14 de dezembro de 2012

Dicas da TURQUIA (VIII) - Istambul: Bazares e compras

As típicas lanternas.
      Alguns turistas que visitam Istambul podem até deixar de realizar algumas atividades como ir ao Topkapi, visitar as mesquitas, fazer o passeio de barco no Bósforo, ou tomar um banho turco – eu recomendo expressamente que você faça todos estes passeios, hein! – mas o que nenhum deles deixa de fazer é visitar os bazares.


Visualizar Cumbicão - Turquia em um mapa maior

Eu sei, você pode até não ser consumista, ou simplesmente não se interessar por nada do que se vende ali (o que eu acho difícil), mas não deixe de visitar. Mesmo com o passar dos anos ainda é um tanto quanto exótico e pitoresco, uma imersão cultural.
Fiquei imaginando como eram os bazares nos tempos do Oriente Express, por exemplo. Um verdadeiro choque cultural para os ocidentais.
Já vi alguns mercados de estilo semelhante por ai, mas como os de Istambul, jamais.
Talvez a explicação esteja no fato de que os turcos nasceram para o comércio. Este veio decorre do fato de que durante séculos, os turcos estiveram no meio da rota comercial entre o oriente e a Europa.
Foi justamente aproveitando esta característica que, da conquista de Constantinopla em 1453, Mehmet II que então comandava o império otomano decidiu criar um grande centro comercial, Grande Bazar (Kapali Çarsi).
Uma das várias entradas do Grande Bazar.
O nome Grande Bazar é mais que justificado, afinal são nada menos que 58 ruas e mais de 3 mil lojas. Isso mesmo, são mais de 3 mil lojas espalhadas por uma enorme área coberta.
Assim, por mais que a sua vontade seja de ver tudo o que tem ali, acredito que isto seja impossível.
Perder-se pelos corredores faz parte do passeio.
Acho que é impossível encontrar duas lanternas iguais. Rsss
Tem roupa de tudo quanto é tipo.
Uma dica interessante, até mesmo para que você não se perca no mar de lojas é escolher quais os produtos que mais lhe interessam e seguir a indicação das áreas com as lojas próprias para cada tipo de artigo – o bazar é mais ou menos bem dividido conforme o tipo de produto.
Mesmo assim, eu garanto, você vai se perder. E não adianta tentar marcar como ponto de referência uma determinada loja, é tudo muito parecido! Então, relaxe, faz parte do passeio.
Entre uma loja e outra, pode existir um corredor que sai em um han. É uma espécie de pátio que serve de armazém ou de oficina para os artesãos – vale a pena dar uma espiada.
Gran Bazar.
As lojas são um show de cores.
Aqui, a linguagem do comércio supera qualquer dificuldade de idioma.
Mas o que tem para ver ou comprar lá? Bem, a lista é grande, mas apenas para dar uma ideia, tem um pouco de tudo: bolsas; tapetes orientais; louças; artigos de couro; lanternas (belíssimas por sinal); pashminas com excelentes preços; artigos de cobre (recomendo que caso você goste, compre a cuia para fazer café turco); e jóias. 
Não descobrimos o que são estas peças de decoração, mas que são bonitas são!
Tem até buchas e sabonetes artesanais.
Belas porcelanas.
E estes cachimbos de marfim???
Eu conheço algumas pessoas que irão direto na seção de jóias. Mas fica aqui um alerta importante, embora as coisas possam parecer muito bonitas, o ouro (que dizem ser barato) é de baixíssima qualidade. Cuidado para não comprar gato por lebre!
É verdade que existe também muita tranqueira. Saiba distinguir e dar o valor certo às coisas.
Para quem procura por tapetes, pode ser uma boa oportunidade de adquirir um.
São baratos? Bom, barato é algo relativo de pessoa para pessoa. Como eu não tinha e ainda não tenho a menor ideia de quanto custa um tapete oriental por aqui, fica difícil qualquer comparação – a Sra. Cumbicona disse que estava justo! Como não faz o meu gosto, não me interessei muito pelos preços - aceitaria um só se fosse daqueles voadores e que acumulasse milhas, é claro! Rsss.
Tapetes por todos os lados. Pena que não achei o meu voador.
Um detalhe importante, se você entrar em uma loja de tapetes, esteja pronto para lhe mostrem toda a loja. Eles literalmente tentarão lhe empurrar algum. Eles te param no meio do corredor, te convidam para entrar na loja (ai já era), te colocam sentado em um banco, te servem um chá. A partir daí o dono da loja ou um gerente, muito caricato, começa a dar ordens para que os vendedores estendam um tapete após o outro diante dos seus olhos. Pedem para você tocar, explicam os desenhos e as tramas – uma verdadeira aula!
Resumindo, nós só conseguimos sair da loja porque disse a eles que estávamos sem dinheiro e precisavamos buscar mais no hotel justamente para comprar o tal tapete! Que coincidência... Não sei se esta desculpa é manjada ou não, mas funcionou. Com um sorriso, dissemos que voltaríamos mais tarde.
Ao menos valeu pelo chá e pela aula sobre tapetes.
E por falar em chá, quando você cansar de perambular pelos corredores, não deixe de fazer uma merecida pausa para tomar um ou um café turco (forte pacas!) nos vários estabelecimentos espalhados no interior do bazar.
Não é Londres, mas é um belo chá das cinco.
Cafés por todos os lados.
Uma observação às mulheres. Como já dissemos anteriormente, não raras vezes vimos os turcos fazendo gracejos com mulheres desacompanhadas; às vezes até meio que exagerados. Esta situação ficou mais evidente no interior dos mercados, onde o contato com os locais é mais próximo.
Portanto você, mulher, que se incomoda com isto, tenha paciência e jogo de cintura. Já para aquelas que estiverem acompanhadas, a situação pode ser até mesmo inversa. Alguns vendedores, simplesmente as ignoram e tratam apenas com os homens. Vai entender...
Embora muito se fale a respeito do Grande Bazar, eu particularmente fiquei com a impressão de que o Grande Bazar é menos típico e pitoresco que o Bazar de Especiarias.
Antes de viajar li algumas opiniões neste sentido e achei que era exagero do pessoal. Mas saibam que não é não... O Grande Bazar, pelo seu tamanho e por oferecer muitas coisas, às vezes mistura coisas típicas e belíssimas com algumas tranqueiras como por exemplo, camisetas falsificadas do Barcelona ou bolsas falsas. Triste, mas é a realidade.
Nos corredores tem espaço para tudo, até para este casal fazer um ninho.
Bugigangas de tudo quanto é tipo.
Um pitoresco corredor com direito a uma barbearia e tudo.
Normalmente os corredores são bem largo, mas alguns como este são incrivelmente estreitos.
Mas não se desanime não! Nem deixe de visitá-lo, pois o que tem de bacana e interessante supera estes pequenos tropeços e faz valer, e muito, o passeio.
Então, anote ai: o Kapali Çarsi em turco, ou o Gran Bazar (ah, beeem mais fácil agora), fica na.... Ixi, ele tem tantas entradas que nem dá para mencionar todas aqui. Nós usamos a situada na Vezirhan Caddesi, perto da estação de bonde Çemberlitaş – vide mapa acima.
Funciona de segunda à sábado das 9h00 às 19h00. A entrada é gratuita.
Por mais que você tenha gostado do Grande Bazar, sugiro que você não faça como alguns turistas mais desavisados, que só visitam este e literalmente passam direto pelo Bazar de Especiarias (Misir Çrsisi). Eu garanto: você perderá e muito!
Uma das duas entradas do Bazar de Especiarias.
É bem pequeno, apenas duas ruas formando um L.
Muitos dos frequentadores não são turistas.
É uma verdadeira imersão cultural.
O Bazar de Especiarias, também conhecido como Bazar Egípcio, é o mais autêntico da cidade. E em conta também! Afinal, apesar da grande quantidade de turistas por ali, você notará que a maioria é de habitantes locais fazendo suas compras rotineiras.
É aquela velha regra para qualquer destino: lugar frequentado por “nativos” e fila na porta é indício de melhor qualidade e menor preço.
Temperos de tudo quanto é cor, aroma e sabor.
Alguns até desconhecidos.
Aqui, diferentemente do Grande Bazar, e como o próprio nome diz, o forte são as especiarias e chás. Mas vendem também, em menor quantidade, algumas bugigangas irresistíveis. Os vendedores são bem mais educados e solícitos, costumam até servir amostras grátis dos produtos.
Aliás, se um vendedor lhe pedir para cheirar algum chá, não se acanhe. O único risco é você não resistir e comprar. Simpaticamente, eles pegam o freguês pelo olfato!
A mistura de cheiros é uma delícia.
Tem chá para quase tudo!
Um excelente lugar para comprar temperos, chás, café, queijos, castanhas e nozes (ai que saudades do pistache!!!), a preços irresistíveis.
Queria ter levado este "saquinho" de pistache para casa!
Eu que gosto de doces, passei bem na Turquia.
Olha o tamanho destes...
Os feitos com frutas secas são menos doces, mas igualmente saborosos.
Para quem quiser comprar temperos, sugiro fazer como a Sra. Cumbicona, anote previamente o nome dos temperos em inglês (aqueles que são conhecidos no Brasil) e leve. Isto e um bom olfato facilitarão bastante na hora de achar o que você procura.
Saiba também que eles têm alguns preparados de temperos deliciosos que só são encontrados por lá e não são tão apimentados como imaginávamos.
Embora seja sim possível comprar temperos a granel, sugiro que você os compre nas embalagens prontas ali disponíveis. Além de possibilitar a aquisição de itens variados, você minimiza o risco da alfândega brasileira criar problemas, afinal você poderá justificar que são produtos “industrializados”. Olha lá! Não conte para ninguém este “macete”. Rsss
Para chás e pistache ou outras castanhas, prefira as lojas que oferecem pacotes lacrados à vácuo na hora. Isto não só garante por maior tempo a qualidade dos produtos, mas também o argumento acima mencionado.
Embalagens prontas de temperos oferecem a possibilidade de variedade.
Os chás podem ser empacotados previamente ou na hora.
Com apenas 90 lojas, é um bazar minúsculo se comparado ao Grande Bazar, mas é justamente por isso que se tem a impressão de estar mergulhado num mar de aromas distintos.
Já viram venderem favo de mel assim? O mel também é uma delícia.
Queijos e frios.
A esta altura você deve estar-se perguntando de onde vem o nome Bazar Egípcio. Simples, no passado remoto, os carregamentos de temperos que vinham diretamente do Cairo, eram desembarcados no porto ali ao lado.
O Bazar de Especiarias foi construído em 1600 como parte da Mesquita Nova, justamente com o fito de que sua renda auxiliasse na manutenção da mesquita e de suas obras sociais. Lembram-se do que dissemos a respeito do islamismo? Que bela herança deixaram para o povo e para os turistas!
Na saída perto do porto, bancas de frutas.
Peixes. Já viu alguém vender peixe assim sem gelo, nem na praia!!!
Repare no tamanho das azeitonas. Não resistimos..."pena" que tivemos que comprar a quantidade mínima, 250g. Somamos aos pistaches e sentamos na praça para beliscar.
O Bazar de Especiarias fica na Yeni Camii Maydan, Eminonu e funciona de segunda à sábado das 8h00 às 19h00. O acesso é gratuito.
Saindo do Bazar de Especiarias, descobrimos que nem só de artigos típicos vive o comércio da região central de Istambul. Meio que por acaso, descobrimos a rua Uzun Çarsi, que vai da região do porto de Eminönü e do Bazar de Especiarias até o Gran Bazar.
As bandeiras do Fenerbahçe cruzando a rua ajudam a aplacar o Sol.
É verdade que não é assim "típico", mas vale o passeio no caminho do
Bazar de Especiarias ao Gran Bazar, ou o contrário.
Esta antiga espinha dorsal da Istambul bizantina e otomana é hoje algo como a 25 de março local, apinhada de lojas que vendem de tudo, literalmente. É um passeio pitoresco que eu recomendo.
Se não fosse pelo minarete e bandeira, poderíamos dizer que é a 25 de Março!
Ali vende-se de tudo, mas nem todos os vendedores falam inglês.
Detalhe de uma loja de fantasias.
Lembro que quando entramos nesta loja de bordado e perguntamos o preço da toalha de mesa, entendemos que o preço dado em um péssimo inglês era para uma só. Mas não, era para duas! Levamos as duas sem coragem para pechinchar.
E aproveitando o tema deste post, vamos falar um pouco sobre compras em Istambul.
Salvo nas grandes lojas e shoppings, pechinchar é regra. Normalmente eles abordam o turista já na rua oferecendo-se para mostrar a loja e lhe servem chá (pode pegar mesmo que você não vá comprar nada – faz parte da tradição).
Caso faça o seu gosto, tapetes são uma boa opção de compra.
      Não se sinta forçado a comprar, e veja tudo com calma. Mas só pechinche se estiver decidido a comprar, e vá aumentando o valor ofertado. Tenha bom senso e não extrapole, chutar um valor baixo demais ou simplesmente pechinchar e não levar nada pode ser considerado um ato bastante rude por parte do comprador.
Tenha em mente que assim como outros países, a Turquia adota o sistema de tributação onde o imposto sobre o valor agregado – o VAT, algo parecido (não serei aqui tributarista!) ao ICMS. E você como turista tem direito à restituição de algo entre 8% e 12% do valor total da compra.
Pelo centro, muitas ruas são exclusivas para pedestres.
      Embora tenha separado algumas dicas de shoppings propriamente ditos, as atrações de Istambul tomaram praticamente todo o tempo que tínhamos, então não foi possível visitar nenhum deles – achei mais interessante dedicarmos o tempo que tínhamos aos bazares, afinal shoppings tem no mundo inteiro. Já bazares como estes...
Mas deixo aqui uma lista do que pesquisei na época. O mais interessante deles parece ser o Kanyon Alışveriş Merkezi cuja arquitetura moderna tenta recriar um cânion, como o próprio nome diz. Fica na Büyükdere Cad. No:185 Levent, e funciona das 10h00 às 22h00.
As outras opções são o Metro City (Büyükdere Caddesi 171, Levent); o Cevahir que segundo o Lonely Planet seria o maior shopping da Europa com 343 lojas, 50 restaurantes, 12 cinemas (incluindo uma sala privada), um boliche, uma pequena montanha-russa, e um enorme teto de vidro (Büyükdere Caddesi 22, Sisli); o Carousel Alışveriş Merkezi (Halit Ziya Uşaklıgil Caddesi, 1 Özgürlük Meydanı / Bakırköy); o Maya Plaza – Mayadrom (Akatlar Mah. Yıldırım Göker Cad. Akatlar / Beşiktaş); e o Kapalıçarşı (Kapalıçarşı Beyazıt / Eminönü).
Além disso eles têm algumas lojas de departamento interessantes, como a Çetinkaya Beyoğlu (İstiklal Cad. 239, Taksim / Beyoğlu); Yeni Karamürsel Şişli (Halasakargazi Cad., 368, Yusufpaşa / Şişli); e um outlet, o 212 İstanbul Power Outlet (Mahmutbey Merkez Mah. Taşocağı Cad. 5 Mahmutbey Kemalpaşa / Bağcılar).
Para itens mais modernos ou até mesmo para ver como é o comércio de rua, não deixe de passear pela Istiklâl Caddesi, a rua de comércio mais moderna da cidade.
Para supermercados, além dos pequenos estabelecimentos, tem a rede Migros.
Horários? Normalmente as lojas funcionam das 9h00 às 20h00, sendo que os mercados costumam abrir às 8h00, e shoppings funcionam 10h00 às 22h00.
Assim, com preços razoavelmente competitivos para os itens tradicionais e muita coisa interessante para comprar, reserve um espaço considerável na sua mala para as compras de Istambul!!!
No próximo post... uma experiência única, o Banho Turco!
Booking.com

10 comentários :

  1. Gostei muito do que vc postou, mesmo porque vamos passar dois dias em Istambul, sei que é pouco, mas é um cruzeiro de Veneza para Istambul. Penso que vou passar a maior parte do tempo no mercado de especiarias, já que lá tem doces e frutas, adoro doces. Gostaria de saber se lá posso encontrar bijuterias, entre elas um pingente da Cruz de Caravaca, pulseiras de cristais, coisas do tipo. De qualquer forma muito obrigada pelas informações. Se quiser meu email dntpericard@hotmail.com, para trocarmos informações.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Callu,
      O Mercado de Especiarias, embora seja o meu favorito, tem poucas lojas de artigos outros que não comestíveis e afins.
      Para itens como este, sugiro o Grand Bazar, lá você encontrará uma enorme quantidade de lojas que vendem este tipo de artigos.
      Boa viagem!!!

      Excluir
  2. preciso comprar peças de cambio para vans na turquia se puderem me ajudar enviarei o endereço posteriormente.abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José,
      Não temos indicações de lojas deste tipo, e não fazemos serviço de compras. Sorry!
      Aproveito para lembrar que não é permitido trazer na bagagem peças para veículos (veja a regulamentação da Receita Federal a respeito). Você precisará utilizar uma importadora para tanto.
      Abraço.

      Excluir
  3. Olá Diogo, obrigada por todas estas postagens, são muito detalhadas e cheias de dicas. Estão ajudando muito. Uma dúvida boba, já que é fácil se perder no Grand Bazar e para sair? É fácil? Tem placas?
    Outra dúvida, você andou a noite no bairro de Sultanahmet? É tranquilo? E a Kennedy Cadesi, é bonita? Pode-se andar lá tranquilamente? Pergunto pois iremos agora no inicio de Maio e gostamos muito de andar pelas cidades, acho que é uma ótima forma de conhece-las.
    Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anne, obrigado.
      Olha, até existe um mapa lá; mas muito provavelmente você irá sim se perder - e adorar isto!
      Tem sim algumas indicações, mas se precisar, peça ajuda dos vendedores que são bem atenciosos.
      Andei por várias áreas da cidade sem problema algum.
      Boa viagem!!!

      Excluir
  4. Oi Diogo, farei uma conexão de 20h na Turquia e farei um tour, porém é bem num domingo, e os bazares estarão fechados correto? =(

    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem provável, mas vale a pena consultar na época da sua viagem! Quem sabe a regra mudou...

      Excluir
  5. Boa tarde diogo, estarei fazendo conexão em istambul em outubro e iremos num domingo, vi que grand bazar estara fechado, teria algum outro local aberto no domingo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Do mesmo tipo e variedade não conheço. Mas mesmo assim não deixe de conhecer a cidade. Boa viagem.

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui