14 de outubro de 2016

Dicas da Eslovênia - E tinha um destino encantador no caminho!

Apaixonante, esta é a Eslovênia. (Bled)
Logo que comecei a estudar mais a respeito da Eslovênia já vi que iria me apaixonar pelo destino. Confesso que antes disso, tudo o que eu sabia era que o país tinha sido parte da antiga Iugoslávia; que tinha um lago lindo (Bled); e que a camiseta de sua seleção de futebol era uma das mais estilosas.


Este ano resolvemos conhecer a região dos Bálcãs, ou seja, mais ou menos uma parte da Europa que correspondia à antiga Iugoslávia. Claro durante a fase de planejamento todas as atenções voltaram-se para o mais conhecido destino da região, a Croácia.

Porém como vocês já sabem, somos do tipo que já estando em um lugar, aproveita para conhecer os arredores. Olhei o mapa e logo vi que dava para esticar um pouco mais para os países vizinhos.

Estudei um pouco e notei que dava para conhecer ao menos um pouco da Eslovênia, juntamente com Montenegro e Bósnia-Herzegovina. Por mais que você veja fotos e estude sobre um destino, chegar lá é sempre uma surpresa.

No caso da Eslovênia, uma excelente surpresa. Tinha sim algumas expectativas sobre o país depois de estudar. Mas ao ver e vivenciar um pouco do país, tive a certeza que eles não poderiam ter escolhido um slogan melhor do que sLOVEnia, num trocadilho perfeito com love para o marketing de turismo local.
Uma capital maravilhosa.
Cavernas incríveis.
E castelos.
Deram à Eslovênia um lugar especial no nosso coração de viajante.
Saímos de lá encantados, e com um enorme gostinho de quero mais. Tanto que se antes de ir para lá dizíamos genericamente Ah estamos indo para a Croácia, voltamos de viagem dizendo Desta vez fomos para a Eslovênia e Croácia.

Diferentemente da sua famosa vizinha ao sul, a Croácia, os eslovenos recebem poucos turistas brasileiros. Uma pena, porque o país tem muito a oferecer. Eu mesmo fiquei com a certeza de que daria fácil para passar mais dias no país – tivemos apenas 3 dias lá.

O que mais chamou a atenção é que a Eslovênia é um destino com mais cara de Europa central ou do norte do que por exemplo a Croácia que respira ares absolutamente mediterrâneo. Aliás, por mais que os dois destinos se completem muito bem em uma viagem as semelhanças são poucas.

Enquanto que a Croácia é mundialmente conhecida por suas cidades litorâneas e o estilão bem mediterrâneo, a Eslovênia transborda aquele típico charme europeu e cheias de história sobre castelos, e montanhas cobertas de neve durante parte do ano.

Pelo interior do país é relativamente fácil topar com paisagens bucólicas no melhor estilo Suiça com montanhas nevadas, chalés cheios de charme e muita, mas muita vegetação – juntamente com a Suécia e com a Filândia, a Eslovênia é um dos países europeus com maior área verde.
Lugares como Vintgar Gorge são só um exemplo do que a natureza fez na Eslovênia. 
Vintgar Gorge.
Mas onde mesmo que fica a Eslovênia? A Eslovênia fica ao sul da Áustria, fazendo divisa ainda com outros três países: Hungria; Croácia; e Itália. Justamente por conta desta posição privilegiada é que a Eslovênia é um destino perfeito para ser somado a qualquer um destes outros países.

O interessante é que por conta de sua posição geográfica a Eslovênia consegue pegar um pedacinho dos Alpes e ainda dar uma beliscada no mar Adriático. Isto garante uma variedade de paisagens única.

E por falar em roteiro, a Eslovênia tem grandes atrativos, mas considero que ao menos três lugares sejam realmente essenciais a um bom roteiro pelo país: a capital Liubliana (ou Ljubjana na língua local); o Lago Bled; e se possível uma esticada até duas atrações imperdíveis que ficam bem próximas: Caverna de Postojna e o Castelo de Predjama.

Sob o ponto de vista histórico, a Eslovênia já foi parte de grandes impérios e nações como o Império Romano e depois Bizantino, da República de Veneza, do Império Austro-Húngaro. As influências deste último são nítidas na arquitetura de Ljubljana que neste aspecto parece uma mistura de Viena com Budapeste.
A Eslovênia tem uma história riquíssima.
A Eslovênia, juntamente com a Croácia, Bósnia-Herzegovina, Sérvia, Montenegro, Macedônia e Kosovo (há divergências se é um pais ou não?!?!), faziam parte da extinta Iugoslávia que ruiu no começo da década de 90 dando origem a partir daí a tais países. Durante a nossa viagem, tivemos a oportunidade de passar por 4 dos 7 países que compuseram a Iugoslávia, e fiquei com a impressão de que destes, o mais desenvolvido é a Eslovênia (aliás, deu para perceber o quanto eles são diferentes entre si).

Tanto que esta república parlamentarista foi a primeira das “novas nações” a se recuperar dos horrores da Guerra dos Bálcãs e um dos primeiros países daquela região a integrar a União Européia em 2004. A bem da verdade, dos países que formavam a antiga Iugoslávia que teve uma dissolução sangrenta, a Eslovênia foi a que menos sofreu com a guerra, até mesmo porque já era mais desenvolvida a época.

Hoje a economia local está muito bem estabelecida depois de um período de grande crescimento entre 2005 e 2009; o que proporciona uma excelente qualidade de vida à população, bastando notar que no índice IDH (desenvolvimento humano). Eles ocupam a 25° lugar, o que mesmo na Europa é um tremendo resultado.

O grande foco da economia é o setor de serviços, mas a indústria eslovena também é respeitável. Nela as duas principais atividades são a produção de veículos e indústria farmacêutica.

A população, de pouco mais de 2 milhões de habitantes é formada em sua maioria por cristãos, principalmente católicos. Muito educados, dizem que os eslovenos, são mais abertos que a maioria dos europeus.

Nós ficamos muito bem impressionados com a receptividade e a simpatia local. Sabe aquele pré-conceito que alguns (infelizmente) ainda têm de que europeu é frio? Na Eslovênia, esquece, o povo é super aberto a uma boa conversa e sabe receber os turistas como em poucos lugares do mundo. 
Nesta viagem a família Cumbicão teve reforço! E todos amaram a EsLOVEnia!
Só para dar uma ideia de como as pessoas lá podem ser, certo dia estávamos na bilheteria de uma atração e ao ver que éramos brasileiros, um esloveno do nada começou a cantar o hino brasileiro (as duas partes!), e não contente, cantou ainda o da independência - confesso que não sei de cabeça. Dois detalhes: cantou com uma perfeição incrível e praticamente sem sotaque. Boquiabertos, perguntamos para ele onde ele aprendeu e por que. Ele disse que aprendeu sozinho e porque ama o Brasil. Rimos muito juntos com aquela surpresa e decretamos ali uma paixão pela Eslovênia!

Cheio de vogais e com algumas palavras que são só vogais, o idioma oficial, o esloveno, é ininteligível aos nossos ouvidos. Aliás que me desculpem os eslovenos, mas para nós que não entendemos nada, a sonoridade parece a mesma do croata. Mas o lado bom é que ao menos nas áreas mais turísticas e as pessoas mais jovens falam um inglês perfeito.
Tem palavra que é um verdadeiro trava língua.
Outras palavras são incrivelmente parecidas com português. O que? Não percebeu que está escrito escola????
Como de praxe, na linha do ser simpático não custa nada, vamos aprender o básico do esloveno:

Oi: zdravo
Tchau: zbogom
Com licença: oprostite
Desculpe: žal (este z com acento tem som de ch)
Por favor: prosim
Obrigado: hvala
Sim/Não: ya/ne

Para ajuda-los a programar a sua viagem para a Eslovênia, vamos às questões práticas.

Onde ficar? A resposta a tal pergunta passa justamente por outra: qual o seu roteiro pelo país? Embora tenha visto que a Eslovênia tem grandes atrativos, escolhemos visitar a capital Ljubjana e de lá explorar os arredores. Isto funcionou muito bem!



Como queríamos uma localização central em Ljubjana, optamos pelo excelente Hotel Meksiko, cujo review vocês conferem aqui em breve. Fizemos a reserva via Booking.
Hotel Meksiko: excelente!
Quando ir? Como a Eslovênia não é um destino assim tão procurado pela maioria dos turistas (não sabem o que estão perdendo!), não dá muito para falar em alta e baixa temporada. Talvez a questão a ser mais considerada é o clima. Tem gente que ama um inverno com neve e tem aqueles que tremem só de pensar a respeito.

O clima na Eslovênia é justamente o inverso do nosso e com maior predomínio de baixas temperaturas. No meio do ano o verão traz temperaturas mais altas – mas nada que seja tão quente quanto o nosso, ok? E entre novembro e março as temperaturas literalmente despencam com o inverno europeu. Então se você não quiser temperaturas muito baixas, fuja do começo e final do ano!

Ljubljana
Mês
Jan
Feb
Mar
Apr
May
Jun
Jul
Aug
Sep
Oct
Nov
Dec
Máx.
(ºC)
15.8
19.7
24.3
27.8
32.4
35.6
37.1
40.2
30.3
25.8
20.9
16.7
Média
0.3
1.9
6.5
10.8
15.8
19.1
21.3
20.6
16.0
11.2
5.6
1.2
Min. (°C)
−20.3
−23.3
−14.1
−3.2
0.2
3.8
7.4
5.8
3.1
−5.2
−14.5
−14.5
mm
69
70
88
99
109
144
115
137
147
147
129
107
Dias de chuva
11
9
11
14
14
15
12
12
12
13
14
14

No verão, bares lotados nas ruas. 
Bandas ao vivo.
E tudo ainda florido.
Quanto tempo? Não tem receita certa, mas vai por mim, fiquei 3 dias no país, e ficaria fácil uma semana por conta de tudo que tem para ver por lá. Na capital Ljubjana, sugiro uns 2 dias para conhece-la, mas não se esqueça de separar um tempo ou alguns dias para explorar outros lugares do país como o Lago Bled, a Caverna de Postojna e o Castelo de Predjama. A vantagem é que como o território não é muito grande, os deslocamentos, mesmo de carro são relativamente pequenos.

Como parte signatária do Acordo de Schengen a Eslovênia não exige visto aos brasileiros que desejarem fazer turismo pelo país. Mas como qualquer destino europeu, você precisa ficar atento ao fato de que a validade do passaporte deve ser de no mínimo 3 meses após a sua pretendida partida de lá. Exemplificando: se você vai sair da Eslovênia em maio, seu passaporte precisa ser válido ao menos até agosto.
A imigração foi super tranquila na Eslovênia.
Lembrem-se que não obstante não seja preciso visto de turismo, eventualmente pode ser exigida a apresentação da passagem de volta, prova de meios de subsistência durante a viagem, e comprovante de hospedagem. Nós passamos pelas fronteiras terrestres, nas estradas, sem que absolutamente nada nos fosse perguntado.

Como qualquer outro país europeu que faz parte do Acordo de Schengen, eventualmente as autoridades imigratórias podem exigir a comprovação da contratação de um seguro de viagem. Desta forma, seja pela tranq utilidade de viajar sem preocupação (porque os custos de tratamento médico no exterior são estratosféricos), seja pela exigência da imigração, faça um!

Nós aqui em casa utilizamos a Real Seguro Viagem, parceira do blog. Vocês podem contratá-la diretamente no banner ao lado.

E já que o assunto é passaporte, a gente espera nunca precisar, mas é sempre bom ter anotado. O consulado brasileiro na Eslovênia fica em Ljubjana: Kongresni trg 3 –brasemb.liubliana@itamaraty.gov.br. Telefone +386 1 244.

Assim como outros destinos europeus, a Eslovênia é um destino bastante seguro, especialmente  para nós, calejados brasileiros. Cuidados mínimos e de praxe.

Se você pretende ir à Eslovênia já aviso: não existem voos diretos do Brasil para lá. Mas isto não é um problema, pois para chegar à Eslovênia é relativamente fácil por meio de uma conexão com outra capital europeia que opere voos diretos do Brasil. Quem desejar chegar de avião, além das inúmeras companhias aéreas europeias que você s já conhecem (inclusive algumas low cost), dá para contar com a empresa local, a ADRIA, que faz parte da Star Alliance.

Outra excelente forma de chegar lá é vindo de um dos outros países que fazem fronteira com a Eslovênia: Áustria, Itália, Hungria ou Croácia, como foi o nosso caso.

Ok, você já decidiu quando ir, quanto tempo ficar e como chegar lá. Mas e aí, onde ficar? A minha opção e que recomendo, é ficar na capital Ljubjana e a partir dali fazer os bate-e-volta para outros destinos nos arredores, com não mais que 60km você muda completamente de paisagem.
Ljubljana, a charmosa capital. Créditos: Ljubljana Tourism.
Embora seja sim possível locomover-se pela Eslovênia fazendo uso de trens e ônibus, a minha sugestão é para que você alugue um carro para ter maior liberdade e poder dividir as despesas se estiver viajando acompanhado.

Com estradas em excelente qualidade (padrão Europa, né?) e muito bem sinalizadas, contando inclusive com placas em mais de um idioma dependendo do lugar, é muito fácil dirigir pelo país.
As estradas são excelentes.
O único senão é o custo do estacionamento em grandes cidades como Ljubjana, onde uma diária pode custar até 12 euros. Portanto procure alugar o carro apenas para passear nos arredores da cidade, ou arrume um hotel com estacionamento incluído.

Ah, já ia me esquecendo! Ao alugar um carro, avalie se não é melhor comprar o Vignette. Trata-se de um selo que deve ser colocado no parabrisa e faz as vezes de “sem parar” local. Ao chegar nas praças de pedágio você pode ou ir para a fila do pagamento ou da passagem livre, se já tiver o Vignette. Ele é vendido na própria fronteira. Comprei ali mesmo por €15 euros para 7 dias, mas existem outras opções. Nem sonhe em viajar pelo país sem ele!
Preços e tipos de Vignett (verão 2016).
Cole no vidro do carro e guarde o recibo.
E nos pedágios, é só passar direto. Atenção: não tem outra opção que não o Vignett, não dá para pagar em dinheiro no pedágio.
Alugar um carro lá é bastante tranquilo. A nossa CNH é aceita sem problemas por lá (se você tiver uma PID – Permissão Internacional para Dirigir, leve apenas por precaução).

GPS? Dispense, utilize o seu celular com o MapsMe instalado.

A Eslovênia tem apenas um fuso horário. São 4 horas a mais que Brasília considerando-se o horário comum, e 3 quando estamos no horário de verão.

Como a Eslovênia já está totalmente integrada à União Européia, a moeda utilizada é o euro.

Além dos onipresentes ATM´s onde é possível sacar euros direto de sua conta corrente (vide post sobre cartões de débito no exterior), existem muitas casas de câmbio em todos os cantos. Só fique atento que os ATM’s sempre cobram uma pequena taxa – além daquela eventualmente cobrada pelo seu banco, ok?

Precisando, os bancos abrem de segunda-feira à sexta-feira no horário comercial.

Se você se assustou com o fato da Eslovênia utilizar o euro como moeda oficial, ainda tem um lado bom. Como a Eslovênia ainda não tem o mesmo custo de vida alto que outros destinos europeus como por exemplo Alemanha ou França, tudo lá custa menos que nos demais vizinhos europeus, então dá para fazer uma viagem ainda com um orçamento menor. Ufa!
A capital Ljubljana. 
Nós mesmos brincávamos dizendo que a Eslovênia é uma Suíça em termos de beleza natural e organização, sem o custo Suíça. :)

Compras na Eslovênia? Não sei não, olhando assim, mesmo com um custo menor que os vizinhos europeus, não vi nada que possa ser uma pechincha digna de considerar o país um destino de compras. Mas se você resolver comprar algo, saiba que a Eslovênia faz parte do programa Global Blue que prevê o reembolso do imposto VAT.

As regras são basicamente as seguintes: não ser residente da União Europeia; que a compra seja de mais de € 50,01 (não se aplica a bens como combustível, bebidas alcoolicas e tabaco); ter o formulário de reembolso preenchido – ele é fornecido pela própria loja; obter o carimbo da alfândega da Eslovênia ou de qualquer outro país da União Europeia; e anexar no formulário o comprovante de compra original.

Para maiores informações, visite o site oficial da Global Blue.

O que comer? A cozinha eslovena é um pouco diferente da croata.

Embora fora da costa seja mais difícil de encontrar peixes e frutos do mar, eles têm sim um pezinho na culinária mediterrânea, como todos os países da região.

Mas como estão muito próximos da Áustria e da Hungria, mantiveram muito da infuência dos tempos que estiveram sob o domínio do Império Austro-Húngaro.

Um prato que me pareceu muito interessante é o civapcici, que nada mais é que um bolinho de carne bovina e de porco muidas e assadas (quase uma kafta), servido com pão típico, cebola e um molho de queijo. Se for com uma cerveja local, perfeito!
Reparem no preço da água (à direita) e da cerveja alemã à esquerda. Ah que triste...
Assim este era o kit viagem do dia!
E por falar em cerveja, ou melhor pivô, no idioma local; um dos fabricantes mais famosos da Eslovênia, a Union oferece um tour baratinho pela fábrica com direito à degustação. Confira os detalhes aqui. Neste quesito, o que chamou muito a atenção foi o preço das cervejas. Locais ou importadas de vizinhos, ela sempre custava menos que refrigerantes ou sucos. Só para dar uma ideia, uma lata de 500ml saia por €0,98 em muitos supermercados. Isto para não falar das enormes garrafas de 2 litros. #perdição!!!

Eu sou formiga, e não recuso um docinho local. Na Eslovênia um dos mais famosos é o Prekmurska gibanica – nome difícil? Leve anotado para não deixar de experimentar. Ele é feito com maçã, amêndoas, uva passa, e ricota. Sentiu o drama???

Fora isso ainda tem o potica, um rocambole de nozes. E o cremeschnitte de Bled então???
Cremeschnitte ou bolo de creme de Bled. Hummmm!
Assim como os croatas, os eslovenos não só adoram, como são hábeis na arte de fazer sorvete. Um lugar bem tradicional para provar um típico sorvete eslavo é na VIGÒ Ice Cream.

Se estiver procurando por um lanchinho rápido, peça um burek. É um folhado que pode ser recheado com vegetais, queijo entre outras coisas. Tende a ser barato e gostoso! Comemos isto não só lá, mas em todos os países da região.
Lanche perfeito para um pique-nique urbano: burek com cerveja local.
As variantes de burek.
E como a gente adora um pique-nique de quarto, indicação de supermercado é essencial. Embora nas pequenas cidades encontrar um supermercado seja bem mais complicado porque predominam as pequenas vendinhas, nas grandes cidades é mais fácil encontra-los. Existem muitas redes boas de supermercado como a Spar, E.Leclerc, Mercator e Lidl.
A rede Hofer tem preços incríveis. Reparem no preço dos chocolates!
Nos supermercados vocês encontram sanduíches naturais, pratos prontos e estas saladas maravilhosas.
Itens para crianças é facílimo encontrar.
Na Eslovênia eles utilizam o mesmo padrão europeu para os plugs de tomada, ou seja, dois pinos redondos mais grossos – então não esqueça de levar um adaptador! E a voltagem é 220v.

Incrivelmente bem preparada para o turismo, a Eslovênia tem um excelente site de informações turísticas com postos de informações turísticas espalhados pelas principais cidades turísticas.

- Ljubljana Tourist Information Centre (TIC): Adamič-Lundrovo nabrežje 2. Telefone: +386 (0)1 306 12 15

- Slovenian Tourist Information Centre (STIC): Krekov trg 10. Teleforne: +386 (0)1 306 45 75, 306 45 76
Posto de informações turísticas de Ljubljana.
Como vocês verão nos posts a seguir, ainda que pouco conhecida do público brasileiro, a Eslovênia tem muito a oferecer, e sair dali apaixonado pelo país é fácil.

No próximo post da série, vamos conferir as atrações da belíssima capital Ljubljana.

* O Cumbicão viajou à Eslovênia, a convite do Slovenian Tourist Board para coletar material para este post. Todas as opiniões e relatos aqui descritos refletem fielmente a experiência, atendendo à política do blog.


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui