2 de março de 2013

Dicas da TURQUIA (XVI) - Cozinha Turca

É só uma Baklava, mas poderia ser uma obra de arte!
Bom, depois de tanta andança pela Turquia, hora de falar um pouco a respeito da culinária local.
Como este é um blog de turismo - e não de culinária; e não sou nenhum Anthony Bourdain nem um Andrew Zimmern, me limitarei ao essencial e ao que comporta o meu parco conhecimento culinário. Ok?
Lembro bem que antes de desembarcar por aquelas bandas eu estava bastante receoso com o que encontraria em termos de comida.
Não que eu seja extremamente chato para comida, mas admito que sou um pouco restritivo sim e nem sempre estou aberto a novas experimentações gastronômicas. Muito disso por conta do receio com passar mal e tal – como todo viajante já tive alguns perrengues por conta disso.
Porém foi só chegar às terras turcas para descobrir que a comida local está longe de ser um problema, muito pelo contrário.
De modo bastante geral, podemos dizer que a idéia de que a comida turca seja apimentada é apenas meia verdade. A maioria dos pratos de fato levam uma quantidade de pimenta maior do que a que estamos ordinariamente acostumados.
A refeição digamos mais apimentada que tivemos saiu destes potes. Ainda que não tão apimentada quanto eu imaginava, valeu a pena porque o prato é cozido nestes potes que são quebrados no final do preparo.
Eis a obra final! Algo "semelhante" a um arroz e uma carne temperadíssima.
Onde? Num restaurante no Vale do Ihlara.
Contudo, não espere aquele apimentado absurdamente forte, nem sem sabor, que às vezes encontramos por ai. Lembre-se, a Turquia é um paraíso no quesito especiarias, e os cozinheiros e chefs locais fazem bom uso desta abundante matéria prima.
Particularmente eu classificaria a cozinha turca como bem condimentada, e não apimentada.
Todo caso, sempre recomendo, a depender do seu gosto, pedir pratos com pouca ou nenhuma pimenta; ou melhor ainda, pedir explicação aos garçons a respeito dos pratos.
A quantidade de restaurantes é enorme.
Praticamente em todas as ruas do centro e arredores de atrações turísticas têm restaurantes com mesas na rua durante a primavera e o verão.
Nas ruas encontra-se de tudo para comer. Tem até milho na espiga!!!

Mesmo não sendo nenhuma iguaria, quanto menos um prato refinado - sem nenhum demérito, até mesmo porque eu adorei - duvido que você saia de lá sem experimentar ao menos um (ou alguns no meu caso) Döner kebab. Na tradução do turco, isto é literalmente "espeto giratório".
O mais comum pelas ruas é este giratório.
Já nos restaurantes, é servido no prato.
Mais parece uma kafta.
Pode vir com aquele "arroz" como anterior ou com salada.
Feito principalmente com carne carneiro (existem algumas variações como o Sebzeli Tavuk Döner que é de frango), embora a sua apresentação varie um pouco de lugar para lugar, é o prato nacional turco. Altamente recomendável!
Onde encontrar? Os kebabs são facilmente encontrados em praticamente qualquer restaurante. Um restaurante interessante é o Konak que fica em dois pontos da Istiklal Caddesi.
Apesar de ser um lugar perfeito para um kebab, resolvemos investir em algo bem conhecido dos brasileiros, kibe frito ou Içli Köfte em bom turco! Uma delícia.
Me senti em casa!
Aposto que vocês estão pensando que agora só falta a esfirra... Bem, esfirra propriamente dita não encontramos, mas nada que uma Pide não resolva. Trata-se de algo entre uma pizza e uma esfirra aberta, feita com uma massa muito semelhante a um pão sírio (mas não tão seco) e coberta com queijo. A versão com carne chama-se Lahmacun.
Tem de queijo.
E de... seria "peperoni"??? Kkkk.
Formiga que sou, não pude resistir aos doces turcos. Aqui é que, na minha opinião, a coisa fica mais interessante.
Pegue uma enorme oferta de nozes, amêndoa, pistache e outras coisas do gênero e some à uma verdadeira paixão por mel (como já disse anteriormente, eles servem até favo no café da manhã) e o resultado será nada menos do que baklavas de tudo quanto é sabor. Como diz a Sra. Cumbicona, quase me afoguei de água na boca só de lembrar! 
Para quem não sabe, estes “pastéis” doces de massa folhada, regados a mel ou calda de açúcar e recheados com amêndoas e/ou pistaches não são uma exclusividade local. Já mostramos este tipo de doce na Grécia e em Israel; e sei que existem em outros tantos países por ali.
Feita esta apresentação da baklava, sugiro aos queridos leitores que voltem à foto que abre este post e olhem fixamente por 10 segundos para a foto - espero que ninguém lamba a tela hein! - e me digam: não é linda???
Se eu tivesse que recomendar apenas um prato local, certamente seria este. Em uma palavra: não perca! E faça o “sacrifício” de experimentar em mais de um estabelecimento para escolher o seu favorito.  Por mim eu continuaria procurando...
A variedade de doces é enorme.
Cada dois passos pelo centro era uma vitrine destas. Me senti como aqueles cachorros que olham a "televisão" de frango na padaria nos finais de semana. Kkkk
Outra delícia local são os Turkish delight ou lokum que são balas de goma recheadas com nozes, avelã, castanhas ou pistache e cobertas com um pouco de açúcar. Imperdível!!!
Também altamente recomendável, até mesmo para trazer para casa. Só não esqueça de me chamar para degustar, hein!
Fácil de encontrar, até mesmo no aeroporto. Com direito a degustação e tudo!
Não deixe de experimentar uma espécie de torrone local, também feito com nozes, avelã, castanhas ou pistache. Maravilhoso!!!
Servido em praticamente todas as esquinas e no Bazar de Especiarias, é outro doce obrigatório para o clube das formigas.
Eis ai o "torrone turco".
Como estávamos na região de Eminonu, optamos por fazer algumas refeições no Özler (na Ibn Kemal Caddesi n.º 29 Sirkeci Eminonu / Istambul). Um almoço e uma janta para ser mais exato.
Aparentemente simples, o restaurante agrada, e muito. Ambiente com decoração típica (sem ser exagerada); um delicioso espaço ao ar livre (ideal para o verão); garçons atenciosos e que se preocupam em explicar em detalhes os pratos aos recém apresentados à cozinha turca; e preços justos, é claro!
Özler. Recomendo!
Este pão inflado e eco por dentro que eles servem é muito interessante.
Se você ainda conseguir comer algo depois da sua refeição, esteja pronto para o prato de melancia – quase meia melancia – ou um prato de cereja que eles trazem de cortesia da casa.
Algo bastante típico e que eu recomendo experimentar na Turquia é o café turco. Talvez você ai do outro lado possa estar se perguntando o que um simples café pode ter de tão especial.
Para quem como nós gosta de café, não pode deixar passar.
As cafeterias e casas de chá são um hábito local.
Bem, o café turco ou kahve na língua local é aquele tipo de café que não é coado. Tanto que a borra do café permanece no fundo da xícara.
O preparo é feito com a adição do café em uma fina moagem em água fria, sendo então a mistura toda levada à fervura.
A menos que você queira tomar pó, ficam aqui duas dicas até certo ponto óbvias. Não mexa o café, nem entorte a xícara até o final! Quem sabe você consegue ver o seu futuro na borra de café???
Igualmente tradicional, é o chá turco ou çay.
Chá de maçã com baklava. Perfeito!
Embora recomende que você tome por lá e traga para casa os chás em sua versões “in natura” (basta embalar a vácuo) conforme vimos no Mercado de Especiarias; deixo aqui uma dica uma opção mais prática e que pode ser preparada rapidamente até mesmo no quarto do seu hotel, uma espécie de chá instantâneo. Imaginem algo como um Nescafé dos chás. Claro que não é tão bom como o natural, mas quebra um galho no quarto do hotel.
A versão expressa.
E a versão delivery. Sim estes sujeitos de trajes típicos vendem chá pelas ruas.
Os sabores de chás são os mais variados possíveis, mas o mais conhecido, e talvez um dos mais saborosos (vai do paladar de cada um) é o de maçã. Imperdível.
Já no campo dos alcoólicos, recomendo a onipresente cerveja Efes, leve a refrescante para o escaldante verão turco.
Outra opção para aplacar o calor é tomar um suco de romã (pomegranate juice). Apesar de ter lido que eles são servidos frescos até mesmo em barracas nas ruas, andando por Istambul, tudo que conseguimos foi esta versão industrializada. Bom valeu ao menos para poder experimentar.
Suco de romã.
Bem, a nossa jornada pela Turquia chega ao fim.
Se me pedissem para definir a Turquia, eu diria que é um dos lugares mais interessantes do mundo. Uma excelente opção de viagem para quem busca algo mais, algo fora dos roteiros EUA-Europa (apesar da Turquia ser um país europeu hein!) sem ter que se aventurar demais – principalmente se você viajar por conta.
Com um povo bastante acolhedor, a Turquia é uma ótima pedida para quem tem vontade de conhecer um país muçulmano, mas receia ter problemas com as diferenças culturais – como vocês viram nos posts anteriores, os turcos são muito tolerantes e recebem bem os turistas sem perder o charme de sua identidade cultural.
Um lugar onde é possível encontrar desde modernos shoppings e restaurantes em Istambul, até paisagens tão singulares e rústicas como as da Capadócia – sem citar, por exemplo Pamukkale (que infelizmente não tive tempo de conhecer) e as cidades mediterrâneas que dizem ter praias tão belas quanto as da Grécia e por ai vai...
Então, anote ai na sua Bucket List: TURQUIA!

Booking.com


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Deixe seu comentário, sugestão ou dúvida aqui