13 de abril de 2016

Dicas do Havaí: North Shore para quem não surfa?

North Shore, onde Oahu respira surfe.
Se Havaí e surfe são sinônimos, imagine então North Shore, a região com as melhores ondas de Oahu? Inventado pelos antigos havaianos, o esporte literalmente faz parte do estilo de vida dos locais.

Quem já surfa, certamente já conhece a fama local, vai enlouquecer no Havaí; e qualquer coisa que eu falar aqui não será novidade para ti. Agora se você não sabe quem é Kelly Slater, ou pior ainda, Gabriel Medina e Mineirinho não te lembra nada (dica: Campeões Mundiais de Surfe), não sabe o que está perdendo.

Eu mesmo não tinha uma opinião formada a respeito do esporte e confesso que só passei a apreciar e acompanhar melhor o esporte depois de assinar o Canal OFF. Olha, o que estes caras fazem em cima de uma prancha é loucura!

Depois de experimentar uma deliciosa aula prática com a Hans Hedemann Surf, passei a admirar ainda mais o esporte.

No Havaí é possível pegar ondas o ano todo, mas as grandes ondas atingem o arquipélago principalmente no inverno, mais ou menos de novembro a março. Neste período elas podem chegar a 30 pés, o equivalente a uns 9 metros.
Tem espaço para tudo: longboard em Army Beach.
Bodyboard em Banzai Pipeline.
E o pessoal mais radical 
Pegando tubos em Banzai Pipeline.
Em Oahu, as grandes ondas são mais comuns na porção norte da ilha, conhecida como North Shore. É lá que ocorre entre novembro e dezembro a Tríplice Coroa, o campeonato mais importante da temporada e que culmina com o final da temporada. Aliás o final das duas últimas temporadas foram simplesmente épicas para o Brasil. Tanto que os atletas brasileiros passaram a ser chamados de Brazilian Storm, pelo chocolate que vem dando nos gringos nos últimos 2 anos.

Mas a questão é: para quem não surfa, North Shore vale a pena?

Particularmente acredito que a região não tem as melhores praias de Oahu, mas ai é gosto. Certo? Como vocês viram no post anterior, penso que as praias mais bonitas de Oahu estão no sudeste / leste da ilha.

Bem menos urbana, a região de North Shore também está longe de ter a infraestrutura da badalada Waikiki.

Poxa, mas então porque visitar North Shore?

Bem, a primeira coisa que adorei na região foi o fato dela justamente não ser tão agitada (fora da final de campeonato, é claro). Basta notar que a principal – senão única via de acesso – a Kamehameha Hwy, é uma estrada de mão única que corta toda a região mais parece uma daquelas estradinhas do interior.

Segundo que o clima lá consegue ser ainda mais relaxado e descontraído que o do restante da ilha.
Kamehameha Hwy, a principal via de acesso à North Shore.
O charme de uma igrejinha local.
Fora isso, é uma oportunidade perfeita para ver de perto a cultura do surfe tão arraigada nos havaianos.

Minha sugestão é que você percorra a Kamehameha Hwy e escolha algumas praias para parar, e até fazer um pique-nique. Nós fizemos uma rápida parada em Pupukea para comer algo e olhando a praia nos deparamos com uma boa surpresa: não mais que uns 50 metros de onde estávamos, uma grande baleia jubarte.
Olha ela ai.
E poucos metros dali um surfista só olhando. Momento frio na barriga.
É na região de North Shore que fica o ponto mais famoso de Oahu para surfe: Pipeline. Aliás, local altamente desaconselhado para inexperientes ou banhistas.

Tecnicamente, a North Shore vai de Haleiwa até Kahuku, incluindo ai Waimea Bay, Sunset Beach e Banzai Pipeline. Esta última, a mais famosa de todas é palco da final do Mundial de Surfe entre novembro e dezembro, lugar em que nos últimos dois anos foi tingido de verde e amarelo por conta da comemoração pelos dois títulos brazucas.
Num acostamento da estrada, um food-truck que vende pastel, coxinha e  pão de queijo tipicamente brasileiros.
Uma homenagem ao surfista local Ronnie Burns.
Como era de se esperar, o lugar passou a ficar famoso justamente por conta do surfe lá pelos anos 50/60.

A mais famosa praia da região é Banzai Pipeline (ou somente Pipeline ou ainda 'Ehukai Beach Park para os locais). Como praia mesmo, confesso que já outras muito mais bonitas e atrativas, mas a grande atração aqui não é simplesmente curtir uma praia, mas sim as ondas perfeitas que fazem dela o mais famoso local para surfe do mundo.

E não estamos falando de uma onda qualquer, no inverno, elas podem chegar facilmente a 15 pés, algo como 4,5m, o que pode até não parecer lá grande coisa. Mas considere que ela é formada em cima de um recife, o que agrava, e muito, os riscos no caso de um tombo na água. Definitivamente as ondas de Pipeline não são para principiantes.
Banzai Pipeline.
Banzai Pipeline.
Bastante gente esperando um boa onda.
Tudo isso no fundo é coral!
Se você prefere ficar com seus pés seguros na areia, Pipeline é um excelente lugar para ver o pessoal surfar de verdade - digo isto porque lembro da nossa frustração ao ver as marolas da linda Bondi Beach.

E por falar em marolas, se você quiser ver ondas grandes de verdade, lembre-se que estas estão presentes em Pipeline apenas em certas épocas do ano e mesmo assim, é preciso acertar o horário das marés. Lembro bem de uma amiga que sempre será lembrada, e zoada, por comparar as ondas dali com as de Caraguatatuba/SP (né Simone???).

Embora existam várias indicações e placas para você chegar lá, o endereço oficial é 59-337 Ke Nui Rd. E há estacionamento gratuito no local – não estacione no acostamento da estrada!

Seja no caminho de ida ou de volta de North Shore, pare para esticar as pernas e gelar a garganta. À beira da Kamehameha Hwy vocês encontrarão um pequeno, mas charmoso centro comercial com muitas lojas de surfe e principalmente o Matsumoto.


Para quem não conhece, o Matsumoto é o lugar mais famoso de Oahu para tomar um shave-ice. Apesar do nome chique, trata-se de nada menos que uma raspadinha bem parecida com aquelas que vocês encontrariam em qualquer praia brasileira.

A sacada do Matsumoto está no fato de que ele tem uma grande quantidade de sabores – não misture muito não porque fica uma gororoba – e no fato de que ele faz uma tremenda publicidade. Basta notar a quantidade de camisetas, chaveiros e badulaques que eles vendem na loja. Vale experimentar!
Por dentro o lugar é bem simples.
A enorme lista de sabores.
Raspadinha, ou melhor shave ice no estilo havaiano.
Para quem quer curtir uma praia, lagarteando na areia, a minha sugestão é Waimea Bay Beach Park uma praia com ondas fortes, mas uma enorme faixa de areia branquíssima. A praia fica em uma baia bem fechada e curta; e tem uma inclinação enorme.
Waimea Bay.
As ondas são super fortes.
E as águas claríssimas.
Lá vocês também encontrarão uma boa infraestrutura de duchas, banheiros e estacionamento gratuito.

Se você cansou de tanta praia, visite o Waimea Valley, um parque ecológico com uma enorme variedade de plantas e flores locais em meio à mata nativa. O ingresso custa US$ 16, abre diariamente das 9h00 às 17h00 e fica na 59-864 Kamehameha Hwy.
Entrada do Waimea Valley.
Uma outra praia que eu gostei bastante, principalmente pelo fato de estar praticamente deserta quando visitamos foi Mokule'ia Beach (Army Beach). Com águas mais tranquilas que as demais praias de North Shore e areia clara, é ideal para famílias e crianças.
Acesso por vielas.
O trecho mais deserto de Army Beach.
Army Beach.
A praia tem dois trechos, um deles é bem no meio de um bairro, tanto que o acesso é por meio de vielas entre as casas. Praia super deserta por ali.
E outro trecho mais agitado.
Já o outro tem cara de praia mesmo, com uma estacionamento gratuito e facilidades como duchas e banheiros.

Ali perto, em uma área mais distante, e infelizmente inacessível por terra, fica a praia que serviu de cenário para uma das maiores séries de TV que já se viu: LOST!!! Dude! Sim! Dude, We are LOST... TUUUMMM (quem assistiu a série entendeu Kkkk). A praia serviu de morada para os personagens por 6 temporadas, e num bambuzal ali perto foi rodada a cena inicial da série.
A praia de Lost, vizinha (ao norte) de Army beach.
Fiquei imaginando o povo vendo dos arredores destroços de avião pegando fogo na praia. Quantas ligações será que o 911 recebeu naquele dia???

Como todo fã que madrugou para baixar pela internet os episódios (porque esperar a “tvzinha” nacional não dava!) fiquei morrendo de vontade de ver o local de perto, mas como é uma área federal restrita, não havia a menor chance!
Mas nem pense em entrar!
Aliás quem quiser pode fazer um tour completo por várias locações das filmagens da série deve dar uma olhada no site da Hawaiian Escapades (são várias opções/preços) ou pode simplesmente dar uma olhada no (maravilhoso!) Lost Virtual Tour e escolher as locações que estão no seu caminho ou conforme o episódio – genial! Outro bom site para quem procura pelas locações do seriado é o LOST Locations, com direito a mapa no Google Maps e tudo.

Nesta linha, quem quiser visitar o local do episódio final deve procurar pela Sacred Heart, uma pequena igreja no centro de Honolulu (3253 Waialae Avenue). Só não garanto que ela estará aberta ao público, pois trata-se de um colégio.
Banzai Pipeline.

Com este post, nos despedimos de Oahu! Próxima parada... Big Island!

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui