao Treasure Island. Horários: Bellagio - Monte Carlo: das 8h00 às 4h00; Excalibur - Mandala Bay: das 7h00 às 22h30; e Treasure Island - Mirage: das 7h00 às 2h00. Fora isto, alguns hotéis são interligados por passarelas internas.
Indicativo da estação do Monorail.
Táxi é opção? Sim, principalmente se o seu destino estiver fora deste eixo, como por exemplo o Aeroporto. Um táxi do aeroporto à região da Strip não custa mais que US$30. Só fique atento ao fato de que alguns taxistas malandros não só dão uma volta enorme, mas também fazem questão de rodar pela highway para poder cobrar mais. Fique atento.

Dá também para usar as linhas de ônibus que passam pela Strip. Existem passes de 24 horas a US$ 8 e de três dias por US$ 20. Detalhe: a linha Strip and Downtown Express que faz o sentido norte-sul passa pelos dois outlets. Considere apenas que esta linha funciona das 9h00 às 0h30.

Assim, se você estiver sem carro não deve enfrentar problemas.

Mas o carro pode não ser por assim dizer descartável e pode ser até uma boa idéia por dar mais liberdade. Diferentemente de outras cidades, em Las Vegas não se paga pelo estacionamento nos hotéis (ufa!!!). O máximo que você terá que pagar é uma gorjeta para os manobristas. Lembrando que sempre existem dois tipos de estacionamento: com e sem manobrista.
Só não vá alugar um destes porque deve ser difícil de manobrar.
Assim, se você já está de carro porque veio de Los Angeles ou outro destino, use-o. O carro trás também a facilidade na hora de ir às compras nos outlets e também nos passeios pelos arredores de Las Vegas.

Embora seja possível obter as informações essenciais em qualquer hotel da cidade, Las Vegas tem um centro de informação turística situado na 3150 Paradise Road.‎

Mas e ai? O que tem para fazer em Las Vegas?

Pode até parecer bobagem, mas a grande maioria das pessoas que visita Las Vegas acaba tirando uma foto junto ao famoso letreiro que marca a entrada sul da Las Vegas Boulevard ou Strip - Las Vegas Welcome Sign.

O fato é que este letreiro criado em 1959 é um dos locais mais fotografados da cidade. E como no passado as pessoas acabavam parando o trânsito ou se arriscando entre os carros para fotografá-lo, a prefeitura resolveu delimitar a área. Hoje existe um estacionamento próprio para quem visita o letreiro. Ele fica ao sul do Mandalay Bay, na 3150 Paradise Road – passando o Mandala Bay, olhe no canteiro central e mantenha a esquerda, como quem vai fazer o retorno. Existe um estacionamento ali próprio para quem quer fazer uma pausa para fotos.

Praticamente tudo em Vegas acontece na Las Vegas Boulevard (“Strip”), a artéria da cidade. Um passeio por ela, seja de dia, seja de noite, principalmente para ver as suas luzes, é algo obrigatório.


Reza a lenda que se enfileirados todos os neons da Strip, seria possivel atingir a marca de 15mil milhas. Certamente, a rua mais iluminada do mundo! Rsss.

O fato é que a principal atividade em Las Vegas é caminhar por esta rua e apreciar a enorme quantidade de hoteis-cassino com suas decorações temáticas e lojas, ou melhor pequenos shoppings de luxo.

Eu que sou da opinião que hotel é cama, banho, e quando muito, café da manhã; jamais imaginei ir para um lugar onde a principal atração é visitar hoteis!?!? Mas é verdade, você pode até ir para Vegas e não jogar, não ver um Elvis ou não assistir show algum (interna este maluco! Rsss), mas será impossível não visitar ao menos os hotéis mais bacanas. E não pense que visitar hotel em que não se está hospedado seja programa de farofeiro não! Todo mundo faz, os hotéis esperam que você faça isso, e é muitoooooo legal.

Além de uma decoração fantástica, os hotéis contam com muitos restaurantes, bares, baladas, lojas e atrações variadas; isto sem falar nos cassinos, é claro! Como bem disse Ricardo Freire ao comentar o assunto “os hotéis fazem o papel de monumentos e museus” – bela síntese!
No lugar de monumentos e museus, hotéis temáticos. Isto é Las Vegas! (Hotel Luxor)
Quanto aos shows, como os hotéis têm neles um grande chamariz de visitantes e hóspedes, a rotatividade é grande. Então o que pode estar em cartaz hoje, pode não estar mais quando da sua visita. Sugiro assim que você dê uma espiada antes de embarcar nos sites dos hotéis cujos links estão no texto.

Como são muitos hotéis, e nem todos são tão legais, o esquema é fazer uma lista dos mais interessantes e sair pela Strip pingando nos selecionados.

Então vamos a alguns dos principais hotéis-cassino:

Talvez o mais famoso deles, e também um dos mais luxuosos e caros da Strip, é o Bellagio. Sua maior atração é a gigantesca fonte que faz shows de luzes e chafarizes. Quem nunca viu esta fonte no filme "Onze Homens e um Segredo"? Imperdível!
Bellagio e sua famosa fonte.
A fonte funciona a cada 30 minutos durante a tarde e 15 minutos durante a noite, quando os chafarizes literalmente “dançam” ao som de músicas famosas como My Heart Will Go On - Celine Dion; Fly Me to the Moon - Frank Sinatra; Viva Las Vegas - Elvis Presley (a preferida deste que vos escreve); e outras. Os jatos d’água chegam a 70m de altura!

Aliás a ideia do lago, com 36 mil m², e da arquitetura do hotel é remeter ao Lago de Como na Itália. Quando inauguraram o hotel em 1998, alguns gaiatos inventaram a lenda urbana de que a água utilizada para enche-lo seria a água residual do hotel. Claro que isto não passa de um mito, mas bastou para alavancar ainda mais a publicidade sobre o hotel.

Reformado em 2006, conta com 3.950 quartos, 8 restaurantes e nada menos que 10mil empregados.
As flores de vidro no saguão.
A decoração dos jardins.

No seu lobby, repare no teto adornado com uma escultura com 2000 flores feitas à mão. Para quem quiser, recomendo visitar o Jardim Botânico existente dentro do hotel.

Agora se você ainda estiver precisando de um bom motivo para ir ao Bellagio, que tal o espetáculo O” do Cirque du Soleil? O show se passa quase que inteiro dentro de uma enorme piscina circular.

O Bellagio tem vários restaurantes interessantes, nós optamos por jantar duas vezes lá, uma no The Buffet e outra no Noodles. Oportunamente contaremos como foram estas experiências.

A partir do Bellagio, chega-se ao City Center usando o monotrilho gratuito. E para o outro lado, a galeria Via Bellagio leva ao vizinho Caesar’s Palace.

O City Center é um complexo que compreende os hoteis Mandarin Oriental e Vdara (ambos sem cassino), as torres inclinadas do condomínio Veer Towers, o hotel-cassino Aria, e o shopping Crystals, um dos mais belos da cidade. É uma das partes mais novas da cidade, foi também a mais cara já construída – ao custo de US$ 9,2 bilhões, foi o maior empreendimento privado nos Estados Unidos.

O Aria, embora não tenha uma temática específica, segue a linha dos demais hoteis-cassino da cidade, oferecendo quartos suntuosos (4mil ao todo), restaurantes (18), mesas de jogos e shows. E como todo hotel-cassino de Las Vegas que se preze, o Aria também tem seu show do Cirque du Soleil. Hoje o hotel hospeda o espetáculo Zarkana do Cirque du Soleil, que com um ar meio sombrio e cheio de acrobacias. Seu Buffet, também merece uma visita.
O Aria é um dos hotéis mais novos da região.
Baladas? Sim, o Aria tem várias, confira aqui a lista. Com um pouco de tempo sobrando, vale a pena dar uma conferida no cassino do Aria, pois é um dos mais bonitos da cidade, com um visual clean e moderno.

Fundado em 1966 e com temática romana, o Cesars Palace é um dos hoteis-cassinos mais antigos da cidade. Após diversas reformas, a última em 2005, ele passou a contar com praticamente 4mil quartos.
Cesars Palace.
Certamente você já viu este balcão no cinema.
Anexo ao hotel fica o Colosseum do Caesars Palace, um teatro com capacidade para 4.100 pessoas onde é possível assistir apresentações permanentes de artistas como Shania Twain, Elton John e Rod Stewart. Confira o site oficial para ver datas e atrações atualizadas.

O complexo de lojas do Ceasars é tão grande (160 ao todo), que acabou por virar um shopping, o The Forum Shops at Caesars. Com lojas para lá de exclusivas, é comumente frequentado por gente famosa. Abre de domingo à quinta das 10h00 às 23h00 e de sexta à sábado das 10h00 às 0h00. Destaque para o belíssimo saguão do hotel; para a réplica da Fontana di Trevi; e para as escadas rolantes em espiral no The Forum.
Praticamente uma Fontana di Trevi.
Um dos shoppings de hotel mais bacanas de Las Vegas.
A escada rolante em caracol é demais.
Restaurantes? Claro! Você encontrará excelentes opções: Guy SavoyMesa Grill e Nobu (um japonês top), SpagoP.J. Clarke’s e Il Mulino.

Como os seus vizinhos, o Ceasars já apareceu em vários filmes, sendo a passagem mais conhecida e recente aquela em que um dos personagens do Hangover (Se Beber Não Case) pergunta à atendente do check-in se era verdade que César teria morado lá. Fiquei me perguntando quantos engraçadinhos já fizeram esta piadinha lá!!!! Rsss.

Bateu saudades da Big Apple? Vá ao New York, New York, um hotel casino que tem como tema central a cidade mais cosmopolita do mundo, com direito a réplicas do Empire State; Chrysler Building; Grand Central Terminal; Estátua da Liberdade, e outros tantos ícones de NY.
O gigantesco complexo do New York, New York.
Tem direito à Estátua da Liberdade
E até uma Ponte do Brooklin.
Inaugurado em 1997 e reformado em 2006 e com pouco mais de 2mil quartos, uma de suas principais atrações é a Montanha-Russa, que com 62m de altura e carrinhos que imitam os táxis de NY, atinge velocidades de até 108km/h. Ah, um detalhe, os mais “moderninhos” podem dizer o seu “Yes” da cerimônia de casamento durante a ride – fico imaginando o véu voando... Vegas tem destes micos!!!

O New York-New York também tem um show próprio do Cirque du Soleil, o Zumanity. Enquanto os demais shows do têm um viés mais circense, o Zumanity é mais estilo cabaré, e mostra o lado sensual do Cirque, tendo como tema a sensualidade humana, a censura é para maiores de idade.
E lá dentro, tudo remete à uma das mais bacanas cidades do mundo.
Nos mínimos detalhes.
Ali você também encontra 6 bares diferentes, dentre os quais cito o Coyote Ugly que é daqueles onde as bartenders dançam no balcão e o Nine Fine Irishmen, que como o nome já dá a dica, é um pub irlandês com direito a pint de Guinness e tudo.

Bateu a forme? O New York, New York tem uma boa variedade de restaurantes que vai do asiático Chin Chin Café & Sushi Bar, ao novaiorquino Nathan’s Famous Hot Dogs, um ótimo lugar que serve hot-dogs desde 1916 na Big Apple. Tem também uma filial do MGM Grand Buffet.

Lojas? Tem sim. Ali fica uma loja da Harley Davidson; IT'SUGAR, uma loja de doces; e SoHo Village, com itens típicos de NY.

Ah, já ia me esquecendo, tem cassino também! Rsss.

Do outro lado da rua, duas atrações que achei bem interessantes: a loja da M&M e da Coca-Cola.

A M&M World foi o meu momento gordice preferido na Strip. Assim como outros lugares do mundo como Orlando, NY e Londres, Las Vegas também tem a sua loja destes redondos, simpáticos, e é claro, deliciosos chocolates. Além dos mais diversos produtos relacionados com a marca. No subsolo, está exposto o carro #18 da Nascar que é patrocinado pela marca.
M&M World.

Hummmm.
Já pensou em comprar tudo quanto é item relacionado à marca de refrigerantes mais famosa do mundo? Sim, em Las Vegas existe uma Coca-Cola Store que vende praticamente qualquer item que possa ser asssociado ao refrigerante. É bom aproveitar, pois outra atração deste tipo só mesmo na fábrica deles em Atlanta!

Mas o item mais interessante da loja é o chamado “Taste of the World”, que dá o direito de provar nada menos que 16 sabores diferentes de Coca-Cola. Uma excelente pedida, mas vá com sede porque é refrigerante que não acaba mais!!!
Voltei para a infância.
Duas bandejas, umas boas...
Outras.... Kkkk.
A lista de sabores.
Alguns são realmente bons, já outros... estão mais para remédio com gás de tão ruim!!!

Por ali tamém está o Harley Davidson Café. Com tantas referências à cultura americana, este ícone local não poderia faltar em Las Vegas, nem que seja num café, afinal tem muita gente que curte cruzar os EUA pela Rota 66 e dá uma parada em Las Vegas. A loja de suvenires da marca ali (também existem em alguns hotéis da Strip) é perdição para os amantes de motos. E acredite ou não, existe ali um espaço no qual é possível até mesmo fazer um casamento no melhor estilo Las Vegas, com Elvis como mestre de cerimônia e tudo.
A moto gigante que decora o Harley Davidson Café.
Se de um lado da Strip está “NY”, do outro está “Paris”. Guardadas as devidas proporções, quem visita Las Vegas pode sentir no Paris Las Vegas o gostinho da cidade Luz. Tem desde uma réplica em menor escala da Torre Eiffel até restaurantes típicos, tudo feito para fazer o turista viajar para o outro lado do globo.
Paris Las Vegas.
Parece mesmo o Ópera.
E o Arco do Triunfo.
A réplica da Torre Eiffel tem pouco mais da ½ do tamanho da original – dizem que só não fizeram em tamanho real porque o aeroporto estava muito próximo - e é possível subir nela tanto para avistar a Strip, como também para jantar lá, como na original. Ah, e a fachada do hotel remete à Ópera de Paris e ao Louvre.

No hotel existe uma réplica do Arco do Triunfo (2/3 do tamanho real) que foi palco de uma proeza. Robbie Maddison resolveu não só subir no topo do arco após pular de uma rampa, como também descer!


Dentre os restaurantes, destaque para o Gordon Ramsay Steak. Epa! O que faz um chef inglês num hotel francês??? Coisas de Las Vegas... Aqui também tem o Le Village Buffet que dizem ser interessante, com direito a Champagne Brunch e tudo.

Recomendo dar uma passeada pelas duas áreas de lojas do hotel, Bally's-Paris Promenade e Le Boulevard, cuja decoração perfeita faz você esquecer que está em Las Vegas.

Uns acham brega, outros adoram. Goste ou não, não dá para negar que o The Venetian tem seu atrativo, fazendo dele um dos hotéis-cassino mais famosos e visitados da cidade. Seu tema? Veneza, é claro. A ambientação é perfeita, com direito a canais, passeio (mico) de gôndola, Ponte Rialto e tudo mais – só não tem alagamento e mau cheiro!
The Venetian.
Mas poderia ser uma igreja!!!



Tem até uma Praça San Marco.
Apenas para dar uma ideia do tamanho do complexo, são ao todo mais de 4mil suítes e um cassino com mais de 11 000 m².

Uma das atrações locais é a filial do Madame Tussaud em Las Vegas. O Venetian conta com bons restaurantes como o o asiático Tao (que também funciona como balada – eleita uma das melhores da cidade). Ali existe uma filial da Carlo's Bakery. O SPA, assinado pela Canyon Ranch, também é um dos melhores de Las Vegas.

Ele tem uma ligação com outro hotel da região, o The Palazzo, que é famoso por ter sido cenário do Treze Homens e um Novo Segredo, e ter uma loja de carros de luxo.
The Palazzo.
Vela a pena dar uma olhada nas lojas do complexo, Grand Canal Shoppes do Venitian (poucas vezes vi tantas lojas chiques num lugar só!) e The Shoppes at Palazzo onde tem a loja de departamentos Barneys.

Um dos cassinos mais tradicionais de Las Vegas, o Mirage é o terceiro mais lucrativo – atrás apenas do Bellagio e o Ceasar’s Palace. Na fachada do hotel, existe um Vulcão que, a partir das 19h00 e a cada hora até as 23h00, simula uma erupção. Gosto duvidoso ou não, virou meio que uma tradição de Las Vegas.
Mirage.
No saguão principal, atrás do balcão de chech-in, dê uma olhada no enorme aquário com mais de 75mil litros de água salgada e 80 espécies diferentes de peixes. Repare ainda no Átrio que tem uma enorme variedade de plantas tropicais.

No quesito restaurantes, cito o BLT Burger e a Carnegie Deli. Entre restaurantes e fastfoods, existem outras 13 opções de lugares para comer. São 12 bares / lounges para curtir a noite. O Cravings Buffet  também dizem ser bom.

O Siegfried & Roy's Secret Garden & Dolphin Habitat dá a oportunidade de ficar frente a frente com leões brancos, tigres brancos, panteras, leopardos e golfinhos.

A principal atração local é o show LOVE do Cirque du Soleil, que tem como tema as músicas dos Beatles. Sou suspeito para comentar, mas mesmo sem ter visto os demais shows acho que deve ser um dos mais interessantes do Cirque. O espetáculo associa a magia das músicas dos “garotos” de Liverpool com a precisão e beleza dos movimentos do Cirque du Soleil. Ao todo são apresentadas 27 canções mais clássicas (como se todas já não o fossem...), as quais estão disponíveis inclusive num CD exclusivo que foi gravado para o show.
Se não é o melhor show, pelo menos tem a melhor trilha sonora!!!
A loja é uma perdição!
Para ter uma idéia de como é o show, vale uma olhada no trailler no site oficial. Para comprar tickets, segue o link oficial. O bacana é que ali também é possível ver a disposição dos acentos e o ponto de vista de cada um deles, assim você escolhe sem erro – este sistema também está disponível para os demais shows do Cirque.

Dentre os hotéis não temáticos, o que mais chamou a nossa atenção foi o complexo formado pelo Wynn e Encore. De todos, foi certamente o que considerei o mais bonito. Sem nenhum exagero ou ostentação desnecessária, o complexo sobra no quesito bom gosto.




Só o Wynn Las Vegas, custou nada menos que US$ 2,7 bilhões. Vale a pena dar uma conferida na sessão de lojas que tem uma decoração impedável. E para quem gosta de golf, o Wynn tem um dos melhores campos da cidade, se não é o melhor, é o mais bonito!

E o MGM Grand e o Planet Hollywood??? Bem, como ficamos hospedados neles, vou deixar para um outro post, um hotel review próprio.

Fora estes, existem muitos outros hotéis interessantes na Strip, como por exemplo o badalado Hard Rock Casino, o o Treasure Island com seus piratas; o Luxor e a sua enorme pirâmide de vidro; o Excalibur com sua temática medieval; o Cosmopolitan; o clássico Flamingo e sua decoração art deco; o Harrah; o tradicional Monte Carlo e o Mandala Bay. Enfim, hotel e cassino bacana é o que não falta em Las Vegas.

Subindo a Strip, quando os grandes hotéis-cassino começarem a rarear, você notará uma grande torre, a Stratosphere. Do alto de seus 350m de altura (a 20ª. mais alta torre do mundo), tem-se a melhor vista de Las Vegas – 360º é claro! Os vidros inclinados permitem uma maior área de visão e uma sensação de altura incrível.
Stratosphere.
Na torre, além do evidente observatório, existe um restaurante e o Air Bar, um bar que funciona como balada, com belas vistas da cidade é claro! E para os mais destemidos:

a) Big Shot: é um daqueles elevadores que despenca. Como se já não bastasse você estar a 350m de altura, eles te colocam em um elevador que despenca da altura de mais 48m, totalizando quase 400m;
b) X-Scream: é uma espécie de gangorra a vários metros acima do solo. Pois é, eles te colocam na beira da torre para brincar de gangorra. Bem longe de ser brincadeira de criança;
c)  Insanity: é um braço mecânico que faz variados movimentos na beira da torre;
d) SkyJump: fora apostar US$ 1 milhão na roleta, esta é definitivamente a maior insanidade que se pode fazer em Vegas. Trata-se de uma queda desacelerada do topo da torre. Aqui um vídeo promocional.

Pela vista e pelas atrações, o Stratosphere vale a visita, já o hotel homônimo, ouvi dizer que é bem inferior mais famosos.

Algo que infelizmente não tivemos tempo de visitar é a Freemont Experience. Ali está o que teria sido o começo de Las Vegas, antes dos mega cassinos. Como outras tantas áreas antigas da cidade, ela ficou abandonada durante vários anos, até que em 2004 foi renovada. O bacana é que ao invés de simplesmente modernizar a região, a prefeitura resolveu recuperar muito de seus letreiros antigos. Ao anoitecer, por volta das 19h00, o painel com mais de 12 milhões de LED´s é aceso e eles fazem a cada uma hora, um show de 6 minutos de com muita música, afinal são 550.000 watts de som.

Se em certo momento você estiver um tanto quanto perdido em meio a tanto neon ou paranóico com o barulho das slot machines, é hora de sair de Las Vegas para um bate-e-volta para os arredores da cidade.

Embora o bate-e-volta mais interessante a partir de Las Vegas seja o Grand Canyon, vou deixar isto para um post especial.

Aproximadamente uns 30 minutos ou 40km de Las Vegas está uma das hidrelétricas mais famosas do mundo a Hoover Dam. Ok, pode até parecer estranho ir visitar uma hidrelétrica, mas pela história e grandiosidade dela vale a pena. Isto sem contar a paisagem nos arredores.


A Hoover Dam faz a divisa entre os estados de Nevada e Arizona.
Mesmo sendo hoje apenas a 46ª maior do mundo (na sua frente tem por exemplo seis brasileiras), ela recebe um milhão de visitantes por ano. A hidrelétrica marca justamente a divisa entre os estados de Nevada e do Arizona, e foi construída justamente durante a grande depressão (1931 e 1936), o que por si só já demonstra a grandiosidade do feito.

A sua barragem de concreto com 221,4 m de altura no Rio Colorado, cria o Lake Mead. De toda a energia gerada ali, aproximadamente 23% fica para o estado de Nevada, 15% são para Los Angeles e o restante é dividido entre outras áreas da Califórnia.
O paredão da hidrelétrica. 

Para quem quiser visitar o interior da Hoover Dam, existe um tour guiado que dá acesso às instalações. O tour acontece diariamente das 9h25 às 15h55 durante o inverno e no verão até as 16h55. O melhor lugar para estacionar free of charge, é cruzando a fronteira, já no lado pertencente ao Arizona. Portanto, passe direto pelo estacionamento pago do Visitor Center.

Depois de visitar a cidade, fiquei com a certeza de que, por mais que tudo ali seja fake sim, às vezes é preciso simplesmente deixar-se levar porque Las Vegas é um daqueles lugares que, cedo ou tarde, você acaba indo e, uma vez despido dos preconceitos, passa a curtir a viagem, afinal: “o que acontece em Vegas, fica em Vegas”, inclusive o preconceito!

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Um comentário :

  1. Legal!! Vegas deve ser posta em uma lista futura. Parece ser um passeio temático por vários locais do mundo em um único lugar.
    Vegas + Grand Canyon deve ser uma boa opção?

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui