1 de agosto de 2016

Flight Review: Spirit x Jet Blue. Qual a melhor Low Cost?

De um lado do ringue, a Spirit e seu estilo despojado.
Posso estar errado, mas ainda acredito que algum dia empresas aéreas low cost de verdade ainda existirão no Brasil. E não me digam que empresa que serve barrinha de cereal é empresa low cost. O nome disso é corte de despesa, pois a passagem continua cara! Low cost de verdade é aquela que vende passagens baratas e ponto final!

Hoje, vamos falar um pouco das nossas experiências com duas das mais conhecidas empresas aéreas deste tipo que operam nos EUA e são arquirrivais: Spirit e Jet Blue.

Assim como na Ásia (vide review da JetStar) e na Europa, as empresas low cost são um mercado consolidado.
No outro, a JetBlue.
Como vocês já viram, para a nossa viagem para Orlando e para a Riviera Maia, a melhor opção de voo era partir do Brasil com a Azul até Fort Lauderdale e de lá pegar um outro voo para Cancun; e na volta, de Cancun para Orlando, onde passamos alguns dias antes de embarcar novamente em Fort Lauderdale para o Brasil.

Parece um pinga-pinga, mas na ponta do lápi$ e no roteiro de viagem, tudo encaixou perfeitamente bem.

Pela ordem, vamos iniciar pela Spirit, com a qual voamos de Fort Lauderdale para Cancun.

Se você já abriu o site deles deve ter notado que ele tem um ar bem despojado e descontraído. Tão descontraído que os mais rigorosos podem até duvidar que trata-se do site de uma empresa aérea ou achar confuso. Vale conferir.
O site deles é todo cheio de graça. :)
A ideia da Spirit é levar o conceito de low cost ao seu extremo. Tanto que o lema deles é Home of the bare fares, algo como casa das tarifas peladas.

Explico. As tarifas deles são tão baixas que não raras vezes as taxas de embarque mais bagagens acabam custando quase que o preço da passagem ou mais.

O lema Home of the bare fares, vem do fato de que você compra a passagem e o direito de carregar um item pessoal e a partir daí vai adicionando itens à sua viagem, como malas despachadas, escolha de assento e etc.

A franquia de bagagem pode ser algo estranho para nós que não estamos acostumados com o sistema low cost. Eu particularmente, viajando em 2 adultos e 1 criança penei para adequar o tamanho, peso e quantidade de malas. #EngenhariaDeMalas

Como disse, a tarifa padrão é para que eles transportem você e um item pessoal que não pode ter mais que 18x14x8 polegadas, algo como 45X35x20 centímetros. Esta é a sua bagagem de mão.

Olha, já adianto, eles são super rigorosos com este ponto, tanto quanto a tamanho quanto quantidade. Interessante que quanto ao peso das bagagens de mão eles não falam nada.
Se a bagagem de mão não couber na caixinha, simplesmente não embarca.
Uma balança na fila do check-in é sinal de rigor quanto ao peso da mala.
A bagagem despachada deve ser paga à parte, preferencialmente no momento da compra das passagens. Na data de hoje eles estavam considerando os seguintes valores adicionais por trecho voado:

41 – 50 lbs. (18 – 23 kg): US$30
51 – 70 lbs. (23 - 32 kg): US$55
71 – 100 lbs. (32 - 45 kg): US$100
63-80 linear inches (158-203 cm): US$100
Special items over 80 linear inches (203 cm): US$150

Consulte a página deles para valores atualizados.

Já viram que viajar com eles com 2 volumes de 32kg, coisa comum para quem faz compras nos EUA, sai caro! Seriam US$ 200 só de malas em cada trecho, hein!

Se você esqueceu de adicionar uma mala ou ela ficou mais pesada, basta ir na página deles, no link Optional Services, e comprar um volume/peso adicional.
Spirit.
Deixo um alerta: eles são mega-super-bláster rigorosos com a questão do peso/tamanho/quantidade de malas. Antes de viajar li muito a respeito disso e muita gente simplesmente abomina a empresa por conta disso, reclamando que ao chegar no aeroporto teve que pagar um adicional.

Eu tinha dois volumes além de uma mala de fraldas. Poderia ser facilmente barrado, mas como eles viram que era uma mala de fraldas, deixaram passar. Como sabia que isto poderia ocorrer, deixei uma das malas mais vazia para eventualmente colocar uma dentro da outra. Matrioskas de malas!!!

Se você sabe que a empresa cobra caro por malas extras ou sobrepeso tente reduzir os volumes/peso ou procure uma das muitas que operam as mesmas rotas. Tenha em mente que se você está pagando pouco é porque pode levar pouco!

Não dá para querer tudo ao mesmo tempo. Se ela fosse a única opção, ai eu também seria contra a cobrança. O mesmo se ela cobrasse a parte pelas malas e não oferecesse uma passagem barata de verdade (coisa que querem implementar aqui no Brasil).

Outra coisa que tem um custo à parte é a escolha do assento. Eles cobram US$ 10 por pessoa para tanto. Isso eu abomino. Vejam que um casal, por exemplo que viaja com criança pequena, ou uma mãe que viaja com uma criança de uns 5 anos (que já paga passagem e tem assento próprio), se não quiserem sentar separados terão que desembolsar US$ 20 por trecho. Escolher assento não é comodidade, é necessidade!!! Fora que na verdade não tem custo adicional algum à empresa aérea (enriquecimento ilícito é o nome disso).
Escolher assento? Só pagando.
A Spirit tem um programa de milhagens, o Free Spirit. Como não tinha pretensões de voar a curto prazo com a empresa, e eles não participam de nenhum grupo tipo Star Alliance ou One World, não vi vantagem em me associar.

Para onde ela voa? A Spirit voa para mais de 50 destinos entre Estados Unidos, México, América Central, Caribe e alguns poucos países de América do Sul. Confira aqui a lista atualizada de rotas.

Apesar da minha tensão, quase paranoia, com o peso/quantidade das malas, tudo correu muito bem e fizemos o check-in em alguns poucos minutos. Tínhamos duas malas grandes, uma um pouco abaixo e outra exatamente no peso máximo permitido. Santa balancinha portátil!
Check-in da Spirit.
Deixo apenas um alerta, tanto a Spirit quanto a Jet Blue apresentam em seus sites a informação de que caso você opte por comprar um bilhete apenas de ida, seja em que trecho o for, tanto a empresa quanto as autoridades de imigração podem exigir prova de que você tenha um voo de volta.

Tempo de voo. O voo entre Fort Lauderdale e Cancun parte às 10h30 e chega às 11h16, tendo uma duração de apenas 1h50mn.

Na rota que voamos, eles operam com uma aeronave Airbus A320 que tinha um estado de conservação razoável - deu para notar que era uma aeronave já com um bom tempo de uso, mas até que bem em bom estado.
A320 da Spirit.
O espaço para as pernas era de fato menor que o convencional, mas o mais complicado e que incomoda muita gente é o fato da poltrona simplesmente não reclinar.

Outro ponto que pode ser estranho para algumas pessoas é a ausência de monitores para entretenimento a bordo em voos internacionais. Considere fortemente levar alguns filmes ou seriados, ou ainda livros num tablet ou celular para matar o tempo.
Nada de entretenimento a bordo.
O espaço interno menor, o fato da poltrona não reclinar e ainda a ausência de sistema de entretenimento a bordo podem até parecer coisas absurdas num voo com mais de 2 horas, mas num voo curto (e por baixo custo!), até que dá para tolerar.
Me sentindo uma sardinha em lata.
Serviço de bordo? Hello!!! Com uma tarifa para lá de enxuta, a Sipirit mal serve água a bordo. Pelo preço da passagem, justificável. Se você quiser comer ou beber algo, leve aquilo que comprou na área de embarque do aeroporto (já que líquidos não são permitidos) ou compre algo do menu deles.
Quer comer ou beber algo? Só pagando à parte.
No quesito pontualidade, infelizmente a Spirt não foi lá grande coisa. Apesar da justificativa ser aparentemente plausível, a empresa poderia ter sido mais ágil para resolver o problema.

Realizamos esta viagem no final do inverno norte-americano, e nos dias que antecederam e no próprio dia do embarque, uma daquelas mega nevascas literalmente travou todos os aeroportos da costa leste de Atlanta para cima. Para quem não tem o mapa em mente, estávamos bem mais para baixo!

Segundo a Spirit, a tripulação que faria o nosso voo estaria vindo de um destes estados e acabou travada lá. O avião ficou no finger mais de 2 horas até a chegada de uma tripulação reserva.
De 10h42 passou para 11h30, e dai para as 13 horas.
E ainda que demos sorte, porque alguns voos foram cancelados.
Por mais que um imprevisto destes da natureza aconteça, a empresa precisa estar melhor preparada para lidar com isso, seja realocando os passageiros, seja providenciando de forma mais ágil uma tripulação reserva.

Saibam que nos EUA, estes imprevistos decorrentes de condições climáticas não são indenizáveis. Restou-nos esperar...

Aqui vale uma observação. Infelizmente os monitores do aeroporto de Fort Lauderdale não davam informações atualizadas a respeito do atraso. A sorte foi que cadastrei o meu e-mail junto à empresa para receber as atualizações. Funcionou muito bem!
O Aeroporto de Fort Lauderdale não é lá muito interessante.
Grande e limpo, tem uma área nova, mas poucas opções de lojas e restaurantes.
Ok, mas quanto custou esta passagem? É aqui que a coisa se mostra interessante. Para os dias presentes, um voo Fort Lauderdale - Cancun, custa, por exemplo para 20 de outubro, US$ US$ 151,83 pela passagem (taxas e impostos no valor de US$ 48,84 já inclusos), e mais US$ 30 por uma mala de até 23kg. Notem que nem cogitei escolher o assento (mais US$ 10). #muquirana.

Entenderam porque o modelo é interessante dependendo das suas necessidades?

Ah, importante alertar que as passagens são absolutamente não-reembolsáveis.

Do outro lado do ringue, e com uma proposta que achei mais interessante em termos de preço e conforto, e bem mais interessante que as pseudo-low costs que temos no Brasil, está a Jet Blue.
Eu particularmente gostei mais da JetBlue.
Olhando apenas a passagem, o preço na Jet Blue pode parecer semelhante ao da Spirit, mas quando você coloca tudo na ponta do lápis a coisa muda – isto sem falar no nível de conforto. Como já dito, nós fizemos o voo Cancun - Orlando com eles, mas para fins de comparação, cotei a rota Fort Lauderdale - Cancun, para ter um resultado que pudesse ser comparado.

Então vamos lá. Para o mesmo dia 20 de outubro cotado na Spirit, a Jet Blue apresenta o custo de US$ 118 na tarifa Blue (que não dá direito ao despacho de bagagem); US$ 133 na Blue Plus (com direito ao despacho de uma mala); e US$ 218 na Blue Flex (com direito a despachar duas malas). Aqui todas as diferenças entre os três tipos de tarifas.

Logo de cara você percebe que o valor da bagagem despachada na Jet Blue é melhor que o da Spirit: US$ 15.

Adicione mais US$ 48,84 de taxas na tarifa e você terá o preço final da sua passagem: US$ 132,84.

Se você for viajar de low cost pelos EUA, sempre comparece o preço entre as duas empresas, pois a guerra de tarifas lá é coisa séria e muito útil ao passageiro.

Mas quais os limites da franquia de bagagem? Você pode despachar 1 ou 2 malas (dependendo do tipo de tarifa conforme explicado acima), sendo que o peso máximo é de 23kg ou 50lbs. Se passar disso, prepare-se para pagar US$100 - o mesmo vale se passar de 160cm x 203cm.

Como bagagem de mão você pode levar uma mala de bordo e um item pessoal, sendo que os limites de tamanho são respectivamente 55,88cm x 35,56cm x 22,86cm e 43,2cm x 33cm x 20,32cm.

Confira aqui as regras atualizadas.
Surpresa de voar num Embraer 190.
Legítimo tupiniquim.
A Jet Blue tem um programa de milhagens próprio, o True Blue. Apesar deles terem alguns parceiros até que bem conhecidos aqui nos reviews do Cumbicão, como Emirates, South African Airways, e Hawaiian Airlines, acabei não fazendo a filiação. Mas ela não faz parte de nenhuma aliança entre empresas.

A Jet Blue tem uma boa variedade de rotas. Da mesma forma que a Spirit, eles voam para os principais destinos dos EUA, muitos destinos na América Central e alguns poucos na América do Sul (Colômbia, Peru e Equador).
Eles voam basicamente para os EUA e alguns países da América Central, e mais norte da América do Sul.
O check-in da Jet Blue foi bastante tranquilo. Praticamente sem filas e um atendimento bastante cordial em todas as etapas do voo. Neste ponto achei melhor que o da Spirit.
Check-in da Jet Blue.
Este voo da Jet Blue parte às 11h30 e chega às 13h08; e é operado com uma aeronave E190. Para quem não sabe estamos falando de um legítimo Embraer tupiniquim!!!

Mesmo sendo uma aeronave menor (2-corredor-2), o espaço interno é beeeem melhor que o da Spirit. Isto para não falar que diferentemente da rival, a poltrona reclina. Ponto para a Jet Blue.
Um bom espaço interno.
Interior do Embrear 190.
E não é que mesmo sendo uma aeronave menor sobrou mais espaço que no Airbus 320 da Spirit???
Mas o espaço para bagagem de bordo é pequeno.
Nos voos da Jet Blue vocês encontram um sistema de entretenimento que tem o mesmo formado daquele utilizado pela Azul. Canais de TV a cabo. Nas aeronaves A-320 e E-190S são oferecidos 36 canais da DirectTV; e nos A-321S este número sobe para 100.

No E-190S que voamos, a tela tinha um excelente tamanho para o porte da aeronave. A resolução também era muito boa.
Para uma aeronave de porte bem menor, estava excelente.
Controles ocupam pouco espaço e são simples.
Diferentemente da Spirit, a Jet Blue ofereceu como serviço de bordo um pequeno lanche composto de salgadinhos com suco ou café. Pouco? Pelo preço da passagem e considerando não só o tempo de voo, mas também que estamos falando de uma low cost, está excelente.
Café com salgadinhos.
Os outros itens são pagos.
Mais uma vez tivemos um pequeno atraso, mas que neste caso foi por culpa exclusiva da empresa. Embarcados, tudo certo para decolar, o comandante anuncia que teremos que aguardar alguns minutos para resetar os sistemas da aeronave.

Oi? Travou o Windows do avião? Foram uns 30 minutos de entra e sai técnicos da cabine para tentar resolver o sistema. O comandante ficou ali na porta ora olhando o que os técnicos faziam, ora explicando o que havia acontecido. No final não era nada grave, mas não seria prudente seguirmos viagem sem resolver. Coisas que na dúvida é melhor acreditar!!!
Cabine do Embraer 190.
Jet Blue.
É.. pontualidade não foi nota 10 não.

Na prática, ambas as empresas têm vantagens. Mas acho que quem leva a melhor é a Jet Blue, que tem um melhor custo-benefício se considerarmos o preço da passagem (que pode variar conforme trecho/data) x grau de conforto.

Mas e ai? Compensou voar com tais empresas? Comparando os valores destas empresas (US$ 181 Spirit e US$133 Jet Blue) com aquilo que gastaria com uma American Airlines (R$ 2.441,00 ou US$ 739 no câmbio de R$ 3,30 e num voo com escala), por exemplo, não tenho dúvidas. Vale lembrar que era um voo curto e que não tínhamos muitas bagagens.

Lições tiradas? Primeiro que o Brasil está anos-luz disto tudo, e segundo que em determinadas situações, tudo o que você precisa é de uma low cost!!!

E vocês? Já voaram com estas empresas ou outras low cost? Conte como foi. A caixa de comentários é de vocês.


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

2 comentários :

  1. Mais um post sensacional, Diogo!
    Não vou muito aos EUA, mas na Europa já viajei muito de EasyJet e recomendo!
    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado Rogéria!!!
      Numa próxima ida à Europa quero testar uma low cost de lá.
      Abraço.

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui