5 de abril de 2014

Dicas do Japão (III) – Como locomover-se no Japão e usar metrô-trem em Tóquio

Shinkansen.
Como dissemos no post anterior, no Japão as coisas são feitas para funcionarem perfeitamente. Em relação aos meios de transporte não poderia ser diferente.
Aliás, o transporte público pelo país é uma atração à parte. Sonho com o dia em que teremos algo minimamente semelhante. Será que chegaremos lá???
Sou fã de trens. Talvez seja culpa do meu pai que me deu uma miniatura elétrica comprada lá na nossa primeira viagem. Aliás, o Japão é um excelente lugar para comprar modelismo – numa outra oportunidade pretendo dar dicas disto.
Eu não resisto!
Foi justamente por conta deste gosto por trens que paguei um mico em 2004. Como queria tirar “a foto” dos trens bala que passavam ali “voando”, ao chegar na estação de Ito, descemos todos do trem e meus pais passaram pela grade que divide a plataforma de embarque e eu... fiquei ali, com olhos vidrados no visor da máquina,  esperando o nosso trem partir e vir outro expresso em alta velocidade para fazer a tal foto.
O trem saiu, me preparei para a foto e poucos antes do outro trem vir, uma sirene soou na estação vazia. Imediatamente um guarda correu em minha direção, gesticulando desesperadamente. Quando olhei, eu estava sozinho na plataforma e grade havia fechado e lá estavam o guarda e meus pais de um lado dela e eu do outro – eles isolam a plataforma durante a passagem dos trens de alta velocidade expressos em muitas estações. Ou seja, eu não poderia estar ali.
A porta fechou e o mané aqui ficou para trás. Mas consegui a foto!
O coitado do guarda ofegante, disse algo em japonês que eu evidentemente não entendi. Chegando mais perto, notou que eu era gaijin – claro! Falou em inglês que estava com receio que eu me jogasse na linha do trem!!! Cume-que-é??? Com a minha cara de espanto ele disse que o protocolo de segurança é fechar a grade porque eles receiam que os suicidas aproveitem a vinda do trem de alta velocidade para pular na linha, e ai vocês já imaginam...
Pedidas as mais sinceras desculpas, o guarda-amigo-nipônico sorriu aliviado... Era só um turista sem noção. Depois dizem que japonês que é faz maluquices para tirar uma boa foto...
O fato é que o sistema de trens do Japão é algo para ser realmente admirado e exportado, afinal é verdadeiro motivo de orgulho para os japoneses.
Dois símbolos japoneses.
Um modelo mais antigo em 2004.
Digo isto porque os japoneses praticamente inventaram o conceito de trem de alta velocidade (acima de 250 / 300km/h), lá chamado de Shinkansen ou trem bala, hoje tão comum em alguns países (pena que por aqui....).
Chegamos a 256km/h!
Pelo interior do Japão.
Só para dar uma ideia, em 1980 nos já andávamos neles e não era novidade por aquelas bandas, pois o primeiro trem bala surgiu em 1964.
Os trens bala da Japan Railways (JR), empresa que administra o sistema, cortam o país de norte a sul, exceto o extremo norte da ilha de Hokkaido.

Ainda que as passagens não sejam baratas, as viagens neles compensam e muito, pois o conforto é grande o tempo de viagem relativamente pequeno.

Muito espaço para as pernas no Shinkansen. 
Se quiser comer algo típico, compre um obentô numa das lojas das estações. Isto nada mais é do que uma tradicional forma de embalar comida japonesa - quase uma marmita! Kkkk.
Não se assustem, além do banheiro no estilo local (buraco no chão), tem o ocidental também.
      Dependendo da situação eles substituem muito bem os voos domésticos. Basta considerar que o tempo necessário para ir ao aeroporto, mais aquelas horas de antecedência, fazer check-in, desembarcar, pegar mala e ir para o hotel já consome um tempo tão grande que de trem você já teria chegado! Avalie caso a caso.
O primeiro nome que aparece, é sempre o modelo de Shinkansen (Nozomi, Hikari, Kodama), depois vem o destino, e por fim o número do vagão. 
Preciso dizer que é para aguardar na fila?
Reparem no intervalo entre os Shinkansens numa mesma linha. Só 9 minutos - não há espaço para erro.

Assim como na Europa, o turista estrangeiro tem como opção comprar os bilhetes individualmente ou adquirir o chamado passe de trem.
Para quem não sabe, em linhas bem gerais, eles funcionam assim: antes de sair do Brasil, você adquire o passe em uma agência conveniada, pagando-se um valor fechado que varia de pacote para pacote. Uma vez no seu destino de viagem, você ativa o passe e faz as viagens sem ter que pagar nada mais (às vezes paga-se uma taxa de reserva do assento).
Os passes podem ser do tipo tantas viagens em tantos dias (consecutivos ou não); ou viagens ilimitadas dentro de uma quantidade de dias. As regras variam conforme o país e de acordo com o pacote adquirido. Pode-se adquirir passes para um país apenas ou para um conjunto de países.
Sou usuário assíduo destes passes, e já testei em vários destinos. No Leste Europeu; na Alemanha-Áustria; na Itália; na Suíça/Holanda/Bélgica; e nas duas oportunidades em que fomos ao Japão, sempre com excelentes experiências.
Contratar ou não um passe de trem envolve várias considerações, tais como quantidade de pessoas viajando junto (às vezes dividir um carro pode ser uma boa opção); comprar o custo benefício diante de outros meios de transporte e até mesmo em relação aos bilhetes unitariamente considerados; quantidade de deslocamentos e outras tantas variáveis.
Ou seja, avalie o custo-benefício diante do seu caso concreto.

Como nesta última viagem a nossa estadia restringiu-se a Tóquio e arredores, com uma escapada para Kyoto, o passe japonês, Japan Rail Pass, pareceu que não faria o menor sentido pela reduzida quantidade de viagens que faríamos.
No momento da troca é preciso preencher este formulário.
         Mas uma rápida conta mostrou que mesmo assim, com poucos deslocamentos, o passe seria um ótimo negócio.
Nas contas abaixo, consideramos o uso do Japan Rail Pass já para o trajeto entre o aeroporto e a cidade no N’EX ou Narita Express (do qual falaremos mais a diante), e vice-versa.
Fazendo as contas sem o passe, o N’EX ficava em 2.940 ienes (x4 viagens = 11.760 ienes +/- R$ 259,60 – contra R$ 225,16 no Skyliner). Já a ida à Kyoto avulsa sairia por 13.720 ienes cada pernada (54.880 ienes ao todo ou +/- R$ 1.211,48). Somando tudo isso são 66.640 ou +/- R$ 1.471,08.
Já no esquema do JR Pass teríamos o custo total de 23.800 ienes para cada um de nós, totalizando 47.600, ou +/- R$ 1.050,77.
Shinkansen cruzando o centro de Tóquio.
Se só por estes poucos trechos o Japan Rail Pass já nos pareceu um excelente negócio, o que dirá se somarmos a vantagens de que é possível, dentro do prazo de validade, usar o JR Pass em todas as linhas de trem da JR em Tóquio, inclusive a famosa Yamanote Line que dá acesso a várias atrações?
Com este esquema, conseguimos não só solucionar os deslocamentos de-para o aeroporto, e o bate-e-volta para Kyoto, mas também quase que todos os nossos deslocamentos dentro da cidade de Tóquio nos trens urbanos da JR. Uma bela economia.
Gostou?
Então anote ai o passo a passo: antes mesmo de embarcar para o Japão, você precisará adquirir o passe em uma das agências de viagem certificadas ou pela internet  aqui ou aqui. Eles oferecem opções de 7, 14 e 21 dias consecutivos.
Feito o pagamento, você receberá um voucher que deverá ser trocado em um dos postos de troca para que você possa já utilizar seu passe. No aeroporto de Narita, o posto fica no piso abaixo do hall de desembarque, logo na entrada da estação.
Posto de troca no Aeroporto de Narita.
Depois é só passar direto pelos controles.
De um dos lados das catracas sempre haverá um posto de controle, é ali que vc mostra o seu passe.
Com o passe de trem nas mãos, nas catracas das estações, basta dirigir-se a uma das cabines e apresentar o passe ao fiscal, o qual liberará o seu acesso. Recomendo que você tenha sempre em mãos o seu passaporte, pois como o passe é pessoal e intransferível, você poderá ter que provar que “você é você”. Não tivemos que apresentar nenhuma vez, mas sabe como é...
Se precisar pegar um Shinkansen, basta ir com antecedência a um dos balcões de reserva e escolher o seu trem. Eles lhe fornecerão um pequeno bilhete no qual virá indicado o horário do trem e todas as demais informações necessárias ao seu embarque. Uma vez no trem, mantenha em mãos este bilhete e o passe para mostrar ao bilheteiro.
Balcão de reservas na Estação Central de Tóquio.
Não perca seus bilhetes.
E curta o passeio.
Para um time-table dos Shinkansen, favor visitar este site.
Talvez, a primeira preocupação de quem desembarca num destino de viagem é saber como ir do aeroporto à cidade. No caso de uma longa viagem ao Japão, à cama do hotel para ser mais exato.
Tóquio tem dois aeroportos, Narita e Haneda. O primeiro, situado um pouco mais longe da cidade, serve à maioria dos voos internacionais, especialmente transcontinentais, e é o oitavo mais movimentado do mundo. E Haneda que atende voos regionais e é o mais movimentado da Ásia – recentemente foi eleito um dos 10 melhores do mundo.

Narita Airport.
O aeroporto tem boas lojas no free shopping.
Área interna.
Lá é permitido fumar, mas nestes "aquários".
Claro que tem internet gratuita.
Para sair e chegar ao aeroporto de Narita, vocês podem optar por trem, ônibus ou táxi.
Particularmente eu não recomendaria o táxi, dado o alto valor da corrida, principalmente se comparado às outras opções disponíveis.
Dependendo do seu hotel estar ou não na listagem, o serviço de shuttle bus da Limousine Bus pode ser uma opção. Ainda que dependa muito do trânsito, espere gastar entre 75 e 120 minutos para o trajeto. A passagem custa 3.000 ienes.
Na minha opinião, a melhor opção são os serviços de trem. Sim, assim mesmo, no plural, pois existem duas opções.
O Narita Express ou N’EX parte dos Terminais 1 e 2 de Narita a cada 30 minutos, leva a pouco mais de 50 minutos para chegar à estação Central de Tóquio. De lá, pode-se seguir direto para outras estações como Shinagawa, Shibuya, Shinjuku, Ikebukuro e até Yokohama; ou simplesmente utilizar os trens urbanos para ir para qualquer outro destino da capital japonesa.



Logo de frente ao portão de desembarque vocês já encontrarão o caminho para a estação do aeroporto.
Mas antes, recomendo uma passada no posto de informações turísticas do aeroporto.
Estilo bem futurista.
Como os assentos são marcados, dirija-se para o seu vagão utilizando as indicações no chão.
Assentos muito espaçosos e novíssimos.
Infelizmente não é barato, mas vale pela comodidade:

From
To
Ordinary Cars
Green Cars (first class)
Narita Airport Terminal 1
Narita Airport Terminal 2
Tokyo
2,940 yen
4,430 yen
Shinagawa; Shibuya; Shinjuku; Ikebukuro
3,110 yen
4,600 yen
Omiya
3,740 yen
5,230 yen
Yokohama
4,180 yen
5,670 yen
Ofuna
4,500 yen
5,990 yen

Um detalhe importante, e que não custa repetir, é que se você tiver o JR Pass você já poderá utilizá-lo nesta viagem.
Para quem não tiver o Japan Rail Pass ou não quiser “queimar” um dia de passe, pode verificar a existência de algum combo. Na época da viagem encontrei o Suica + N’EX, que dá um desconto de aproximadamente 500 ienes na conta final.
Algumas regras apresentadas no site oficial:

If all the seats on a train are reserved, limited express tickets for standing may be purchased at a rate 510 yen less than reserved seat tickets.
Reserved seat tickets are 200 yen lower during the off-season and 200 yen higher during the busy season.
The discount for children ages 6 to 11 is 50% of the adult fare for basic fare tickets. Any amount less than 10 yen is rounded off.
There is no children's discount for Green Car tickets.
Babies (up to 12 months) and infants (1 to 5) generally travel free, though a child's ticket is needed in the following cases:
When three or more infants accompany one adult or a child, child's tickets are needed for the third and subsequent infants.
When an infant or a baby occupies its own reserved seat or berth.
When an infant travels alone.
Purchasing tickets
Limited express tickets for the N'EX go on sale in Japan one month in advance. Tickets may be purchased at Narita Airport station, JR Ticket Offices (Midori-no-madoguchi), Travel Service Centers (View Plaza) and reserved seat ticket machines.
Reservations can be made from overseas through JR-EAST Shinkansen Reservation, though conditions apply for prior day purchases.
When traveling from Narita Airport, it is recommended that travelers purchase their N'EX tickets after arriving.
To make a N'EX reservation bound for Narita Airport over the Internet, click here.
Note that conditions apply to prior day purchases. Fare tickets must be purchased in Japan.
Japan Rail Pass or JR East Pass holders can make seat reservations without additional payment, click here for more information.


Mesmo diante da honestidade local, eles fornecem estes inteligentíssimos cadeados para malas nos vagões. Isto deveria ser obrigatório em todos os países.
Nunca tinha visto trem de aeroporto com serviço de bordo. Pago, é verdade!
Na ida, informações gerais como previsão do tempo.
E na volta informações de vôo.
A compra deve ser feita diretamente no Aeroporto de Narita.
A segunda opção é pelo Kensei Skyliner que leva direto à estação Ueno (41 minutos), e de lá você faz as conexões com o metrô. Mas neste caso o Japan Rail Pass não é válido, ok?
Os trens partem de Narita a partir das 8h15 do Terminal 1 e das 8h21 do Terminal 2. Na volta, eles saem da estação de Ueno a partir das 5h58 a cada 20 minutos. Aqui vocês encontram o time-table atualizado.
As tarifas meio que equivalem às do N’Ex. Consulte neste link os valores do Skyliner. Para nós daria ao todo 2.550 ienes. Os bilhetes podem ser comprados nos Terminais 1 e 2 do Aeroporto de Narita; e nas estações de Nippori e Ueno.


Qual o mais vantajoso? Depende do seu destino final. Para nós, que estávamos perto da Estação central de Tóquio e tínhamos dias sobrando no Japan Rail Pass, a melhor opção foi sem dúvida o N’EX, pois para o Skyliner teríamos um custo adicional, um tempo um pouco maior de viagem, e a necessidade de uma baldeação com malas.
Mas e como locomover-se em Tóquio?
Uma vez na cidade eu nem consideraria outra forma de transporte que não o metrô e os trens metropolitanos. Vai por mim, em Tóquio, esta dobradinha será sua melhor amiga!
Trem (da linha Yamanote).
E metrô de Tóquio.
Lá coexistem dois sistemas separados em termos de linhas e de tarifas. De um lado vocês encontrarão o metrô que é administrado pelas empresas Tokyo Metro e Toei (mapa da rede aqui); e de outro as linhas urbanas da JR em Tóquio (mapa aqui).
Juntas elas cobrem a cidade inteira e você poderá acessar todos os pontos turísticos utilizando só transporte público. Nós, como tínhamos o Japan Rail Pass, utilizamos mais os trens. Lembro que apenas para ir à Tokyo Skytree é que usamos o metrô (onde o passe da JR evidentemente não é válido).
O layout das linhas lembra muito o metrô de Londres e de Paris. Tanto que eles têm uma linha de trem circular chamada Yamanote, como a Circle Line londrina, que circunda toda a região central. Sempre pensei que o melhor sistema de metrô é este, e não aquele que usa eixos norte-sul como o de São Paulo (Alô, alô Governo de São Paulo, tem alguém ai?).
Se contarmos apenas o metrô, são ao todo 13 linhas e mais de 160 estações. Fora as 32 duas linhas de trem da JR que passam por Tóquio.
Realmente, digno de um quebra-cabeça!
Várias linhas passam por uma mesma estação.
Assim como a maioria das cidades que já visitei, o preço da passagem varia conforme a distância percorrida. Como regra, tenha sempre em mãos o bilhete para sair da estação (a menos que você esteja usando um Japan Rail Pass), pois ao passar pela catraca você pode ou não ter que pagar uma espécie de ajuste de tarifa, caso o valor final seja maior que aquele originalmente pago.
No geral o preço é o seguinte:

Distância
Tarifa
1km~6km
160 yen
7km~11km
190 yen
12km~19km
230 yen
20km~27km
270 yen
28km~40km
300 yen

Para valores atualizados, confira este link. E se lhe parecer confuso este sistema, basta dar uma olhada no Transfer Planner & Fare Calculator deles. Existem sim alguns passes de trem urbano e metrô, mas não encontrei nenhum que seja realmente vantajoso ao turista.
No metrô os bilhetes são comprados nestas máquinas. Tenha moedas à mão.
Tabelas como esta informam o valor conforme o destino.
Todas as linhas de metrô funcionam das 5h00 à meia-noite.
Os trens e o metrô de Tóquio são absurdamente eficientes e os vagões incrivelmente limpos. Nem poderia ser diferente... Japão, né?
Mesmo cheio, ninguém se encosta. Reparem na quantidade de publicidade.
Nas telas, todas as informações são dadas em japonês e em inglês.
Tudo limpo e bem conservado.
Metrô.
Embora a cena típica que todos nós temos do metrô de Tóquio seja aquela das pessoas gentilmente empurradas para dentro dos vagões por funcionários com luvas brancas; nunca tive a oportunidade de ver isto ao vivo.
Estas situações de sardinhas em lata, ou melhor, sushis-humanos em lata, são excepcionais, e quando necessário “empurrar” as pessoas para dentro do vagão, os funcionários ainda pedem desculpa. Coisas de Japão!!!
Uma coisa muito interessante é o comportamento das pessoas nos vagões. É ali, no recinto fechado que a boa educação se faz mais nítida. Os japoneses seguem à risca um guia de boas maneiras no metrô, que entre outras tantas coisas inclui a proibição de usar fones de ouvido altos de mais. Genial!
Nada como seguir regras básicas.
A turma faz fila para esperar o trem.
      Mesmo com estações lotadas de gente, não tem empurra-empurra. As pessoas nem se tocam!!!. Neste "balé" sincronizado vimos vários idosos com aparência bem frágil andando sozinhos tranquilamente - duvido que por aqui isto seria sequer recomendável.
Vocês notarão que a descrição deles é realmente digna de nota. Muitas pessoas leem livros com as capas cobertas para ninguém saber o que é. Mistério... Kkkk. Conversam baixinho, mesmo que o assunto não seja segredo. 
Como é proibido utilizar telefone, eles ficam teclando mensagens com uma velocidade insana. Acho que ninguém no mundo tecla mais rápido que um japonês. Chega a ser irritante da prática deles.
E principalmente dormem, e muito... 
Zzzzzz. Amigo, não era mais fácil dormir sentado no banco???

Em Tóquio, a maioria das estações servem tanto para as linhas de trem quanto de metrô, o que garante uma perfeita integração física entre os sistemas (não existe integração tarifária, ok?). É justamente por conta desta integração, e do mesmo grau de eficiência/conforto, que muitos turistas mal fazem a distinção entre os dois sistemas.
Enormes, e às vezes confusas, nos seus infindáveis corredores, nas estações é possível encontrar uma enorme variedade de lojas e de serviços aos usuários. Muitas das estações estão situadas no subsolo ou com ligação direta à grandes lojas de departamento.
Lojas,
Lojas de departamento,
Restaurantes,
E até fast food de lamen é possível encontrar nas estações do Japão.
Acredito que em nenhum lugar existam estações de trem e de metrô tão extensas quanto em Tóquio. Andando pelos seus corredores, é preciso estar atento ao senso de direção e referenciais justamente para não se perder – algo muito comum.
Qual é a linha mesmo?
Até para sair às vezes é difícil. Tem saída norte, sul...
Embora Tóquio tenha uma estação Central, a mais movimentada da cidade é a estação de Shinjuku. Mais movimentada de Tóquio não, do mundo! Nada menos que 740 mil passageiros ao dia. A quantidade absurda de pessoas e o tamanho da estação me fizerem imaginar como seria estar dentro de um cupinzeiro... e pior, sem saber ao certo onde é a saída.
Localizar-se nas estações pode parecer um pouco confuso no começo, mas todas as indicações estão tanto em japonês quanto em inglês.


Bem, quase sempre...
É tanta gente que às vezes a melhor forma de indicar uma direção é no chão.
A Estação Central de Tóquio, cuja reforma estava sendo finalizada.
Embora exista um sistema de ônibus eficiente, eu não o recomendaria, pois as indicações dificilmente estão em inglês. Para o turista, ele pode até ser útil em cidades como Kyoto, mas não arrisco dizer o mesmo para Tóquio.
Não, não é um ônibus de brinquedo.
Em Kyoto eles são excelente opção.
Táxi? Nem comento... Caríssimo. Olhando de fora, os carros podem parecer velhos, mas é só impressão. Tóquio tem um padrão de carro que lembra muito aqueles sedans da década de 70/80, mas é tudo novinho e limpo. Dois detalhes chamam a atenção: os motoristas usam luvas brancas e as portas traseiras abrem e fecham sozinhas – detalhe: isto existe que eu saiba desde o começo da década de 80!
Um típico táxi de Tóquio.
Alugar carro? Jamé!!!
Com um sistema de transporte de massa extremamente eficiente e confiável, eu jamais recomendaria alugar um carro para viajar pelo país, muito menos usá-lo nas cidades.
Isto porque utilizar carro no Japão envolve vários empecilhos.
O mais grave é certamente o custo, pois um dia de estacionamento pode lhe custar o equivalente à sua diária de hotel – lembram que disse que espaço vale ouro? Isto sem falar nas dificuldades inerentes a dirigir por lá, como por exemplo o fato da mão de direção ser a nossa, mas o volante estar do outro lado; e a maioria dos carros serem minúsculos (imagina chegar cheio de malas num carro de proporções micro?).
Estacionamentos caríssimos.
Dá para entender estes sinais de trânsito no asfalto???
Pedágio urbano.
E carros minúsculos são algumas das dificuldades.
Enfim, faça como os locais, use os meios de transporte público mesmo que seja de uma cidade para a outra, e curta o que existe de mais eficiente e confortável em termos de transporte público. Mas se nada disso resolver o seu problema de transporte... Ainda dá para apelar para este aqui:
Mais tradicional impossível!
Com tantas opções de transporte, não pensem vocês que caminhar pela cidade não seja uma boa opção. Tóquio é um daqueles lugares em que todas as esquinas são uma surpresa, tem algo de interessante para ver.
Ainda que andar pela cidade possa ser uma delícia, pois ela é razoavelmente plana e muitíssimo bem arborizada, o mesmo não se pode dizer quanto a encontrar um endereço.
Como vocês verão ao citarmos as atrações, não existem endereços do tipo n.º tal da rua tal. Lá os endereços são mais ou menos assim número da área, número do quarteirão, número do prédio, nome da área e depois o que para nós seria o bairro. Algo mais ou menos assim: 1-11-2 Ginza, Chuo-ku.
Uma placa de endereço.
A coisa é tão difícil que nem os locais conseguem se achar, quanto menos explicar como chegar num lugar, o que gera situações como a que contei anteriormente na qual eles preferem te levar até o seu destino ao invés de explicar.
Assim, tenha sempre um ponto de referência para facilitar a localização do endereço pretendido.
         Nos próximos posts, vamos começar a visitar as atrações da capital japonesa.
Até lá!

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.


Booking.com

49 comentários :

  1. Ola Diogo, Achei muito bem colocado suas informacoes no Blog. Parabens !!!
    Estou indo com minha esposa e filho (18 anos) para Japao agora em outubro. Vou comprar o passe JR, e queria uma dica de qual cidade ou regiao nas proximidades de Osaka-Kioto, é melhor para se hospedar (como custo beneficio) e servir como base para visitar cidades mais proximas, como Nara e ate mesmo Hiroshima. Vamos deixar Toquio para os ultimos 4 dias da viagem e tb gostaria de alguma dica de regiao em toquio para se hospedar (facilidade e locomocao, restaurantes e centro comerciais sao criterios importantes para escolha) .Abs Daniel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel,
      Obrigado, espero ter ajudado.
      Olha, em 2004 ao invés do bate-e-volta Tóquio-Kyoto que fiz recentemente, optei por dormir em Kyoto. Não conheço Osaka, mas pelo que já li, Kyoto tem mais atrações. Assim, preferiria dormir lá.
      Ontem publiquei um post com o hotel que usamos em Tóquio desta vez. Excelente hotel e muito bem localizado. Note apenas que para vocês, será necessário reservar o quarto maior. Confira lá no post.
      Abraço e boa viagem!!!

      Excluir
    2. onde esta este hotel ... estarei indo para toquio em dezembro e estou a procura de um hotel ou apartamento mais em conta

      Excluir
    3. Vide a área Onde Ficar no meu, ele está ali. Obrigado.

      Excluir
  2. Olá Diogo!!
    Você sabe me informar se posso adquiri o ticket do JR express direto no balcão do Narita? Assim não pago IFO do cartão ao comprar online.

    Com relação a ida a KYOTO, qual foi a estação que você pegou o trem pra kyoto? tem alguma específica?
    O trem sai a toda hora para Kyoto??

    Achei o site da Japan airlines meio complicado, dificil de achar esss informações.

    Desde já agradeço bastante pelas informações.
    Abraços, Carolina.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Carolina,
      Quando você diz tíquete do JR express, presumo que você não esteja usando o JR RailPass, correto?
      Acredito que seja possível sim adquirir a passagem ali mesmo. O que tenho certeza que não dá é para comprar o JR RailPass lá - você deve comprar antes de chegar no Japão!
      Partimos da estação Central de Tóquio mesmo, que era perto do nosso hotel. Muito provavelmente você também encontre trens para Kioto partindo de outras grandes estações da cidade, como Shinjuku (maior) e talvez até Ueno.
      Dê uma olhada no site da JR, eles têm todas as informações lá. Basta que você escolha no portal a regional em que Tóquio está inserida.
      Boa Viagem!!!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Oi!! Adorei suas dicas!! Me diverti muito lendo rsrs Gostaria de saber se você sabe se dá para comprar os passes em ienes ou se só tem como comprar em dólar... Agradeço! =*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!
      Olha, varia muito de agência para agência, algumas convertem para US$ para facilitar, mas o meu foi convertido direto de ienes para reais.

      Excluir
  5. Olá Diogo, parabéns pelo blog, gostei muito do seu post e fiquei com mais vontade de ir ao Japão =]

    Tenho algumas dúvidas, poderia me ajudar?

    Em relação ao Japan Rail Pass, pelo que eu entendi, eles tem uma tabela de dias e horários (achei massa as horas) no http://www.hyperdia.com/, mas gostaria de saber se tem alguma maneira de ver todos os horários.

    Gostaria de me hospedar em duas ou três cidades, mas ficar visitando as cidades vizinhas com trem-bala, não gosto de ficar "marcando hora" em viagens de lazer.

    O objetivo é fazer bate-volta (parecido com um comentário acima) sem hora marcada, é possível fazer isso? É fácil pegar trem sem fazer reserva? Por exemplo, Osaka e Kyoto são relativamente perto, eu gostaria de ficar em Kyoto e visitar Osaka, sem me preocupar em ter um horário fixo pra voltar (claro, sempre tomando cuidado pra não passar do horário que "fecha" os trens)

    isso é fácil se fazer com o Japan Rail Pass? Quais as dicas para isso?

    Já agradeço pelas dicas do site e desculpa por tantas perguntas, é dificil planejar uma viagem pra tão longe.

    vlw!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado.
      O horário dos trens você encontra no site da JR.
      Olha, pelo que me lembro eu marquei o horário da ida na rota Tokyo-Kyoto, mas não lembro mesmo se tive que marcar a volta...
      Quando fui pela primeira vez fiz mais viagens de trens e não marquei hora não e usei este esquema de escolher uma base e trabalhar com bate-e-volta.
      Boa viagem!!!

      Excluir
  6. Olá, Diogo!
    Parabéns pelo blog! Muito completo e instrutivo!
    Estarei no Japão no próximo dia 18.02 - quinta à noite (depois das 22h). Desembarco em Haneda vindo de Dubai. Já tenho diárias de hotel reservadas e pagas em Kyoto para os dias 19, 20 e 21 (sexta, sábado e domingo). No dia 21, domingo, retorno para Tóquio e fico lá até o dia 28 - no outro domingo. Portanto, estadia de uma semana na capital japonesa. Daí pergunto: Qual a melhor forma de fazer esses deslocamentos? Passe JR? Só vi que tem 7, 14 e e 21 dias! Preciso chegar em Kyoto logo no dia 19 cedo para não perder tempo. O ideal era pegar o primeiro trem da manhã. Pensei em pernoitar no próprio aeroporto e partir no dia seguinte para Kyoto. Vi que preciso sair de do aeroporto antes e ir para outra estação de onde parte o trem-bala (Estação Central de Tóquio). Vale a pena reservar o assento? Serão duas pessoas - eu e minha esposa. Meu total de dias no Japão é 10. Vale a pena pegar o passe de 7 dias e depois me virar nos demais dias com metro e trem urbano com tíquetes avulsos ou outros tipos de passe em Tóquio? Pretendo fazer também alguns passeios as arredores - Disney Tóquio - na própria cidade de Tóquio, outro parque temático perto do Monte Fuji (Fuji Q HighLand - 2 horas de Tóquio), Universal Studios (perto de Osaka - 2 horas de Tóquio), etc. Talvez seja o caso até de repensar se vale a pena fazer esses passeios mais distantes. No meu lugar, o que você faria? Obrigado desde já. Abraços, Rafael F.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, tremenda viagem hein!!! Escolheu bem!
      Eu iria de JR Pass sem dúvidas.
      Pela tranquilidade e custo/benefício.
      Para saber se compensa ou não reservar o assento no trem, melhor ir uns dias antes na loja deles nas estações e ver como será a ocupação para o dia/horário da sua viagem.
      Abraço e boa viagem!!!

      Excluir
    2. Muito obrigado, Diogo! Você indicaria, então, o passe de 7 dias na categoria turística? Chego em Tóquio e preciso embarcar no outro dia cedo. Não vai dar tempo, portanto, de fazer a verificação que você sugere. Talvez seja melhor reservar o assento antes. Mas fico com receio que tenho que fazer o trajeto Haneda-Estação Central de Tóquio antes e não posso perder o trem que tiver o assento marcado. Enfim, creio que vou ter que checar os horários dos trens para definir o que fazer. O que acha? Obrigado novamente. Abraços, Rafael F.

      Excluir
    3. Entendo que o de 7 dias é mais indicado.
      Na duvida, reserve o assento, principalmente nesta situação peculiar.
      No Japão os trens são absolutamente confiáveis e pontuais, então dificilmente você perderá um por atraso do outro. Mas deixe uma janela por conta de imprevistos pessoais.
      Abraço.

      Excluir
    4. Muito obrigado! É possível fazer a reserva online ou só nos guiches da JR após retirar o passe? Tem algum prejuízo se eu marcar o assento e não comparecer? Últimas perguntas! Prometo!Kk Abraços, Rafael F.

      Excluir
    5. Salvo tenha havido alguma alteração no último ano, só pessoalmente.
      Acho que se não comparecer você perde o valor da reserva. Abraço.

      Excluir
  7. Diogo, gostaria de saber se o JR tem convenio com hotéis no Japão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hum, que eu saiba não, mas vale conferir no site deles se tem algo do tipo.

      Excluir
  8. Olá Diogo! Parabéns por todas as informações que você disponibiliza.

    Tenho uma dúvida, dia 27 chego no Japão ( Haneda) . Comprei o Japan rail pass, green 14 dias. Ao retirar o passe de trem, pretendo marcar algumas viagens, a reserva de assento é paga? Ou simplesmente chego no horário do trem sem reserva alguma e embarco ? Como funciona isso ?

    Desde já obrigado e um abraço

    Felipe

    ResponderExcluir
  9. Oi Felipe,
    Não existe custo adicional conforme informado pela própria JR: http://www.japanrailpass.net/en/purchase.html
    Abraço e boa viagem!!!

    ResponderExcluir
  10. Ola Diogo! Muito legal seu blog! Sempre dou uma passada nele quando vou viajar!!
    Eu e meu marido vamos para japao agora em maio e compramos o JRpass pois vamos para algumas cidades proximas...Estamos em duvida quanto a Tokyo, se vale a pena comprar algum passe de metro, tipo o suica. Vc indica algum especifico? Acha que vale a pena? Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Putz Amanda, que legal.
      Vocês vão aproveitar muito esta viagem.
      Olha, depende de duas coisas: quanto vocês gostam de andar e se você tem dias sobrando no seu JR Pass para gastar dentro de Tóquio. Particularmente eu não compraria um passe para a cidade.
      Como tínhamos dias sobrando no nosso passe, usei ele dentro da cidade porque praticamente todas as atrações eram acessíveis via trem urbano - tão bom, senão melhor que o metrô. Usei metrô apenas para ir ao Asakusa Kanon que não tem trem perto.
      De outro lado, caminhar pela cidade é uma delícia porque tudo é muito plano e é fácil juntar as atrações mais próximas para caminhar de uma para outra.
      Enfim, considere estes fatores.
      EXCELENTE viagem para vocês!!! E obrigado pela visita!
      Abraço.

      Excluir
  11. Oi Diogo.
    Adorei o site. As dicas foram muito úteis.
    Irei para o Japão no próximo mês com minha esposa e meus pais. Inicialmente, faremos uma excursão (exigência dos pais) e depois ficaremos mais 3 dias em Tóquio por conta própria.
    Para mim, acho que não compensa comprar o JR Pass, pois usarei apenas 3 dias e não farei viagens longas. Pretendo apenas explorar a cidade de Tóquio (principalmente pela linha Yamanote) e conhecer Nikko e Yokohama.
    No meu caso, qual tipo de ticket que você recomenda que eu compre?
    Desde já, agradeço.
    Abraços.
    Tobias

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Tobias,

      Olha, dependendo da quantidade de deslocamentos que você for fazer em Tóquio pela Yamanote ou outras linhas da JR, um bilhete diário pode ser uma opção.
      Agora se você for conhecer por conta Nikko e Yokohama (fiz na minha segunda viagem), o passe da JR pode sim ser uma excelente opção já que ele será útil nestes trajetos e também dentro da cidade nas linhas da JR (inclusive Yamanote).
      Abraço e divirta-se muito no Japão!!!

      Excluir
  12. Ótimo texto e dicas, fico sonhando com minha vez! Vou passar 20 dias em março rodando o Japão, Toquio sete dias, o resto vou torrar um JR Pass de 14 dias de Toquio pra Sapporo até Hiroshima e voltando pra Narita pra ir embora.
    Alguma dica de cidade imperdível além de Toquio e Quioto? Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Diego, de Kyoto, faça o bate-e-volta até Nara. Imperdível!

      Excluir
  13. oi Diogo
    Estou indo para japão em Novembro 2016, chego dia 4 e volto dia 17.
    Pretendo comprar o JR. Gostaria de saber como ir de tokyo a Kyoto, e quanto tempo demora a viagem. Vi que tem um passa da JR regiona que pode usar o trem Super rapido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De Shinkansen (trem bala) são pouco menos que 3 horas.

      Excluir
  14. Bom dia.
    Vou viajar para o Japão em 04/10/2016 e fiquei um pouco preocupada com o que você falou sobre os endereços, porque eu não sei falar inglês, só sei o básico do Japonês tipo pedir uma comida, perguntar quanto custa, onde é o banheiro etc., mas não entendo o que eles falam.
    Vou viajar sozinha sem agência, fiz sozinha meu próprio roteiro, vou ir para kyoto, Mito e Tóquio, e estava pensando em me virar com os shinkansens e Taxi, mas como você disse que taxi é muito caro, fiquei preocupada, caro tipo quanto?
    Queria saber como vc se virou com os endereços lá?

    Agradeço desde já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dayane,
      Não me lembro dos valores, mas eram bem superiores aos daqui.
      Na prática, dá sim para andar de metrô sem sequer falar inglês, já que todas as estações e placas estão no nosso alfabeto.
      Os endereços não foram problema.
      Os japoneses são super simpático e como disse num post às vezes eles até te levam até o local.
      Se você quiser, dá também para salvar os lugares já no Google Maps ou MapsMe.
      Boa Viagem!!!

      Excluir
    2. Dayane me passa seu contato, também irei sozinho ao japão durante esse periodo, talves possamos combinar alguma coisa.

      Excluir
  15. Olá estarei indo ao Japão em Outubro e gostaria de saber se compensa o Jr pass de 15 ou 21 dias. Vou ficar de 4 à 25 de Outubro.
    Primeiramente 4 dias em tóquio, depois 2 dias em saitama, 4 dias em kyoto, 2 dias em Kagoshima, 2 em fukushima, e o restante mais ou menos 8 dias em tóquio.
    Compensa pegar o de 15 dias ja que a ultima semana vou ficar em tóquio e poderia comprar ticktes separados do metro, ou compensa pegar o de 21 dias e só usar as linhas da JR?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael,

      Apostaria no de 21 dias, já que a quantidade de deslocamentos, mesmo em Tóquio é grande.
      Boa viagem!!!

      Excluir
  16. Você acha que compensa fazer cartão pré pago pra carregar? Pois as maiores dos cartões não carregam em iene direto e na hora da compra pelo que me falaram tem um taxa de conversão de dolar pra iene, como você fez em relação ao dinheiro, levou tudo em espécie, cartão de crédito?
    Qual a porcentagem que você indica em levar de cada um?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, hoje com o IOF como está só levo US$ e Euros em duas situações: se os países utilizam estas moedas ou para emergências. Para destinos diferentes, prefiro utilizar o saque nos ATMs direto da conta corrente.
      Abraço.

      Excluir
  17. Oi quais as linhas e estações somente JR que tem pegar pra ir de Tokyo a Osaka?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, acho melhor utilizar a Tokyo Central, e talvez Shinjuku (esta à confirmar). Abraço.

      Excluir
  18. Existe alguma vacina exigida pra entrar no japão?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael, como quando fui para lá sempre passei pela China e outros países que exigem a vacina, acabei tomando. Aliás ela agora vale para toda a vida.
      Tecnicamente o Japão não está na Ásia tropical, então não precisaria.
      Na dúvida, recomendo reconfirmar com o Consulado do Japão em SP: http://www.sp.br.emb-japan.go.jp/#
      Abraço.

      Excluir
  19. Diogo, fiquei com uma dúvida. Mesmo que eu tenha o JRPass, e queira pegar o NaritaExpress pra sair do aeroportoem direção a cidade, tenho que reservar os assentos Entendi que o JRPass inclui o NaritaExpress, mas não entendi se tenho que ir em algum balcão fazer a reserva de assentos. Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, oi. Quando fomos não era preciso fazer pré-reserva. Bastava ir ao balcão e apresentar o JR PASS

      Excluir
  20. Parabéns pelas dicas! Vou chegar em Tóquio (Haneda) por volta das 2300horas, será que vai dar tempo de passar pela imigração, pegar as malas e ainda entrar no metrô (verifiquei que o mesmo funciona até as 2400h)? Como poderei chegar em Shiodome?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!
      Olha, mesmo com toda a eficiência japonesa, acho que é pouco tempo para passar pela imigração (sem grandes filas em geral), pegar as malas e ainda ir até a estação...
      Neste caso, acho melhor utilizar táxi até a estação de trem mais próxima e de lá pegar um trem.
      Abraço.

      Excluir
  21. Oie! Adorei o post, ajudou bastante!
    Mas eu queria a sua opinião: eu vou para Okayama e haverá uma conexão entre o Aeroporto de Narita e o de Haneda para enfim pegar o vôo final, o translado não está incluso e eu tenho 5 horas para passar pela imigração, pegar a bagagem e chegar em Haneda para fazer o check-in e etc, você acha que dá tempo tranquilo?
    Obrigada desde já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, obrigado.
      Olha, nunca fiz este caminho, mas pela eficiência japonesa ;) versus tempo que você tem, acho que dá sim!
      Boa viagem!!!

      Excluir
    2. Obrigada pela resposta super rápida!!

      Excluir
  22. Olá, Diogo!! Boa tarde. Muito bom seu blog!!
    Queria tirar uma dúvida. Eu e meu marido ficaremos 19 dias no Japão. Estou na dúvida se pego o JR de 21 ou 14 dias.
    Como nosso vôo chega 23hs, já no dia 1 não usariámos o JR. Então seriam na real 18 dias. Os 3 primeiros seriam em Toquio mesmo e 1 em um bate volta de Kamakura.
    Fico na dúvida se pego o de 14 dias e pago a parte os deslocamentos em Tóquio e o de Kamakura ou se pego logo o JR de 21 dias. Qual sua opinião? Obrigada!! JULIANA DIAS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Juliana, obrigado.
      Olha, se você pretende utilizar muito o trem urbano (que leva a todos os lados da cidade) o de 21 dias é melhor, assim você estará coberta para todo o período da viagem.
      Boa viagem e curta muito!!!

      Excluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui