22 de abril de 2016

Dicas do Havaí: Onde Comer?

O que comer e beber (bem!) no Havaí.
Desculpe a sinceridade, mas se você for para o Havaí já com a ideia fixa de comer apenas em redes de fast food, sou obrigado a sentir uma pontinha de pena. Lamento porque você irá perder uma parte importante da experiência que é estar no Havaí. Graças à diversidade cultural, que me faz considerar o estado havaiano o mais diferente dos EUA, a comida ali não tem nada a ver com a típica imagem que temos da comida nos EUA: fast food.

Considero uma verdadeira judiação ir para um lugar destes e ficar comendo todo dia fast food sendo que existe comida boa, de qualidade e barata em toda esquina. Por mais que a gente não tenha resistido à uma sobremesa no Cheesecake Factory, coloquei como meta nesta viagem tentar o máximo possível o que era típico.

Com uma cultura tão diferente dos demais estados americanos, não seria muito difícil esperar que a comida local fosse uma surpresa. E das boas!

Os pratos misturam elementos da culinária local com toques asiáticos. A presença de peixes e frutos do mar é enorme. Também, cercado por uma marzão fantástico nem poderia ser diferente.

Dos pratos típicos, o prato que mais me atraiu foi o tal do poke. A boca enche de água só de falar!

O poke é uma mistura de atum cru com arroz, e às vezes salada de batata com maionese, servido em uma travessa funda pronto para comer. E o mais legal é que não existe apenas uma versão, mas sim trocentas! Cada uma com um tempero diferente. Só no shoyu temperado levemente com wasabi, com salsa, e por ai vai.
Algumas das muitas variedades (estes são do Foodland). O difícil e escolher qual!
Pegue a sua tigela e vá para a praia ou para o parque fazer um pique-nique.
O melhor poke que comi foi no Da Poke Shack. Existem duas unidades, uma nos arredores de Kona (76-6246 Ali'i Drive, Kailua-Kona) e outra em Capitain Cook, ambas na Big Island.

Fomos na de Capitain Cook que fica na beira da estrada, literalmente. O restaurante é bem simples. Dentro, apenas um balcão e o local onde o poke é feito na hora, super fresco. Do lado de fora, algumas mesas de madeira e mais nada. Simples mas delicioso!!!
Se ver esta placa, encoste!
O lugar é super simples, mas divino.
Feito de atum fresco.
Até me chamaram para ver o atum que havia acabado de chegar.
E eis a obra prima. Me afogo de tanta água na boca! #TeletransporteJá !!!
Mas se você não estiver na Big Island, recomendo o Foodland; não só para um poke mas também para uma salada, um grelhado, sushis e sashimis, e outras comidas frescas e gostosas. Olha, sinceramente esta acho que é a dica mais importante para alguém que vai para o Havaí.
Se você topar com este letreiro, corre porque tem coisa boa lá. Algumas lojas são inclusive 24hs.
O lance é mais ou menos o seguinte, o Foodland é uma rede de supermercados (tem em tudo quanto é canto e em todas as ilhas) que além do óbvio de qualquer supermercado, vende muita comida natureba e deliciosa a preços justíssimos. Ele faz as vezes do WholeFoods que existe em outros estados dos EUA – e tem algumas poucas unidades no Havaí.

Para vocês terem ideia, ao menos uma, às vezes as duas refeições do dia acabávamos fazendo lá. Era só ir para o balcão de comida fresca e pegar uma tigela ou uma marmita de poke (delicioso!) ou uma salada com grelhado; talheres, guardanapo e ir fazer um pique-nique em algum lugar.
Saladas e acompanhamentos.
Comida japonesa.
Frutos do mar. 
E poke, é claro. Minha sugestão é este de wasabi.
Fala, onde você encontra uma refeição saudável por menos de US$10??? Queria algo assim perto de cada/trabalho.
O poke vem sempre em tigelas cujo tamanho varia de 1/2; 3/4; 1 e 1 1/2 LB - só para dar ideia, cada libra (LB) são umas 450gramas. O preço varia conforme o tipo de poke e peso, mas eles costumam ter sempre o poke do dia que é mais barato, e não menos gostoso.

Graças à esta dica de ouro dos amigos Cláudia, Simone e os Fernandos; além de economizarmos uma grana, comemos muito, mas muito bem no Havaí. Então anote ai no seu mapa os Foodland que tiver pelos caminhos e fuja das redes de fast food.

Agora se não der para ir a um Foodland, e precisar de um quebra galho rápido, sugiro a seção de lanches naturais e comida japonesa das lojas ABC. Pode até não ser aquela refeição, mas para quem estiver por exemplo na praia, é só atravessar a rua. Em Honolulu, elas estão em tudo quanto é canto, às vezes até uma ao lado da outra.
Elas estão por todos os lados e quebram um galho.
E têm boas opções de lanches naturais, saladas e bandejas com comida japonesa.
Como existem muitos supermercados de redes conhecidas como Walmart e Target (prefiro!), outros ítens são facilmente achados. Aliás para quem for alugar um apartamento ou casa durante uma estadia, supermercado tipicamente americano é uma ótima perdição.

Viajando com crianças pequenas? Encontrar comida de bebê nestes supermercados é muito fácil. Aliás a variedade é enorme.
Uma das lojas da Target em Oahu.
Comida de bebê para todas as fases.
Sobremesa local? Olha, tudo que consegui encontrar foi algo chamado shave ice... Nome bonito né? Mas não passa da nossa raspadinha com umas frescuras a mais. Ok, num dia quente está valendo. Um dos melhores lugares para prová-lo, embora existam vários pelas ilhas é o do Matsumoto na North Shore.
Scandinavian na Big Island.
E Matsumoto em Oahu, bons lugares para provar a raspadinha local.
Além do típico mai tai (rum, licor Curaçao, e suco de limão), um aperitivo típico, outra bebida, mas nada alcoólica, que é tradicional do Havaí é o café. E não é qualquer um não, estou falando de um dos café mais especiais do mundo o Kona Coffee. Cultivado na Big Island, no solo super fértil que advém das erupções recentes e até constantes da ilha, ele é um dos cafés mais especiais do mundo.
Donkey Balls vende chocolates e café.
Definitivamente o Kona-Coffee não é barato no câmbio atual.
E para o meu paladar, achei meio aguado (como os cafés americanos). Com menos água ficaria excelente!
Nós tivemos oportunidade de prova-lo na Big Island, em uma loja da rede Donkey Balls que também vende um doce homônimo que consiste em bolas de chocolate com uma macadâmia dentro. Vou ser vem sincero até porque aqui em casa, modéstia à parte, a gente sabe fazer (e beber) café de tudo quanto é jeito. O fato é que se os americanos não colocassem tanta água no café ao ponto de fazer ele quase que virar chá, o Kona Coffee seria ainda mais gostoso.

Algo diferente e que praticamente inexiste na maioria das cidades dos EUA que visitamos são as feiras de rua. Lá apelidadas com um nome chique de Farmers Market, é a oportunidade para ver e comprar alguns produtos típicos que vão de comidas e bebidas à artesanato. Infelizmente não tive tempo de conhecer a mais famosa delas, o KCC Farmers Market, onde são vendidos produtos fresquíssimos, afinal normalmente são os próprios produtores que ali vendem seus produtos. Como muitas barracas vendem produtos para consumo ali mesmo, rola uma espécie de street food.
O abacaxi é a fruta local mais tradicional e está por todos os lados.
Vira até suco de lata!
Agora se você quiser algo mais despojado e que está na moda - não só nos EUA como no Brasil – vá para a Eat the Street, um evento mensal que reúne vários food trucks num só lugar.
Food-trucks por todos os lados.
Um lugar que é bem popular em Waikiki é a padaria Leonard's. Nesta padaria portuguesa, sim, você leu certo, é servido uma espécie de donut chamado de Malasada. Imperdível! O principal endereço fica na 933 Kapahulu Ave e funciona de domingo à terça das 5h30 às 22h00 e sexta e sábado até as 23h00. O outro endereço é um trailer que fica próximo ao Waikele Premium Outlets, na 94 Lumiaina St. e funciona de domingo à terça das 6h00 às 21h00 e sexta e sábado até as 22h00.
Food-truck do Leonard's.
Fofinho.
E recheado com creme. Hummm.
Nesta mesma linha, mas no lado norte da ilha, vale conferir a Ted’s Bakery (59-024 Kamehameha Hwy, onde são servidas refeições rápidas e deliciosas.

Uma viagem aos EUA não está completa sem um típico café da manhã cheio de guloseimas e principalmente panquecas e omeletes. O Eggs 'n' Things é um excelente lugar para tomar um daqueles cafés da manhã que farão você literalmente pular o almoço (kkkk).

Quem quiser provar uma cerveja local deve procurar pelas cervejas da Aloha Beer Company, uma pequena cervejaria que oferece inclusive tours na sua sede – agendar antes. Eles fabricam vários tipos de cerveja. Tive a oportunidade de provar uns 4, e adorei. Elas tendem a ser mais leves, justamente para combinar com o calor constante das ilhas.
Prestigie a cerveja local!
Excelente e com muita variedade.
Olha, eu viveria fácil por um bom tempo à base de poke, cerveja local e kona coffee!!!

Vai por mim, no Havaí, fuja do óbvio e se jogue na culinária local.


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui