31 de maio de 2017

Dicas da Noruega: Entre vikings e fiordes.


Fiordes na Noruega.
Hora de desembarcar em nosso segundo destino pela Escandinávia, a Noruega. Um dos países mais ao norte que existe, a Noruega, também conhecida como Norge, é também reconhecida por ser uma das nações mais desenvolvidas do mundo segundo o índice de desenvolvimento humano (IDH) da ONU, e pelas suas belezas naturais.


A Noruega é um daqueles destinos que mais parece um conto de fadas. Nas cidades, tudo parece funcionar perfeitamente bem em meio à uma tranquilidade ímpar. Nelas o grande programa é curtir o clima local e aprender um pouco mais sobre a história do país nos vários museus existentes.

Fora de lugares como a capital Oslo, belas paisagens são o grande destaque. A natureza foi primorosa na Noruega. Com muitas áreas verdes e uma formação de fiordes que só tem semelhante assim na Nova Zelândia, só o show das paisagens já é um bom motivo para pegar um avião até o norte da Europa.
Em Oslo, tudo parece funcionar perfeitamente.
Não só a Noruega, mas toda a região da Escandinávia sempre me despertou um especial interesse por conta de perceber que os países da região têm uma cultura e uma história bem diferente do restante da Europa.

A história da Noruega remonta ao século IX quando o rei viking Harald Hårfagre, unificou a nação. Por conta de dificuldades oriundas principalmente da Peste Negra, a Noruega caiu sob o domínio da Dinamarca, à qual permaneceu ligada até os idos de 1800.

Mas historicamente o que há de mais interessante e curioso a respeito da Noruega são mesmo os vikings. Por mais que a imagem real deste povo seja bem diferente daquela que temos na mente como já comentamos no post sobre a Suécia, seus feitos são memoráveis e as histórias interessantíssimas.
Um típico barco viking.
Claro que existia sim ou outro viking que era “do chifre furado” (lembrando que eles não usavam aquele chapéu com chifes, ok?). O mais famoso destes, e que colaborou para esta fama foi Erik, o Vermelho. Nascido na Noruega por volta de 950, o sujeito era tão “simpático” que em 950 foi banido da Noruega por matar um cidadão. Enviado então para a Islândia, adivinha ... matou outro homem e foi banido novamente em 980. A partir de então ele passou a navegar sem destino, procurando novas terras, até que chegou na Groelândia, uma terra inóspita onde fundou seu próprio reino. Segundo alguns historiadores, seu filho Leif Eriksson, teria chegado à América do Norte, onde hoje é o Canadá, por volta do ano 1000. Vinland, o povoado fundado por ele perdurou até 1012, quando os indígenas exterminaram os vikings. Que Colombo que nada!
O mundo mapeado pelos navegantes vikings.
Os noruegueses têm uma figura mítica chamada Troll, uma espécie de duende. Eles são baixinhos e muito, muito feios. Os mais conhecidos são o Nokken que vive nos lagos e montanhas e a Huldra, que costuma seduzir os homens. Dizem que aos que os tratam bem, eles garantem boa sorte. Se você ainda não ligou os pontos, vou entregar: o termo trollar veio justamente daqui!
Trolls à solta.
Os noruegueses tendem a ser mais reservados que outros europeus mais ao sul, como por exemplo os espanhóis, portugueses e tal; o que pode passar uma impressão de rudes ou frios – mas vai por mim, é mais impressão do que qualquer outra coisa, eles só são na deles. Quanto aos noruegueses, vez ou outra lembramos de duas simpáticas garotinhas que na porta da casa delas montaram uma barraca para vender cup-cakes. Boas vendedoras e sorridentes, logo que passamos ofereceram a guloseima. Diante de tanta simpatia não dava para resistir à “obra prima” da culinária.
As figurinhas.
E a obra prima da Jr. Master Chef Noruega.
A população local é bem pequena, pouco menos de 5 milhões de habitantes. Destes, 2 milhões moram na capital Oslo. Isto deixa evidente o quanto pouco densamente povoado é o restante do país, especialmente o norte que tem gelo eterno e um frio de matar.

Assim como na Suécia, o regime político é a monarquia parlamentarista onde o chefe de estado é um rei, mas quem dá as cartas de fato é o parlamento unicameral com 169 membros. E curiosamente o rei é a autoridade suprema da Igreja da Noruega, de orientação protestante/luterana que representa a maioria da população (79%).
Detalhe da torre da Catedral de Oslo.
Com um alto nível sócio-econômico, fiquei com a impressão que as pessoas vivem muito bem lá.
Economicamente a Noruega é um país bastante rico. Boa parte da riqueza atual vem da exploração do petróleo que deu-se a partir do século XX. Interessante que apesar da economia de livre mercado imperar no país, o Estado detém o controle de alguns setores chave, como por exemplo de petróleo, energia hidrelétrica, indústria de base, bancário, e telecomunicações.

Curiosidade: a Noruega tem a 6ª maior frota mercante mundial, com “apenas” 1.412 navios, sendo que boa parte dela atua no ramo de petróleo – afinal eles são o 7º maior exportador desta riqueza.

Toda esta riqueza fez com que o custo de vida na Noruega seja em média 30% maior do que nos Estados Unidos, por exemplo.
Os nomes das atrações são bem difíceis de pronunciar, mas tudo está em inglês também.
O idioma local é bem difícil para nós, mas como praticamente toda a população fala inglês muito bem ou é fluente, você não encontrará nenhuma dificuldade para comunicar-se por lá. Claro que aprender o básico de norueguês pode lhe render um eventual sorriso dos mais fechados noruegueses, então não custa nada tentar:

- Hei – oi (moleza)
- God morgen - bom dia (parece alemão!)
- God ettermiddag - boa tarde (começou a complicar)
- God aften - boa noite
- God natt - boa noite
- Hvordan har du det? - Como vai você? (se conseguir falar isso é porque você está muito bem)
- Ser deg senere- Até mais tarde.
- Ser deg imorgen - Até amanhã.
- Takk - obrigada/o
- Tusen takk - muito obrigado/a
- Unnskyld - Sinto muito.

Então para ajuda-los a programar a sua viagem para a Noruega, vamos às questões práticas.

Quanto tempo? A resposta depende é claro de quanto tempo x dinheiro você tem, mas também do seu ritmo de viagem x o que pretende ver. Particularmente considero essencial conhecer ao menos a capital Oslo e também alguma cidade perto dos Fiordes Noruegueses.
Separe parte do seu itinerário para conhecer os Fiordes.
Neste sentido, algo a partir de 3 dias na capital e mais uns 2 na região dos fiordes parece ser uma escolha razoável. No nosso caso, tivemos apenas 3 dias na capital, sendo que tivemos apenas um dia para um breve bate-e-volta até a região dos Fiordes – hoje se pudesse, teria ficado mais dias para curtir com mais calma os Fiordes pois é algo que você não vê todo dia.

Como chegar? Como não existem voos diretos do Brasil para a Noruega, chegar lá envolve necessariamente uma escala em uma capital europeia qualquer. Por mais que isso seja cansativo, a quantidade de opções e eventualmente a possibilidade de utilizar-se de empresas aéreas de low-cost são vantagens. Nós voamos direto de Estocolmo, coisa de 1 hora de viagem.
Voamos a partir de Estocolmo com a SAS.
Quando ir? Aqui a pergunta deveria ser: você gosta de frio? Pera lá, vou formular melhor: você tem DNA de urso polar?

Como disse a Noruega é um dos países mais ao norte que já visitamos, e por conta disso o inverno lá é para lá de rigoroso (a temperatura pode chegar à -40ºC dependendo do lugar) e o verão não é nada quente. Não é à toa que eles ganham mais medalhas nas Olimpíadas de inverno do que de verão.
No verão parece que todos correm para curtir a vida ao ar livre.
Até porque no resto do ano o clima só deve ser bom para o cara da direita ai!
Nós fomos no alto verão deles e para nós que somos de São Paulo, mais parecia o outono ou inverno paulista. Nada de bermudas ou camisetas para seres tropicais como nós! Só mesmo os locais para achar aquele tempo agradável.

Abaixo uma média das temperaturas para que você tenha uma ideia do clima local ao longo do ano:

Oslo
Mês
Jan
Fev
Mar
Abr
Mai
Jun
Jul
Ago
Set
Out
Nov
Dez
Máx. média
−1,8
−0,9
3,5
9,1
15,8
20,4
21,5
20,1
15,1
9,3
3,2
−0,5
Mín. média
−6,8
−6,8
−3,3
0,8
6,5
10,6
12,2
11,3
7,5
3,8
−1,5
−5,6
Chuva (mm)
49
36
47
41
53
65
81
89
90
84
73
55
Dias c/ chuva
3
3
7
11
10
13
15
14
14
14
5
3

Ok, você já decidiu quando ir, quanto tempo ficar e como chegar lá. Mas e aí, onde ficar? Como disse, escolhemos Oslo como a nossa base e destino na Noruega, e nos hospedamos no Park Inn by Radisson.
Park Inn by Radisson, perto do centro e com excelente custo benefício.
Precisa de visto? Não, mas eventualmente as autoridades locais podem exigir que você tenha comprovação de que possui condições de custear a viagem apresentando reservas de hotéis, passagem de volta e etc. Nada de mais.

Mesmo sem fazer parte da União Europeia, recomenda-se que o seu passaporte tenha validade de no mínimo 3 meses após a data programada para a sua saída da Noruega.

A Noruega não exige vacina contra a febre amarela. Também, duvido que algum mosquito consiga sobreviver naquele frio.
Aeroporto de Oslo.
Por ser signatário de Schengen, as autoridades locais podem te exigir a comprovação da contratação de um seguro viagem como requisito de imigração. Nem sonhe em ir sem um, você corre o risco de ser barrado. Nós aqui em casa utilizamos a Real Seguro Viagem, parceira do blog. Vocês podem contratá-la diretamente no banner ao lado.

E já que o assunto é burocrático, a gente espera nunca precisar, mas é sempre bom ter anotado: a embaixada do Brasil em Oslo fica na Sigurd Syrs Gate 2, 0244 Oslo - +47 22 54 07 30, +47 22 54 07 32 - consular.oslo@itamaraty.gov.br

Vamos agora falar do lado ruim de uma viagem para a Noruega: o orçamento de viagem. Quem acompanha o blog deve ter notado que tentamos ao máximo enxugar os custos das viagens para viajar o máximo de vezes possível. Não que a gente passe fome, mas tentamos sempre procurar opções que mais se adequam à nossa realidade para poder continuar viajando sempre.

Oslo por exemplo é uma das cidades mais caras do mundo, conforme apontado pela Mercer Human Resource Consulting. Hospedagem, comida e transporte tem um custo significativo superior quando comparado a outros destinos europeus, por exemplo.

Depois de visitarmos a Noruega posso atestar: é um dos 3 lugares mais caros em que já estivemos. Tudo, literalmente tudo, custa os olhos da cara. Vá preparado!

Não se deixe enganar pelo baixo câmbio da moeda local, a corroa norueguesa:

NOK 1 = R$ 0,38 ou R$ 1 = 2,57 NOK

NOK 1 = US$ 0,11 ou US$ 1 = NOK 8,39
200NOK não se engane porque não compra muita coisa não.
Mas eles não usam euro? Não, e legalmente nem faz parte da União Europeia. Mesmo estando na Europa, a Noruega, contrariando seus vizinhos escandinavos (Finlândia, Suécia e Dinamarca) não faz parte da União Europeia, embora mantenha com esta estreitas relações políticas e comerciais.

Como é uma moeda pouco usual, nem cogitaria comprar coroas norueguesas nas casas de câmbio no Brasil. Nem sei se tem! As melhores alternativas são viajar com euros e trocar lá ou sacar direto da sua conta bancária.

Se você nunca experimentou sacar dinheiro da sua conta bancária, sugiro ler o post cartões de débito no exterior. Encontrar ATMs pelas ruas é extremamente fácil e a operação idem.

Locomover-se pela Noruega é bastante fácil. Com um sistema de trens bastante confiável, esta é a forma mais fácil de ir de uma cidade à outra. Fora que você aproveita para apreciar a paisagem.
O sistema de trens é bastante eficiente.

No geral, a Noruega pode ser considerado um destino muito, mas muito seguro. Neste ponto, não há com que se preocupar.
A tranquilidade pelas ruas é tão grande que assusta.
O fuso horário lá é de 5 horas à frente de Brasília. Se no inverno escurece já umas 16hs da tarde, no verão são 22hs e ainda está Sol. Oh delícia!!!
11 da noite e o sol ainda brilha lá fora.
Não esqueça de levar um adaptador de tomadas porque o padrão lá é de dois pinos redondos e 220v, a exemplo dos demais países da Europa.

De posse das informações e dicas gerais, no próximo post vamos às atrações de Oslo.



Booking.com

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Um comentário :

  1. Meu maior sonho é conhecer a Escandinávia, sobretudo Dinamarca e Noruega. A cultura, a organização social deles e as belezas naturais são incríveis. Espero um dia conseguir conhecer. Obrigada pelo post!

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui