24 de setembro de 2016

Seguro de carro via cartão de crédito funciona?

Dá para alugar um carro no exterior sem seguro da locadora? Arizona, EUA.
Ao alugar um carro no exterior ou mesmo no Brasil, talvez muitos de vocês já tenham passado por esta situação: você mal chega na locadora e o funcionário atrás do balcão logo vem com aquele papinho tentando empurrar um seguro do veículo.

Já passei por esta situação mais de uma vez, e ressalvados aqueles lugares em que a contratação de um seguro local é obrigatória (México, por exemplo), sempre recuso. Aliás é difícil se desvencilhar da insistência dos atendentes. É o serviço deles te atender neste processo, oferecer serviços adicionais até é natural. Talvez até tenham metas a atingir. Só não pode empurrar, né?

Vocês devem estar se perguntando se eu não tenho medo de acontecer algo e ficar desprotegido. E se acontece algo? Você não contrata seguro algum?

Mesmo sendo da opinião que, quem dirige no trânsito das loucas cidades brasileiras dirige em qualquer lugar, pelo menos nas primeiras horas nunca acho que dirigir no exterior seja algo gostoso ou prazeroso. E sim, sempre tenho um pequeno receio. Depois de algumas horas ao volante, já me sinto bastante confortável, mas sempre mais alerta.

Este receio é natural!

Afinal, você não conhece o carro. Experimente alugar uma van para 7 lugares se você está acostumado com um carro compacto.
Enquanto que na Europa os carros compactos são mais comuns.
Nos EUA as vans e SUVs são o padrão.
E o caminho então? Por melhor que seja o sistema de GPS – eu tenho sempre o Maps ME no telefone e quando possível a Sra. Cumbicona dando uma de navegadora, você estará o tempo todo preocupado em não se perder.

Isto para não falar nas regras de trânsito que são diferentes. Nem sempre as placas estão em inglês, nem todos os países utilizam sinais compreensíveis à primeira vista - na Croácia, por exemplo, a placa de ultrapassagem proibida é meio difícil de entender num primeiro momento. Sem falar naqueles países onde a mão de direção e a posição do volante é diferente da nossa, como na Austrália e Nova Zelândia.
O volante foi para o outro lado do carro na Nova Zelândia!
Até mesmo o humor das pessoas ao volante pode ser um diferencial. Experimente dirigir na Europa onde as pessoas raramente buzinam e em alguns países na Ásia onde tudo parece ser motivo para uma buzinada.

Enfim, o turista que tem que dirigir em alguma etapa ou em todas as etapas da viagem pode ficar assustado em um primeiro momento, e as locadoras de veículos, cientes disto, sempre tiram um pouco de proveito na hora de vender seguros adicionais.

Mas e ai, tem como recusar o seguro da locadora e viajar tranquilo?

Vai por mim, na maioria das vezes você tem aí no seu bolso algo que pode suprir esta necessidade e representar uma economia e tanto.

Dependendo do tipo de cartão de crédito que você tem e de alguns outros fatores que explico abaixo, você pode tranquilamente seguir com a locação e utilizar o seguro do seu cartão de crédito, declinando qualquer oferta adicional.

Embora existam outras bandeiras que oferecem benefícios do gênero, os cartões Visa Gold; Visa Platinum; e Visa Infinite oferecem cobertura para uma grande gama de sinistros.
Neve. Grand Canyon.
E estradas estreitas são só alguns dos desafios no caminho. Montenegro.
Será que passa? Split, Croácia.
O que cobre? Os cartões acima oferecem aos seus titulares seguros do tipo Loss Damage Waiver (LDW) e Collision Damage Waiver (CDW) que cobrem danos por colisão, roubo, vandalismo e acidentes totais ou parciais.

É verdade que existem outras coberturas mais abrangentes, como Personal Accident Insurance (PAI); Personal Effects Protection (PEP); Additional Liability Insurance (ALI) e o Roadside Assistance, mas pessoalmente, acho que tudo isso é bem secundário dentro do essencial que o viajante necessita.

E ai? Compensa a economia? Quanto custa um seguro direto com a locadora? Olha, o valor varia muito de locadora para locadora, e como qualquer seguro de veículo, depende de fatores que vão do tipo de veículo à idade do condutor.

Só para ilustrar, vamos pegar uma cotação de uma das locadoras que mais gosto, a AVIS. Uma locação de um veículo categoria Intermediate (tipo Chevrolet Cruze), por 20 dias em Miami, com motorista maior que 25 anos fica em R$ 2,047.03 com as taxas incidentes e impostos.

Adicionando-se o Loss Damage Waiver (LDW) que é o seguro mais básico, chega-se ao valor de R$ 4.119,51, ou seja o valor da locação simplesmente dobra. No caso, eles cobram R$ 97,49/dia por este seguro.

Se você colocar na ponta do lápis, é uma grana e tanto!

De outro lado, se o seu banco não lhe dá um cartão Visa Platinum no pacote de serviços (o que vale negociar com o seu gerente), não tenho dúvidas que eventual anuidade irá custar muito, mas muito menos que isto.

Logo se você faz ao menos uma viagem por ano alugando carro, só este benefício já paga a anuidade e sobra. Fora as outras vantagens que o cartão oferece.
Viajando entre Dubai e Abu Dhabi.
Ok, na teoria tudo isso é lindo, mas este seguro fornecido pelo cartão de crédito funciona mesmo?

Pelas minhas experiências recentes, a resposta é positiva.

Dirijo no exterior desde 2008 e nunca tive nem sequer um incidente. Nenhuma multa sequer. Nada! Mas infelizmente tive dois pequenos eventos este ano que me fizeram acionar o seguro do Visa Platinum.

O primeiro foi a tampa de combustível de um Corolla que alugamos em Orlando com a Alamo e que ao ser devolvido estava com um pequeno amassado. O outro, uma pequena ralada na parte inferior do para-choques do Peugeot que alugamos na Croácia com a Fleet.
Nossa super van na Croácia.
Acreditem por esta raladinha embaixo do parachoques, bem na frente, a Fleet me cobrou praticamente R$ 2mil!!!
Tudo isso parece pouca coisa né? Só se for na teoria, pois na prática, se somarmos os dois prejuízos, estamos falando de algo em torno de R$ 5.000,00. Pois é, lá na gringolândia alguns pequenos danos podem custar uma fortuna.

Isto porque além das peças e mão de obra (que custa muito!), as locadoras cobram as taxas, impostos e os dias em que os veículos ficaram parados. Esta é a regra do jogo.

Para quem nunca acionou o seguro do cartão de crédito, saiba que ele trabalha tanto com reembolsos quanto com pagamentos diretos à locadora. No caso da Alamo, como eles não fizeram a cobrança dos danos no meu cartão e deram um prazo para isto, a Visa pagou diretamente para eles. Já no caso da Fleet, como eles debitaram o valor no meu cartão de crédito as despesas quando da devolução do veículo, a Visa me reembolsou.
Literalmente uma estradinha no interior da Eslovênia.
Como usar/requerer?

A primeira coisa a fazer é pagar integralmente a locação utilizando um cartão de crédito Visa Platinum. Se você não provar que pagou integralmente a locação utilizando um cartão deste tipo, nada de cobertura!

A segunda providência é recusar a contratação dos CDW/LDW oferecidos pela locadora no momento da reserva ou da retirada do veículo. Veja apenas que em alguns casos como no México, a contratação deste tipo de seguro, por uma empresa local é obrigatória por lei (sim, um absurdo, mas é lei local).

Um ponto que sempre tomo cuidado é imprimir o certificado de seguro fornecido pela Visa para apresentar no balcão da locadora, para provar que tenho uma cobertura atrelada àquele cartão e para aquela locação. Isto ajuda na hora de evitar aquela pressão do atendente em empurrar um seguro. Imprima o seu aqui. A Visa por sinal recomenda que você ligue gratuitamente para o atendimento deles para que eles conversem com o pessoal da locadora para sanar eventuais dúvidas – bom para evitar aquela pressão que citei no começo.

Teve algum problema? Você tem 30 dias para abrir a ocorrência e enviar os documentos necessários. O chamado para a cobertura pode ser feito diretamente no Portal de Benefícios da Visa e a partir dai você recebe e-mails informando a situação do pedido. O atendimento, super claro e ágil, é tanto em inglês quanto em português – aliás achei estanho receber e-mails separados nos dois idiomas sobre o mesmo assunto.

Normalmente para as requisições de cobertura/reembolso é necessário o seguinte:

  • Formulário de Requisição preenchido e assinado;
  • Cópia do boletim de ocorrência policial (se aplicável);
  • Cópia do relatório do acidente e um formulário de requisição preenchido indicando os custos pelos quais o titular é responsável;
  • Cópia do contrato inicial e final de locação (aquele documento que lhe dão na devolução do veículo);
  • Cópia da estimativa de custo do reparo e da fatura final do reparo;
  • Eventuais fotos mostrando os danos;
  • Cópia do Bilhete de Seguro (que pode ser impressa depois se você esqueceu).

O prazo para pagamento ou reembolso varia muito, pois eles têm o direito de solicitar informações e documentos adicionais. Logo, quanto antes você passar tudo, mais rápido solucionará a questão. Nos meus dois casos, a situação resolveu-se não mais que 30 dias após o fim das locações.

Para maiores detalhes e eventuais alterações no programa, vide este link.
Dá sim para ir tranquilo só com o cartão de crédito!
Particularmente fiquei bastante satisfeito com as duas oportunidades em que precisei acionar o seguro do cartão de crédito, mas espero sinceramente não precisar mais não! O fato é que agora tenho a certeza que não dá para alugar carro sem usar o Visa.

E vocês? Já precisaram acionar o seguro em caso de locação feita no exterior?


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

6 comentários :

  1. bastante interessante esse post!
    Na América do Sul - Brasil, Chile, Uruguai - usei o seguro do Visa Platinum, mas como nunca acionei não sei dizer se realmente funciona.
    No entanto, nos EUA, ouvi dizer que é muito importante fazer seguro, inclusive com proteção estendida, para incluir até responsabilidade por danos a terceiros. Fizemos também um seguro de assistência mecânica com a Alamo, em uma ultima viagem (creio que 50 dólares adicionais por 10 dias). Tivemos o vidro do carro quebrado em tentativa de furto, e não tivemos que pagar nada por conta desse seguro. Ouvi dizer que um pneu furado em rodovia nos EUA pode te custar até 300 dólares...

    ResponderExcluir
  2. eu estou alugando um carro nos Estados Unidos e estou com medo também com o seguro de terceiros ? imagina se Deus me livre bato em um carro caro e tenho que pagar o conserto ? o Visa Platinum não reembolso , confere ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, até onde eu sei não existe cobertura contra terceiros.

      Excluir
  3. Também fiz uso do seguro do Mastercard Platinum pra aluguel de carros e funcionou perfeitamente. Reembolsaram tudo, apesar de o processo total ter demorado uns 2 meses. Mas foi tranquilo. Um ponto a ressaltar: recentemente tive uma colisão com veículo alugado (culpa minha infelizmente) e o carro de outra pessoa foi envolvido. Esse seguro dos cartões NÃO cobre danos a veículos de terceiros. Em termos práticos: eu recusei TODAS as proteções disponíveis pela locadora (não reparei na alternativa no caso da Localiza de cobertura apenas de para terceiros) e na hora do problema, meu veículo até estava coberto. Mas o carro do "terceiro" teve um dano muito maior e eu tive que arcar com o prejuízo. Sempre bom alertar pra recusar todas as proteções, mas manter a proteção para terceiros, pois essa não é coberta pelo cartão. :)

    ResponderExcluir
  4. Oi, vou para Nova Zelândia e quero alugar uma copervan. Sabe se o seguro do Visa ou Master tem validade lá? ouvi dizer que depende da locadora. Nesse caso conheces locadoras na Nova Zelandia que aceitam ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi.
      Olha, nunca aluguei campervan na NZ, mas quando aluguei o carro na Hertz, aceitaram sem qualquer problema o seguro do Visa Platinum (acho que aceitam também sem problemas o do MasterCard).
      Boa Viagem!!!

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui