22 de agosto de 2016

Dicas de Orlando - Magic Kingdom: Have a Magical Day!!!

Magia pura!!!
Where dreams come true! Nunca um slogan fez tanto sentido quanto no caso do Magic Kingdom, o mais tradicional parque da Disney em Orlando. Sou meio emotivo com algumas coisas e este parque me traz algumas boas lembranças de infância / adolescência. E por mais que eu confiasse no potencial de encantar da Disney, achei graça quando um senhor bem acima dos seus 60 anos, recepcionista do estacionamento, me desejou um simpático: have a magicai day (tenha um dia mágico). Mal sabia eu que isto faria sentido a cada segundo daquele dia.


Posso dizer que com a Disney, tinha o mesmo “trauma” de infância que tinha com o Japão. Como já contei antes, quando tinha mais ou menos a idade que o Cumbiquinho tinha na data desta viagem, fomos todos morar por 6 meses no Japão por causa do trabalho do meu pai.

Na volta de lá para o Brasil, meus pais resolveram voltar pingando em alguns lugares: Havaí, Los Angeles e Boston. Aproveitaram então para visitar a Disneyland (sim aquela de Anaheim-California – só lembrando que a de Orlando chama-se Walt Disney World). Resultado: conheci o Mickey quando era criança e não lembro de nada!

Enfim, cresci vendo um monte de fotos daquele passeio sem lembrar de nada! Fui para a Disney e não fui! Enfim, só lá pela metade dos anos 90, com a festa do real 1:1 com o dólar, voltei para (re)conhecer o Mickey. Foi sim fantástico, mas não tenho dúvidas de que para uma criança, a coisa tem outra magia.

Ixii... acho que vou ter que voltar daqui um tempo com o Cumbiquinho!!! Aliás, olhando a cara dele entendo o que meus pais sentiram ao me ver num parque da Disney décadas atrás! Não tem preço, como diz aquela propaganda.
Até a Sra. Cumbicona que era avessa à parques, rendeu-se logo de cara ao encanto da Disney.
Dá para resistir???
Muito provavelmente, muitos de vocês que leem este post devem ter seus trinta e poucos anos, e sabem que nas nossas infâncias, não era nada comum viajar para lá. Outros tempos. Alguns ainda tiveram a sorte de viajar para Orlando quando adolescentes, outros só mesmo na vida adulta. Cada idade tem o seu encanto.

Mas é ai que a Disney faz a sua magia. Não importa sua idade, diante do portão de entrada, como que num passe de mágica, todos voltamos a ser criança. Aliás esta é a primeira dica para curtir um parque, seja ele da Disney ou os outros de Orlando. Deixe-se levar pelo clima local e aproveite para reviver suas lembranças de infância. É verdade que tem um povo que literalmente se transforma, como uma amiga nossa (Carla, fique tranquila que não vou te dedurar!). Ela viaja para lá ano sim, ano também e não abre mão de usar as orelhas da Minie e se esbalda como uma criança como ela faz questão de contar. Mas quer saber, certa ela! Quem entra no clima se diverte muito mais.

Se você cresceu vendo os desenhos da Disney, em algum momento da infância ela sonhou em conhecer a Disney. E é por isso que, exceto pelo Capitão Gancho e a Bruxa da Branca de Neve, é difícil encontrar lá dentro alguém de cara feia!!!
Olha o Mortimer, quer dizer, Mickey ai!
O fato é que ninguém resiste ao charme do Mickey. Aliás eis algumas curiosidades a respeito do anfitrião:

- O primeiro desenho do Mickey estreou em 18 de novembro de 1928 (Steamboat Willie). Aqui o link para o filminho cujos assobios são do próprio Walt Disney! Vamos combinar que nem de longe ele era bonitinho...

- Mickey não foi o primeiro personagem de Walt Disney, posto que pertence a Oswald, o Coelho da Sorte.

- Ele foi o primeiro personagem de desenho a ganhar uma estrela na Calçada da Fama de Hollywood, no ano de 1978.

- Entre 1928 e 1946, ele era dublado pelo próprio Walt Disney, que ganhou um Oscar honorário em 1932.

- O nome inicial dele era “Mortimer”, mas Lily, esposa de Walt Disney, teve a feliz ideia de rebatizar o simpático camundongo. Ufa! E pior, ele bebia e fumava nos primeiros desenhos. Mas Disney resolveu alterar isto ao ver que o personagem estava ficando popular.

- Reza a lenda que para manter o código secreto, os soldados americanos usavam “Mickey Mouse” para referir-se às operações do Dia D.
O mestre e sua criação.
Mas voltemos ao parque...

O Magic Kingdom é não só o mais antigo dos parques da Disney em Orlando, mas também o maior deles. São ao todo mais de 60 atrações, e muita gente como não consegue ver tudo em um dia só, opta por fazer o parque em dois dias. Eu mesmo fiz isto na visita anterior, mas desta vez, como tínhamos pouco tempo, tivemos que fazer o parque todo em um dia.

Mas deu para ver tudo? Olha, acreditem. Com um pouco de sorte (porque o parque não estava tão cheio) e muito planejamento conseguimos ver tudo. Fomos em nada menos que 24 atrações/brinquedos. Para dicas de planejamento no Magic Kingdom e outros parques veja este post e este aqui para quem vai com crianças.
Primeira dica: chegar cedo para evitar as filas.
Outra: por mais que as lojas sejam interessantes, atrações em primeiro lugar e depois as compras!
Só para dar uma ideia do tamanho do parque, são 430.000 metros quadrados. A Disneyland da Califórnia caberia fácil no estacionamento da de Orlando e ainda sobraria espaço!!!

O parque, assim como os demais da Disney, é um sonho em termos de organização e atenção aos detalhes. Tanto que, desde que conhecemos os parques de Orlando, sempre a gente encontra um lugar absurdamente bem organizado e que funciona a gente brinca que é “padrão Disney”. Enquanto que nos bastidores tudo funciona de forma fria e precisa como um relógio, pelas ruas do parque a simpatia e atenção dos funcionários faz seu papel, tudo em prol da diversão do público e da magia.

Aliás reza a lenda que certa vez, no parque da Califórnia, Walt Disney viu um cowboy da Frontierland perambulando pela Tomorrowland. Dizem que ele ficou bravo, afinal, cada coisa no seu lugar. E por conta disso, mandou fazer no Magic Kingdom uma série de túneis que servirem para a movimentação rápida e discreta do staff do parque ou convidados vip. Para quem quiser saber um pouco a respeito do tour pelos bastidores, sugiro a leitura do post da Andreza do Dica e Indica Disney.

O cuidado com o layout é tamanho que o parque foi projetado para que de uma land você não veja a outra. Tudo para não estragar a magia!

Inaugurado em 1 de outubro de 1971 (com ingressos custando módicos US$3,50!), o Magic Kingdom é o parque de diversões mais visitado do mundo, com nada menos que mais de 19 milhões de vistantes ao ano. Só para dar uma idea de quão grande é este número, é mais que 1 vez e meia a população da cidade de São Paulo, ou quase a população da Grande São Paulo (20 milhões de habitantes).

Alguém ainda duvida do acerto de Mr. Walt Disney??? Infelizmente ele faleceu em 1966 sem ver seu maior parque pronto.

O Magic Kingdom está dividido em Lands, ou terras temáticas. No sentido horário a partir da Main Street, a rua de entrada, temos: Adventureland; Frontierland; Liberty Square; Fantasyland; e Tomorrowland. E no meio disso tudo o Castelo da Cinderela.

O mapa com tudo isso? Aqui. Aliás não se esqueça de planejar a sua visita, seja vendo quais atrações lhe interessam mais, seja escolhendo em quais irá utilizar seus FastPass+. Não sabe o que é? Confira aqui os detalhes deste “fura fila oficial”.
Pegue seu mapa e faça seus planos!
Como chegar? Se você está hospedado fora do complexo, a melhor opção é ir de carro. No Magic Kingdom, você estaciona e vai para a bilheteria de trenzinho, e de lá para os portões de barco ou monorail. O barco, por mais que seja charmoso, demora bem mais que o monorail.

Pouca gente sabe, mas a bilheteria abre 60 minutos antes do hortário do parque, e 20 minutos antes do parque abrir, Mickey e sua turma chegam ao pátio da bilheteria para um pequeno show e literalmente abrir o Magic Kingdom.

A entrada agora é feita segundo o seguinte procedimento na catraca: você aproxima seu ingresso (ou Magic Band) do leitor e coloca o seu dedo num scanner (como aquele da imigração), e a catraca libera o seu acesso. Ah, se você pensou... sim, você é “fichado” na Disney!
O famoso prédio da estação / entrada do Magic Kingdom.
Para chegar lá a partir do estacionamento: monorail. 
Ou barco.
Existem várais estratégias sobre onde ir primeiro, por que lado começar e etc. Pela direita, pela esquerda. Ou seria pelos fundos do parque? Eu particularmente acredito na tese que vale a pena passar rapidamente pela Main Street e Castelo da Cinderela indo direto para o extremo do parque, seja direita, esquerda ou fundos. Trace seu plano e siga em diante!

Como se anda demais pelo Magic Kingdom, uma sugestão para ir de um extremo ao outro é utilizar o Walt Disney World Railroad, um trem que com três estações (na entrada, na Tomorrowland, e na Frontierland) permite que os visitantes cheguem rapidamente aos extremos do parque.

Passando pelos portões do Magic Kingdom vocês encontram a MAIN STREET uma rua que remete à cidade de Marceline (Missouri), onde Walt Disney cresceu. Ali não existem atrações propriamente ditas, apenas lojas e restaurantes. Mas nem por isso deixe de reparar nas belas fachadas dos prédios!!!

Algo que pouca gente sabe, até porque os nossos olhos nos dizem o contrário, é que a Main Street não é tão longa quanto parece, nem o castelo é tão grande assim.
Olhe para o castelo e tudo parece distante.
Já olhando para a entrada fica claro que você chegou ao fim da rua e nem era tão longe assim.
O segredo está no fato de que o segundo andar dos prédios é menor.
Engenhosamente, tanto ela quanto o Castelo da Cinderela que está na praça ao fundo foram contruídos segundo a técnica de perspectiva forçada. Explicando: o segundo andar de todos os edifícios ao longo da Main Street são menores que os primeiros, e assim por diante. Isto faz com que os prédios pareçam mais largos e maiores do que realmente são.

Na Main Street, ou melhor, logo que você passa pela entrada do parque, dê uma parada no Town Square Theater para ver o Mickey. Como ele não fica mais passeando pelo parque, a oportunidade é imperdível para ver de pertinho o anfitrião, tirar boas fotos e tal.
A cara de encanto das crianças não tem preço.
O problema é que eles querem levar o Mickey para casa.
O Castelo da Cinderela é sem dúvidas o marco da Disney de Orlando. Construído inteiro em fibra de vidro (sim, não há nada de concreto ali!), ele tem 57 metros de altura – 30 metros a mais que o castelo da Bela Adormecida na Disneyland, da Califórnia.

E para dar uma impressão de ser maior ainda, as janelas das torres do castelo mais altas são menores que as inferiores. Simples, mas incrivelmente funcional!!!

Pouca gente sabe, mas nos arredores de Füssen, na Alemanha, fica a versão original deste castelo; ou ao menos a fonte inspiradora de Disney. Walt inspirou-se no castelo de Neuschwanstein, construído pelo rei Ludwig, para fazer os castelos de seus parques.

Outra curiosidade é que dentro do castelo era para ser construído um amplo quarto para que Walt Disney e sua família pudessem se hospedar quando em Orlando (top é pouco!). Mas como ele faleceu (1966) antes do parque ser inaugurado, eles desistiram de seguir com o projeto.
Se de dia ele é lindo.
Durante a noite então...
Olhando para cima, ele parece enorme.
Antes do Wishes, ele é todo iluminado com projeções.
Só em 2005 é que o cômodo foi concluído e ganhou o nome de Cinderella Castle Suite. Aqui algumas fotos do quarto.

Ali dentro também está a Bibbidi Bobbidi Boutique, aquele salão onde meninas e meninos podem se transformar em princesas e cavaleiros; e o Cinderella’s Royal Table um restaurante temático onde são feitas as refeições com as princesas.

Uma das minhas áreas favoritas no Magic Kingdom é a TOMORROWLAND, onde o tema é o futuro. Como bom visionário (alguém ainda duvida?!?!), Disney era fascinado pelo futuro e invenções em geral, e resolveu nesta área dos parques apresentar em forma de atrações, a sua visão do que seria o futuro.
Tomorrowland, o futuro segundo Walt Disney.
Chegamos cedo ao parque e fomos direto para lá.
A maior atração é a Space Mountain, uma montanha russa que te coloca a bordo de um foguete para simular uma viagem espacial. Embora seja uma atração bem antiga, faz muito sucesso porque te dá uma sensação de velocidade e queda muito maior do que a real. Tudo isso graças ao fato de ser praticamente toda no escuro e de utilizar iluminação especial para aumentar a sensação de deslocamento. Imperdível. Altura mínima 113cm.
Space Mountain.
Quem gosta do “Zoiodinho da mamãe” (sempre vou me lembrar desta fala sobre o personagem Mike Wazowski do Monstros S/A, não pode perder a Monsters Inc Laugh Floor que mistura teatro e um pouco de comédia. Sem restrição de altura. 

No Buzz Lightyear’s Space Ranger Spin o visitante é convidado a embarcar num carrinho que tem uma pistola acoplada para que você some pontos acertando alguns inimigos. Sem restrição de altura. Infelizmente estava fechada na nossa visita.

Uma das atrações que fazem muito sucesso com as crianças, especialmente com os meninos, é a Tomorrowland Speedway. É outra atração super clássica onde os pequenos podem “dirigir” carros de corrida. Para os adultos pode parecer meio sem graça, mas vai por mim, os pequenos adoram. A altura mínima para que a criança dirigir é de 137cm, e aqueles com mais de 82cm podem ir na atração no banco do passageiro, com um adulto dirigindo.
Tomorrowland Speedway.
Difícil é tirar o pequeno piloto do carrinho no final. Rsssss.
Na Stitch’s Great Escape, você  está dentro de um laboratório quando o personagem Stitch’s foge. Não vou contar o que acontece depois, mas garanto que vocês vão se surpreender. Altura mínima 112cm.

Três atrações que eu só recomendaria para quem tem muito tempo sobrando são o Astro Orbiter um daqueles brinquedos que vira-sobe-desce com temática de foguetes; a Tomorrowland Transit Authority PeopleMover onde você passeia por carrinhos eletromagnéticos, e a Walt Disney’s Carousel of Progress, que mostra avanços tecnológicos que já não são lá novidade ou simplesmente não vingaram. Todas sem restrição de altura.

Dali, sugiro seguir para a uma das áreas recentemente renovadas e ampliadas do parque (e consequentemente mais concorrida): a FANTASYLAND. Esta área que tem como tema a fantasia e os contos de fadas e resume muito bem a magia do mundo Disney. Preciso dizer que é uma das terras que fazem mais sucesso com crianças pequenas e com as meninas?
A recém reformulada Fantasyland.
Parece mesmo um conto de fadas.
Ali estão desde atrações clássicas como a a It’s a Small World, aquela onde você embarca num barquinho que vai passando por várias partes do mundo com aquela clássica música “It´s small world”. Bobinho, mas como é clássico, muita gente vai; e as crianças menores adoram. A musiquinha gruda na cabeça como chicletes. Sem restrição de altura.
A cara do Cumbiquinho na atração It's a Small World.
Mas a área tem outras atrações bem mais recentes e interessantes, como a Peter Pan’s Flight, que te convida a sobrevoar Londres e a Terra do Nunca num barco voador. Bem legal e bastante concorrida. Sem restrição de altura.

Sempre fiquei na dúvida se era eu que tinha algum problema de visão ou se os cinemas 3D é que não eram lá aquelas coisas. Depois de visitar o Mickey’s Philharmagic tive a certeza que o problema estava nos cinemas meia boca. Neste cinema 3D são explorados os recursos mais modernos desta tecnologia com direito à muita trapalhada do seu personagem principal, o Pato Donald. A tela tem só 46 metros de comprimento e 8 metros e meio de altura. O final, que não posso contar é hilário! Sem restrição de altura.
Mickey's Philharmonic.
Quem tem crianças pequenas acaba se vendo obrigado a parar em uma das atrações mais simples e clássicas da Disney: Dumbo The Flying Elephant, onde os elefantes ficam rodopiando, subindo e descendo. De tão concorrida, ela foi completamente remodelada para que a fila ficasse mais confortável e ainda instalaram uma segunda unidade do brinquedo. Sem restrição de altura.
Dumbo.
O que seria de um parque de diversões se não fosse um carrossel? Precisei reviver uma foto clássica com o Cumbiquinho no Cinderella’s Grand Carrousel. Mais uma parada obrigatória para quem tem crianças pequenas. Sem restrição de altura.
Trinta e tantos anos separam estas fotos.
Pena que o vovô Cumbicão não tinha uma GoPro.
Igualmente clássica, a Mad Tea Party são aquelas xícaras que ficam girando. Sair de lá tonto é regra! Sem restrição de altura.

Quer tirar fotos com os personagens? Vá à Pete’s Silly Sideshow! Por mais que seja sim possível tirar fotos com eles no parque, depende de você encontra-los. Nesta atração, por mais que você pegue uma fila que pode ser bem grande, há a vantagem de tirar fotos com vários deles de uma só vez e as crianças podem tietá-los a vontade. Lá encontramos o Pateta, o Pato Donald, a Minie e a Margarida.
Cumbiquinho querendo apertar o Pateta.
A montanha russa do Pateta.
E a atração do ursinho Pooh.
E não deixe de ir à montanha russa dele, The Barnstomer at Goofy’s Wiseacre Farm que é recomendada inclusive para crianças – restrição de altura 89cm.

ma atração super indicada para crianças é são a The Many Adventures de Winnie The Pooh que percorre o mundo do Ursinho Pooh. Sem restrição de altura.

Uma das atrações mais concorridas e recentes da Fantasyland é a Seven Dwarfs Mine Train, uma montanha russa bem light que percorre a mina onde os Sete Anões trabalham. Com uma tecnologia especial que faz os carrinhos balançarem e se inclinarem no momento certo, você tem a certeza de que está indo mais rápido do que de fato está. Como é uma atração muito concorrida, tenha um FastPass+ para ela ou coloque como sua prioridade ao chegar no parque. Restrição de altura 98cm.
A atração dos 7 Anões é uma das mais concorridas, e legais do parque.
Na fila, alguns brinquedos para ajudar o tempo passar.
Um vídeo com um pouco de como é a atração:

Ainda na Fantasyland, onde antigamente existia a vila do Mickey, a Mickey's Toontown Fair, hoje está a Storybook Circus. Trata-se de uma área mais nova e focada exclusivamente nos contos de fada, e uma das atrações mais concorridas ali é o Princess Fairytale Hall, onde você encontra todas as princesas da Disney para tirar fotos – pai de menino, tive a sorte de escapar desta atração cujas filas são sempre enormes. Outra oportunidade para encontrar as princesas é o restaurante Restaurante Be Our Guest, mas como é absurdamente concorrido, reservas antecipadas são praticamente obrigatórias.
Princess Fairytale Hall.
As meninas vão adorar a atração Under the Sea - Journey of the Little Mermaid onde você embarca numa concha para percorrer a história da Ariel. Baseada na mesma personagem, tem a Ariel's Grotto. Ambas sem restrição de altura.
A atração da Ariel é bem bonitinha.
E por fim, Enchanted Tales with Belle, a atração da Bela de A Bela e a Fera onde a Bela convida as crianças para participarem de histórias. Tem até o Castelo da Bela, que por conta de uma ilusão de ótica parece ser muito maior do que realmente é!
Olhando assim, o castelo parece enorme. #SNQ :)
Se estiver calor, deixe a garotada brincar no Casey Jr. Splash 'N' Soak Station, um playground com água.

Representando o velho-oeste está uma das áreas mais movimentadas do parque, a FRONTIERLAND
Frontierland.
Assim como em outras áreas, muita música e animação.
Ali, as duas principais atrações e que eu realmente recomendo são a Splash Mountain (um carrinho que cai na água – lembram da capa de chuva que falei no post anterior?) e a Big Thunder Mountain Railroad, uma montanha russa que simula um trem passando por uma mina de ouro no velho-oeste. Ambas já bastam para garantir longas filas na Frontierland. Não perca!
Splash Mountain.
E Big Thunder Mountain Railroad, diversão garantida.
Um vídeo com Big Thunder Mountain Railroad:

Estas atrações são bem divertidas e eu diria que são indicadas para toda a família, até mesmo para aqueles que tem um pouco de receio de montanhas russas e brinquedos mais radicais, já que ambos têm emoção na dose certa. Nelas a altura mínima é de 102cm.

Uma pequena curiosidade sobre a Splash Mountain: você não se molha na queda, mas sim com os dois canhões de água que são estrategicamente posicionados para tanto. #Sacanagem! Rsss.

Se você tiver tempo sobrando e principalmente se tiver crianças pequenas, vá ao Country Bear Jamboree, um show com ursos cantores animatrômicos. É bonitinho.
Country Bear Jamboree, uma boa para crianças pequenas.
Para quem quiser comprar acessórios e trocar pins, vá ao Frontier Trading Post.

Recriando uma vila colonial da época da Revolução Americana, a LIBERTY SQUARE tem uma das minhas atrações preferidas na Disney, a Haunted Mansion.

Mesmo sendo uma das atrações mais antigas do parque, a Haunted Mansion ainda faz um tremendo sucesso. A diversão nesta mansão mal-assombrada começa pela fila, pois como em alguns outros brinquedos dos parques de Orlando, tudo é feito para você já ir entrando no clima enquanto espera. Lá dentro, você vai sentado em um carrinho que vai passeando pelos cômodos da mansão. Com efeitos especiais para lá de bem feitos, o cenário é bem realista. Os fantasmas não são lá tão assustadores, mas crianças menores podem se impressionar. Sem restrição de altura.
Haunted Mansion, dentre as clássicas, talvez a mais legal das atrações.
Passeando pela Liberty Square.
Quem quiser ainda tem um passeio no Liberty Belle.
Uma curiosidade sobre a atração. Reza a lenda que seus jardins são os únicos do Magic Kingdom que não são cuidados, sendo deixados ao natural para dar um ar de abandonado. E por este mesmo motivo, dizem que a poeira existente dentro da mansão é natural e vem da costa Oeste dos EUA em sacos e é constantemente espalhada para dar realismo à atração. Buuuuu!!!

Uma outra atração bem popular, mas apenas entre os americanos, é a The Hall of Presidents, onde os presidentes dos EUA são apresentados em forma de animatronics, aqueles bonecos ultra realistas que se movem e falam. Sem restrição de altura.

Fora isso, vale passear pelas ruas desta parte do parque e apreciar as construções que remetem aos EUA dos séculos 18-19.

E por fim, a ADVENTURELAND, onde a temática são terras remotas como África, Ásia, Oriente Médio, e Pacífico Sul.

Um brinquedo bem tradicional ali é a atração dos Piratas do Caribe (Pirates of the Caribbean), que por mais que possa parecer bobo alguns bonecos de pirata se movimentando para contar uma história, vale pelo realismo que às vezes deixam até dúvida se não são pessoas reais – só tome cuidado para a musiquinha não ficar na sua cabeça o dia todo! Sem restrição de altura.
O sujeito que interpreta o Jack nos arredores da atração merecia um Oscar.
Piratas do Caribe.
Algumas cenas retratadas são bem divertidas.
Algo que aprendi é que diferentemente da maioria das atrações não só dos parques da Disney, mas também da Universal, aqui o filme feio depois da atração. Sim, é isso mesmo, o filme foi inspirado na atração e não o inverso!!! Alguém aí duvida do sucesso da atração??? Aliás depois do sucesso do pirata Jack Sparrow, eles reformularam a atração para dar-lhe maior destaque na atração.

Uma curiosidade. Na entrada da atração existem dois esqueletos jogando xadrez. Segundo entendidos no jogo, as peças estão em uma posição em que ninguém pode ganhar!!! Jogo eterno. Coisas de Disney.

Ali perto existe a The Pirates League onde os meninos se vestem de piratas. Como é preciso agendar, recomendo uma visita ao link citado.

Uma atração clássica é o Jungle Cruise, um passeio de barco clássico por uma representação de selva africana com vários robôs representando animais (sem restrição de altura). No mesmo estilo, tem a Walt Disney's Enchated Tiki Room com com pássaros e flores animatrônicos. Igualmente tradicional, na Swiss Family Treehouse, você conhece aquilo que seria a casa na árvore da família Robinson.
No Jungle Cruise você embarca num passeio pelas florestas da África.
Alguns animais até parecem de verdade.
Uma atração que a garotada gosta muito é a The Magic Carpets of Alladin, onde os pequenos embarcam no tapete mágico do Aladim – no mesmo estilo que a atração do Dumbo. Sem restrição de altura. Fechada na data da nossa visita.

Além de todas estas atrações ainda existem as paradas e shows que acontecem no Magic Kingdom.

Durante o dia, por volta das 15h00 (confira o horário no site oficial do parque), acontece uma parada na qual é possível ver vários personagens desfilando. Atualmente eles estão fazendo a Disney Festival of Fantasy Parade que tem como tema a nova Fantasyland, com grande destaque para as princesas e outros personagens daquela terra.
A animada parada no Magic Kingdom.
Alguém duvida da animação?
Fora isso ainda existem shows no palco situado na base do castelo:

Mais ou menos lá pelas 20-21h00 (confirme o horário porque varia de dia para o outro) acontece a Main Street Electrical Parade uma parada com carros iluminados e personagens. Eu particularmente acho meio sem graça aqueles carros alegóricos cobertos se luzes quando mal dá para ver os personagens, mas vai do gosto de cada um.
Main Street Electrical Parade. Créditos: Walt Disney World.
E para fechar com chave de ouro, uma das atrações mais espetaculares do Magic Kingdom, o show de fogos Wishes Nighttime Spectacular, ou simplesmente Wishes para os íntimos. Para quem não se lembra o show tem como ideia inicial aquela clássica abertura dos desenhos da Disney com o castelo ao fundo e a música When You Wish Upon a Star, cuja melodia e letra traduz bem toda o quanto é necessário sonharmos. Lembrou???

Merece até citar a letra:

When you wish upon a star
Makes no difference who you are
Anything your heart desires
Will come to you

If your heart is in your dream
No request is too extreme
When you wish upon a star
As dreamers do

Fate is kind
She brings to those who love
The sweet fulfillment of
Their secret longing

Like a bolt out of the blue
Fate steps in and sees you through
When you wish upon a star
Your dreams come true
Não dá para ficar indiferente.
Wishes.




If I have a wish? To see it again!!!
Hora de largar de vez o coração de pedra e se entregar às suas doces lembranças de infância!!! Olhar para o lado e ver marmanjo chorando litros é comum. Aliás esta música garantiu à Disney seu primeiro Oscar em 1940 pela trilha sonora do filme Pinóquio.

São mais de 10 minutos de foguetório de altíssima qualidade com músicas sincronizadas e com direito a Tinker Bell (Sininho para mim!) voando a partir de uma das torres do castelo e tudo!

Como o meu vídeo não ficou perfeito como eu queria, deixo aqui o link para um que saiu nota 10.



Mas de onde assistir? Olha qualquer lugar de frente ao castelo é o ideal, preferencialmente um pouco mais afastado, perto da Main Street para uma vista mais ampla.

Não perca!!!

Como o Wishes não acontece todos os dias, veja no site oficial do parque ou no WDW Info que dias ele acontece.

Com tantas atrações, onde utilizar os meus FastPass+? Confira o nosso post sobre curtir aos parques sem stress com esta e outras dicas.

O endereço oficial do parque é 1180 Seven Seas Dr, Lake Buena Vista, FL 32830, Estados Unidos.

O valor dos ingressos sofreu recente alteração.

Preço: Recentemente a Disney alterou o esquema de preços dos seus parques. Continuam existindo os ingressos para vários dias, os quais não sofreram alterações, mas os ingressos para um dia de visita (1 Day Ticket) agora têm preços variados conforme o dia da visitação e o parque escolhido. Quem visita parques em dias de pico paga mais.
Você pode optar tanto pela Magic Band, com um custo adicional.
Quanto pelo ingresso tradicional.
Os preços do 1 Day Ticket variarão conforme os períodos: value (período de baixa), regular (período normal) ou peak (período de pico). A Disney diz que os períodos podem variar de um ano para o outro, então não deixe de conferir no site oficial deles a programação completa.

Para 2016, eles estão considerando como Value o período entre 22/08 e 29/09; Peak: de 18/03/16 a 02/04/16 (Pascoa); de 27/05/16 a 23/07/16 (Memorial Day, Father’s Day, Independence Day e férias escolares); de 20/11/16 a 27/11/16 (Dia de Ação de Graças); de 22/12/16 a 31/12/16 (Natal e Ano Novo); e por fim o Regular que se aplica por exclusão aos demais dias do ano.

Os valores deste novo esquema são os seguintes:

- Value: Magic Kingdom - US$ 111,83 (adulto) / US$ 105,44 (3 a 9 anos).

- Regular: Magic Kingdom - US$ 117,15 (adulto) / US$ 110,76 (3 a 9 anos).

- Peak: Magic Kingdom - US$ 132,06 (adulto) / US$ 125,67 (3 a 9 anos).

Se você for comprar ingresso para vários dias (o que é mais econômico), sugiro a leitura deste post que contém todas as informações a respeito.

Para receber os ingressos, existem algumas opções. Dá para pegar o ingresso no guichê no portão do parque ou solicitar a remessa normal pelos correios para um endereço nos EUA, ambas sem custo adicional. Já por US$ 15 dá para solicitar uma remessa expressa para um endereço nos EUA; e por fim a remesa dele para a sua casa (no Brasil) ao custo de US$ 25.
Retirar o ingresso na bilheteria é super simples e rápido.
O parque tem horários de funcionamento diferentes durante o ano, então sugiro conferir no WDW Info e site oficial do Magic Kingdom que horas o parque abre e fecha nos dias da sua visita.

Então anote aí, seja para as atrações clássicas ou novidades, se quiser um dia de magia corra para o Magic Kingdom.


* O Cumbicão visitou o Magic Kingdom a convite da Walt Disney World mediante uma parceria estabelecida com o operador local para coletar material para este post. Todas as opiniões e relatos aqui descritos refletem fielmente a experiência, atendendo à política do blog.

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui