20 de dezembro de 2016

Como proteger as suas malas? Pax: uma capa super resistente.

Pax, a capa de neoprene.
Sem querer ser pessimista, mas sejamos realistas: vocês já pararam para pensar o que acontece com as suas malas despachadas depois do check-in? Eu particularmente vejo as minhas partindo na esteira sempre com aquele friozinho na barriga e um sentimento de seja o que Deus quiser!

Se você nunca pensou em proteger as suas malas de alguma forma, acho sua opinião a respeito mudará depois de ver o vídeo abaixo.

Juro que fiquei ainda mais apreensivo, praticamente com dó das malas. Se você gosta das suas malas, melhor nem assistir à esta sessão de tortura:


E olha que este vídeo foi gravado em um dos maiores e melhores aeroportos do mundo: Aeroporto de Amsterdam-Schiphol, na Holanda. Imagina o que acontece em alguns aeroportos onde a irracionalidade e força bruta imperam. #Snif

Ok, vocês podem até estar pensando que sou maluco e talvez apegado demais às malas. Sim, é verdade – as duas coisas. Se pudesse teria uma coleção de malas! Mas quem já teve algum problema com extravios ou danos à bagagem despachada sabe tanto a dor de cabeça que isto dá quanto o fato de que quando indenizam os passageiros, os valores pagos pelas trapalhadas das empresas aéreas não dá sequer para comprar uma mala nova – salvo raras exceções.

Então, é mais do que esperado que os passageiros mais escaldados ou os receosos busquem formas de proteger suas malas.

Durante alguns anos fiz o que muitos por aí fazem: embrulhar as malas com filme plástico, naqueles quiosques existentes nos aeroportos. O lado ruim deste sistema é o custo que é de, em média, R$ 40 por volume nos aeroportos brasileiros e uns US$18/20 nos EUA - para ficar em apenas dois exemplos. Some ainda o fato de que a cada novo despacho de bagagem, novos custos. Pegue uma viagem com uns 4 voos, dois internacionais até os EUA e mais dois locais, você já gastou uns R$ 200 por algo que não será reaproveitado.

E o prior, você pode ter toda esta preocupação e se num voo aos EUA, por exemplo, os agentes da FAA (Federal Aviation Administration) resolverem abrir a sua mala para uma averiguação de rotina, lá se foi todo o seu trabalho... Não, nem sempre eles re-embrulham as malas!

Já faz algum tempo circulam no mercado algumas soluções bem interessantes em termos de capa de malas e já tivemos a oportunidade de testar uma aqui. Hoje recebi uma capa da Pax para testar.
Além da mala grande da foto que abre o post, consegui vestir bem na mala intermediária de fibra, graças à maleabilidade do neoprene.
Com a alça e rodinhas de fora, fica fácil transportar.
A grande sacada da Pax é fazer a capa de um material que eu jamais pensaria em colocar neste tipo de produto: neoprene. Para quem não conhece, neoprene é aquele tecido utilizado em roupas de mergulho. E não pensem que é uma capa fininha não, são 3mm que me parece oferecer uma proteção bastante considerável contra arranhões e batidas.

Além da durabilidade, outro ponto que muita gente leva em consideração ao adquirir uma capa para a mala é a facilidade no seu uso. De nada adianta ter uma capa que seja difícil de utilizar ou ruim de carregar. Nestes dois quesitos a capa da Pax saiu-se muito bem.

A instalação não leva mais que 1 minuto. Dá até para colocar enquanto aguarda na fila do check-in e se precisar retirar algo da mala por conta do peso extra, sem problemas.

No quesito portabilidade, ela perde um pouco das capas de elastano que são sim um pouco mais fáceis de guardar. A de neoprene da Pax é só um pouco mais volumosa. Mas como o neoprene é extremamente leve e significativamente mais resistente que o elastano, isto não é um problema e a diferença fica por conta de uma proteção maior.
A capa vem nesta bolsa para transporte.
Algo que infelizmente a Pax não oferece são cores ou estampas. Só preto. O motivo disto decorre do fato de que o neoprene colorido tem um custo bem mais alto, tanto que praticamente 100% das roupas de mergulho são pretas.

A capa vem em três tamanhos, P, M, G; e para saber qual é a melhor para a sua mala, siga o gabarito abaixo:
São vários tamanhos.
Some um sistema de lacres da SealBag e suas malas estarão prontas para novas aventuras.

Quem acompanha os posts já deve ter notado que o nosso próximo destino é Cuba, a eterna ilha de Fidel, e será o primeiro teste de campo, ou melhor, de aeroporto da capa da Pax. Prometo que na volta a gente atualiza este post com os resultados, já que nada se compara à prática.

* O Cumbicão testou o produto mediante uma parceria estabelecida com o fornecedor para coletar material para este post. Todas as opiniões e relatos aqui descritos refletem fielmente a experiência, atendendo à política do blog.


Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

2 comentários :

  1. Já perdi muitas malas viu. Uma vez peguei uma novinha que no primeiro voo já quebrou o sistema de cofre. É complicado, vou procurar essa capa.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui