1 de junho de 2016

Flight Review: Como é voar com a Azul para a Flórida

Azul, excelente opção para os EUA.
Depois de tantas empresas aéreas estrangeiras, chegou a vez de avaliarmos uma nacional: a Azul. Mas por que demorou tanto? Ou: Você só avalia empresas estrangeiras? Estas são algumas perguntas que às vezes ouço.

Não, não sou antipatriota não. Acontece que sempre que a gente viaja, o preço das passagens das empresas estrangeiras é melhor que o das nacionais. Uma pena, porque adorariamos viajar bem e barato com uma aérea nacional.

Meio que lendo os meus pedidos, quando das nossas buscas para a viagem para a Riviera Maia (breve aqui no blog) e Orlando, apareceu uma passagem da Azul de Viracopos para Fort Lauderdale com um preço irresistível. Não dava para não aproveitar!

Foi a minha primeira experiência com a Azul, e fiquei bem impressionado.

Como já mencionei antes no review da American Airlines, poucas rotas têm tantas opções de empresas, horários e itinerários quanto a rota Brasil-Flórida. Das 3 empresas brasileiras, 2 mantém voos frequentes para lá (Azul e TAM – a GOL só opera hoje em codeshare com a Delta). As grandes americanas: United, Delta, e American Airlines têm voos frequentes ligando várias capitais brasileiras à terra do Mickey. Fora as latino americanas que, com conexão, também são opção.

A compra dos bilhetes foi feita direto no site da empresa, que é bastante intuitivo. Minutos depois da realização da compra já estava com os bilhetes no e-mail.

Durante o processo de compra, só fiquei assustado com o fato de que recebi apenas os dois bilhetes cheios. A passagem do Cumbiquinho não veio e no descritivo da compra não aparecia nenhuma menção à passagem de infante (menor de 2 anos que paga um pequeno percentual para viajar no colo dos pais). Achei que havia algum erro no sistema e liguei no atendimento deles (excelente por sinal) e me informaram que o valor estava cobrado como “serviços” no demonstrativo e que o embarque seria realizado sem maiores problemas. Dito e feito, foi assim mesmo, tudo tranquilo.

Mas e os preços? Como a variação dos preços nesta rota (Brasil - Estados Unidos) é grande e existem muitas promoções ao longo do ano, fazer qualquer comentário neste ponto é inútil. Mas saibam que foi muito, mas muito mais em conta do que voar de Guarulhos para a Flórida com a TAM, por exemplo. Pelo preço de 2 passagens e mais a do infante na TAM, eu compraria umas 3 de adulto na Azul.

Ah, e por conta da quantidade de promoções que existem nesta rota, seja com a Azul ou com as demais empresas, sugiro que você adicione o site Melhores Destinos aos seus favoritos porque toda semana aparece uma promoção para os Estados Unidos ali.

Imagino que alguns de vocês talvez estejam torcendo o nariz ao imaginar ter que ir até o aeroporto de Viracopos em Campinas – salvo a turma do interior de São Paulo – mas este deslocamento tem a vantagem do preço da passagem ser bem menor como dito acima, e você ter um aeroporto menos congestionado.
Viracopos, um legado da Copa sub utilizado.
Numa sexta feira de janeiro, só dois voos no terminal internacional.
Lá dentro, uma grande loja do Duty Free e mais nada de loja. 
Tudo novo e vazio.
Poltronas novas e super confortáveis.
Sobram tomadas.
Na sala de embarque, apenas uma opção para refeições.
Talvez até deserto demais. Ampliado como “legado para a Copa do Mundo”, passados quase 2 anos do evento, Viracopos ainda pareceu um pouco inacabado. Nada que afete o atendimento ou a funcionalidade do aeroporto, já que as instalações essenciais estão presentes.

E se vocês quiserem uma sugestão de como chegar lá, não vá de táxi porque custa uma pequena fortuna. Vá de carro e deixe seu carro no Garage Inn CEV, um excelente estacionamento no aeroporto de Viracopos.

O programa de milhagens da Azul, o Tudo Azul, a exemplo dos programas de outras companhias nacionais tem a vantagem de permitir a transferência dos pontos vindos dos cartões de crédito dos principais bancos, o que é excelente para quem gosta de acumular milhas.

O ponto negativo é que a Azul não faz parte de nenhum grupo tipo Star Aliance ou One World, o que é sempre interessante para quem procura mais opções tanto para acumular como para gastar as milhas. Neste contexto, os passageiros da Azul tem duas opções para lançar seus pontos fora dela: no programa de milhagens da United ou na portuguesa TAP, como recentemente anunciado - confesso que achei esta última opção excelente.

Não sei se foi o fato do movimento em Viracopos ser bem menor, ou a simpatia do pessoal de solo, ou ambos os fatores, mas o check-in aqui no Brasil foi super tranquilo. Com um atendimento bastante cordial e aquelas perguntas de praxe que todas as empresas aéreas para os EUA fazem, o procedimento todo não demorou mais que 15 minutos.
Check-in super tranquilo.
Para franquia de bagagem, embora o site oficial da Azul fale em 23kg (ou mais, dependendo da sua categoria no Tudo Azul), para os EUA, os limites são os mesmos que as demais empresas que operam a rota: 2 volumes de 32 kg na econômica para bagagem despachada. O bacana é que mesmo não pagando passagem integral, crianças com menos de 2 anos de idade viajando no colo têm direito à 1 volume de 23 quilos de bagagem – ponto para a Azul!

A bagagem de mão segue o padrão dos 115 cm (ou máximo de 56 cm comprimento x 36 cm largura x 23 cm altura). Mas e o peso? Eles não deixam claro no site, mas na reserva vem expresso: 5kg – o que é bem inferior às demais empresas que testamos recentemente.

Adicionalmente você tem direito a um item pessoal como casaco; livro; e etc.

No voo de ida foi possível levar o carrinho de bebê até o portão de embarque; já na volta, mesmo tendo seguido o mesmo procedimento, infelizmente o carrinho veio na esteira de volumes grandes, o que é muito ruim já que não raras vezes, e foi o nosso caso, esta foi uma das últimas bagagens a chegar depois de mais de 30 minutos de espera. Acho que vale um pouco mais de atenção da Azul e da administração de Viracopos a este ponto afinal crianças de colo (assim como idosos) têm preferência por lei.
Junto ao portão de embarque, um espaço kids.
Será que foi aprovado???
A aeronave utilizada nestes voos é um Airbus A330-200. Antes de viajar, li alguns relatos dando conta de que elas seriam aeronaves adquiridas da Emirates e reformadas (muito mal, segundo alguns) para atender ao mercado brasileiro.

Olhando bem a aeronave não encontrei nenhum sinal de que a aeronave tenha vindo de outra empresa (o que não é demérito nenhum!), muito menos de que tenha sido mal reformada. Devem ser relatos mais antigos.

O interior, todo em branco e azul – é claro! – é bastante agradável e tinha um aspecto muito novo. Destaque para a iluminação azulada no teto da aeronave. Segundo alguns ele auxiliaria a relaxar os passageiros.

Com uma inclinação padrão, as poltronas têm um tamanho adequado e um nível de conforto razoável.

Nesta viagem tive a oportunidade de testar tanto a econômica comum (na volta), quanto a econômica plus (na ida). A diferença entre elas está realmente no espaço entre as poltronas que é um pouco maior no caso do Espaço Azul – nome dado à econômica plus da Azul – e ao fato de que nesta há uma pequena nécessaire com tapa olhos, plugs de ouvidos e fones de ouvido.
Metade da econômica é tomada pelo espaço azul e metade pela comum, sempre no esquema 2-4-2.
A distância entre as poltronas no Espaço Azul pode até não parecer lá grande vantagem para algumas pessoas, mas quem como eu passa dos 1,80m sabe que cada cm a mais para os joelhos é uma benção.

Nas fotos a diferença de espaço fica evidente:
Espaço Azul, onde as poltronas são... brancas e o espaço é maior.
Nada de joelho batendo na poltrona da frente.
E a econômica normal...
Deu para notar a diferença???
São ao todo 100 assentos no Espaço Azul e 151 na Econômica.

Todos os demais itens como refeição e entretenimento são iguais para as duas subdivisões da classe econômica.

Claro que isto tem um preço. Para a data da viagem, foram US$ 40 a mais.

A configuração interna das poltronas na econômica era 2-4-2.

Um destaque positivo na experiência com a Azul foi o sistema de entretenimento a bordo. A começar pela existência de tomadas embaixo das poltronas e portas USB junto às telas, o sistema é digno de grandes empresas estrangeiras, deixando para trás as concorrentes nacionais.
Tomadas embaixo da poltrona.
E USB embaixo da tela.
A tela ampla e de excelente resolução oferece uma boa variedade de filmes. Como fiquei entretido com um filme, me esqueci de testar se o sistema de TV da Sky estava funcionando. Este sistema é bem comum nos voos nacionais da azul e oferece uma gama enorme de canais desta operadora de TV a cabo.
Boas opções de filmes.
Santa Pepa!!!
O tempo de voo entre Viracopos e Fort Lauderdale é de 8h20 na ida e umas 8h10 na volta, sendo a ida em voo noturno e a volta em voo diurno.

O serviço de bordo da Azul foi muito bom. Atendentes muito prestativos e cordiais. Também tinha receios neste ponto, já que alguns reviews anteriores que havia lido davam conta de que a tripulação parecia meio perdida. Mais uma vez fica claro que ou foi algo pontual ou a Azul acertou o passo.
Kit amenidades do Espaço Azul.
O único senão quanto ao serviço de bordo e conforto foi o ar-condicionado. Eu não gosto muito de ar-condicionado, mas quem lê os reviews aqui publicados já notou que este é um item que eu jamais reclamo, mesmo diante de algum desconforto. Ocorre que no voo da ida, a cabine mais parecia um frigorífico de tão gelada. E olha que sempre viajo com uma jaqueta leve e não recuso o cobertor – aliás o da Azul é excelente! Fica a dica para a Azul: pegar leve no ar-condicionado para não resfriar muito nem secar demais o ar na cabine.

No quesito refeição, embora fique um pouco abaixo de outras empresas que testamos, a Azul não faz feio não. Nos voos que tivemos foram servidas duas refeições: jantar e café da manhã na ida, já que o voo foi noturno; e café da manhã e almoço na volta no voo diurno.
Jantar.
Refeição kids.
Café da manhã.
Almoço.
As refeições tinham um bom tamanho (apenas o pãozinho poderia ser um pouco maior) e eram bem saborosas. Se não fosse pelos talheres de plástico, até daria para esquecer que estávamos em um avião.

Por mais que a Azul tente ter uma postura mais atual ao fornecer um menu logo que o serviço de bordo começa, ele pouco informa. Ele apenas diz quais serão as refeições à bordo, sem apresentar quais são as duas opções de prato presentes. Acho que não custa muito informar!
Infelizmente o menu não diz muito.
Diversamente de outras empresas que operam esta rota, como é o caso da American Airlines, a Azul oferece sem custos adicionais a opção de refeição para bebês / crianças dentro daquelas existentes para quem tem restrições alimentares. Se possível, peça assim que escolher seu assento, ou seja, no momento da compra da passagem.

Desta vez, como o Cumbiquinho já estava muito maior do que o berço de bordo comporta, não fazia sentido solicitar esta facilidade. Mas creio que eles forneçam sim, já que é algo padrão em qualquer empresa.

No quesito pontualidade, a Azul não decepcionou. Tanto na ida quanto na volta os horários foram cumpridos.

Espero que este padrão de qualidade da Azul tenha vindo para ficar e que eles não se percam como outras nacionais se perderam.

E você já voou com a Azul? Como foi? Deixe seu comentário abaixo.

Gostou? Quer voar Azul, compre sua passagem no link abaixo:

Banner 300x250

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

8 comentários :

  1. Adoro suas resenhas. São sempre muito honestas. Parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado. O objetivo é ser realista e fiel.

      Excluir
  2. Parabéns pelo Flight Report da Azul. Apesar das aeronaves Airbus A330-200 terem vindo de outras companhias aéreas, elas estão sendo gradativamente reconfiguradas com o padrão da Azul Linhas Aéreas o que garante mais conforto aos clientes da empresa.
    Vale ressaltar que esta aeronave da foto o Airbus A330-243 matrícula PR-AIY (MSN365) batizado como: "Don´t worry be Azul" foi repassada para a TAP Portugal onde está voando com a matrícula CS-TOS
    Abraço a todos!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SBGR SPOTTING obrigado pelo comentário. Nada como especialista em aviação para saber todos os detalhes!

      Excluir
  3. Adorei seu relato!!!!

    Fui comissária de vôo 13 anos, a empresa que eu trabalhava tinha esse modelo de Airbus... realmente na grande maioria das vezes ele é congelante! Nós sempre deixavamos a temperatura em 23°C mas ele não obedece... quanto mais atrás, mais frio... Mas é um avião maravilhoso, seguro... as luzes de diferentes cores fazem parte de um programa de comoterapia, existem várias funções, relaxamento para dormir em tons de azul e lilás, laranja suave para o despertar... a Azul acertou muito em operar esse avião
    Vou viajar com meus filhos gêmeos e ver a Peppa me deu um alívio rs

    Abraços e muitas viagens para vocês

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado pelo comentário, especialmente vindo de quem conhece o outro lado da operação como você. Divirtam-se muito na viagem!!!

      Excluir
  4. Excelente relato. Vou viajar com a Azul para Ft. Lauderdale e estava louco atrás de um relato que fosse mais "profissional" e finalmente achei.

    Sobre o interior das aeronaves, esse foi um grande erro dá Azul. Ela recebeu esses A330 da empresa a qual "alugou em regime leasing" os modernos A350 até que eles cheguem para a frota, o que só devem acontecer neste ano (já há informações de que ela pode estar desistindo dessa compra para ficar só com os A330 emprestados) e como não podia deixar de ser para aviões emprestados, ela só recebeu aeronaves muito velhas e antiquadas, com quase 15 anos de uso. Imediatamente após recebê-los, a Azul fez uma reforma básica necessária para coloca-los para voar (pintou as aeronaves com suas cores, mudou alguns escritos de árabe para português e reparou do jeito que deu alguns pequenos danos) e enquanto isso, um a um, os aviões foram sendo estacionados para receber "a reforma" e ficar como este avião que você voou. O problema é que por muitos meses seguidos ao lançamento dos voos internacionais, a empresa fez diversas promoções enquanto voava, em sua maioria, com os aviões com interior velho. Os relatos que existe na internet, são em sua maioria, obviamente, dessa fase de adaptação, pois foi quando a empresa lançou a rota e fez diversas promoções.

    O que vale dizer é que hoje, 100% das aeronaves estão reformadas, com sistema de entretenimento de borboleta excelente é que funciona, duas classes e meia de serviços (a Premium é meia) e poltronas de couro e com encosto de cabeça e tomadas na economica. bem diferente daqueles primeiros "sucatões".

    Um abraço.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui