3 de abril de 2013

Dicas da AUSTRÁLIA (IV) - Sydney: The Rocks e Pubs da Região


The Rocks.
Como dissemos anteriormente, a Austrália foi “descoberta” pelos ingleses no final do século XVIII. O primeiro a efetivamente aportar em Sydney foi o capitão James Cook, que navegando pela região encontrou refúgio na famosa baía em 29 de abril de 1770.
Porém a colonização mesmo só ocorreu dezoito anos depois, com a fundação da colônia de Nova Gales do Sul em 26 de janeiro de 1788 por Arthur Phillip. Esta data é o marco inicial para os Assies, e é o feriado nacional mais importante, o Dia da Austrália.
Ainda que restem poucos vestígios desta época, o melhor lugar para conhecer a história de Sydney, e porque não da própria Austrália, é o charmoso bairro The Rocks.


Ver Cumbicão - Austrália num mapa maior

Trata-se do bairro mais antigo da cidade com belos edifícios de tijolos aparentes construídos pelos condenados a partir de 1788. Oficialmente, os primeiros colonos livres chegaram apenas em 1851.
Ali vocês encontrarão vários prédios históricos, muito bem conservados, nos quais atualmente funcionam galerias de arte, pubs, restaurantes, cafés e lojas turísticas.
O antigo porto hoje serve como terminal aos passageiros dos transatlânticos que ali aportam.
Os armazém viraram concorridos restaurantes. 
Para quem gosta de arte contemporânea, o Museum of Contemporary Art ali situado tem uma coleção de arte contemporânea australiana e internacional.
Bom, às vezes a arte parece que cai do céu...
Os restaurantes locais vão de um simples Subway (Shop 29, The Rocks Centre) aos mais sofisticados.
Aliás no quesito comida o lugar parece uma pequena babilônia.
É possível comer um pide turco ou um kebab no Dare (Shop 22, The Rocks Centre; um sorvete italiano no Gelatissimo (Shop C2 Alfred St, Circular Quay Esplanade); pães na Gloucester Street Pantry (Cnr Gloucester & Essex Street); sushi para viagem no Hero Sushi Box (Shop 24, 22-26 Playfair Street); um sorvete sofisticado com waffles na Royal Copenhagen (112-115 George Street); um noodle no Wok On Inn Noodle Bar (Shop 26 The Rocks Square, Playfair Street); ou uma simples limonada caseira, raspadinhas, e pipoca doce no Old Fashioned Lemonade (Playfair Street, The Rocks).
Vai uma tortinha ai?
Além do The Rocks Markets, que é uma feira que acontece aos sábados e domingos das 13h00 às 17h00, com produtos artesanais variados, existem lojas permanentes que vendem souvenires de todos os tipos, de artigos de couro a bumerangues, de camisetas a chapéus australianos.
Uma delas é a Souvenir World (Shop 2.01 140 George Street – das 8h00 às 21h00 de segunda a sábado). Tenha em mente que os preços não são muito convidativos se comprados aos do Paddy’s Market, do qual falaremos mais à diante, mas vale a pena dar uma conferida.
Passando por baixo da ponte e subindo sentido centro, vocês encontrarão a igreja mais antiga da Austrália (1843), a The Garrison Church (ou Holy Trinity). Fica na 50 Lower Fort Street.
Garrison Church.
Por ali, mais precisamente na Watson Road, fica também o Sydney Observatory, onde atualmente funciona um museu de astronomia.
         Não deixe de conferir também as charmosas casas da região. A maioria delas está na Lower Fort St.




Já descendo de volta para a área da Circular Quay, vocês encontrarão a Cadman´s Cottage (na 110 George St.) que é a casa mais antiga da cidade ainda em pé (1816). Ali atualmente funciona um centro de informações turísticas.
Cadman`s Cottage.
Para uma boa de toda a região, vale ir até o topo da Custons House, que fica ali perto, na Alfred St.
Gosta de cerveja? Então este provavelmente será seu bairro favorito em Sydney. Com uma boa quantidade e excelente qualidade de pubs (sim, os Aussies herdaram este hábito inglês!!!), é quase que impossível não tomar ao menos um pint de uma cerveja local ou alguma importada.
Entretanto, não pensem que é fácil sair por lá “enchendo a lata”... No geral, bebida alcoólica na Austrália é muito cara (como se o resto das coisas já não o fossem!!!) Um simples pint pode sair por até AUD10 dependendo do lugar.
Bem, mas vamos aos pubs...
O primeiro deles, e o meu favorito pela autenticidade é o The Lord Nelson Brewery. Situado na 19 Kent Street, é mais que um pub, é uma cervejaria e hospedaria. Sim, hospedaria! Afinal estamos falando de algo que existe desde 1836, o que confere ao The Lord Nelson o posto de pub mais antigo da cidade ainda em funcionamento. 
Lord Nelson.
A decoração bacana do Lord Nelson.
Hora de tomar cerveja local.
E quando digo local, é local mesmo. Fabricada ali mesmo, numa sala ao lado.
Mesmo no meio da tarde, você não bebe sozinho.
Infelizmente não era souvenires...
          Movimentado a qualquer hora do dia, é imperdível.
Com um estilo absolutamente diverso do Lord Nelson e porque não dos pubs em geral, o Heritage Belgian Beer Café (135 Harrington Street) tem um ar mais chique.
Olhando assim de fora, nem parece um pub.
O belíssimo menu, para cervejeiro nenhum botar defeito.
Decoração belíssima.
Ir num pub no meio da tarde dá nisso...
O lugar perfeito para algo menos casual, especialmente à noite. São mais de 35 rótulos diferentes, indo das cervejas locais às belgas Stella Artois, Hoegaarden, Leffe Blonde ou Brune (dark).
Ainda fuja do estilo pub inglês, a Lowenbrau Keller (18 Argyle Street) é uma ótima pedida com seus mais de 30 tipos/marcas alemãs e pratos típicos. Depois de um certo horário, o lugar fica lotado, com direito até a uma banda alemã e uma balada no final do expediente.
Do lado de fora, os típicos bancos imitando um Beer Garden.
Decoração típica de cervejaria alemã.
Nada como estar a pé...
Embora tenha tido tempo de passar apenas nos três acima, vou deixar alguns outros que vale conferir.
O Harts Pub (Cnr Essex and Gloucestor Streets) oferece 12 diferentes cervejas locais no seu beer garden – caso não consiga decidir qual pedir, dá para pegar um “tasting paddle” que é um pouco de 4 tipos.
Rivalizando com o Lord Nelson no posto de mais tradicional está o Hero of Waterloo, que fica na 81 Lower Fort Street.
Hero of Waterloo.
O interior justifica a fama abaixo?
Uma curiosidade etílica a respeito do local. Nos pubs da região era bastante comum os marinheiros serem embebedados e simplesmente acordarem a bordo de navios nos quais eram obrigados a trabalhar para pagar a “viagem”. Isso sim que é ressaca!!!
Pois é, acho que eles inventaram o “Boa Noite Cinderela”.
O pub mais conhecido onde isto acontecia era justamente o Hero of Waterloo, onde existia até mesmo um alçapão com túneis que faziam a ligação até o cais para fazer o delivery dos pinguços.
Assim, muitos marinheiros deixaram de dormir nos bordeis e estalagens da região e passaram a freqüentar a Sailor´s Home (na 106 George) que era o único lugar “confiável”.
Deixo aqui também outras opções que me recomendaram: o Jacksons on George (176 George Street) e o Observer Hotel (69 George Street), um antigo hotel datado de 1844 que atualmente funciona como bar.
Se você não curte cerveja e está procurando por um lugar para experimentar os vinhos australianos, sugiro o Wine Odyssey (39-43 Argyle Street).
No próximo post, vamos à Chinatown de Sydney.
Half full or half empty?
Cheers!!! Como eles dizem por lá.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui