21 de fevereiro de 2018

Como escolher um resort nas Maldivas? O que considerar?

Resort nas Maldivas. Quase todos têm belas praias e paisagens incríveis. Mas não é tudo igual.
Depois de mostrarmos como foi a nossa estadia no Hideaway Beach Resort & Spa, vamos agora abordar algumas questões a serem consideradas na hora de escolher um hotel nas Maldivas para que você tenha a viagem dos seus sonhos. Vai por mim, não é fácil escolher, as belas imagens vão te gerar uma expectativa enorme, mas você vai amar.

Não sei para vocês, mas pelo menos aqui em casa, viagens de sonho como a que fizemos para as Maldivas não se realizam com a frequência que gostaríamos. Adicionalmente nas Maldivas, dada a impossibilidade prática de você ficar trocando de ilha a todo momento, seu hotel será a sua viagem. Por isso, um excelente hotel é algo essencial para que você volte para casa com a devida sensação de que esteve de fato no paraíso.

Quem viu o post do Hideaway Beach Resort & Spa pode até imaginar que tenha sido uma escolha fácil dada a beleza do hotel. Mas na verdade, escolher um hotel nas Maldivas não é uma tarefa simples.
Escolher um bom resort nas Maldivas é uma missão deliciosa, é um mais bonito que o outro.
Faça um breve exercício: acesse o Booking e pesquise por resort nas Maldivas. Tenho a certeza que você irá obter vários resultados. Irá achar tudo quanto é tipo de resort por preços que podem ir de uns US$100 até muito mais que US$ 5.000 a diária. Duvida? Tenta lá e volte para continuar lendo como escolher melhor o seu hotel.

Some ainda o fato de que tem resorts, poucos é verdade, que não aparecem no Booking e outros serviços do tipo.

Olhando rápido, todos têm praias lindas, oferecem serviços que podem ser bem classificados, e têm diárias semelhantes. Tais aparentes similaridades gera a necessidade de escolher o resort por detalhes que em outros destinos até passariam desapercebidos.

Eu quase que enlouqueci diante de tantas opções procurando por algo que coubesse no orçamento e que ao mesmo tempo fizesse a diferença em termos de qualidade.

Acho que você notou que eu não falei em hotel, mas sim em resort. O motivo é muito simples, dado o isolamento que explico abaixo, as melhores opções de hospedagem são resorts e não simples hotéis.
Hotel de atol como o Hideaway Beach Resort & SPA tem a vantagem de ter praias lindas para todos os lados.
Custo.

Já disse isso aqui e repito: o resort é o maior, senão um dos maiores custos de uma viagem para as Maldivas. Não tem como, salvo se você escolher um resort muito, mas muito simples, este custo será até mesmo maior do que o das passagens até lá. E olha que é longe!!!

Mas vale a pena investir tanto em um bom resort nas Maldivas? Pensa comigo. Você cruzou dois oceanos para chegar lá e talvez tenha uma única oportunidade de visitar o arquipélago que habita o seu consciente (e coletivo) na caixinha de viagem dos sonhos. Vale ou não vale aproveitar ao máximo a sua viagem escolhendo um resort top?

Ah, mas e se eu escolher um simples hotel mais barato em Malé? Certamente pagará muito menos, mas não terá aquela Maldivas dos sonhos que te fez viajar tão longe. Como você já deve ter visto no post sobre Malé, a capital do país está milhas náuticas longe de ser a Maldivas que você sonha. Vale a pena? Definitivamente não, e sinceramente... Melhor nem fazer as malas.

Localização.

Se você vez a busca que sugeri acima deve ter notado que todos os hotéis mostram em seus sites praias paradisíacas de areias brancas e mar que varia entre o azul, verde e transparente. Aliás é aqui que reside uma vantagem das Maldivas. Não vou dizer que qualquer hotel serve, mas quase que dá para garantir que de uma forma ou outra você sempre encontrará em um resort de atol, os ingredientes acima que são essenciais em uma viagem para Maldivas.
Prefira um hotel de atol.
Estude bem a localização. Muitos hotéis mesmo sendo de atol e com praias paradisíacas ficam perto demais de Malé, o que se de um lado você tem a facilidade de deslocamento, tem a desvantagem de ter um mar com menos vida marinha, por exemplo. Por mais que a vida marinha em qualquer canto das Maldivas seja ainda excelente, quanto mais afastado da capital mais rica ela será por diversos fatores como poluição (que é pequena, mas existe sim), e até mesmo o fluxo de navios pela região.

Até mesmo o trafego aéreo nos arredores de Malé é algo a considerar. Com um fluxo razoável de voos domésticos e internacionais, o Aeroporto de Velana não é nada menos que uma ilha, os aviões voam relativamente baixo. Ficar perto demais de Malé pode ser uma desvantagem.

A minha sugestão? Prefira os atóis do norte e sul que são mais remotos e consequentemente mais bem preservados e menos cheios.
Muito provavelmente você vai chegar assim no hotel.
Que tipo de quarto escolher?

Juntamente com a escolha do resort  este é outro ponto que influenciará e muito no orçamento da sua viagem e talvez na sua experiência como um todo é o tipo de quarto.

Praticamente todos os resorts nas Maldivas têm três opções de acomodação.

As garden villas são quartos que ficam no interior dos hotéis, normalmente na parte central da ilha, e portanto sem acesso direto à praia. Normalmente são quartos mais baratos, já que não tem o charme de ter uma vista direta para o mar.
Uma garden villa no Hideaway Beach Resort & SPA.
Sala de uma garden villa do Hideaway Beach Resort & SPA.
E o quarto.
Outra opção são as beach villas que são quartos que têm frente para a praia, e às vezes, como no caso do Hideaway, uma faixa de praia privativa. Mais pé na areia que isso impossível. Em muitos resorts estes quartos apresentam um valor intermediário e bastante competitivo, sendo uma boa opção para quem viaja com crianças e tem receio de ficar em uma water villa.

Gostamos bastante da experiência na beach villa porque ela tinha um nível de privacidade enorme sem abrir mão da beleza local. Alguns resort não conseguem oferecer isto em quartos deste tipo. Avalie diante da proposta do resort.

E por fim e mais típicas, existem as as water villas são aqueles quartos que ficam em “palafitas de luxo” no meio da água, e que pela beleza do visual, fazem parte do imaginário coletivo.
O quarto da water villa.
Amplo banheiro integrado.
Mas o ponto alto é a piscina com borda infinita e o deck para o mar. pontos que caracterizam uma water villa.
Se olhando as fotos você ficou com a impressão de que não há privacidade nas water villas, saiba que normalmente os resorts posicionam elas de forma que você só lembre que tem vizinhos ao sair pela porta da villa ou nadar no mar. Vai por mim, a sensação de isolamento é fantástica.

Um detalhe importante é que nem todos os resorts aceitam crianças pequenas nas water villas, e quando aceitam podem solicitar a assinatura de um termo de responsabilidade.

Qual escolher? Tem gente que não consegue imaginar uma viagem às Maldivas sem ficar em um water villa, mas isto tem um custo, já que o número de quartos deste tipo normalmente é menor e portanto pela lei da oferta x procura, os preços são maiores.

Quanto? Varia de resort para resort.

Por outro lado, pensa comigo: você já viajou até lá, acho que vale o esforço de ficar em um quarto top com uma experiência mais típica possível. Concordam?

Refeições: full board x all inclusive x la carte?
Escolha um bom resort e volte com alguns quilos a mais.
Resolvido o quarto, outro ponto super relevante a ser pensado na sua escolha de um resort é definir qual será o regime de refeições: All inclusive; full board ou la carte? Resolvido o resort e o tipo de quarto, esta talvez tenha sido a nossa maior dúvida.

Como disse anteriormente, uma viagem para as Maldivas não é uma viagem daquelas onde você tem a possibilidade de sair do resort para praticamente nada, você só sai dali para ir embora para casa ou quando muito para um bate-e-volta em uma ilha vizinha para um tour organizado pelo resort.

Sair para ir comer em algum lugar não é uma realidade. Da mesma forma, fazer um pique-nique de quarto depois de passar no supermercado, é impossível.

Sendo o resort a sua única opção de lugar para refeições, fazer uma boa escolha é mais uma vez essencial. Resta saber só qual o regime de refeições.

Só para relembrar alguns conceitos, o sistema all inclusive dá direito à todas as refeições com bebidas inclusas. Já o full board é a boa e velha pensão completa (café, almoço e jantar), mas não inclui bebidas. E o la carte é o sistema em que você paga por prato do menu.

Alguns poucos resorts também trabalham no regime half-board que nada mais é do que o meia-pensão (café da manhã + uma refeição, normalmente o jantar) onde você paga o almoço à parte. E um número ainda menor trabalha servindo apenas o café da manhã incluso na diária, sendo o almoço e jantar no regime la carte. Até mesmo pelo isolamento que mencionei acima, sem café da manhã não achei nenhum resort.

Importante também dizer que alguns resorts fazem um all inclusive plus que dá direito às bebidas premium como vinhos ou outras mais caras.
Alguém ai falou café da manhã?
Em um bom resort, nem o buffet é algo simples.
E ai? Diante de tantas opções qual escolher? Lembrem-se que além da comodidade, há um custo razoável envolvido nesta decisão. Só para dar uma noção, para 4 dias entre o sistema all inclusive e o full board, para os 4 dias em alguns resorts a diferença era de R$ 1.000,00 / R$ 2.000,00.

O bom é que muitos resorts liberam no site o valor dos pratos no sistema la-carte (algo muito justo), então dá para você comparar o custo benefício deste sistema versus full board e o all inclusive, eliminando ao menos uma das opções.

No nosso caso fazia mais sentido o full board e o all inclusive. Aliás não consigo imaginar um esquema onde o la carte seja melhor, mas vai de cada um.

Ok, mas e ai? Full board ou all inclusive? Neste caso, penso que quem quiser beber mais que uma ou outra cerveja, por exemplo, o all inclusive é o melhor negócio. Se você for beber muito ocasionalmente, ai melhor ficar no full board e pagar as bebidas à parte. Foi o que fizemos.
All inclusive com bebidas só compensa se você for beber um pouco mais. 
Só esteja atento que alguns resorts além das refeições, somam no all inclusive alguns benefícios extras como atividades de lazer ou descontos no spa e etc. Avalie o pacote.

Infraestrutura.

Se o seu plano é só ficar lagarteando ao sol, a infraestrutura não é algo tão relevante. Quadras de tênis, SPA, diving center para que???

Agora se você é uma pessoa mais ativa como eu que simplesmente não consegue passar dias a fio, mesmo neste paraíso, sem fazer nada além de comer, tomar sol e dormir, infraestrutura e atividades bem pensadas são um ponto relevantíssimo.
Ok, o mar é lindo, mas uma piscina é sempre legal.
A maioria dos resorts conta com SPA; piscinas; diving center. Alguns vão além oferecendo uma boa gama de esportes náuticos (como windsurfe, vela, jet-ski stand up paddle); cinema ao ar livre; pesca oceânica; aulas de ioga; aulas de tênis; observação de estrelas; enfim, tudo o que você possa imaginar.

Algumas coisas podem ter um custo à parte, como é o caso do SPA ou do aluguel de jet-ski ou mergulhos. Já outras são inclusas.

Você pode até pensar que um SPA é algo desnecessário, até você experimentar. Uma massagem depois de um dia no sol e uma bela refeição é a receita perfeita para literalmente apagar em uma espreguiçadeira à beira mar.
SPA, desnecessário até você experimentar.
Se você pretende mergulhar nas Maldivas (recomendo e muito!!!), um resort com um bom diving center é essencial. No geral, além de oferecer mergulhos guiados (nunca mergulhe sozinho!), eles também oferecem cursos para que você obtenha o seu certificado ou a sua especialização.
Se você gosta de mergulhar, invista em um hotel com um diving center.
Quanto à infraestrutura, a minha sugestão é que você olhe que atividades gosta de fazer e se o resort as oferece, e também se existe algum custo adicional para pratica-las.

Viajando com crianças?

Quem viaja com crianças deve ter uma atenção especial neste ponto.

Diferentemente de outros destinos como Cuba e Cancun, por exemplo, onde esbarramos com muitos resorts e hotéis que simplesmente não aceitam crianças. Atualmente as Maldivas passaram de um destino quase que exclusivo para casais, postura que era muito comum nos anos 90/2000, para um destino mais abrangente, englobando famílias.
Com uma super infraestrutura, as Maldivas é hoje um destino que comporta muito bem uma viagem em família.
Aliás na nossa viagem, o que mais vimos foram famílias.

Mesmo assim, na maioria dos resort  os quartos são desenhados para casais, então dificilmente você encontrará um quarto com uma cama de casal e mais uma ou duas de solteiro.

Mas isso resolve-se facilmente com uma cama desmontável ou um confortável sofá cama que acomoda muito bem os pequenos viajantes.

A maioria dos resorts top está muito bem preparada para receber os pequenos viajantes.

Muitos têm menu kids em todas as refeições e restaurantes, com opções que certamente irão satisfazer o paladar os pequenos.
Se você viaja com crianças, muitos hotéis têm menu kids para as refeições.
Em termos de atividades, normalmente os resorts têm centros de entretenimento para as crianças. Alguns contam com bibliotecas, brinquedos, e até mesmo monitores.

O mar tende a ser bem calmo e sem ondas, o que faz das praias um lugar excelente para eles brincarem. Fora isso, praticamente todos têm piscina, o que muitas vezes acaba sendo o lugar favorito deles. O Cumbiquinho mal colocava a boia e já corria para a piscina da water villa.

Notaram como não é fácil comparar os resorts no paraíso?
Fácil mesmo só passar horas olhando o Sol ir embora neste paraíso.
Com este post a gente fecha a série das Maldivas, a qual pode ser reaberta a qualquer momento, se alguém quiser ai patrocinar a nossa volta ao arquipélago ;)


Booking.com

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

3 comentários :

  1. Oi, Diogo. Tudo bem? :)

    Seu post foi selecionado para o #linkódromo, do Viaje na Viagem.
    Dá uma olhada em http://www.viajenaviagem.com

    Até mais,
    Bóia – Natalie

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oba!!!
      Espero que este post ajude muita gente a realizar esta viagem dos sonhos.
      Abraço.

      Excluir
  2. Parabéns pelo texto. Há resorts maravilhosos (e caros) mas, felizmente, as Maldivas estão aos poucos a abrir-se a um turismo menos luxuoso e também já é possível encontrar alojamento mais em conta. Grande abraço.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui