14 de setembro de 2017

Dicas do México: Playa del Carmen, Cozumel e Dos Ojos.

Playa del Carmen.
Nos últimos anos um destino na Riviera Maia que vem competindo com Cancun e Cozumel pela a atenção dos turistas justamente por ser mais tranquilo e, para alguns, mais charmoso que as demais cidades da região é Playa del Carmen.

Inicialmente servindo apenas como ponto de partida para as balsas rumo à ilha de Cozumel, Playa del Carmen era praticamente uma vila de pescadores com menos de 1.500 habitantes na década de 80. Hoje, são mais de 150 mil pessoas que têm no turismo a sua principal fonte de renda. E o curioso é que quase 10% da população da cidade é composta por estrangeiros que resolveram viver do forte turismo local.

Por ali não espere encontrar aqueles grandes resorts all inclusive (que cobrem o sol da praia!). Ufa! As regras de edificação local proíbem construções com mais de 4 andares. E isto faz com que a cidade tenha vários hotéis boutique charmosos. Eu prefiro, e você? Aliás para a nossa estadia lá, escolhemos justamente um hotel menor e bem simpático, o Los Itzaes Hotel, cujo review publicarei na sequência.

Suas ruas, e em especial a famosa Quinta Avenida, lhe conferem um clima que leva muitos turistas brasileiros a compararem Playa del Carmen à Búzios, no Rio de Janeiro. Lojas e restaurantes durante o dia, e um verdadeiro point com bares e baldas para quem quer curtir a noite.
Lojas,
Bares,
E restaurantes
Garantem que a Quinta Avenida fique lotada a qualquer dia e hora.
Onde tudo acontece. Esta é a melhor definição para a Quinta Avenida que se estende da Calle 1 norte até a Calle 40. Trata-se de um calçadão recheado de restaurantes, lojas e alguns pequenos hotéis que fica a duas quadras da praia.

Por ali você encontra uma oferta enorme de restaurantes de tudo quanto é estilo e preço. Quem quiser curtir a noite, o epicentro da agitação fica nos arredores da Calle 12 com a Quinta Avenida. Há inclusive uma unidade da Coco Bongo.
Coco Bongo de Playa del Carmen.
Se você procura por compras, seja de itens típicos ou em lojas de marcas conhecidas, a Quinta Avenida é também o lugar. Shopping? Vá ao Quinta Alegria, que fica esquina da Quinta Avenida com a Av. Constituyentes; e o Paseo del Carmen. Para souvenires, existem várias lojinhas interessantes, mas uma das mais legais são as da rede Hacienda Tequila que, só em Playa del Carmen, tem 7 unidades.
Shopping la Quinta.
Loja de departamentos Liverpool.
E muitas lojas de souvenires.
Supermercados? Existem algumas redes locais que atendem bem às necessidades de quem precisa por exemplo comprar artigos de uso pessoal ou uma refeição rápida. Mas a nossa escolha acabou sendo mesmo o Wallmart perto da Quina Avenida, que inclusive aceita pagamentos em US$ - só fique atento à taxa de conversão de US$ para MXP, porque dependendo do valor pode ser uma tremenda fria pagar em dólares a sua compra feita em pesos mexicanos.

Mas e as praias? Olha, muita gente gosta mais das praias de Cancun por conta do mar lá ser mais azul e a areia mais clara. Na dúvida, aproveite as duas!
Em Playa o mar é mais esverdeado do que em Cancún.
Mas me pareceu mais agradável.
Eu particularmente achei as praias de Cancun mais bonitas, apesar daquele estilão praia longa – as de Playa del Carmen até pela erosão mais parecem praias de tombo, como dizem. Mas curta ambas e veja qual mais lhe agrada porque gosto é pessoal.

Uma das reclamações que mais li a respeito das praias de Playa é a grande quantidade de embarcações que aportam por ali, prejudicando um pouco o banho de mar. Eu particularmente não tive esta percepção, mas se isto acontecer contigo, basta caminhar uns 10 minutos para a esquerda de quem olha para o mar, passando o hotel Gran Porto Real. Outra alternativa é pegar uma praia na altura da Calle 38, onde as palmeiras fazem sombra num trecho mais tranquilo da praia.
Playa del Carmen.
Foi a partir de Playa del Carmen que resolvemos explorar as principais atrações da região que sugiro você inserir no seu roteiro de passeios:

Na Riviera Maia um dos passeios mais típicos é conhecer um cenote.

Mas o que são os cenotes afinal de contas? Em linhas bastante gerais, os cenotes são grutas cheias de água doce formadas a partir do colapso da camada superior de rocha calcárea, expondo parte de grutas e rios subterrâneos - nesta região do México simplesmente não existem rios de superfície.
Dos Ojos. A água cristalina dá a impressão que é raso, mas não é não.
Estima-se que na região existam milhares de formações como estas, algumas enormes e outras bem menores e desconhecidas.

Na civilização maia estas formações tiveram uma importância singular, pois eram a única fonte de água doce que eles dispunham. Todas as cidades maias foram fundadas nos arredores de cenotes.

Os cenotes tinham ainda uma função religiosa – tanto que cenote significa “poço sagrado” na língua maia. Alguns deles eram utilizados como local para cerimônias religiosas e sacrifícios humanos. Pesquisadores já encontraram vários esqueletos nos cenotes que eram considerados sagrados. Claro que estes não eram utilizados para abastecimento de água, apenas para fins religiosos. Ufa!

Embora existam vários como dito, os mais famosos são Ik Kil, que fica uns 3km de Chichén Itzá; e o Dos Ojos.

Na nossa viagem optamos por Dos Ojos que fica praticamente em frente ao parque Xel-Há – vale aproveitar a ida à Tulum e parar aqui para conhecer. Com suas águas azuis, é um dos cenotes mais belos da Riviera Maia.
Dos Ojos.
É também um dos 10 mais extensos sistemas de cavernas subaquáticas do mundo, com aproximadamente 61km de extensão. A sua profundidade máxima, na área conhecida como Cenote Pit é de 118m. Suas águas excepcionalmente claras têm temperatura entre 24 e 25ºC.

A vida aquática ali não é lá muito rica, com algumas poucas espécies de peixes e duas espécies de camarão.

Algumas cenas do filme de horror The Cave foram filmadas ali. Confira abaixo um vídeo de um dos Dois Ojos:

Para conhecer o Dos Ojos, existem duas opções. Uma mais barata que dá direito a nadar nos Dois Ojos, e outra que além disso proporciona uma vista à BatCave que como nome denuncia é uma caverna escura cheia de morcegos. A entrada custa a partir de MXP 100. Ele abre todos os dias das 8h00 às 17h00. Atente ao fato de que o bilhete deve ser comprado em uma barraquinha no começo da estrada de terra que dá acesso ao cenote.

Quem quiser mergulhar nos cenotes, é preciso contratar uma das empresas que oferece este tipo de atividade, como a Dive Cenotes Mexico. Se eu fui? Tô fora! Por mais que goste de mergulhar, não curto lugares apertados e escuro. Mas fiz snorkel lá e fiquei maravilhado com a transparência da água; nunca havia visto algo assim.

Um passeio que muita gente faz quando em Playa del Carmen é uma curta viagem para Cozumel. Embora seja sim possível e algumas pessoas se hospedem sim nesta ilha situada a 17km da costa, muitos preferem visita-la num dia só.
Orla de Cozumel.
Suas águas cristalinas atraem muitos transatlânticos.
Maior que Isla Mujeres e com a reputação de ter as águas mais cristalinas da região, as praias de Cozumel são um dos grandes programas da região.

A costa oeste é mais tranquila e por conta de suas águas calmas concentra as praias mais interessantes, e consequentemente hotéis, bares e restaurantes. Na costa leste, até existem praias, mas ali o banho de mar é mais complicado por conta das fortes ondas que vem do mar aberto.

Se o seu negócio é fazer snorkel, corra para Cielo, Palancar, e Colombia que são os melhores pontos da ilha. Outro ponto de snorkel bastante conhecido é o Parque Nacional Arrecifes de Cozumel – direção ao sul da ilha.

Agora se você só quer curtir uma praia mesmo, a pedida é o Parque Chankanaab e praia que fica diante dele. Fora isto, recomendo também um passeio pelo centro da cidade, pois é cheio de lojinhas e restaurantes que ficam lotados com os turistas vindos dos vários cruzeiros que aportam na ilha.

Eu acabei no final indo à ilha apenas para mergulhar, então não tive condições de explorá-la como gostaria. Aproveitei o tempo livre que tinha para andar pelo centro comercial e histórico da ilha, o qual bem interessante.
Para quem quer mergulhar, Cozumel é um destino imperdível.
Se você tiver mais tempo pode visitar o Faro Celarain, um farol no Parque Punta Sur de onde dizem que a vista é linda.

Quer aproveitar as praias e relaxar? Pelo que li na época, a melhor pedida é curtir a infraestrutura de um dos muitos beach clubs da ilha. Existem muitos deles, mas os mais conhecidos são o Monkey Bar Beach Club que oferece uma série de serviços interessantes, desde tours de snorkel até massagens – e comida é claro; e o Mr. Sancho´s que tem uma excelente e enorme instalação à beira mar. Ambos com entradas gratuitas. Ali perto, outra opção é o Nachi-Cocom, que apesar de ser muito bonito, só funciona no sistema all inclusive que custa uns US$55 por pessoa. Achei caro!
Não deixe de passear pelo centrinho de Cozumel.
Nele você encontra lojas, bares e restaurantes.
Como chegar? Quem está em Playa del Carmen basta caminhar até o píer e pegar um dos muitos ferries da Ultramar que partem do terminal que fica a poucos passos da Quinta Avenida – a viagem dura uns 45min e o bilhete ida e volta custa MXP 326 para o ida-e-volta.

Como estes ferries da Ultramar levam apenas passageiros, que estiver com carro e quiser utilizá-lo em Cozumel, deve pegar o ferry que parte de Punta Venado (15km de Playa del Carmen). Recomenda-se chegar 1 hora antes para pegar a fila de embarque. Maiores detalhes no site da Transcaribe que é responsável por este transporte.
Ferry boat que faz a linha Playa del Carmen - Cozumel.
Guichês das empresas que operam as linhas. Você pode inclusive ir com uma e voltar com outra para melhor aproveitar os horários.
Até pensei em utilizar este esquema da Transcaribe porque já estava com o carro alugado, mas o custo de MXP 817,12 pelo carro + motorista e MXP 67,72 pelo carona (total de MXP 884,84 ou R$ 197,86), ambos por trecho me pareceu pouco vantajoso face o valor acima da Ultramar. Mesmo que você alugue um carro para circular por Cozumel, ainda assim sairá mais barato do que ir com o carro que você eventualmente alugou para circular em Cancun ou Playa del Carmen.

Infelizmente não dá para circular pela ilha de outra forma que não num carro alugado ou num táxi, já que caminhar de uma praia para a outra, ou do centro para elas é impraticável por conta das distâncias.

Se você pretender explorar a ilha mesmo, sugiro separar um dia, ou ao menos um período inteiro para aproveitar bem. Uma dica importante é evitar ir aos domingos, porque muita coisa fecha.

No próximo post, vamos conhecer uma das principais atrações da Riviera Maia, o Parque Xcaret.


Booking.com

Quer receber mais dicas de viagem e saber quando saem os próximos posts?
Curta nossa página no Facebook, aqui.
Siga-nos no Twitter @cumbicao.
E no Instagram – Cumbicão.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui