6 de junho de 2016

Dicas de Orlando: Evitando filas nos parques e outros macetes

Parque cheio? Calma que tem solução!
Orlando e parques de diversões são sinônimo. É difícil achar alguém que vá para a cidade e não visite ao menos um dos muitos parques ali existentes. Mesmo aqueles que já conhecem todos os parques, acabam voltando porque de uma temporada para a outra,  novas atrações são inauguradas.


Confesso que antes de começar a pensar o que escrever sobre os parques imaginei que não teria lá muito o que escrever além de comentar a respeito das atrações. Ledo engado. Qual não foi a minha surpresa ao notar que vistar os parques é algo um pouco mais que simplesmente chegar, bincar e sair.  Aproveitar o máximo dos parques (e sem stress!) é uma ciência.

Lendo as dúvidas e respostas contidas nas FAQ (perguntas frequentes em inglês) é que me dei conta de que existem muitos detalhes que deixam as pessoas em dúvida. Desde o que é permitido ou não levar nos parques, até quais são os diferentes tipos de ingresos.

Existe muito para ser conversado a respeito, e ao longo dos anos, com novas atrações e facilidades, novas dúvidas surgirão. Então, antes de passarmos para as questões que identificamos, deixo aqui o meu convite para que façamos na caixa de comentários um pequeno fórum a respeito, porque a sua dúvida pode ser respondida não só por mim, mas também por outros leitores que talvez tenham muito mais experiência que eu no assunto. Combinado?
King-Kong
E Velozes e Furiosos, duas atrações por vir nos parques da Universal. Quase todo ano tem coisa nova por lá.
Então vamos lá com algumas dicas para vocês curtirem os parques de Orlando ao máximo.

Como comprar ingressos dos parques? Existem vários canais para tanto. Desde comprar com alguma agência de turismo ainda aqui no Brasil, até comprar direto na bilheteria e; como não poderia ser diferente, pela internet ou lá, no seu hotel. De todas as opções, a única que eu não recomendo é comprar na bilheteria, pois dependendo do movimento do parque naquele dia, as filas podem ser grandes.

Se você optar por comprar os ingressos online, só fique atento ao prazo de antecedência, porque alguns parques exigem que a compra seja feita com no mínimo 7 dias de antecedência.

Quanto aos ingressos, todos os parques oferecem os chamados combos. São ingressos que valem para mais de um parque ou para mais de um dia. Estes ingressos são sempre mais vantajosos do que comprar individualmente cada parque. Mais uma vez, estude a sua lista de parques a visitar e faça a compra segundo esta programação.

Recentemente a Disney alterou o esquema de preços dos seus parques. Continuam existindo os ingressos para vários dias, os quais não sofreram alterações, mas os ingressos para um dia de visita (1 Day Ticket) agora seguem um esquema diferente.

Portanto, ao adquirir seus ingressos, a primeira coisa a pensar é quantos dias você pretende ir aos parques. Conforme você vai adicionando parques/dias, o preço por dia vai caindo, o que é uma grande vantagem. Começa-se em US$ 96/89,50 (adulto/criança) para dois dias, e termina em US$ 63/59 (adulto/criança) para 5 dias de parque.
Os ingressos em formato de ticket.
Estes ingressos para vários dias/parques são válidos tanto para dias seguidos quanto não seguidos, ou seja, você que escolhe quais dias e em que sequência utilizar. Apenas fique atento que eles têm validade de apenas 14 (quatorze) dias a contar da sua primeira utilização – esta é a regra geral, mas existem alguns ingressos que não tem data de validade, mas custam mais caro (os No Expiration Date).

Já os ingressos para um dia têm preços variados conforme o dia da visitação e o parque escolhido. Quem visita parques em dias de pico, agora paga um valor maior (repito, isto vale apenas para o 1 Day Ticket para os múltiplos nada muda).

Neste esquema de 1 Day Ticket, os ingressos para o Magic Kingdom são um pouco mais caros que os dos demais parques: Epcot, Hollywood Studios ou Animal Kingdom.

Os preços do 1 Day Ticket variarão conforme os períodos: value (período de baixa), regular (período normal) ou peak (período de pico). A Disney diz que os períodos podem variar de um ano para o outro, então não deixe de conferir no site oficial deles a programação completa.

Para 2016, eles estão considerando como Value o período entre 22/08 e 29/09; Peak: de 18/03/16 a 02/04/16 (Pascoa); de 27/05/16 a 23/07/16 (Memorial Day, Father’s Day, Independence Day e férias escolares); de 20/11/16 a 27/11/16 (Dia de Ação de Graças); de 22/12/16 a 31/12/16 (Natal e Ano Novo); e por fim o Regular que se aplica por exclusão aos demais dias do ano.

Os valores deste novo esquema são os seguintes:

- Value: Magic Kingdom - US$ 111,83 (adulto) / US$ 105,44 (3 a 9 anos), e para o Epcot, Animal Kingdom ou Hollywood Studios - US$ 103,31 (adulto) / US$ 96,92 (3 a 9 anos).

- Regular: Magic Kingdom - US$ 117,15 (adulto) / US$ 110,76 (3 a 9 anos), e Epcot, Animal Kingdom ou Hollywood Studios - US$ 108,63 (adulto) / US$ 102,24 (3 a 9 anos).

- Peak: Magic Kingdom - US$ 132,06 (adulto) / US$ 125,67 (3 a 9 anos), e Epcot, Animal Kingdom ou Hollywood Studios - US$ 121,41 (adulto) / US$ 115,02 (3 a 9 anos).

Se por um acaso você comprar seu ingresso para um dia e quiser mudar para o outro, ou até mesmo mudar de parque, sem problemas, basta ir ao guichê de Guest Relations e trocar o ingresso.

Pode parecer estranho, mas a ideia Disney é justamente tentar uma melhor distribuição do seu público ao longo do ano, especialmente no Magic Kingdom que é o parque mais procurado.

Mas como receber os ingressos? Existem algumas opções. Dá para pegar o ingresso no guichê no portão do parque ou solicitar a remessa normal pelos correios para um endereço nos EUA, ambas sem custo adicional. Já por US$ 15 dá para solicitar uma remessa expressa para um endereço nos EUA; e por fim a remesa dele para a sua casa ao custo de US$ 25.
Para quem tem ingressos impressos, o melhor é retirar na bilheteria.
Alerto apenas que se você quiser retirar no portão é necessário apresentar o número de confirmação de compra, um documento com foto (acho melhor usar o passaporte para não ter problema), e o cartão de crédito utilizado para a compra. Eventualmente pode haver uma pequena fila para retirar o ingresso – sempre menor que a para a compra normal.

Diferemente dos parques da Disney onde o preço na bilheteria é o mesmo que online, nos parques da Universal Studios, quem compra pela internet tem um desconto de US$10. Confira ai o passo a passo:
Acesse o site escolhendo o idioma inglês.
Crie uma conta e clique em shop. 
Clique na opção de ingressos à esquerda, indicado os dias e quantidade de pessoas.
Depois os tipos de ingressos.
Escolha eventuais pacotes adicionais como refeições, por exemplo. 
Revise a sua compra e indique como pretende receber os ingressos. Sugestão: print at home.
E forneça os dados do cartão de crédito, lembrando de dar um endereço dos EUA (use o do hotel!).
Lá os ingressos para um dia custam US$ 102/97, para adultos e crianças entre 3-9 anos respectivamente. Menores de 3 anos não pagam. Se você adicionar mais dias, fica mais barato. Optando por dois dias de parque, o que é muito comum, o ingresso para dois dias sai por US$ 150/140, para adultos e crianças entre 3-9 anos respectivamente, ou seja, cada dia sai US$75/70. É possível comprar ingressos para até 4 dias. Para valores atualizados, consulte o site do parque.

Nesta opção de vários dias, o último ingresso deve ser utilizado em até 14 dias da utilização do primeiro ingresso.

Quanto ao processo de compra na Universal, ao menos para a data da nossa visita aos parques notei uma certa “pegadinha” que entendo ser prejudicial ao público brasileiro. Ao realizar a compra, acessei o site www.universalorlando.com e selecionei idioma português no menu.

Ali notei que as únicas opções disponíveis eram: 2-Park Bonus Ticket e 3-Park Bonus Ticket com 14 dias consecutivos de acesso ilimitado aos parques; 2-Day Park-to-Park Ticket e 3-Day Park-to-Park Ticket, que são aqueles ingressos onde você transita de um parquet para o outro durante um mesmo dia (falo deles mais abaixo); e ingressos Flex que contemplam todos os parques do grupo Universal Studios.

Ou seja, não havia nenhum ingresso simples para apenas 2 dias de parque, que era o que precisávamos. Assim, optei por escolher aquilo que era mais em conta e estava mais próximo daquilo que queríamos (já que o Park-to-Park não interessava). Escolhi o 2-Park Bonus Ticket ao custo de US$214,99 por adulto, que com taxas e etc totaliza para dois adultos US$468,58.
Pelo site da Universal em português, menos opções de ingressos.
E consequentemente apenas os mais caros. 
Achei meio estranho porque o número que tinha em mente era um pouco diferente. Resolvi então clicar inglês no menu. Para a minha surpresa notei que ali a opção de ingressos é bem maior, contendo a opção de 2 parques por um custo menor. E melhor, havia a opção de comprar dois dias de parque e ganhar o terceiro, tudo US$ 149,99 (pois eram dois parques) que totalizando para duas pessoas saiu por US$ 319,48 com taxas.

Então, se você for curtir apenas 2 parques da Universal, fuja do site em português! E mesmo que você vá mais dias, não deixe de olhar o site em inglês que tem mais opções e eventualmente o preço é melhor.

Qual o motivo desta discrepância? Para o público brasileiro a Universal tenta emplacar os ingressos do tipo múltiplo para 14 dias, não abrindo outras opções como o faz no site em inglês. Isto até pode ser vantagem para quem vai aos parques muitos dias, mas é péssimo para quem quer curtir apenas 2 ou 3 dias de parque. Penso que eles deveriam abrir todas as opções ao publico brasileiro de forma mais clara. Fica a dica!

O ingresso propriamente dito pode ser impresso em casa no sistema Print@Home ou retirado nas bilheterias do parque sem custos adicionais. Agora se você quiser receber em um endereço nos EUA, a remessa custa US$ 14; e US$ 19 para fora dos EUA.

Nós optamos por imprimir em casa. Foi super tranquilo, bastou irmos direto para as catracas de entrada onde foi feita uma brevíssima conferência. Super tranquilo.

Não confunda os combos com os Park Hooper. Nos combos você compra ingressos para mais de um parque e visita cada um deles num dia diferente. Já no Park Hooper você visita mais de um parque no mesmo dia.

Compensa comprar um Park Hooper? Eu particularmente acho que fica corrido e considero este tipo de ingresso só vale a pena se você tem pouco tempo disponível no seu itinerário e se os parques estão vazios – porque senão você não irá aproveitar direito nenhum deles!
Main Street no Magic Kingdom.
Eles sempre custam mais caro, para os parques da Disney saem por US$ 50 adicionais e da Universal, os chamados Park to Park custam US$ 147/142 já incluído neste valor o custo dos dois ingressos.

Um adicional comumente vendido é o Meal plan. Para quem não sabe, os parques oferecem pacotes com preços fechados que incluem todas as refeições do dia. Particularmente eu acredito que isto dificilmente compensa. Os valores são sempre altos e te limitam na medida em que você irá necessariamente querer fazer todas as refeições no parque, sentado numa mesa. Preciso dizer que isto toma um tempo que talvez você pudesse gastar nas atrações? Sou da turma que, em situações como esta, belisca qualquer coisa durante o dia e deixa para comer melhor à noite. Mas avalie, de repente para você pode ser um bom negócio.

Que dia ir? O que todo mundo quer ao ir aos parques de Orlando é encontrar um parque relativamente vazio e sem longas filas. Qual a regra para conseguir isso? Olha, se tivesse mágica, eu estaria rico vendendo esta dica (junto com a “como comprar passagem muito barata”). Não tem receita milagrosa.
O que todo mundo quer é fugir das filas.
Mas nos parques de Orlando, a maior parte da fila já fica dentro das atrações e com muita coisa para você já entrar no clima, como nas atrações do Harry Potter.
E às vezes, como na Seven Dwarfs (7 anões) é interativa.
Mas existem sim algumas dicas que podem ajudar você a prever ou ao menos evitar os dias mais lotados e consequentemente pegar filas menores.

A primeira delas é evitar os feriados nacionais dos EUA (como 4 de julho e Dia de Ação de Graças, por exemplo) e épocas críticas como o período entre o Natal e Ano Novo, e outros que são tidos como altíssima temporada – confira o nosso post inicial sobre Orlando. Alguns fizem que ir nos dias em que não haverá show de fogos e de encerramento também ajuda. Mas perder o show pode ser uma pena, especialmente para quem visita pela primeira vez. Vale consultar a programação oficial e atualizada dos parques nos sites próprios.

Dizem também que evitar os finais de semana também ajuda, especialmente no Magic Kingdom.

Outra sugestão, mas só para quem está hospedado fora do complexo da Disney, é evitar os dias em que estão agendadas as chamadas Disney World Extra Magic Hours. Embora falaremos delas mais à diante, são dias em que os parques estão abertos por mais tempo – mas com benefícios apenas para quem está hospedado em um dos hotéis da Disney.

E o mais importanto e óbvio, chegue cedo! Deixe a preguiça de lado e incentive as crianças a levantar cedo para curtir as atrações. Minha sugestão? Chegue uns 30 minutos antes, assim você vai entrando no clima e planejando os últimos detalhes para a visita.
Chegamos cedo ao Universal Studios que estava vazio assim. #Delicia !!!
Tomorrowland do Magic Kingdom vazia? Sim é possível chegando-se cedo!
Pesquisando na internet, topei com dois sites que prometem esquadrinhar os dados dos parques (americano adora estatística!) e lhe fornecer informações de qual é o melhor dia para visitar os parques.

O Easy WDW, que traz informações exclusivamente sobre os parques da Disney, tem um negócio chamado de Crowd Calendar (algo como calendário da multidão) que é publicado mês a mês com as médias históricas e projeções para os meses seguintes. Vale conferir.

Fora isto o Easy WDW traz para as atrações mais concorridas o Wait Time, com o tempo de fila para elas. O sistema é razoavelmente atualizado e ajuda também.

Funcionando no mesmo esquema, porém contemplando também os parques operados pela Universal Studios, há o Undercover Tourist que oferece um Crowd Calendar mais detalhado.
Crowd Calendar: os dias em verde são mais tranquilos, amarelos mais ou menos e vermelhos só vá se não tiver alternativa.
E não se esqueça que o wi-fi do parque é gratuito e serve para mais do que postar fotos nas redes sociais.
A vantagem do Undercover Tourist é que eles têm um app (só para iOS) que dá todas estas informações. Preciso dizer que é um app obrigatório, já que nos parques tem internet wi-fi gratuita?

Se quiser, também há o app oficial da Disney, o My Disney Experience que funciona tanto no Android quanto no IOS e dá informações essenciais sobre os parques e o mais importante... o tempo médio das filas! Já o da Universal com as mesmas funcionalidades está disponível nestes links: iOS e Android.

Na dúvida, veja os dois e cruze os dedos!

E por falar em cruzar os dedos, saibam que às vezes algumas atrações podem estar fechadas para reparos ou reforma. Nós mesmos pegamos duas assim. Paciência... Ao fazer a sua lista de atrações, dê uma olhada nos sites oficiais dos parques para saber quais estão fechadas por algum motivo.

Planeje seu dia! Alguns podem até achar que é preciosismo ou chatice, mas uma coisa que eu sugiro, seja para uma cidade, e ainda mais para um parque de diversões, é que você estude a respeito. Eu imagino que se você está lendo este post, é porque gosta de planejar ou ao menos aprender sobre a sua viagem, certo?

Então, dê uma olhada no site do parque e veja o mapa, avalie quais são as atrações que mais lhe interessam e monte, dentro do possível, um roteiro para o seu dia. Não precisa (e nem dá) para ser algo muito radical com horários e etc. Mas tente estabelecer uma rota lógica com as atrações e eventualmente considerando os horários de shows e etc. lembre-se, os parques são enormes, e ir pingando de uma atração para a outra que está no extremo do parque demora muito.
Mapa na mão, tenha o seu roteiro planejado.
Se possível, tente ver primeiro as atrações que estão no fundo do parque, ou seja, do lado oposto à entrada. Eu sei que pode parecer estranho alguém passar, por exemplo, pelo Castelo da Cinderela e não parar ali para ficar admirando logo de início. Mas pense, se a maioria das pessoas começam a ver as atrações próximas à entrada dos parques, seja por comodidade ou por falta de programação, significa que aquelas situadas no fundo estão mais vazias. O mesmo vale para as atrações sabidamente mais concorrida, vá para elas primeiro. Fiz isto na Space Mountain no Magic Kingdom e literalmente não peguei fila nenhuma!

Só não precisa sair correndo como se fosse estouro de boiada! Civilidade!

Fazendo isso, vocês notarão que o dia renderá muito mais e seu passeio será bem mais tranquilo.

Ao chegar no parque, não se esqueça de pegar um mapa para ter em mãos a lista de atrações e outras informações essenciais.

Repito aqui a dica acima, utilize sites como o Easy WDW para saber quais as atrações com maiores filas para o dia da sua visita através do Wait Time publicado por eles.
Na entrada dos brinquedos sempre tem uma indicação do tempo das filas.
Como eles medem? Na Disney eles dão este cartão para algumas pessoas na fila assim que elas entram, e recolhem quando chegam no brinquedo.
Nos parques da Universal, além dos placares nas atrações totens espalhados pelos parques informam o tempo médio.
Mas que horas os parques abrem e fecham? Antes de falarmos dos horários, é importante saber que os parques funcionam todos os dias. O que irá variar é o horário de abertura e fechamento dos portões, que variam ao longo do ano, conforme vários fatores, que vão desde estações do ano, até datas festivas. Para uma informação precisa a respeito do horário de funcionamento dos parques da Disney favor consultar este link que fornece com 180 dias de antecedência todas as regras. Para os parques da Universal, considere que eles abrem diariamente às 9h00 e o horário que fecha varia muito, indo de 19h00 até 22h00, portanto confira o horário oficial neste link.

Para os parques da Disney, vale uma consideração especial quanto às chamadas Disney World Extra Magic Hours. Ao longo do ano, segundo o calendário previamente liberado neste link, os parques abrem uma hora mais cedo (Morning Extra Magic Hours) e fecham duas horas mais tarde (Evening Extra Magic Hours) para aqueles visitantes que estão hospedados em hotéis do complexo Disney.

Os parques da Universal Studios também tem uma distinção que aqueles que ficam nos hotéis da Universal pois eles conseguem entrar nas atrações do Harry Potter uma hora mais cedo. Confira os dealhes aqui.

Vocês devem estar se perguntando como funciona isto na prática. Na entrada a questão é muito simples: quem apresenta o comprovante de estadia nestes hotéis e o ingresso entra antes. Já para as horas extras no final do dia, as atrações são fechadas apenas para quem apresenta a comprovação de que está num hotel do complexo. Se você não está hospedado em um destes hotéis, não poderá ir nos brinquedos, mas poderá passear pelo parque normalmente.

Passes Rápidos. Conhecidos pelos nomes genéricos de Express Pass, FastPass, ou seja lá o que for, no geral, sempre achei um absurdo este tipo de benefício. Você já paga um preço alto pelos ingressos dos parques e ainda é cobrado um adicional para ter um tratamento meio que VIP.

Enifm, nunca gostei deste tipo de procedimento, até conhecer o sistema utilizado pela Disney. O FastPass+ é, dos sistemas de passes expressos, o mais justo.
FastPass+ o sistema mais justo. Deu a hora é só ir para uma fila super rápida.
A grande vantagem é que você não paga nada a mais para utilizá-lo. A única desvantagem é que você tem que programar minimamente o que e quando fazer para que o sistema seja realmente útil (fazendo a sua lição de casa ele é excelente!). Mas ainda assim, acho que é o melhor e mais justo esquema.

Com ele você consegue antecipadamente reservar vaga em uma determinada atração ou show. Dá até para reservar um lugar legal nas paradas sem ter que chegar horas antes.

Você tem uma janela de 1 hora para usufruir do seu FastPass+, portanto não é um horário britânico, mas sim um período. Chegada a hora, basta você ir até a atração, encostar o seu ingresso ou a sua magic band no totem e pegar uma fila bem menor que a comum.

Mas quando eu faço este agendamento? O momento para faze-lo depende de como você vai comprar seus ingressos: quem está hospedado em um hotel dentro da Disney pode fazer este agendamento com 60 dias de antecedência; quem compra os ingressos online e fica em outros hotéis tem prazo de 30 dias; e quem compra na hora os ingressos deverá ir a um dos quiosques do FastPass+ e fazer o agendamento no dia.

Preciso dizer que destas opções agendar na hora é uma opção menos vantajosa? Mais um motivo para você comprar antes o seu ingresso.
Utilize o app da Disney para gerenciar facilmente os seus FastPass+.
Para o agendamento prévio é necessário cadastrar-se no serviço My Disney Experience, informando o número do seu ingresso – quem compra direto o ingresso pelo site da Disney, necessariamente já está cadastrado no sistema e pode pular este cadastramento de ingresso. Aliás se você for comprar seu ingresso direto no parque, pode já deixar o cadastro preenchido e fazer o agendamento direto do seu celular utilizando a rede wi-fi do parque.

Quem viaja em grupo/família pode linkar o seu cadastro com os demais integrantes do grupo. Procure por “Family & Friends”. Pelo app também dá para cancelar ou trocar o FastPass+.

Aliás o My Disney Experience é mais que um aplicativo gratuito para gerenciar os FastPass+. Com ele você pode ver todos os detalhes de uma atração como descrição, altura mínima, e principalmente o tempo médio das filas que é atualizado via wi-fi do parque. Então não deixe de instalar este app no seu celular/tablet. Percebeu como ele é importante? Confira ai o passo a passo:
Crie uma conta.
Informe se estará ou não hospedado em um dos hotéis da Disney.
Adicione quem irá viajar com você.
Cadastre o ingresso utilizando o código fornecido no verso dele ou durante o processo de compra.
Selecione a opção agendar FastPass+.
Escolha o parque e dia.
Navegue pelas atrações e escolha em quais quer usar seus 3 FastPass+ iniciais.
O sistema lhe dá algumas opções de horários conforme as atrações que você selecionou, mas dá para mudar.
Pronto, tudo feito.
Se preciso, você pode fazer alterações.
A quantidade de FastPass+ concedidos ao dia é limitada, então dependendo da época do ano em que você visitar o parque pode ser essencial fazer uma programação prévia.

Note também que a quantidade de FastPass+ que você pode pegar é limitada, portanto dê prioridade para utilizar o sistema nas atrações mais concorridas e aquelas que você tem como prioridade. Lembram-se que falei do planejamento?

De cara, você pode pegar 3 FastPass+. Uma vez utilizados, você pode pegar mais um.  – mas este último só pode ser agendado em um dos quiosques existentes no parque.
O quarto FastPass+ precisa ser feito em um quiosque como este.
Não queime seus FastPass+. Se você marcou um para determinada atração, chegou lá e viu que a fila está pequena, não utilize ele. Faça o reagendamento para outra atração. No geral, não compensa utilizar um FastPass+ se a fila é inferior à 20 ou 30 minutos. Nas atrações sempre há uma placa indicando o tempo da fila naquele momento, e a indicação tende a ser precisa.

Para quando agendar seu FastPass+? Se você pretender chegar cedo (o que recomendo fortemente mais uma vez!!!), não marque nenhum FastPass+ para antes das 10h00, porque o parque estará mais vazio e você literalmente “queimará cartucho”. Deixe-os para o período da tarde e noite.

Mas quais são as atrações mais concorridas e nas quais realmente vale a pena utilizar o FastPass+? Não há regra, mas o consenso é de que as novas atrações ou aquelas muito clássicas, ou montanhas russas são as melhores para utilizar.

A turma do Viaje na Viagem dá algumas sugestões:

  • No Magic Kingdom: Seven Dwarfs Mine Train, Space/Splash/Thunder Mountain, Peter Pan’s Flight e o encontro com Anna e Elsa
  • No Epcot: Soarin’, Test Track e Mission Space
  • No Hollywood Studios: Toy Story Midway Mania!, Star Tours, The Twilight Zone Tower of Terror e Rock’n’ Roller Coaster
  • No Animal Kingdom: Kali River Rapids, Expedition Everest e Kilimanjaro Safari.

Durante a nossa visita ao Magic Kingdom, utilizei os Fast Pass+ nas seguintes atrações e sequência: Big Thunder Mountain Railroad; Splash Mountain; e Seven Dwarfs Mine Train. E utilizados estes 3, peguei mais um para a sessão de fotos com o Mickey no final do dia.

Não usei na Space Mountain porque foi a primeira atração que vimos logo cedo quando chegamos ao parque e estava vazia.

Olhando as filas no Magic Kingdom penso que a lista do Viaje na Viagem seja de fato adequada. Uma única dica é: se você estiver com meninas pequenas, as princesas são obrigatórias, e como as filas são enormes, já queime um dos FastPass+ ai.
Visitando o Magic Kingdom com meninas? O encontro com as princesas é o lugar para gastar um dos seus Fast Pass+
Muita gente questiona se para utilizar as facilidades do Fast Pass+ é preciso ter a chamada Magic Band. Não! Por mais que a pulseira Magic Band seja sim um facilitador, conectando tudo quanto é utilizado no parque, das escolhas do Fast Pass+ às compras, ou seja você não precisará sequer de dinheiro no parque. Ela funcionará até mesmo como chave do quarto para quem fica nos hotéis do complexo Disney.
Magic Band, legal mas não essencial.
Com elas, para utilizar os seus Fast Pass+ basta encostar ela no totem na entrada da atração.
A Magic Band é gratuita e obrigatória para quem fica nos hotéis do complexo Disney, porque como dito, será a chave do seu quarto. Já para quem não está hospedado nos hotéis, ela é absolutamente opcional, e tem um custo extra de US$ 12,95, mais impostos.

Como para acessar a fila do FastPass+ você precisa encostar seu ingresso no totem, e portanto você precisará tira-lo do bolso / mochila algumas vezes, muita gente recomenda duas coisas: tirar uma foto do verso dele, pois ali estão as informações necessárias para os funcionários da Disney façam a reposição dele; e comprar um daqueles porta-crachá para pendurar o ingresso.

Já nos parques da Univesal Studios, o fura fila oficial tem um custo adicional e funciona da seguinte forma:

Escolhido o tipo de ingresso no site da Universal, a próxima página lhe abre a opção de adicionar este upgrade por assim dizer. Você pode escolher entre duas opções: o Universal Express ou o Universal Express Unlimited.

A diferença entre eles é que no primeiro pode ser utilizado apenas uma vez em cada atração, enquanto que o segundo, pode ser utilizado ilimitadas vezes em uma mesma atração.

O custo de ambos depende do dia e época do ano, mas o valor médio é de US$ 34,99 para o Universal Express e US$ 49,99 para o Unlimited. Particularmente acho um absurdo cobrarem no mínimo metade do preço do ingresso por um express pass.
Nas filas da Universal, em geral, vocês verão uma entrada para a fila comum, outra para os passes expressos e outra para os single riders.
Muita gente defende que como as filas nos parques da Universal, normalmente, não são tão grandes, não valeria a pena comprar um passe rápido. Mas como isso é relativo, e depende e muito do dia da sua visita, uma dica é comprar o seu ingresso normal, e dependendo do movimento do dia, lá você compra o seu passe rápido em algum dos quiosques espalhados pelos parques.

Outra desvantagem é que como ele varia conforme o dia da semana, você já precisa definir a data da sua visita, o que engessa bastante qualquer programação.

Os passes são válidos todas as atrações do Universal Studios Florida e do Universal's Islands of Adventure, exceto para: Harry Potter and the Forbidden Journey; Harry Potter and the Escape from Gringotts; Hogwarts Express; Pteranodon Flyers; Kang & Kodos' Twirl 'n' Hurl; Fievels Playland.

Outra forma de minimizar o tempo gasto nas filas é o esquema de Single Rider. Se você está sozinho ou não se importa de curtir o brinquedo sem os demais integrantes do seu grupo, basta ir à fila dos single riders, que são sempre menores.
Single Riders: grande sacada para a fila andar rápido e tudo funcionar com a máxima ocupação.
Elas não estão disponíveis em todos os brinquedos, mas como a maioria delas tem aproveite! Em geral a fila do single rider compensa se o tempo de espera da fila normal for superior a 15 minutos. Utilizei e muito as filas Single Rider e economizei muito tempo de espera nas atrações.

Nos parques da Disney, este esquema é restrito à algumas atrações (Test Track; Expedition Everest; Rock ‘n’ Roller coaster), ao que me lembre não tem no Magic Kingdom.

Já nos parques da Universal Studios ela é bem comum: Hollywood Rip Ride Rockit, Revenge of the Mummy, Harry Potter and the Scape from Grigotts, Transformers, Men in Black; The Amazing Adventures of Spider-Man, Dr. Doom's Fear Fall, Dudley Do-Right's Ripsaw Falls, Jurassic park, Incredible Hulk e Harry Potter and the Forbidden Journey. Ou seja, as principais!

Para quem estiver com crianças pequenas ainda tem o Child Swap ou Rider Switch que detalharemos no próximo post.

O que pode e não pode levar? Esta é outra dúvida recorrente. O bacana é que as regras são bem simples e sensatas.

No que se refere à comida, nada de frascos de vidro (exceto comida de bebê) e não pode nenhuma bebida alcoolica. As regras da Disney estão neste link. As Universal, que são praticamente as mesmas, estão aqui.
Vá a um supermercado local.
E tenha sempre guloseimas para beliscar durante o dia. Hmmmmm.
E não deixe de ter uma garrafa de água à mão.
Salgadinhos, sauduiches, chocolates e garrafas de plástico? Tudo liberado. Vá aos (maravilhosos!) supermercados locais e compre guloseimas para o dia, afinal nada como comer umas boas tranqueiras para matar o tempo nas filas!

Aliás, leve apenas uma garrafa de água para ser reabastecida durante o dia nos bebedouros. Se você está achando bobagem, faça as contas... Uma família de 4 pessoas, tomando 4 garrafas ao dia cada um, ao custo médio de US$3/4 (sim, este é o preço delas dentro dos parques), irá gastar só de água uns R$ 64.

Por questões de segurança, objetos pontiagudos ou facas, mesmo que para cortar frutas são proibidas – se precisar, leve as frutas descascadas e picadas.

Pequenas bolsas térmicas (não rígidas) são permitidas.

Já adianto que algo que é terminantemente proibido nos parques da Disney são os chamados paus-de-selfie. Recentemente, supostamente por questões de segurança, eles foram banidos dos parques da Disney. Eu particularmente acredito que a motivação tenha sido outra. Bem pelo sim, ou pelo não; goste você ou não deles, deixe o seu no hotel.

Para quem ama tirar fotos, especialmente dos fogos, tripés são mais que úteis, são essenciais. Nesta linha a Disney permite que tais sejam levados, contanto que caibam numa mochila comum.

Mochila pode? Não só pode como recomendo. Você vai passar o dia inteiro no parque e ter algo para levar uma blusa para os dias mais frios (ou até uma troca de roupa para as crianças por causa dos brinquedos que molham), capa de chuva, óculos, protetor solar, máquina fotográfica e tantos outros itens, ela é essencial.

Normalmente é possível levar a mochila contigo nos brinquedos. Naqueles onde isto não for possível, eles fornecem armários para você guardar. Não faça como nós no Six Flags da Califórnia!!!
Nos parques da Universal os guarda-volumes são gratuitos, e obrigatórios em alguns brinquedos.
E o que seria essencial levar? Como já dito antes, uma garrafa de água para ser reabastecida durante o dia nos bebedouros dos parques é um primeiro item.

Tendo em mente que você irá caminhar muito nos parques, vá com um tênis confortável. Muita gente compra um tênis novo lá e já sai usando nos parques. Se ele for realmente confortável, ótimo. Senão, você terá que passar o dia inteiro com o pé doendo. Na dúvida e se possível, vá com um tênis que seu pé já “conhece”.

A previsão do tempo nos EUA está longe de ser um achismo, então se houver uma mínima chance de chuvas, compre uma capa de chuva em algum lugar. Nos parques eles até vendem, mas costuma ser caro. Outra vantagem é que você pode utilizá-la mesmo nos dias de sol nos brinquedos que molha.
Capa na Universal: US$10.
Já no Walmart: menos de US$4.
E elas são úteis mesmo nos dias sem chuva. Ainda tem dúvidas que alguns brinquedos molham?
Resultado! A jaqueta é a prova de água, mas a calça...
Guarda-chuvas? Tem sim sua utilidade, mas por outro lado você ficará trombando em todo mundo. Prefira as capas.

Todos os parques têm estacionamentos próprios, e não adianta querer parar fora deles porque tudo é absurdamente longe. Exceto para quem estiver hospedado dentro dos parques, onde o transporte até a bilheteria / portão de entrada está incluído, alguns hotéis oferecem serviço de shuttle até os parques – informe-se se o seu hotel tem isso.

O valor é salgado para os padrões brasileiros. Só para dar um exemplo, atualmente os parques da Disney cobravam US$20 por dia e os da Universal idem. A vantagem é que você pode entrar e sair do estacionamento quantas vezes quiser durante o dia.
Ônibus até é uma opção, mas nem de longe é a melhor.
Tire uma foto da placa do seu carro.
Ah, um detalhe importante. Como os estacionamentos são enormes, não deixe de memorizar o setor e fileira onde você estacionou (normalmente são nomes de personagens). Adicionalmente, tire uma foto da placa do carro para que você tenha como pedir ajuda aos funcionários do parque se você não lembrar onde parou. Mas se nada disso funcionar, deixo uma dica meio tosca e que ninguém admite fazer... dispare o alarme do seu carro e vá pelo ouvido! Kkkkk

Souvenires nos parques. Algo comum em todos os parques e principalmente nas atrações mais legais é a existência de uma loja imediatamente após a saída das atrações. Sempre achei estas lojinhas a melhor sacada de marketing que existe. Pense comigo, você acabou de sair de uma atração super legal, está para lá de empolgado e cai direto numa loja cheia de itens fofos e bacanas ligados a ela. Comprar é quase que automático. É como vender água gelada no deserto.

E não pensem que apenas crianças ficam doidas não. Adultos (me incluo fácil) também não conseguem resistir pois existe muita coisa realmente legal e de qualidade ali.
Fala se não é uma perdição???
A minha perdição são os pins!!!
Ok, e mais algumas coisas...
Crianças e adultos não resistem!
Resistir às compras é difícil, com crianças então... Sugestão. Se você tiver um orçamento mais limitado (e quem não???), faça um combinado com a criança e estabeleça limites que sejam adequados à família (não adianta comprar um Dumbo que não caiba na mala!!!).

No caso dos itens da Disney, dizem que os melhores preços estão nas lojas deles dentro dos Outlets da rede Premium: o Premium Vineland e o Premium da International Drive; ou até mesmo em alguns supermercados (tem unidades do Wallmart com seções da marca). Mas por outro lado, alguns itens mais exclusivos só dentro do parque mesmo. Compramos alguns nas lojas do Florida Mall que estavam muito mais em conta que qualquer outro lugar.
Na loja da Disney do Florida Mall tem muita coisa, muita mesmo.
E promoções como compre um e leve outro por US$1.
Mas se você não resistiu à oferta de badulaques legais e não quer ficar carregando tudo pelo parque, eles oferecem um serviço de guarda de compras, e nos parques da Disney, se você estiver hospedado num doss hotéis do complexo, pode pedir para entregarem tudo no seu quarto. Eles facilitam ao máximo para você comprar!!!

Mas estas dicas funcionam?

Só para dar uma idea do que é possível fazer com um bom planejamento e seguindo estas regrinhas, nós conseguimos em um único dia de Magic Kingdom curtir mais de 20 atrações do parque.

E nos parques da Universal Studios, tivemos tempo para liquidar todas as principais atrações e ir mais de uma vez em algumas. Nas atrações do Harry Potter a Sra. Cumbicona chegou a ir “só” 3 (TRES) vezes!!!

Detalhe: lembrem-se que estávamos com uma criança pequena, que não tem como ir em todas as atrações, o que demandou muitas vezes um revezamento nas filas e atrações.

E não foi corrido não!

Ah, e por fim, a mais importante de todas as dicas. Lembrando ou não de tudo acima, não se esqueça do mais importante: DIVIRTA-SE, E MUITO!!!

* O Cumbicão visitou o Magic Kingdom a convite da Walt Disney World mediante uma parceria estabelecida com o operador local para coletar material para este post. Todas as opiniões e relatos aqui descritos refletem fielmente a experiência, atendendo à política do blog.

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui