22 de dezembro de 2016

Dicas da Eslovênia: Bled, não deixe de visitar.

A imagem mais típica da Eslovênia.
Mais do que simplesmente figurar cartões postais (coisa das antigas!) ou papel de parede de computador, existem lugares que são verdadeiros imãs de turistas. Do tipo que só de bater os olhos na foto você já quer visitar.

Como contei no primeiro post sobre a Eslovênia, a minha ideia de um dia ir para lá nasceu justamente depois de ver uma foto do Lago Bled.


Certamente fui um dos muitos viajantes que foram fisgados pela beleza das águas verde esmeralda, rodeadas por densa vegetação nativa, montanhas e (ufa!) uma minúscula ilha no meio com uma pequena igreja. Fala se tudo isso não é uma receita de lugar bucólico?
Um lago lindo.

Casarões.
E belos jardins circundam o lago.
Se você for à Bled de carro, a primeira sugestão é que você o deixe estacionado e aproveite para caminhar pelas margens do lago.

As suas águas e cheias de peixes e aves como patos e cisnes são claras porque provém dos chamados Alpes Julianos, ou seja, de geleiras. Logo, por mais que esteja calor, apenas os mais corajosos encaram um mergulho ali. Eu mesmo havia jurado que iria nadar ali, mas mesmo com um calor escaldante, não tive coragem.

Em praticamente todas as fotos do Lago Bled que você verá uma ilha minúscula com uma igreja no centro, a Igreja da Assunção. Sim, parece coisa de cinema!

Por mais que o destaque maior seja a igreja, outras construções compõe a pequena ilha: a torre do relógio, a casa do capelão, e a casa do reitor. Mas nem sempre foi assim.
Igreja da Assunção no lago Bled.
Até o ano de 745, havia na ilha um templo pagão à deusa do amor - sim, o politeísmo era praticado na Eslovênia! Com a chegada do cristianismo à região, foi ali construída uma igreja consagrada à Virgem Maria.

Reza a lenda que havia uma viúva que passou a viver na ilha após a morte do seu marido. Dizem que ela ficou tão inconsolada com a morte dele que vendeu todo seu ouro e mandou fazer um sino. Mas uma tempestade acabou afundando o barco que transportava o sino. Triste, a viúva resolveu vender tudo e mudar-se para Roma onde viveu até a morte como freira. Anos após a sua morte, ao saber do sofrimento dela, o Papa da época mandou fazer um sino e instalar na igreja. Dizem que quem tem fé e balança o sino 3 vezes tem seus pedidos atendidos. Ok, é mais uma daquelas lendas, mas pelo menos é bonitinha!

E dá para ir até a pequena ilha sim. É só pegar um dos barcos a remo que fazem a travessia. A remo? Sim, para não poluir as águas do lago, barcos à motor são proibidos. A entrada custa €6.
Para chegar na ilha só mesmo de barco.
E a remo.
Mas se quiser ficar ali estirado no gramado só curtindo a vista, certamente irá curtir muito. Aliás uma boa companhia para o seu deleite visual é a Bled Cream Cake, feita com creme de baunilha, massa folhada, podendo vir também com recheio de chocolate ou frutas vermelhas. Optei por saborear uma no Cafe Kavarna do Park Hotel que dizem ter sido o local de criação desta delicia em 1953. Mistura perfeita entre paladar e visão!
Bled Cream Cake.
E como se não bastasse o lago, há ainda o Bled Castle, que fica num rochedo à beira dele. Preciso dizer que do alto dos mais de 130m do rochedo a vista é fantástica???
Bled Castle.
Atravesse a ponte levadiça e descubra um castelo super interessante.
Pátio inferior.
Área do café e restaurante.
Pátio superior.
Mesmo sendo o castelo mais antigo da Eslovênia, ele é super bem conservado e dá para ter uma boa ideia de como as pessoas viviam ali no passado. Registros dão conta de que o castelo teria sido construído por volta de 1011. A estrutura atual já não é mais a original, pois o castelo ao longo de tantos séculos passou por várias reconstruções e reformas, sendo uma delas por conta de um terremoto em 1511. Fora isto, ainda teve um grande incêndio em 1947 que destruiu todo o telhado.

O castelo abre das 8h00 às 18h00 de novembro a março; até as 20h00 entre abril e junho; até as 21h00 de junho a setembro; e de setembro a outubro até as 20h00. O ingresso custa €10. Para chegar lá você pode ir caminhando por uma trilha ali existente, ou se estiver de carro, deixa-lo lá em cima no estacionamento existente (gratuito).
Aproveite para conferir a capela.
E a excelente mostra do museu do castelo.
Mas o mais legal é sem dúvida a vista - à direita a ilha da igreja.
Lá embaixo um clube à beira do lago. #inveja!!!
Mas como chegar à Bled? Se você estiver de carro, a viagem é super fácil e rápida. Por estradas excelentes você faz o trajeto entre Ljubljana e Bled em menos de 40 minutos (56km). Eu acabei me enrolando com o caminho porque fui por um “atalho” que me levou a um caminho mais sinuoso e rural, mas que valeu pela paisagem.
Estava na estrada principal.
Mas resolvi cortar caminho por vilarejos charmosos.
E pela zona rural. Só a paisagem já valeu!
Se você não estiver com um carro alugado, é relativamente fácil encontrar excursões de meio período que incluem dentre outras coisas uma visita à região.

A gente adorou Bled.
Um lugar para guardar no coração.
Quem tiver ainda um tempo sobrando pode ir conferir um interessante cânion existente na região, o Vintgar gorge (soteska Vintgar) que fica a menos de 2km de Bled. Achei simplesmente fantástico e foi uma das boas surpresas da viagem pela Eslovênia.

Ali, o Rio Radovna literalmente cavou na rocha um cânion cujas paredes têm entre 50 e 100m de altura até despencar nas Šum Falls, cachoeiras com até 16m de altura. Ao todo são 1,6 km de cânion e quedas d’ água.
Águas cristalinas de Vintgar gorge.
Vintgar gorge.
Lá você vai caminhando pelo cânion usando as passarelas.
Vintgar gorge. 
É possível percorrer a parte mais bela dele em largas e seguras passarelas suspensas. Só não leve carrinho de bebê se estiver com crianças pequenas – tem que ir no colo mesmo.

O lugar é lindo e se possível, não deixe de visitar.

O endereço exato é Podhom 80, Zg. Gorje, 4260 Bled. Anote ai no seu GPS! O ingresso custa €4 e para o horário de funcionamento, recomendo visitar o site oficial.

Sobrando mais tempo ainda? Visite a pequena e bela cidade medieval de Skofja Loka que fica praticamente no caminho de Bled de volta para Ljubljana. Mais uma vez, encoste o carro em algum lugar e passeie pelo centro histórico da cidade. Uma graça!
O centro velho de Skofja Loka.
Skofja Loka. 
Muitas vielas em Skofja Loka.
Skofja Loka.
No próximo post, nos despedimos da Eslovênia com um passeio pela maior caverna aberta a visitantes da Europa (e talvez do mundo) e um castelo construído no meio da rocha.

* O Cumbicão visitou Bled e suas atrações a convite do organismo de turismo local para coletar material para este post. Todas as opiniões e relatos aqui descritos refletem fielmente a experiência, atendendo à política do blog.


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Booking.com

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui